!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Filme expõe porões da tortura no Brasil

Posted in Brasil, Cidadania, Cultura, Videofonia by ImprensaBR on 21/12/2010

Quarenta anos depois, contundentes imagens de como se dava a tortura aplicada pela ditadura e desconhecidas no Brasil chegam timidamente ao país. No documentário “Brazil, a report on torture” (“Brasil, o relato de uma tortura”), parte do grupo de 70 ativistas da luta armada que foram trocados pelo embaixador suíço Giovanni Enrico Bucher, em 1971, relata e encena práticas como pau de arara, choque elétrico, espancamento e afogamento.

O objetivo era denunciar no exterior o que ocorria nos porões da ditadura brasileira

O filme foi realizado em 1971, em Santiago, no Chile, para onde os brasileiros foram banidos. O documentário foi uma iniciativa dos cineastas americanos Haskel Wexler e Saul Landau, que estavam no Chile para produzir material sobre o presidente Salvador Allende e souberam da presença dos brasileiros.

Quase todos os guerrilheiro s que deram depoimentos não assistiram ao filme até hoje. Dois deles se suicidaram alguns anos depois: Frei Tito e Maria Auxiliadora Lara Barcelos, uma das mais próximas amigas da presidente eleita, Dilma Rousseff, no período da Var-Palmares, no início da década de 70.

Nas imagens, os ativistas simulam vários tipos de tortura, como uma pessoa tendo seu corpo esticado, com pés e mãos amarrados entre dois carros. Simulam a “mesa de operação”: sem roupa, ou só de cueca, o torturado deita na mesa, tem os braços e pernas amarrados nas extremidades e sofre pressão na espinha. Uma barra de ferro, no alto, tem um barbante amarrado aos testículos. A pessoa era obrigada a ficar por duas ou três horas na posição, suportando o peso do corpo com as mãos e braços.

O jornal O Globo enviou cópia a alguns dos protagonistas, que somente agora tiveram acesso ao documentário e relembraram o depoimento. Jean Marc Van der Weid, hoje diretor de uma O NG de agricultura alternativa, defendeu a luta armada no filme como única maneira de o povo chegar ao poder no Brasil ditatorial:

“Nunca tinha visto. Era um filme de denúncia contra a ditadura e produto de um momento inteiramente diferente de hoje. Não me lembrava nem do que falei. A ideia da luta armada era generalizada em quase todas as organizações de esquerda”, disse Jean Marc, que era presidente da UNE quando foi preso e atuou na Ação Popular (AP).

Militante do PCBR, Elinor Mendes Brito aparece no documentário contando detalhes das técnicas de tortura, demonstrando no corpo de sua companheira de organização Vera Rocha Pereira em que partes eram aplicados os choques elétricos.

“Me sinto até mal assistindo hoje a essas imagens, fazendo isso com companheiros. ‘Torturar’ uma amiga, na demonstração, foi um horror. É um filme muito realista, e o objetivo era mostrar exatamente como eram as técnicas. Não era forçação de barra. Era emocional”, disse Elinor Brito, que foi torturado em quatro instalações militares distintas. Hoje, Brito é funcionário da Comlurb, no Rio.

Fonte: www.vermelho.org.br – 21/12/2010

DOWNLOAD FILM TORRENT: BRAZIL – A REPORT ON TORTURE
– Saul Landau & Haskell Wexler, 1971 – 60 min. – 308 Mb .avi – english subtitles –
Documentário rodado no Chile, traz depoimentos de exilados brasileiros sobreviventes de práticas de tortura cometidas pelo Estado durante a ditadura militar instituída em 1964 no Brasil. Tratam-se de alguns dos prisioneiros libertados em troca da também libertação do embaixador suíço Giovanni Enrico Bucher, sequestrado em 1970 por guerrilheiros brasileiros. Situações absurdas são descritas, como pessoas que eram imobilizadas nuas e tinham um jacaré caminhando por seus corpos, prisioneiros que tinham esposas e filhos pequenos torturados em sua presença para que delatassem ações e companheiros, e o relato de uma ex-prisioneira afirmando que os dias em que só comiam merda eram os bons dias, de torturas mais brandas. A ação sanguinária do Estado não se dirigia apenas a criminosos, o que já é inadmissível, mas também a estudantes, intelectuais, artistas e religiosos, muitos deles inocentes, e não se limitava à tortura, inúmeras pessoas foram mortas por esse regime de exceção. A tomada do poder pelos militares foi justificada como forma de combater a ameaça comunista. Todos os criminosos foram anistiados por lei de 1979 muito contestada e que vem sendo derrubada lentamente. O crime de tortura, por ela considerado um crime político, é na verdade um crime contra a humanidade, como são o genocídio, a limpeza étnica e a esterilização forçada. Crimes contra a humanidade são imprescritíveis e não podem ser objeto de anistia, podendo inclusive serem submetidos a jurisdição internacional ou universal. Muitos daqueles que atuavam criminosamente em nome do Estado ainda ocupam cargos públicos nos dias de hoje, assim como políticos que colaboravam com o regime. A tortura ainda é cometida por agentes do poder público de forma sistemática e generalizada Brasil afora, principalmente em carceragens e penitenciárias. O uso da tortura na atividade policial também é prática corrente e diária, sendo as vítimas, em sua maioria, jovens moradores das áreas mais pobres.

O torrent acima traz o filme completo, quase todo falado em português e com legendas em inglês.

Anúncios

Comentários desativados em Filme expõe porões da tortura no Brasil

%d blogueiros gostam disto: