!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Alerj eleva reajuste de quadros das secretarias de Educação e Cultura

Posted in Cultura, Estado, Notas by ImprensaBR on 06/06/2013

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta quarta-feira (05/06) o projeto de lei 2.200/13, com o reajuste para todo o quadro ativo e inativo de funcionários das secretarias de Estado de Educação e de Cultura. Interrompida ontem durante votação dos destaques, a votação foi encerrada hoje com aumento do índice de 7% para 8%, a permissão de extensão do aumento aos animadores culturais e o abono das faltas por paralisação nos dias 16, 17 e 18 de abril. “Como foi dito anteriormente, trabalharei para que os abonos sejam sancionados”, comprometeu-se o presidente da Casa, deputado Paulo Melo (PMDB).
Em plenário, o líder do Governo na Casa, deputado André Corrêa (PSD) classificou proposta como uma extensão da política de valorização da categoria do governo estadual. “Depois de anos de perdas salariais, podemos dizer que houve um ganho real na ordem de 40%. Hoje o Rio tem a maior hora/aula do país, 44 mil professores concursados foram chamados”, listou o parlamentar, informando que 60% dos professores em atividade entraram nos últimos seis anos. O aumento já será contabilizado nos pagamentos do mês de junho.

O parecer da comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual Corrêa é presidente, aprovou ainda emenda que estende o reajuste aos adicionais de qualificação por mestrado e doutorado e que concederá gratificação por difícil acesso, paga hoje apenas a professores, aos servidores do quadro de apoio da secretaria de estado de Educação, neste caso a partir de janeiro de 2014. A emenda que descongela os adicionais de qualificação é do presidente da Comissão de Educação da Casa, deputado Comte Bittencourt (PPS).

“Em 2009, lutamos para que os professores tivessem um adicional por formação de mestrado e doutorado. Não adianta esse incentivo não receber, ao longo desses dois últimos anos, os reajustes que estão sendo dados à base do salário”, salientou. A emenda que estendeu o auxilio ao apoio é da deputada Enfermeira Rejane (PCdoB). Uma emenda não aprovada pela CCJ foi incluída em votação em plenário: assinada pelo deputado Marcelo Freixo (PSol), estabelece que a matricula dos professores correspondam a lotação em apenas uma escola. A intenção é impedir que professores sejam obrigados a se dividir entre mais de uma unidade.
A proposta, que seguirá à sanção do governador Sérgio Cabral, também cria 3.877 funções gratificadas, sendo 250 de agentes de acompanhamento em gestão escolar, no valor de R$ 1,8 mil; e 3.627 de assistente operacional escolar, de R$ 840. O governador terá 15 dias úteis para sancionar a norma.

Fonte: Alerj

Comentários desativados em Alerj eleva reajuste de quadros das secretarias de Educação e Cultura

%d blogueiros gostam disto: