!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Sepe convoca para Assembleia Unificada da rede estadual e municipal de Rio das Ostras em 06 de agosto

Posted in Cidadania, Educação, Rio das Ostras by ImprensaBR on 31/07/2013

Diretoria do Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

End.: Alameda Casimiro de Abreu, 292 – 3º and. Sl. 8 – Centro – Rio das Ostras
Tel.: (22) 2764-7730
Horário de Funcionamento: Segunda, Quarta e Sexta das 09h às 13h; Terça e Quinta das 13h às 17h.
E-mail: sepe.riodasostrasecasimiro@gmail.com
Twitter: @sepeostras

Fonte: Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu.

Comentários desativados em Sepe convoca para Assembleia Unificada da rede estadual e municipal de Rio das Ostras em 06 de agosto

Como ludibriar o leitor

Por Luciano Martins Costa*, no Observatório de Imprensa

Uma das vantagens que os jornais supostamente oferecem em relação aos outros meios de informação é o sistema de organização das notícias: elas são distribuídas por seções temáticas, quase sempre agrupadas em cadernos específicos, facilitando a busca do leitor por seus assuntos preferidos.

O fato de esse pacote de informações se renovar diariamente reforça a percepção de uma ordem e uma correlação entre os acontecimentos, o que também funciona para passar ao leitor a confiança de que a cada dia ele está recebendo o que há de mais atual, e que com isso estaria adquirindo um conhecimento objetivo sobre a realidade que lhe interessa.

Por isso, quando a imprensa quebra esse elo, a consequência pode ser desastrosa.

Por exemplo, no domingo passado, o Globo publicou como sendo recente o resultado de uma pesquisa sobre credibilidade da imprensa que havia sido divulgada pela agência de Relações Públicas Edelman quatro meses antes. O estudo, feito anualmente há uma década, dizia que a mídia é a entidade mais confiável para os brasileiros, com 66% de aprovação, contra 64% das empresas, 59% das ONGs e 33% do governo.

O resultado, divulgado no primeiro trimestre deste ano, se refere a levantamento feito no ano anterior, ou seja, é um retrato desatualizado da realidade. Portanto, se apresentado como atual, é uma mentira. E por que razão o jornal carioca venderia aos seus leitores, como se fosse fresco, esse peixe congelado?

Os leitores atentos haverão de perceber que essa publicação, que foi imediatamente reproduzida por outros veículos noticiosos, passa a impressão de que a credibilidade da imprensa aumentou justamente quando caía a reputação de outras instituições, todas atingidas pela onda de protestos que ocorreram a partir de maio, ou seja, dois meses depois de distribuída pela Edelman a pesquisa referente a 2012.

Mas existe outro aspecto a ser considerado nessa questão. A publicação da pesquisa defasada sobre a credibilidade da imprensa foi feita em meio a uma série de outros levantamentos que mostram a queda da popularidade do atual governo.

Produzidos no calor dos protestos que paralisaram as grandes cidades brasileiras, esses estudos foram sendo levados ao público numa cronologia regular, a partir do início de junho, como se fossem resultados de consultas sequenciais, o que pode produzir em muitas pessoas a impressão de que o governo está rolando ribanceira abaixo.

Jogo perigoso

Essa técnica de manipulação é muito conhecida entre os marqueteiros e jornalistas, e costuma ser praticada em períodos eleitorais. Se serve para registrar as mudanças de humor de eleitores em meio às emoções produzidas pela propaganda dos candidatos, esse tipo de cobertura produz distorções fundamentais na percepção de outros contextos que devem ser vistos no longo prazo, como a avaliação da eficiência de um governo.

Funciona assim: o Datafolha produz uma pesquisa, constatando que a presidente Dilma Rousseff sofreu a primeira queda em sua alta taxa de popularidade, perdendo 8 pontos na aprovação popular, mas ainda venceria uma eleição em primeiro turno. Em seguida, os jornais reproduzem a pesquisa destacando declarações de líderes da oposição vinculando o governo às manifestações de rua e prevendo novas quedas de popularidade. Na sequência, nova pesquisa, desta vez com uma queda de 27 pontos porcentuais.

A notícia original, dada pela Folha de S. Paulo, usa o verbo “despencar”, que é repetido por todos os outros veículos, como num túnel de ecos. Novamente, repetem-se as “análises” com base em declarações de políticos da oposição, que vinculam os indicadores aos protestos que se multiplicam nas ruas.

Interessante observar que a mesma sequência de constatações é feita por outra série de pesquisas, estas produzidas para a Confederação Nacional do Transporte, mostrando tendência semelhante. No entanto, os jornais publicam esses resultados, com diferenças de poucos dias em relação aos levantamentos do Datafolha, como se fossem novas prospecções, quando são, na verdade, novas tomadas do mesmo contexto.

Dessa forma, passa-se para o leitor a impressão de que a aprovação do governo está “despencando”, para usar a palavra preferida dos jornais. No entanto, o que está “despencando” é a confiança dos brasileiros no processo democrático.

O fato mais relevante dessas pesquisas, que está sendo omitido pela imprensa, é a declaração de intenção no voto nulo ou em branco. Na última pesquisa do CNT/DMA, a presidente Dilma aparece com mais intenções de voto espontâneo do que o ex-presidente Lula da Silva e o dobro das intenções dirigidas aos possíveis candidatos Marina Silva e Aécio Neves. Na pesquisa estimulada, ela ainda venceria as eleições em dois turnos.

Além disso, a imprensa está escamoteando um dado fundamental nessa pesquisa, a mais recente: na pergunta sobre que partido o entrevistado quer ver na Presidência da República a partir de 2015, a resposta espontânea mostra que 22,1% apontam o PT, apenas 5,6% preferem o PSDB e 2,1% citam o PMDB.

No conjunto dos levantamentos, vistos desde o início de junho, o retrato mostra que o que caiu foi a confiança no processo político: mais de 50% dos brasileiros estariam dispostos a se abster em 2014. Com a redução do total dos votos válidos, ficaria mais fácil influenciar o resultado das urnas – e essa possibilidade parece estar no horizonte estratégico da mídia tradicional.

Mas esse é um jogo muito perigoso.

*Professor licenciado da UFBa

Comentários desativados em Como ludibriar o leitor

Movimento Chega de estupros em Rio das Ostras: vamos transformar nossa indignação em luta

Posted in Cidadania, Cidade, Rio das Ostras by ImprensaBR on 16/07/2013

Professores, técnicos administrativos e alunos da UFF, há alguns dias em Rio das Ostras aconteceu um crime bárbaro que causou indignação e revolta aos moradores desta cidade: uma criança de 2 anos de idade, moradora do Ancora – Gabriely Batista – foi brutalmente assassinada depois de ser violentada sexualmente. Nós do Movimento Chega de Estupros em Rio das Ostras, que conta com a participação ativa de professores e alunos desta Universidade, temos nos organizado desde fevereiro deste ano para denunciar o número crescente de estupros na cidade e cobrar das autoridades públicas medidas efetivas que coíbam este tipo de crime bárbaro. Infelizmente, a menina Gabriely foi mais uma vítima indefesa.  Estamos indignados e revoltados com tamanha barbárie e não podemos nos omitir, calar ou deixar que este crime seja mais um a cair no esquecimento. O número de estupros contra mulheres, crianças e adolescentes nesta cidade é assustador, dados sistematizados pelo Movimento em Dossiê entregue à autoridades municipais e estaduais no dia de Audiência Pública realizada na Câmara Municipal de Rio das Ostras, organizada pela deputada Inês Pandeló, demonstram que deve-se tomar medidas URGENTES e efetivas para que esta cidade possa oferecer o mínimo de segurança aos seus moradores, em especial crianças e adolescentes. Os moradores, especialmente as crianças e adolescentes moradores do Ancora, bairro da menina Gabriely, e de outros bairros periféricos da cidade, precisam de segurança, mas também de saúde, educação, saneamento básico, precisam de condições dignas para viver. Não nos calemos diante deste crime. Dia 25 de julho, as 13:00 horas realizaremos um ato na creche onde estudava a Gabriely, no Ancora. Daremos um abraço simbólico, como forma de demonstrar nossa solidariedade a família desta menina, aos professores, as crianças que com ela estudavam e como forma de demonstrar que esta luta é de todos nós. Logo após o abraço à escola sairemos em caminhada até a prefeitura de Rio das Ostras onde entregaremos documentos ao Prefeito da cidade cobrando medidas efetivas para solucionar este crime, bem como, cobrando a efetivação das propostas assumidas por ele e demais autoridades presentes na Audiência pública que debateu os casos de estupros em Rio das Ostras. Vamos transformar nossa indignação em Luta – Participem do Ato! Teremos transporte saindo do PURO às 12:30h. Esta Luta é de todos nós.

Movimento Chega de Estupros em Rio das Ostras

Comentários desativados em Movimento Chega de estupros em Rio das Ostras: vamos transformar nossa indignação em luta

Prefeito de Rio das Ostras se reúne com manifestantes

Posted in Cidadania, Cidade, Rio das Ostras by ImprensaBR on 12/07/2013

Alcebíades Sabino ouviu as principais reivindicações do grupo e marcou uma reunião para a próxima quinta-feira

jonathan oliveira entrega pauta de reivindicações para o prefeito de rio das ostras alcebiades sabino

O ativista Jonathan Oliveira entrega pauta de reivindicações para o prefeito de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino. Foto: Facebook do prefeito Sabino.

Nesta quinta-feira (11), Alcebíades Sabino dos Santos, prefeito de Rio das Ostras, Região dos Lagos do Rio, se reuniu com manifestantes e ouviu as principais reivindicações do grupo. Porém, mais uma reunião foi agendada para a próxima quinta-feira (18) na prefeitura, com o objetivo de discutir os pontos apresentados durante o encontro. Na quinta-feira, manifestantes foram às ruas de Rio das Ostras para protestar contra o monopólio da empresa de ônibus que atua no município e o valor da passagem.

Na parte da manhã, eles atearam fogo em madeiras e fecharam a ponte que liga Rio das Ostras a Macaé. Na parte da tarde, um grupo se concentrou em frente à prefeitura de Rio das Ostras.

Fonte: G1

Comentários desativados em Prefeito de Rio das Ostras se reúne com manifestantes

Manifestantes põem fogo em ponte que liga Macaé e Rio das Ostras. Trânsito está fechado no dois sentidos da rodovia Amaral Peixoto

Posted in Cidadania, Macaé, Região, Rio das Ostras by ImprensaBR on 11/07/2013

Ato acontece no dia da paralisação geral dos sindicatos

Na manhã desta quinta-feira (11), manifestantes colocaram fogo em madeiras e fecharam a ponte que fica no limite entre os municípios de Macaé, interior do Rio de Janeiro, e Rio das Ostra, Região dos Lagos. Por isso, o trânsito está totalmente fechado nos dois sentidos da rodovia Amaral Peixoto, a RJ-106, que é a principal ligação entre as duas cidades. Participam do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Sindicato dos Petroleiros (SindiPetro).

O ato acontece no dia em que os sindicatos do Brasil resolveram fazer uma paralisação geral. Em Macaé, alguns sindicatos aderiram a interrupção dos serviços. O sindicato dos bancários afirmou que as agências só irão abrir às 13h. A direção do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação disse que os professores das redes municipal e estadual vão aderir à paralisação.

A Prefeitura de Macaé informou que não há esquema especial de trânsito e que todos os serviços públicos funcionarão normalmente, inclusive as escolas. A empresa responsável pelo transporte na cidade, disse que os ônibus vão rodar normalmente.

O comandante do 32ª Batalhão da Polícia Militar, Ramiro Campos, informou que haverá um reforço de 60 policiais que serão divididos entre Macaé, Quissamã, Carabepus, Conceição de Macacu, Rio das Ostras e Barra de São João.

Do G1

Comentários desativados em Manifestantes põem fogo em ponte que liga Macaé e Rio das Ostras. Trânsito está fechado no dois sentidos da rodovia Amaral Peixoto

Pelo direito dos jornalistas Dia Nacional de Lutas

Posted in Brasil, Cidadania, Comunicações, Trabalho e Renda by ImprensaBR on 11/07/2013

Respeito pelo trabalho da imprensa, fortalecimento da comunicação pública e democratização da informação. Estas são algumas das reivindicações que o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro leva às ruas nesta quinta-feira (11 de julho), Dia Nacional de Luta.

Jornalistas cariocas vão se concentrar, a partir do meio-dia, nas escadarias da Câmara de Vereadores do Rio, na Cinelândia, com faixas de reivindicações da categoria. Os profissionais também levantam as bandeiras da pauta unificada das centrais sindicais e dos movimentos sociais, como 10% do PIB para a educação, reforma agrária e transporte público de qualidade.

O Sindicato dos Jornalistas estará em seguida, às 13 horas, em frente à TV Brasil, na Avenida Gomes Freire 474, junto com o Sindicato dos Radialistas e com a Comissão de Empregados da EBC-RJ. Os trabalhadores reivindicam plano de carreira, cumprimento de acordo coletivo, fortalecimento da comunicação pública e a democratização da comunicação.

No Rio de Janeiro, este 11 de julho, Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações, vai culminar em ato, a partir das 15 horas, próximo à igreja da Candelária.

Fonte: SJPMRJ

Comentários desativados em Pelo direito dos jornalistas Dia Nacional de Lutas

Sobre o Fórum de Cultura de Rio das Ostras e no que esta articulação implica

Posted in Cidadania, Cultura, Denúncia, Rio das Ostras by ImprensaBR on 04/07/2013

Há quanto tempo você mora em Rio das Ostras? O que você conhece sobre a história da cidade, seus agentes culturais, o avançar do setor nos últimos oito anos? Então, por gentileza, invista em você e leia este artigo, porque eu acho que os caras estão te usando como massa de manobra… agora, se você acha que tá bonito, vai fundo! Lá na frente você me conta como foi…  

É. Parece que depois do alerta divulgado ontem no jornal O Polifônico Jornalismo de Intervenção a galerinha que está preparando, sem a menor coletividade, o Fórum de Cultura de Rio das Ostras (o Fórum de Mentirinha), já começou a se articular para fazer um contra ataque ao artigo e à jornalista que o redigiu. Mas o fato não pode ser mais uma vez deturpado. O que está em questão é a construção da política cultural que Rio das Ostras passará a ter para os próximos anos. Por que a jornalista não pode expressar sua ideia e dizer que trata-se de um movimento ilegítimo se ela mesma criou toda uma articulação há quatro anos para fomentar justamente o debate que tardiamente um grupo de teatro está tentando dominar agora? Discordar com propriedade de causa é pilantragem, ou pilantragem é angariar a simpatia de jovens ingênuos sedentos de cultura pra formar frente de ataque contra qualquer opinião contrária a de vocês?

Não, não é legítimo esse movimento, não encontra resposta fora da meia dúzia que segura na colher que meche o caldo na panela, ou seja, não é de verdade esta proposta de se fazer um debate sobre a Cultura local em Rio das Ostras. Se fosse, pergunto aos que estão tentando desmobilizar o Conselho Popular de Cultura de Rio das Ostras, pensado e estruturado bem antes de 2013 pela mesma jornalista que redigiu o artigo mais lido nas últimas semanas no Polifônico, por que não se associaram a ele e criaram uma ferramenta paralela e de combate ao mesmo? Estranho, né? O fato permanece obscuro, os grupos criados no Face para cooptar alunos de Produção Cultural da UFF e pessoas que vieram de fora da cidade há pouco tempo e não tem ideia de como as coisas funcionam em Rio das Ostras continuam levantando agressões e difamações contra o Conselho Popular de Cultura de Rio das Ostras e contra a jornalista, que até xingada já foi em algumas postagens do grupo criado no Face pelo movimento de teatro que está articulando o Fórum de Cultura, o fórum de mentirinha.

Fica clara a incapacidade desses articuladores de agir sem jogar pedras quando se veem questionados. Fica claro, que se questionado, este movimento de teatro (o que está articulando o Fórum de Cultura e o que a jornalista chama de farsa) não sabe dizer por que só fez o convite para o Pré-Fórum que rolou no dia 30, depois dele ter acontecido. E mais: fica clara a cooptação do sistema de cultura no município por pessoas mal intencionadas, seu aparelhamento e a total exclusão deste dos verdadeiros agentes culturais que estão há muitos anos fomentando a produção cultural em Rio das Ostras.

Falta respeito, falta conhecimento de causa, falta moralidade, falta bom senso, falta união da categoria, falta sentimento de identidade local, de pertencimento ao lugar, mas, sobretudo, falta a personagem do gestor, que permite que tudo isso aconteça sem tentar criar uma unificação verdadeira entre as vozes, uma vez que existe oposição em torno de uma causa coletiva. Com esta postura, corre o grave risco de perder a confiança dos que depositaram nele a esperança de ver finalmente a Cultura em Rio das Ostras andar para frente depois de um longo inverno sob a égide de duas pessoas inescrupulosas, que dominaram de tal forma o setor, que se quer atendiam os agentes culturais locais em seus gabinetes para dialogar sobre suas demandas. Elas geriram a Cultura em Rio das Ostras dentro da lógica do ‘de cima pra baixo’; dentro do clássico modelo errado de pensar dos gestores de que quem deve fazer Cultura são eles, os gestores. Errado. Totalmente errado e é para isso que deve servir, também, um Conselho de Cultura, para questionar essas arbitrariedades. A função do gestor é gerir, apoiar, dar suporte, dialogar, e dialogar mesmo, não é receber no gabinete e quando o cara sai de lá (o agente cultural) ele vira de costas e ainda chama o cara de mala, de pentelho. Gestor de Cultura não é colocado na pasta pra ditar os projetos culturais que a cidade deve ter, não, minha gente. Eles devem receber com água gelada, cafezinho e tapete vermelho os agentes culturais locais, os quais, diga-se em negrito e itálico, pagam os seus salários! Mas não é isso o que acontece. Eles tratam os agentes como se fossem um bando de pedintes e assim foi em Rio das Ostras nos últimos 8 anos!!!

Lamentável ver que Rio das Ostras não consegue se unir nem para montar um Sistema de Cultura. Lamentável ver que mesmo estando na cidade há 40 anos pagando impostos, ainda somos atropelados por pessoas que se quer conhecem e valorizam a história do lugar.

Sinceramente, é menos desgastante ver essa pândega de fora, mas há que se esclarecer os menos informados. O movimento de teatro criado para dominar essa articulação política que envolve a criação dos instrumentos de fomento à Cultura em Rio das Ostras não é apenas amoral, burlesco, é patético e sem legitimidade. O único propósito disso tudo é o beneficiamento de meia dúzia de gatos pingados, uns com cargos comissionados na Cultura, outros tantos na luta por um lugar ao sol, desempregados, honestos, mas ingênuos, outra porção de invasores com pires na mão aguardando sair uma boquinha na pasta e tantos mais sedentos de qualquer coisa que paute o tema Cultura em Rio das Ostras. Aí fica fácil conclamar uma revolução! Os caras estão sedentos e esfomeados, ora! Quando você oferece um golinho d’água e um pratinho de arroz com feijão… você resolve momentaneamente aquela demanda essencial e o cara já passa a te chamar de ‘meu amigo’. Ingenuidade de quem adere a esse tipo de tratamento a esta altura do campeonato, num momento em que o Brasil vai às ruas exigir moralidade na gestão pública! Sem saber nada sobre a trajetória da jornalista que redigiu tal artigo tão polêmico pelo fato de elucidar (pontos, estes sim polêmicos) os menos informados, passaram a ser dirigidos pelos comissionados, que prontamente, ao lerem o artigo publicado ontem neste jornal correram às redes sociais para marcar (em tom de urgência) uma reunião com o intuito de acabar com a jornalista que estava contradizendo o movimento ‘deles’. Mas a liberdade de imprensa é legítima, ora! Os caras não acham legítimo fazer o Fórum? A jornalista tem direito de argumentar e elucidar os ‘moradores novatos’ sobre o quadro real do que se passa em Rio das Ostras. Tudo é legítimo! E o trabalho dessa turma o tempo mostrará… não é a jornalista, é o trabalho que eles mesmos farão. Não foquem na jornalista, foquem em seus trabalhos e o façam! Lamentável ver que novos moradores e alunos de 18, 20, 22, 25 anos de idade do curso de Produção Cultural do PURO estejam servindo de massa de manobra para esse movimento ilegítimo feito a toque de caixa, às escuras e dizendo-se democrático e unificado. Unificado com meia dúzia, né? O que eu vi de conselhos serem criados em Rio das Ostras não está no gibi. Infelizmente quem tenta fazer o que o jornal O Polifônico fez ontem e está fazendo agora é taxado de inescrupuloso, de recalcado, é ameaçado de morte, estigmatizado em todas as cirandas sociais da cidade… enfim… os caras que se dizem os donos dos conselhos te detonam e tentam te difamar até conseguirem apoio de uma minoria que andava de cabeça baixa e de repente passam a ter um representante para guiá-los. Realmente, como andam comentando nesses últimos dias os sociólogos e historiadores brasileiros, vivemos uma crise das representações e o primeiro que se levanta dizendo ter a solução é automaticamente aclamado pelas massas. E sem argumentos, como embasar uma defesa? Os caras partem pro inacreditável, ou seja, tentam te difamar, te caluniar, desfazer do seu trabalho… até chegarem efetivamente na agressão verbal. Sempre foi assim em Rio das Ostras e pelo visto ainda é e será. Cabe a essa nova geração que está chegando na cidade se calçar de mais informações sobre a vida do município e das pessoas que agora estão levantando a bandeira da Cultura na cidade e não deixar que esses ratos que hoje tentam a qualquer custo dominar o setor cultural na cidade o façam.

Cultura é tão ou mais importante que Educação, Saúde, Segurança Pública, Habitação, mas parece que fazer política cultural virou moda na mão de gente sem noção, que só pelo fato de ‘achar’ que é artista está apto a debater com propriedade e coerência um tema tão relevante na atualidade.

ACORDA GALERA! Este movimento é uma farsa! Lutem por um Conselho de Cultura REAL em Rio das Ostras. Lutem por instrumentos que possam ser operados por vocês e não por um grupo fechado que fingirá que você tem voz, mas na hora do debate não te envia nenhuma convocação… LUTEM por uma Rio das Ostras de verdade, séria! Meu recado pra vocês é este.

Sucesso para os homens de bem. Justiça aos sem caráter. Bom senso aos que ignoram o assunto.

Luz e Paz a todos nós!

Comentários desativados em Sobre o Fórum de Cultura de Rio das Ostras e no que esta articulação implica

Estuprador é condenado em Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Cidade, Rio das Ostras, Segurança Pública by ImprensaBR on 28/06/2013

A 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio das Ostras condenou Wagner Ferreira da Silva a 11 anos e seis meses de reclusão. Ele havia sido denunciado por estupro e roubo pela Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Macaé e Rio das Ostras.

De acordo com a denúncia, Wagner abordou a vítima enquanto ela caminhava na praia da Enseada das Gaivotas, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio. Ele a arrastou pelos cabelos e a exigiu que entrgasse seus pertences. A vítima disse que não tinha nada e o criminoso a amarrou e cometeu a agressão sexual.

A sentença ainda destacou que a vítima reconheceu o agressor na delegacia e em juízo. Além disso, foi indicado que o depoimento teve grande relevância, pois na maioria das vezes, esse tipo de crime é cometido às escondidas.

Comentários desativados em Estuprador é condenado em Rio das Ostras

Macaé realiza III Conferência de Cultura no próximo final de semana

Posted in Brasil, Cidadania, Cultura, Macaé, Região by ImprensaBR on 26/06/2013

601678_529677650412935_1863177342_n

Comentários desativados em Macaé realiza III Conferência de Cultura no próximo final de semana

Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito no bilhete único

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Estado, Infraesturutura, Política, Região, Trabalho e Renda, Transporte by ImprensaBR on 25/06/2013

Os municípios de Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito estão perto serem incluídos no Bilhete Único Intermunicipal. A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira (25/06), em discussão única, a indicação legislativa 285/13, dos deputados André Corrêa (PSD) e Paulo Melo (PMDB), que propõe a inclusão das cidades na Lei 5.628/09, que instituiu o programa de tarifa integrada de transporte. A indicação solicita ao governador Sérgio Cabral o envio de projeto tratando do assunto, o que foi dado como certo por Corrêa, líder do Governo na Casa. “Esta questão já está equacionada. Vai acontecer”, garantiu ele, reforçando que o programa, único em seu caráter intermunicipal no país, já beneficia 800 mil pessoas nas vinte cidades já abrangidas.

A aprovação foi muito comemorada por moradores e representantes da Cachoeiras de Macacu presentes em plenário. O prefeito da cidade, Cica Machado, explicou que os moradores se deslocam muito na região, que abriga o Comperj, e, com isso, gastam muito com as passagens. “Esta situação prejudica a cidade de diferentes formas, mas, sobretudo economicamente. Essa alteração na lei será muito benéfica e comemorada pela população”, salientou. A indicação será publicada.

Fonte: Alerj

 

Comentários desativados em Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito no bilhete único

Juventude vai às ruas também em Rio das Ostras

Rio das Ostras 2013. A cidade mudou. São 21 anos desde que o distrito de Casimiro de Abreu emancipou-se. A ‘cidade mãe de quem nasce ou de quem vem pra ela’ como diz seu hino, deixou tanta gente mamar em seu seio e comer do seu pão, que, hoje, o número de habitantes da cidade dormitório, da cidade universitária, da cidade esperança, ultrapassa 130 mil e só tende a crescer.

Desde segunda-feira (18) a juventude está saindo às ruas, unindo-se ao movimento das manifestações em todo o Brasil e convidando a população a acompanhar.

Ontem, cerca de 200 jovens, estudantes, trabalhadores, servidores públicos, moradores de Rio das Ostras, organizaram-se em uma manifestação pacífica em frente à Praça José Pereira Câmara, no centro da cidade.

Hoje à tarde, os organizadores do movimento em Rio das Ostras farão uma Oficina de Cartazes e, às  17h, o grupo se reunirá na Praça José Pereira Câmara e seguirá em marcha até a Câmara Municipal, em Terra Firme.

Segundo um dos responsáveis pela comissão de organização das manifestação em Rio das Ostras, cujo nome prefiro preservar no anonimato, o “Movimento é, ao mesmo tempo autônomo e local, tendo como pautas: a Saúde, o Planejamento e o Transporte, a Educação e a Segurança Pública; mas também é a fração do movimento nacional, que a partir do mote dos transporte, se propõe a rediscutir a nossa sociedade como é concebida hoje numa perspectiva de revolução dos paradigmas culturas, econômicos e sociais estabelecidos hoje pelo sistema capitalista.”

Aderindo ao cenário nacional das manifestações que reivindicam a não aprovação da PC 37, que tira o poder investigativo do Ministério Público, o aumento do curto de vida e, principalmente o respeito aos usuários dos transportes coletivos com melhorias das frotas e redução das tarifas de ônibus em todo o Brasil. Rio das Ostras entra na lista das cidades que estão mostrando a força do povo contra os desmandos dos governos e isso, além de ser histórico, representa o amadurecimento da juventude local, que ao longo dos últimos oito anos vem aprendendo a ir pras ruas lutar por dias melhores e condições mais dignas para trabalhar e viver na cidade.

Com relação à relação da PM para com os manifestantes, pelo que vemos no vídeo, aparentemente, contrariamente ao posicionamento da Guarda Municipal em outras manifestações que já vi em Rio das Ostras, onde a mesma recebe comando de formar barreiras e impedir os manifestantes de seguirem em marcha, os policiais militares que aparecem dialogando com um dos manifestantes no vídeo, agiram de maneira pacífica.

Ainda não foi confirmado, mas parece que a Fan Page criada pelos manifestantes na maior rede social do mundo foi bloqueada e denunciada e acabou caindo do ar. O que parece não ter influenciado em nada o movimento, já que horas depois, outra Fan Page já estava online e hoje conta com mais de 4 mil pessoas confirmadas para a manifestação de hoje e de amanhã na cidade.

Rio das Ostras, vem pra RUA!!! Acesse a Fan Page aqui!

Participe do Evento!

Comentários desativados em Juventude vai às ruas também em Rio das Ostras

Comissão da Alerj sugere criação de delegacia de homicídios em Campos

Posted in Cidadania, Região, Segurança Pública by ImprensaBR on 18/06/2013

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), presidida pelo deputado Marcelo Freixo (PSol), irá propor, através de indicação legislativa, a criação de uma delegacia de homicídios no município de Campos dos Goytacazes, para a investigação dos crimes relacionados à disputa agrária na região. A proposta foi anunciada nesta segunda-feira (17/06), durante audiência pública realizada na Câmara de Vereadores, para debater a violência no campo. “Queremos uma política de segurança em uma cidade que não é só de vida urbana. Temos aqui um histórico de conflitos no campo muito grande. Esse ano, tivemos dois brutais assassinatos por conta de problemas agrários, disputa de terra, venda de lotes e presença muito forte do latifúndio. Queremos a criação de uma delegacia de homicídios, que, certamente, vai ajudar nos conflitos”, anunciou Freixo.

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) também estiveram presentes no encontro e contaram um pouco da realidade violenta da região e as dificuldades dos moradores acampados. “Temos todo tipo de problema social, como a dificuldade de escola para as crianças, moradia, água potável, energia elétrica e acesso à alimentação básica. Esperamos que essa audiência traga o reconhecimento dessas famílias organizadas no processo de luta pela conquista da terra na região”, contou a representante do MST Marina dos Santos, que ainda lembrou das mortes por conflitos agrários. “Essa demora na concretização dos assentamentos tem nos levado a muitos conflitos. Exemplos disso são os assassinatos dos companheiros Cícero Guedes e Regina dos Santos Pinto. São muitas famílias nas áreas de acampamentos e que estão à mercê de politicas públicas que garantem o acesso à terra, à moradia e à segurança”, destacou.

Segundo o delegado Carlos Augusto Silva, responsável pela 146ª DP, as investigações dessas mortes, ocorridas no final do ano passado e no começo de 2013, estão em curso. Porém, com a intenção de não atrapalhar as investigações, Silva não deu muitos detalhes sobre os trabalhos, mas explicou as intenções da Polícia Civil local. “Não queremos só as prisões e, sim, a condenação dessas pessoas que estão cometendo esses bárbaros crimes. Queremos reunir muitas provas contra essas pessoas para que elas fiquem o mais tempo possível presas. Nossa intenção é minimizar e, possivelmente, acabar com esses conflitos em Campos dos Goytacazes”, explicou o delegado. Também participaram da audiência pública o deputado Roberto Henriques (PSD) e o vereador de Campos, Edson Batista (PTB), presidente da Câmara local.

Fonte: Alerj.
Texto de Raoni Alves

Comentários desativados em Comissão da Alerj sugere criação de delegacia de homicídios em Campos

Faculdade de Educação da UFF promove debate com Maria Prestes, viúva de Luiz Carlos Prestes, nesta quarta-feira

Posted in Brasil, Cidadania, Cinema, Cultura, Educação, Estado, Videofonia by ImprensaBR on 17/06/2013

A Faculdade de Educação da UFF promove no dia 19 de junho um debate sobre a vida de ambos e a restituição do cargo de Prestes como senador. O evento ocorrerá às 14h, no Auditório Florestan Fernandes da Faculdade de Educação, Bloco D, Campus do Gragoatá, São Domingos, Niterói. Haverá projeção dos filmes “O Capitão e o Poeta” e “Maria Prestes: Filme sobre a Vida da Viúva do Líder Luiz Carlos Prestes”, momento de autógrafos do livro “Meu companheiro: 40 anos ao lado de Luiz Carlos Prestes”. Toda a programação é aberta ao público.

Fonte: Agência UFF de Notícias

Comentários desativados em Faculdade de Educação da UFF promove debate com Maria Prestes, viúva de Luiz Carlos Prestes, nesta quarta-feira

Registros de estupro no estado são tema de audiência na Alerj

Posted in Cidadania, Estado, Rio das Ostras by ImprensaBR on 05/06/2013

O aumento expressivo no número de registros de estupros no estado será discutido em audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), nesta quinta-feira (06/06), às 10h00, na sala 316 do Palácio Tiradentes. Segundo a presidente da comissão, deputada Inês Pandeló (PT), o número de casos subiu significativamente, desde o ano retrasado. “No ano passado, 6.029 mulheres foram vítimas de estupro. Comparado a 2011, o ano de 2012 apresentou um aumento de 23,8% (1.158 vítimas a mais). Foram 4.871 casos em 2011. A média mensal, ano passado, alcançou o número de 502 vítimas, cerca de 17 ao dia. Foram quase 37 vítimas de estupro para cada grupo de 100 mil habitantes”, lamentou a parlamentar.

Participarão da audiência a chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha; a coordenadora do Núcleo de Pesquisa do Instituto de Segurança Pública (ISP) e organizadora do Dossiê Mulher, Andréia Soares; o chefe do Escritório de Projetos Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, coronel Danilo Nascimento da Silva; a subsecretária de Estado de Políticas para as Mulheres, Ângela Fontes, e representantes do Fórum Estadual de Combate à Violência Contra Mulher e de movimentos feministas do estado do Rio.

Fonte: Alerj

Comentários desativados em Registros de estupro no estado são tema de audiência na Alerj

Lei cria o Observa Mulher, sistema de informações de violência contra a mulher

Posted in Brasil, Cidadania, Educação, Esporte, Rio das Ostras, Saúde, Segurança Pública, Turismo by ImprensaBR on 04/06/2013

Agora é lei: o Estado do Rio terá um sistema integrado de informações de violência contra a mulher. É o que determina a lei 6.457/13, publicada no Diário Oficial do Executivo desta terça-feira (04/06) e que institui a política estadual que dará origem ao sistema, denominado Observa Mulher-RJ. Com o objetivo de organizar e analisar dados sobre atos de violência contra a mulher no estado e de integrar os órgãos que fazem esse tipo de atendimento, a política incluirá a criação de um cadastro eletrônico.

A norma é de autoria da deputada Inês Pandeló (PT), que explicou que os números documentados hoje saem apenas dos atendimentos nas delegacias. “Mas sabemos que há quem não denuncie à polícia, por isso é fundamental que tenhamos como reunir também os dados que podem ser levantados nos atendimentos médicos, nos Cras…”, enumerou a parlamentar, citando os Centros de Referência da Assistência Social.

Para ela, obter o número mais próximo à realidade garantirá a criação de políticas públicas eficazes para a erradicação desse tipo de crime. “Só há políticas públicas quando há registro, informações que deem embasamento às ações. Há muitas instituições recebendo denúncias, mas não há compilação de dados. É isso que este projeto propõe”, afirmou a parlamentar. O cadastro terá dados sobre a violência praticada, como data, horário local e tipo de delito; informações sobre a vítima, o agressor e histórico de atos de violência entre os envolvidos. O cadastro também reunirá número de ocorrências registradas pelas polícias civil e militar, número de medidas protetivas emitidas Ministério Público e de inquéritos instaurados.

Fonte: Alerj
Leia também – Grupo ‘Chega de Estupros em Rio das Ostras’ leva para a Câmara Municipal, hoje, às 10h, Audiência Pública com a presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Alerj, Inês Pandelô.

Comentários desativados em Lei cria o Observa Mulher, sistema de informações de violência contra a mulher

Sindicato dos Jornalistas em processo de eleição. Confira a nominata das chapas

Posted in Cidadania, Comunicações, Estado, Jornalismo de Intervenção by ImprensaBR on 28/05/2013

A comissão eleitoral divulgou a inscrição de quatro chapas que concorrem na eleição da direção e da Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio. A votação está marcada para os dias 16, 17 e 18 de julho, junto com a da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Confira a seguir a nominata das chapas.

Chapa 1 Linha Direta Com Os Jornalistas
Presidente: Bruno Cruz
Vice-presidente: Andrei Bastos
1º tesoureiro: Marcos Pereira
2º tesoureiro: Rosayne Macedo
Secretário-geral: Terezinha Santos
Conselho fiscal: Maurílio Ferreira, Bette Romero, Sônia Fassini
Delegados na Fenaj: Ilza Araújo, Miro Nunes
Suplentes: Marília Ferreira, Malu Fernandes, Carmen Pereira, Sandra Martins, Mônica Coronel
Comissão de Ética: Iara Cruz, Cristina Miguez, Márcio Ferreira, Luís Carlos Bitt, Françoise Vernot

Chapa 2 Sindicato É Pra Lutar – Oposição de Verdade
Presidente: Paula Maíran de Brito Machado
Vice-presidente: Randolpho Silva de Souza
Secretário-geral: Cláudia de Abreu
1º tesoureiro: Camila Aparecida Marins Alvarenga Theodor
2º tesoureiro: Maria Amélia Sabino Rozante Rocha
Conselho fiscal: Daniel Fonsêca Ximenes Ponte, Cecília de Moraes, Francimária Ribeiro Gomes.
Delegados na Fenaj: Gizele de Oliveira Martins, Vivian de Azevedo Virissimo
Suplentes: Regina Quintanilha, Raquel Júnia de Magalhães, José Olyntho Contente Neto, Samuel Tosta, André Vieira de Almeida Agostinho
Comissão de Ética: Sylvia Moretzson, Nilo Sérgio Silva Gomes, Álvaro Miguel de Britto Saraiva, Luiz Sérgio Caldieri, Dante Gastaldoni

Chapa 3 Sindicato De Todos Para Todos
Presidente: Alberto Jacob Filho
Vice-presidente: Hélio Araujo
Secretário-geral: Maria Mirtes
1º tesoureiro: César Romero
2º tesoureiro: Admar Branco
Delegados na Fenaj: Cláudio Monteiro, Jeline Rocha
Conselho fiscal: José Luís Laranjo, George Fant, Rui Zilnet
Suplentes: Jorge Borralho, Rosangela Maria Alves, Cláudia Dantas, Sérgio Cardoso, Carlos Alberto da Rocha
Comissão de Ética: Fátima Brito Lopes, Lica Oliveira, Ronaldo Rosas, Luiz Freitas, Alberto Jacob

Chapa 4 Democracia E Transparência
Presidente: Nelson Moreira da Silva
Vice-presidente: Humberto Nascimento
Secretário-geral: Rogério Marques
1º tesoureiro: Ricardo Villa Verde
2º tesoureiro: Marcos Galvão Fernandes de Vasconcelos
Conselho fiscal: Adriana Cruz, Cláudia Lima Costa, Ana Cristina Peixoto Figueira
Delegados na Fenaj: Henrique Acker, Luciana Cavalieri
Suplentes: Michel Alecrim Bastos Leite, Luiz Antonio Bap, Roberto da Silveira Duarte, Celia Abend, Carlos Alberto da Silva Trinta
Comissão de Ética: Octavio Costa, Umberto Trigueiros, Helio da Silva Cicero

Fonte: Site SJPMRJ

Comentários desativados em Sindicato dos Jornalistas em processo de eleição. Confira a nominata das chapas

Professores da rede municipal de Rio das Ostras, RJ, suspendem greve

Posted in Cidadania, Coluna do Servidor, Educação, Outras Fontes, Rio das Ostras by ImprensaBR on 22/05/2013

Segundo coordenação dos grevistas, seis propostas foram solucionadas.
Nova assembleia será realizada na próxima terça-feira

Depois de uma reunião entre o prefeito e professores da rede municipal de Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, a greve da categoria, iniciada nesta terça-feira, foi suspensa até a próxima semana. A lista de reivindicações tinham sete pontos. Segundo a coordenação dos grevistas, seis propostas foram debatidos e solucionados de comum acordo. Na próxima terça-feira (28), uma nova assembleia será realizada.

Em Rio das Ostras existem 43 escolas municipais, que atendem cerca de 20 mil alunos. Nesta terça (21), os professores paralisaram os trabalhos e se reuniram em frente a prefeitura para pedir melhorias para a categoria. Em diversos colégios do município, alunos e pais não sabiam se as aulas aconteceriam.

A suspensão das aulas foi parcial, já que nem todos os professores aderiram ao movimento. Cerca de 20% dos profissionais aderiram ao movimento segundo a secretaria de educação do município, índice considerado baixo pelo órgão.

Os professores reivindicavam o recebimento das gratificações que estariam atrasadas há quatro meses, além da unificação da jornada de 20 horas semanais para todos os professores. O movimento pedia também a revisão do plano de cargos, carreiras e vencimentos e também cumprimento da lei que determina que um terço da carga horária seja para atividades extra classe.

Fonte: G1

Comentários desativados em Professores da rede municipal de Rio das Ostras, RJ, suspendem greve

Aos Professores de Rio das Ostras: onde há luta, há conquista de direitos

Posted in Cidadania, Coluna do Servidor, Educação, Rio das Ostras by ImprensaBR on 21/05/2013

“Seria prematuro dizer que os professores (…) em geral verdadeiramente se interessam por um debate de ideias. A maioria ainda está composta de indiferentes e de conformistas. Mas só a existência de uma minoria volitiva, que quer e exige uma renovação, anuncia o despertar de todo o corpo de professores.”

 José Carlos Mariátegui (1894-1930)

Por Marcos César de Oliveira Pinheiro*

Onde não há luta são os patrões que decidem a agenda e os termos do debate. Expressões como «exploração», «classe» ou «luta» estão banidas do léxico comum.Palavras como «greve» ou «paralisação» estão indelevelmente associadas ao «mal». Porque na língua universal do capitalismo a semântica é um instrumento de opressão e dominação de classe, onde não há luta chama-se «cidadania» às contradições insanáveis entre exploradores e explorados, e «educação» ao processo de adestramento para o mercado de trabalho, gerador e perpetuador das contradições sociais. Onde não há luta prevalece o medo.

No entanto, onde há luta os trabalhadores são mais fortes e é mais difícil aos patrões queimar as suas energias em idealismos vácuos e radicalismos inconsequentes. Onde há luta, nasce a consciência política e garante que a experiência acumulada fortaleça a certeza da vitória, não obstante as derrotas temporárias, e converge para a construção da unidade da categoria. Onde há luta, os trabalhadores não só marcam o passo da agenda política, como travam os interesses daqueles que visam o sucateamento da educação pública. Se não foram mais longe na destruição da escola pública, é porque sempre se depararam com a resistência daqueles que lutam. Evoco aqui os nomes de alguns educadores importantes nesta luta em defesa da escola pública: Florestan Fernandes, Anísio Teixeira, Paschoal Lemme, Paulo Freire, entre muitos outros.

Onde há luta tudo é conquistável e potencialmente perdível. Mas onde não há luta a derrota é certa.

greve educacao rdo

Diante da política de pilhagem a que estão sendo submetidos os professores de Rio das Ostras, A LUTA É MAIS DO QUE JUSTA. Não se pode aceitar o argumento de equilíbrio das contas públicas para justificar a violação dos direitos, mais do que legítimos, dos professores. Não se pode aceitar a regra dos donos do poder de “socialização dos prejuízos”, afetando seriamente os setores que assistem à população mais pobre (educação e saúde). Não se pode aceitar esta “nova lei” da Gratificação de Regência de Classe (GRC), que não passa de uma versão piorada do que já existia. Não se pode aceitar este PCCV (plano de cargas e salários), autointitulado “instrumento normativo”, recheado de arbitrariedades e que poucos direitos assegura. Não se pode aceitar que qualquer política educacional ou qualquer outra que diga respeito ao magistério sejam formuladas ou revistas (no caso, do PCCV) sem a participação efetiva dos professores e das entidades de classe. Não se pode aceitar que os gastos do FUNDEB continuem sendo realizados sem uma prestação de contas, totalmente transparente, aos professores.

Conforme salienta o jornalista português e militante comunista Miguel Urbano Rodrigues:

A história ensina que na vida dos povos vítimas de uma opressão intolerável, as grandes lutas fermentam por tempo variável até que eles se levantam em explosões sociais vitoriosas. Então exercem o direito de resistência e à rebelião – direito que é antiquíssimo e consta do artigo 2º da Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão promulgada pela Revolução Francesa de 1789. É o direito à resistência contra a opressão econômica e social, direito que, após os horrores da Segunda Guerra Mundial, foi incluído na Declaração Universal dos Direitos do Homem (artigos 22 a 25).

A Constituição da Republica Federativa do Brasil menciona-o no artigo 9. Como consta abaixo:

Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.

Ora, o direito de greve é uma das formas de se exercer, ainda que parcialmente, o direito à resistência contra a opressão econômica. Opressão a que estão sendo submetidos os professores da rede municipal de ensino público de Rio das Ostras.

A luta pela efetiva e verdadeira valorização do magistério também é uma das etapas da luta pela educação pública de qualidade.

Transformar a indignação numa atmosfera de combatividade crescente dos professores será um avanço. Será um golpe importante na engrenagem da máquina pública municipal, assentada no mandonismo, no clientelismo, no nepotismo e na repressão (de várias ordens). Será um passo importante para forçar a democratização das relações poder público X cidadãos no município de Rio das Ostras.

Nas palavras de Paschoal Lemme, “o ensino e a educação só avançam, só progridem realmente quando as respectivas reformas resultam de transformações reais ocorridas na estrutura da sociedade, quando impulsionadas e realizadas pelas forças progressistas vitoriosas na luta pelo poder político”. Afirma que “uma das ilusões mais ingênuas dos educadores é a crença de que reformas educacionais transformam a sociedade, quando o que se dá é exatamente o contrário”. Por isso, que se afirma que quando o professor está lutando também está ensinando. Porque é na luta que ele desenvolve um processo pedagógico diferenciado na sua relação com o educando. É lutando a melhor maneira de fazer da escola um espaço que venha a contribuir para a apropriação e produção  de um modo de pensar diferente do que predominou historicamente.

* Professor de História da Rede Municipal de Ensino Público de Rio das Ostras. Matrícula: 6273-1. Lotado na Escola Municipal Padre José Dilson Dórea, bairro Âncora, Rio das Ostras.

Comentários desativados em Aos Professores de Rio das Ostras: onde há luta, há conquista de direitos

Profissionais da Educação de Rio das Ostras fazem paralisação

Posted in Cidadania, Educação, Rio das Ostras by ImprensaBR on 21/05/2013

Professores exigem mais respeito da administração pública municipal para com a categoria, que trabalha muito, ganha mal e não consegue trabalhar com qualidade dados os altos números de alunos por classe e sobrecarga de funções a serem exercidas

Os profissionais da Educação de Rio das Ostras paralisaram na manhã desta terça-feira suas atividades, e só retornam ao trabalho na próxima sexta-feira, dia 24 de maio. A categoria enviou uma carta para os professores, a qual publicamos agora, aqui n’O Polifônico.

Entenda o que está acontecendo. Leia a

Carta à população de Rio das Ostras (redigida pelo SEPE Rio das Ostras/ Casimiro de Abreu)

Aos Profissionais da Educação:Na escola se ensina RESPEITO

Nós, profissionais de educação, reunidos nos dias 14, 15 e 16 de maio nos sentimos desrespeitados em nossos direitos. Insatisfeitos com a atual administração, decidimos paralisar nossas atividades nos dias 21, 22 e 23 de maio.

O prefeito se mantém intransigente, não dialoga com os profissionais da educação e não negocia com as suas entidades de classe. Por isso, os profissionais da educação se encontram em estado de greve.

– Paramos porque o prefeito deixou de nos pagar R$ 435,00* em dezembro e janeiro, R$ 290,00* em fevereiro e março; (*Valores aproximados, já que o prefeito atrasa também nossos contracheques.)

– Paramos porque queremos uma jornada de trabalho igual para todos professores do município;

– Paramos porque não temos tempo para planejar as aulas dos seus filhos. Tempo esse garantido pela lei federal 11.738/2008;

– Paramos pela revisão imediata do plano de cargos e salários;

– Paramos para que a gratificação por regência seja incorporada ao nosso salário. (Gratificações não são pagas em caso de doença ou aposentadoria.);

– Paramos porque temos salas de aula superlotadas, o que dificulta o processo ensino-aprendizagem.

A insensibilidade do poder público em respeitar os direitos legais dos profissionais de ensino submetidos a condições deficientes de trabalho dificulta o aprendizado de nossas crianças e adolescentes, e prejudica a educação em nossa cidade.

Uma educação de qualidade se conquista com o respeito e a valorização dos profissionais de ensino e com um plano estratégico, discutido entre toda a comunidade, com os profissionais da educação e com seus representantes sindicais.

Por isso, convidamos a você, à sua família e aos seus amigos para participarem de nosso Ato Público em Defesa da Educação que será realizado na Praça José Pereira Câmara, no dia 23 de maio às 16 horas.

A educação deve ser um compromisso do município para com seus cidadãos. A luta em defesa da escola pública, gratuita e de qualidade é responsabilidade de toda a sociedade.

Por isso contamos com sua participação!

 Assembleia dos professores e professoras de Rio das Ostras

Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE)

Sindicato dos Servidores Municipais de Rio das Ostras (Sindiserv)

Comentários desativados em Profissionais da Educação de Rio das Ostras fazem paralisação

Grupo ‘Chega de Estupros em Rio das Ostras’ leva para a Câmara Municipal, hoje, às 10h, Audiência Pública com a presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Alerj, Inês Pandelô

Posted in Cidadania, Cidade, Estado, Rio das Ostras by ImprensaBR on 20/05/2013

Como parte das ações e conquistas do movimento ‘Chega de Estupros em Rio das Ostras’ , acontecerá, hoje, às 10h, uma Audiência Pública da ALERJ na Câmara Municipal de Rio das Ostras com o tema “Discussão dos casos de estupro em Rio das Ostras”. A Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, deputada Inês Pandeló, convocou a audiência, acolhendo as reivindicações do movimento para o enfrentamento da violência sexual e de gênero.

Como principal fruto das ações de mobilização contra a violência de gênero, que conta com o apoio de entidades e movimentos como a Articulação de Mulheres do Brasil (AMB) e do Movimento de Mulheres de Cabo Frio (MMCF), o Movimento Chega de Estupros em Rio das Ostras participou no mês de abril de importantes rodadas de negociação com o poder público, destacando-se a audiência pública com o gabinete da delegada Martha Rocha (chefe da polícia civil do Estado do Rio de Janeiro), a delegada da 128º DP de Rio das Ostras, a Subsecretária de Políticas para as Mulheres, Angela Fontes e representantes da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da ALERJ. Como um dos desdobramentos e conquistas desses encontros, acontecerá no dia 20 de maio às 10 horas, uma Audiência Pública da ALERJ na Câmara Municipal com o tema “Discussão dos casos de estupro em Rio das Ostras”. Nesta oportunidade, o movimento continuará reivindicando medidas urgentes, uma delas é a criação de uma Rede Especializada de Atendimento à Mulher que permita a consolidação de uma política pública na área. Com esse objetivo, o movimento está elaborando um dossiê contendo dados sobre as necessidades para atendimento às mulheres vítimas de violência sexual, para ser apresentado às autoridades presentes na audiência pública.

Alertando à população sobre os seus direitos, sensibilizando a sociedade para a desnaturalização deste tipo de violência, pressionando o poder público para a criação de medidas de enfrentamento e prevenção desta realidade, o Movimento Chega de Estupros em Rio das Ostras chama todas as pessoas interessadas a se mobilizarem para enfrentar esta terrível situação de violência que degrada a vida de centenas de mulheres. 

Fonte: http://chegadeestuprosro.wordpress.com
Conheça o movimento e participe!

 

Comentários desativados em Grupo ‘Chega de Estupros em Rio das Ostras’ leva para a Câmara Municipal, hoje, às 10h, Audiência Pública com a presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Alerj, Inês Pandelô

Quissamã tem cinema, mas o cinema não está em Quissamã

Posted in Brasil, Cidadania, Cinema, Cultura, Denúncia, Editorial, Educação, Região, Videofonia by ImprensaBR on 12/05/2013
cinema quissamã

Quissamã tem cinema. Este foi construído há menos de 10 anos e funciona no Sobradinho, onde acontece uma cena cultural. Quero assistir cinema brasileiro no cinema de Quissamã e não home vídeo estadunidense, e infantis que só deseducam meus filhos… @Videoteca Cinema popular Brasileiro

Comentários desativados em Quissamã tem cinema, mas o cinema não está em Quissamã

PURO e SEMUSA promovem II Semana Integrada de Enfermagem, em Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Educação, Rio das Ostras, Saúde by ImprensaBR on 10/05/2013

LB

A Prefeitura de Rio das ostras, por meio da Secretaria de Saúde, e o Polo Universitário de Rio das Ostras (PURO), promoverão, entre 13 e 17 de maio, a II Semana Integrada de Enfermagem do município, dentro da  Semana Brasileira de Enfermagem.

A abertura da Semana será na Câmara Municipal de Rio das Ostras, no dia 13 de maio, às 10h. Estarão presentes na ocasião, o prefeito Sabino, a secretária de Saúde, Ana Cristina Guerrieri, o coordenador de Enfermagem de Rio das Ostras, Rones Veloso, a coordenadora do curso de Enfermagem do PURO, Sandra Maria do Amaral Chaves, e a deputada estadual Rejane Almeida, que ministrará palestra sobre o tema da Semana.

A agenda da II Semana Integrada de Enfermagem de Rio das Ostras começa no dia 14, às 8h, no auditório da Escola Municipal Maria Teixeira de Paula, quando será realizado um breve curso de Prevenção e Tratamento de Úlceras. À tarde, neste dia, será realizado no PURO, das 13h às 18h, um breve curso sobre Consulta em Enfermagem. 

Para saber mais sobre a programação da II Semana Integrada de Enfermagem de Rio das Ostras, entre em contato com o PURO ou com a Secretaria de Saúde de Rio das Ostras.

E-mail do curso de Enfermagem: enfepuro@gmail.com

SEMUSA: (22) 2764 5670

Comentários desativados em PURO e SEMUSA promovem II Semana Integrada de Enfermagem, em Rio das Ostras

Na ordem do dia, na Alerj, duas matérias que despertaram nosso interesse: Violência contra a mulher e Patrimônio Imaterial

Posted in Cidadania, Cultura, Estado by ImprensaBR on 08/05/2013

Volta à pauta sistema de informações sobre violência contra a mulher

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) votará nesta quarta-feira (08/05), em segunda discussão, o projeto de lei 1.757/12, que institui a política estadual para o Sistema Integrado de Informações de Violência contra a Mulher no estado, que ganhará o nome de Observa Mulher-RJ. O sistema irá organizar e analisar dados sobre atos de violência praticados contra as mulheres, assim como promover a integração entre os órgãos que fazem atendimento à mulher vítima de violência. A proposta é da deputada Inês Pandeló (PT). “Só há políticas públicas quando há registro, informações que deem embasamento às ações. Há muitas instituições recebendo denúncias, mas não há compilação de dados. É isso que este projeto propõe”, explica a parlamentar.

Entre os objetivos da política estão a convergência de ações entre órgãos públicos que atendem mulheres vítimas de violência, padronização e integração do sistema de registro e armazenamento das informações, criação de cadastro eletrônico com dados da vítima e do agressor e ocorrências registradas, entre outros.

Projeto conceitua Patrimônio Imaterial

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) votará nesta quarta-feira (08/05), em segunda discussão, o projeto de lei 2.985-A/10, que conceitua o Patrimônio Imaterial, instrumento através do qual é possível se registrar formas de expressão, modos de criar e criações artísticas. Diz o texto, que é assinado pelo deputado Coronel Jairo (PSC), que, uma vez declarado Patrimônio Imaterial, o bem será protegido através de seu registro pelo Poder Público em livros próprios. “Ao reconhecer e difundir os elementos de sua identidade cultural, os próprios cidadãos poderão contribuir para o desenvolvimento de sua comunidade e promover a autoestima coletiva”, sugere o autor.

Comentários desativados em Na ordem do dia, na Alerj, duas matérias que despertaram nosso interesse: Violência contra a mulher e Patrimônio Imaterial

Grupo de Acompanhamento do Legislativo (GAL) se reúne para cobrar dos vereadores medidas e providências para Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Política, Rio das Ostras by ImprensaBR on 06/05/2013

Nesta quinta-feira, dia 2 de maio, a coordenação do Grupo de Acompanhamento do Legislativo (GAL) de Rio das Ostras se reuniu para continuar cobrando dos vereadores medidas e providências efetivas em favor da população de Rio das Ostras.

O GAL é formado, principalmente, por lideranças dos movimentos sociais e sindicais que têm em comum o desejo de trabalhar em prol de uma cidade mais humana e desenvolvida, buscando superar os entraves que mantêm nossa cidade num patamar ainda crítico quanto às políticas públicas de educação, saúde, segurança e saneamento, principalmente.

Nossa “cidade-pérola”, entre “o rio e o mar”, não pode permanecer no seu isolamento atual, com uma ilha, esperando dos poderes constituídos a dádiva de uma boa governança. É necessário um permanente estado de vigilância mobilização das forças vivas da sociedade. Como diz o velho ditado, “confiar, desconfiando”.

Nesta reunião, como ponto de pauta, ocorreu a necessidade de se cobrar, formalmente, da Câmara Municipal o cronograma de funcionamento das cinco comissões temáticas, que estão contempladas no Regimento Interno da Casa. Contempladas, mas sem notícia de seu funcionamento.

Outra medida aprovada, esta no campo prático da interlocução com a população. É o que ficou  chamado de “GAL na Praça”, quando periodicamente o Grupo se reunirá na Praça Central de Rio das Ostras, para levar aos riostrenses as “novidades” do Legislativo.

A coordenação do GAL se reúne de forma ordinária, mensalmente, na primeira quinta-feira do mês, às 19 horas, em sala anexa à Igreja Matriz, no Centro de Rio das Ostras. O GAL é independente e autônomo de igrejas, partidos e governos.

Fonte: Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Comentários desativados em Grupo de Acompanhamento do Legislativo (GAL) se reúne para cobrar dos vereadores medidas e providências para Rio das Ostras

Aprovados no 6º Concurso Público de Rio das Ostras fazem manifestação pública no Rio de Janeiro

Posted in Cidadania, Coluna do Servidor, Educação, Estado, Rio das Ostras by ImprensaBR on 19/04/2013

Nesta quarta-feira, dia 17 de abril, os aprovados no 6º Concurso Público de Rio das Ostras fizeram novo protesto. Desta vez, no Rio de Janeiro junto ao Ministério Público e à Assembleia Legislativa (ALERJ).

Diante do impasse causado pela “anulação” do concurso, com a edição do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) feito em conjunto entre a Prefeitura de Rio das Ostras e o Ministério Público de Macaé, os concursados prosseguiram na luta pela chamada dos aprovados.

No Ministério Público, uma comissão foi recebida para expor o problema e solicitar esclarecimentos para uma solução satisfatória do caso, já que a “anulação” pura e simples não contempla e não é aceita pelos concursados.

Portando faixas e cartazes com críticas ao Prefeito Sabino, os manifestantes passaram a tarde em frente ao Ministério Público, chamando a atenção da população e dos vários funcionários que trabalham nas redondezas.

Digno de nota é que o movimento recebeu novas adesões, especialmente entre aqueles que trabalham na Capital ou próximo, dando mais força e visibilidade ao movimento, que está longe de recuar. Pelo contrário.

Esse movimento reivindicatório, legítimo e pacífico, poderia ter sido evitado com a chamada dos aprovados, uma vez que o concurso estava homologado. Agora tornou-se uma verdadeira “pedra no sapato” do atual Prefeito que, ao que parece, não conseguiu sentar na sua cadeira de trabalho para tocar a  gestão e tentar tirá-la da paralisia.

Para piorar o quadro, a imprensa local, que mais parece “sucursal” da imprensa oficial, prega factóides de “realizações” para fazer crer junto aos incautos que não existe essa paralisia dos serviços e imobilismo da máquina pública municipal.

Enquanto isso, avolumam-se os processos judiciais para cobrar das autoridades soluções adequadas, uma vez que não só os concursados estão prejudicados nos seus direitos, mas também a população riostrense, que carece de bons serviços públicos. Sem falar nos segmentos mais necessitados das periferias, que continuam na rua da amargura.

Na Assembleia Legislativa (ALERJ), o grupo de manifestantes se distribuiu para fazer visitas aos gabinetes dos deputados estaduais, tendo sido recebidos por alguns, que chegaram a indicar agendamento de reuniões para os próximos dias.

Mais uma vez, chamaram a atenção dos transeuntes com suas faixas e cartazes alusivos ao ato público, que começou nas escadarias da ALERJ e continuou nos balcões superiores, no interior do prédio.

O fato chamou também a atenção de deputados, que mesmo em meio às votações de rotina, sinalizaram com apoio ao movimento. Ponto alto, foi a intervenção de uma deputada que pediu a palavra, especialmente, para fazer alusão à presença dos concursados indignados com tamanha injustiça que sofrem nas mãos do Prefeito Sabino.

A referida deputada chegou a lembrar, em plenário e ao microfone, que quando estava naquela Casa o então deputado Sabino se mostrou um defensor dos servidores e dos serviços públicos. A  deputada estranhava agora  essa repentina mudança, tanto de discurso, quanto de prática.

Finalizou, colocando-se à disposição dos manifestantes. Logo a seguir, durante seu pronunciamento no parlatório, uma outra deputada também se solidarizou com a causa.

Outro fato diz respeito à presença no local da equipe humorística de televisão conhecida por “CQC”, que fazia matéria com os deputados. Os concursados tiveram acesso à equipe, que parece ter ficado interessada pelo caso sui generis de Rio das ostras, e ficaram de acertar uma entrevista para ser levada ao público da televisão.

Como já dito em outras ocasiões, o Sepe reitera que esta polêmica do 6º Concurso se trata da continuidade da luta político-eleitoral em Rio das Ostras. E quem mais perde são os setores mais pobres e necessitados de serviços públicos essenciais como Saúde, Educação, Saneamento e Segurança. E que sem a chamada urgente dos concursados, tendem a piorar.

Até o momento, toda esta polêmica tem servido para mostrar que Rio das Ostras não é mais aquela “cidadezinha” que cabia no bolso de alguns poderosos, que tudo podiam. O Brasil mudou, e a consciência de seu povo também,  mais madura e exigente. Agora, política, somente com ética. Mas, para isso se consolidar, a fórmula continua sendo a luta. Muita luta.

Fonte: Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Comentários desativados em Aprovados no 6º Concurso Público de Rio das Ostras fazem manifestação pública no Rio de Janeiro

Assembleia da rede estadual decide pela manutenção do estado de greve e por nova paralisação no dia 8

Posted in Cidadania, Coluna do Servidor, Educação, Estado, Rio das Ostras by ImprensaBR on 18/04/2013

Assembleia da rede estadual decide pela manutenção do estado de greve e por nova paralisação no dia 8

Centenas de profissionais compareceram hoje à assembleia da rede estadual de educação. Nela ficou decidido que haverá uma nova paralisação, dessa vez de 24 horas, no dia 08 de maio (quarta-feira). No mesmo dia será realizada uma assembleia às 10h  (local a confirmar) para decidir os rumos do movimento. Após a Assembleia haverá uma passeata dos profissionais de educação até o Palácio Guanabara.

Fonte: Sepe RJ

Conheça a atuação do Núcleo visitando nosso blog: seperiodasostrascasimiro.blogspot.com.br

Diretoria do Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Comentários desativados em Assembleia da rede estadual decide pela manutenção do estado de greve e por nova paralisação no dia 8

Rio das Ostras comemora 21 anos de emancipação sob forte aparato policial e repressor da Prefeitura

Posted in Cidadania, Cidade, Coluna do Servidor, Denúncia, Educação, Rio das Ostras by ImprensaBR on 15/04/2013

No dia 10 de abril, quarta-feira, Rio das ostras comemorou seus 21 anos de emancipação com o tradicional “desfile cívico” patrocinado pela Prefeitura Municipal, na Avenida Amazonas, no Centro.

O Município, conhecido e apreciado por seus atributos paisagísticos associados a uma rede turística e cultural, teve mais um sobressalto: agora devido ao forte e ostensivo aparato policial e repressor com centenas de homens armados, alguns portando pesado armamento de guerra.

Isto tudo porque estava prevista mais uma manifestação pacífica e legítima dos candidatos aprovados no 6º Concurso Público de Rio das Ostras. Concurso este, “anulado” unilateralmente pelo Prefeito atual, após sua homologação no ano passado.

Como acontece nessas ocasiões, os manifestantes portavam faixas alusivas ao movimento, além de panfletos contendo as reivindicações em favor da contratação dos aprovados e pelo fim das contratações temporárias.

O Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu que tem apoiado, acompanhado e registrado todo o movimento desde o seu início, mais uma vez, compareceu com seus diretores e militantes para reforçar a manifestação.

Atualmente, o embate sobre o 6º Concurso se  dá também na esfera judicial, quando os candidatos prejudicados estão na justiça contra o autoritarismo do Prefeito Alcebíades Sabino, eleito por uma ampla coligação (PSC, PDT, PMDB, PT e mais dezessete partidos).

Até o tom cinzento e nublado do dia contribuiu para acrescentar um elemento a mais de tristeza e apreensão na festa. Pois, nunca na história do município se teve notícia da presença tão massiva de policiais militares e guardas municipais, tão faltos na segurança da população, como mostram os índices crescentes de  violência da região.

Não é, pois, de se admirar o franco e rápido declínio de aprovação popular com relação ao Prefeito, quando durante a festividade era voz comum o desagravo e descontentamento com o curso dos acontecimentos da atual gestão municipal.

A festa dos 21 anos da Cidade – denotando uma maioridade – pode representar um divisor de águas na história local, quando a consciência política dos seus cidadãos e cidadãs colocar um basta à tradicional política de truculência – do “prendo e arrebento” – típica dos sistemas ditatoriais.

O Sepe/RJ (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro), que sempre lutou pela  democracia e os avanços das políticas sociais no estado e nos municípios, tem no seu Núcleo local o representante responsável em dar continuidade à luta pelos Direitos Sociais e Humanos. E assim continuaremos.

Fonte: Diretoria do Sepe Núcleo Rio das ostras e Casimiro de Abreu

Comentários desativados em Rio das Ostras comemora 21 anos de emancipação sob forte aparato policial e repressor da Prefeitura

Metodologia do Mapa da Cultura é exposta em reunião do Fórum

Posted in Cidadania, Cultura, Estado by ImprensaBR on 02/04/2013

METODOLOGIA DO MAPA DA CULTURA É EXPOSTA EM REUNIÃO DO FÓRUM

A Câmara Setorial de Economia Criativa do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro se reuniu nesta segunda-feira (01/04) na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para apresentação da metodologia utilizada para a criação do Mapa de Cultura do estado. O mapa utiliza como base de dados o Mapa de Cultura do Estado do Rio de Janeiro produzido pela Secretaria de Estado de Cultura em parceria com a Petrobras, e já disponível na rede. O trabalho é realizado em parceria com o Instituto de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), através do professor Glaucio Marafon.

Na apresentação, Marafon explicou que apesar dos dados terem sido coletados a partir do trabalho anterior, haverá uma complementação destas informações, como é o caso dos contatos das secretarias de Cultura dos 92 municípios. Cada um deles será classificado e dividido em regiões por sua vocação principal. “A classificação abrange questões como presença de aparatos culturais como centros e palácios históricos, museus, feiras culturais, além de bens imateriais separados em saberes, expressões e vocações para a produção e comércio”, afirmou Marafon.

Segundo a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, o mapa de cultura é essencial para a orientação por parte dos municípios e do estado na hora de decidir investimentos na área. “A ideia de você ter um retrato de como a cultura ocorre nos 92 municípios dá uma base de informações para decidir o que é importante e onde se deve investir. Mas, além disso, esse trabalho se mostra importante ao divulgar as manifestações culturais em diferentes pontos do estado”, frisou. O mapa faz parte do projeto Cadernos do Fórum, que inclui a o Caderno de Turismo e o de Esportes, que depois de lançados foram disponibilizados para os secretários municipais das pastas.

Texto de Fábio Peixoto
Ascom Alerj

Comentários desativados em Metodologia do Mapa da Cultura é exposta em reunião do Fórum

ABTU lança nova versão Rede de Intercâmbio de Televisão Universitária

Posted in Brasil, Cidadania, Cinema, Comunicações, Educação by ImprensaBR on 26/03/2013
A Associação Brasileira de Televisão Universitária está lançando a nova versão da Rede de Intercâmbio de Televisão Universitária (RITU). O objetivo é auxiliar as filiadas na elaboração de uma grade de programação diversificada por meio do intercâmbio de conteúdo. Segundo Fernando Moreira, presidente da ABTU, a iniciativa foca no conteúdo e em uma tecnologia simplificada para facilitar a troca entre as TVs.

Inicialmente o acervo conta com aproximadamente 70 horas de material, que foram convertidos para um formato de compressão digital que mantivesse a qualidade e permitisse às afiliadas de todo o Brasil acessar e colaborar com a subida de suas produções dentro de padrões definidos em um manual técnico da Rede e do Manual Prático de Direitos Autorais, produzido pela ABTU em parceria com o Canal Universitário de São Paulo (CNU). As afiliadas a associação terão acesso livre por 30 dias como degustação para conhecerem o funcionamento da nova versão da RITU. Após este prazo, os associados que quiserem manter o acesso à RITU precisam se comprometer a contribuir com uma hora de conteúdo todo o mês para o acervo.

Tela Viva

Comentários desativados em ABTU lança nova versão Rede de Intercâmbio de Televisão Universitária

Escolas estaduais de Rio das Ostras iniciam greve, aderindo ao movimento deliberado ontem após assembleia no Rio

Posted in Cidadania, Coluna do Servidor, Educação, Estado, Notas, Região, Rio das Ostras by ImprensaBR on 22/03/2013

LB

O Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu decidiu aderir ao movimento de greve em consonância com o Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação) Rio de Janeiro, depois da assembleia de ontem. Toda a rede estadual de ensino do estado está em greve a partir de hoje, 22 de março.

Outra deliberação feita pela categoria foi a escolha das datas de 16, 17 e 18 de abril para uma ‘greve de advertência’.

No dia 18 de abril, a partir das 10h00, haverá uma assembleia geral no Clube Municipal (Rua Haddock Lobo 243, Tijuca, Rio de Janeiro) para serem definidos os rumos do movimento.

Comentários desativados em Escolas estaduais de Rio das Ostras iniciam greve, aderindo ao movimento deliberado ontem após assembleia no Rio

Agentes culturais de Macaé elegem diretoria para o Conselho Municipal de Cultura

Posted in Brasil, Cidadania, Cultura, Estado, Macaé, Notas, Região by ImprensaBR on 14/03/2013

Dilma Negreiros (conselheira representante do Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip Hop (CIEMH2)), Marcos Kuika (representante da Usina de Fomento Cultural) – 2° Secretário, Jones Rodrigues (representando a Associação de Músicos, Bandas e Entretenimentos de Macaé (AMUBAE)), Paulo de Tarso Peixoto (Vice-Presidente da Fundação Macaé de Cultura) – Presidente, Gilberto Alves – Vice-Presidente, Rúben Pereira (represente da vice-presidência de Acervo e Patrimônio Histórico da Fundação Macaé de Cultura) – 1◦ Secretário, e Raul Lavour (conselheiro representante da Missão Kerigma).

Por ErrePê*

Construído com a colaboração dos agentes culturais de Macaé (RJ), o Conselho Municipal de Cultura (gestão 2013 – 2014) foi eleito, ontem, numa Assembleia Ordinária, da qual saiu a seguinte chapa única, aclamada pelos presentes:

Paulo de Tarso Peixoto – Presidente

Gilberto Alves – Vice-Presidente

Rúben Pereira – 1◦ Secretário

Marcos Kuika – 2° Secretário

O Conselho Municipal de Cultura de Macaé foi criado em 2012 e sua primeira diretoria fez um “mandato tampão”, que terminaria em 31 de dezembro de 2012, mas foi mantido até ontem, quando a nova diretoria foi eleita para o biênio 2013 – 2014.

O Conselho Municipal de Cultura de Macaé surgiu de uma luta de muitos anos dos agentes culturais da cidade e tem como finalidade colaborar com a construção das políticas públicas municipais do setor.

Um ganho para toda a cidade que poderá ter em curto prazo um Plano Municipal de Cultura realmente discutido com os representantes das diversas vertentes culturais, integrantes da paisagem cultural local.

*Editor do Caderno de Cultura de O Polifônico 

Comentários desativados em Agentes culturais de Macaé elegem diretoria para o Conselho Municipal de Cultura

Um evento de relevância estratégica

Posted in Brasil, Cidadania, Comunicações by ImprensaBR on 05/03/2013

481670_547177868648299_506306347_n

Quais os principais desafios e oportunidades que se apresentam para as sociedades que buscam fortalecer um ecossistema midiático orientado pelo respeito à liberdade de expressão e pela atuação responsável e informada dos órgãos estatais, das empresas do setor e das entidades da sociedade civil?

É com o objetivo de compartilhar conhecimento qualificado sobre esta importante agenda com o público brasileiro e dos demais países da América Latina que acontece, entre os dias 6 e 8 de março de 2013, em Brasília, o Seminário Internacional Infância e Comunicação: Direitos, Democracia e Desenvolvimento. Estarão reunidos 250 especialistas dos mais diversos países, entre representantes de governos, parlamentos, organismos de cooperação internacional, empresas de comunicação, centros de pesquisa e organizações da sociedade civil.

As diferentes formas pelas quais os meios de informação e comunicação impactam os processos de desenvolvimento – tanto do ponto de vista da inclusão social quanto da sustentabilidade – também estão no foco dos debates que estruturam o evento. Adicionalmente, a pauta do seminário reconhece que a crescente influência da mídia sobre as sociedades contemporâneas tem reflexos especialmente marcantes sobre as condições de socialização e formação de crianças e adolescentes – o que exige o contínuo aperfeiçoamento dos marcos legais referentes ao setor.

O encontro é uma realização da ANDI – Comunicação e Direitos em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNPDCA), da Secretaria de Direitos Humanos (SDH); a Secretaria Nacional de Justiça (SNJ), do Ministério da Justiça (MJ); e o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), além de contar com o patrocínio da Petrobras e apoio da Fundação Ford.

O seminário faz parte ainda do projeto de cooperação técnica Liberdade de Expressão, Educação para Mídia, Comunicação e os Direitos da Criança e do Adolescente, desenvolvido pela SNJ, com a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores e a UNESCO.

Fonte: Andi

 

Comentários desativados em Um evento de relevância estratégica

Prefeitura impõe (não oficialmente) que candidatos paguem por atestado médico

Posted in Cidadania, Cidade, Cultura, Denúncia, E-mails do Leitor, Rio das Ostras by ImprensaBR on 28/02/2013

A prefeitura de Rio das Ostras oferece vagas (limitadas) para cursos de artes e no ato da matricula exige um atestado médico de liberação para exercer a atividade. Porem, os postos de saúde não tem vaga, te colocam numa lista de espera que demora SEMANAS pra chegar PERTO da sua vez. E ainda por cima, quando questionados, os irredutíveis funcionários dão a dica: ” tem um rapaz cobrando 30 reais ali no consultório em cima do mercado. ” Eh mole ?

ISSO EH UM ABSURDO!

Não dá assistência nenhuma à população, deixa cada um por sua própria conta, e quem não tiver os as notinhas de dinheiro pra fazer o tal exame, simplesmente perde a vaga, mesmo tendo sido SELECIONADO depois de fazer testes e entrevistas.

Que falha, hein !

Vi mães indignadas ontem na onda porque não podem perder o dia de trabalho pra correr atras de atestado pra filha em consultório particular..

A prefeitura na verdade deveria ceder um medico pra fazer os exames, já que a demanda eh grande. Mas não.. eles indicam o fulaninho ali da esquina q ta cobrando 30 pau. Lamentável..

Enviada por Dayane S. Lima por e-mail.

Comentários desativados em Prefeitura impõe (não oficialmente) que candidatos paguem por atestado médico

Cinco anos de Cineclube Lumiar

Posted in Cidadania, Cultura, Editorial, Educação, Nova Friburgo, Turismo, Videofonia by ImprensaBR on 25/02/2013

Este slideshow necessita de JavaScript.

O último domingo foi um dia especial para os militantes do cinema de Lumiar (Nova Friburgo, RJ) e para a comunidade local. Foi comemorado em grande estilo o aniversário de cinco anos de atividade do Cineclube Lumiar.

Muitas pessoas compareceram para compartilhar a alegria dos gestores do Cineclube. Dentre elas, eu, que fui convidada também a exibir na ocasião o documentário O povo do cinema de Lumiar. Emocionante.

São momentos como os que vivi ontem que sinalizam que o caminho é este e que a militância não pode parar.

Vida longa ao Cineclube Lumiar. Vida longa ao cinema nacional.

Parabéns a todos aqueles que trabalham para este movimento acontecer, mas, principalmente, parabéns ao público, que nesses cinco anos tem sido fiel ao Cineclube levando sugestões, críticas e o fundamental para que tudo isto aconteça: sua presença a cada nova sessão.

Que venham muitos, mas muitos outros anos…

Comentários desativados em Cinco anos de Cineclube Lumiar

Comemoração de cinco anos do Cineclube Lumiar exibirá o clássico ‘O povo do cinema de Lumiar’

Flávio Nascimento e Luisa são personagens do filme que abriu uma nova possibilidade para o cinema em Lumiar, em 2004.

Flávio Nascimento e Luisa são personagens do filme que abriu uma nova possibilidade para o cinema em Lumiar, em 2004.

As comemorações do quinto ano de atividades do Cineclube Lumiar (Nova Friburgo), acontecerão no próximo domingo, no próprio cineclube.

Entre as atrações artísticas que estão programadas para o dia, não poderiam faltar as exibições de cinema. E neste dia o filme rodado em 2004 no vilarejo ‘O povo do cinema de Lumiar’ será exibido junto a outras fitas-surpresa.

O filme é um documentário de 20 minutos dirigido pela jornalista e produtora da Mostra Cinema Popular Brasileiro, Leonor Bianchi. Ambos, o filme e a Mostra comemoram dez anos em 2013 e a ocasião certamente será de muita emoção não apenas para a realizadora, que depois de apresentar o filme em 2004 na Ação Rural, em Lumiar, nunca mais voltou a exibir o curta no vilarejo onde foi gravado, mas principalmente para a comunidade local, que vem demandando há tempos da diretora do doc. uma nova exibição do filme. Ano passado, em novembro, o curta foi exibido na abertura da 9ª Mostra Cinema Popular Brasileiro, mas não em Lumiar e sim na cidade vizinha, São Pedro da Serra, na Casa Cultural Mata Atlântica.

O filme tem depoimentos de moradores antigos e de pessoas que vieram de outras cidades para Lumiar, como Maria Cristina (da Oficina Escola As Mãos de Luz), Flávio Nascimento (o Poeta), Luisa (contadora de histórias), o professor Ari Celso, professores do Colégio Estadual Carlos Maria Marchon, Mestre Messias (violeiro e artista plástico já falecido), assim como Seu Denir Klein, pai do Vovô (do bar do Vovô), que também já se foi, entre outros.

O filme indaga o que o povo de Lumiar assiste na TV e no cinema e como a comunidade e a escola assumem o papel de protagonistas da narrativa histórica dos fatos locais utilizando o cinema e o audiovisual.

A sessão começa às 19h, a classificação indicativa é livre e a entrada é franca. O Cineclube Lumiar fica na Rua Dep. Amâncio Mario de Azevedo, 145, (em frente ao lago de Lumiar).

Não perca ‘O povo do cinema de Lumiar’ no próximo domingo, dia 24 de fevereiro, nas comemorações de cinco anos do Cineclube Lumiar.

Comentários desativados em Comemoração de cinco anos do Cineclube Lumiar exibirá o clássico ‘O povo do cinema de Lumiar’

Rio das Ostras: Mais uma cidade partida, e o mosquito da Dengue

Ponte sobre o rio das Ostras. Projeto megalômano, que descaracterizou por completo a paisagem rural e praiana da cidade. Foi inaugurada em 2007.

O que essa ponte tem a ver com a cidade? Olha a favelização em segundo plano… assim está minha amada Rio das Ostras…

Agora começa 2013. Começo do novo-velho governo. Será que vai estabilizar ao menos? Infelizmente, não creio não…

É preciso preservar as belezas naturais como lagoas, praias, os morros, as trilhas na mata de tabuleiro… a serra do Pote, as tradições do homem da terra, o pescador, o agricultor de Cantagalo e Rocha Leão…

Hoje, tudo mudou. Pessoas aos montes invadem com tamanha pressão a cidade, que o mangue não resiste. O de cima sobe e o debaixo desce mais a cada dia, a cada ano. É preciso valorizar o ser humano.

Rio das Ostras… que saudade de você como era há 20, 30, 40 anos… mas o progresso te alcançou. De tapera passou à cidade que mais cresceu no Brasil! A vizinha da capital do petróleo. O El Dourado para milhões de famílias de brasileiros, que sonham com a oportunidade de uma vida melhor, mais digna.

Mas que dignidade é essa?

A cidade amanhece sob uma gravíssima notícia: surto de Dengue. Não é a primeira vez que Rio das Ostras aparece no mapa como cidade com altos números de casos de Dengue. Até o momento, 1416 casos de suspeitas de Dengue estão sendo analisados e 75 casos já foram confirmados.

Centro de Hidratação de Dengue

Enfrentando epidemias de Dengue há quatro, cinco anos, os gestores sabiam que precisariam investir mais na prevenção, mas deixaram para investir em um Centro de Hidratação, ou seja, um instrumento para ser colocado em funcionamento quando a epidemia já estiver instalada.

E a prevenção?

Dengue matou duas pessoas na cidade, em 2011

O vídeo abaixo, gravado pela afiliada da Globo Intertv Alto Litoral, com reportagem da jornalista Renata Monteiro mostra bem a realidade que a cidade vem enfrentando quando o assunto é prevenção ao Dengue, ou a falta dela.

Em 2010, foram feitas 802 notificações da doença. Em 2011, quando foi feita a reportagem, Rio das Ostras registrou 289 casos suspeitos de Dengue, 53 casos de Dengue Hemorrágica e duas mortes.

Foi em 2010 e início de 2011, que o governo anterior contratou centenas de pessoas para atuarem como Agentes de Vigilância Sanitária no combate ao Dengue, na cidade. Foi uma farra, colocou todo mundo pra brincar de ser agente sanitário. Na mesma farra, o governo atua culpabilizando a população. O que os gestores não deveriam é conceder licença de obras nas áreas citadas na matéria e em dezenas de outras, que estão em situações semelhantes. O que não deveria ter feito era a troca de lotes no Âncora, Recanto (o famoso Invasão há 20 anos atrás) por votos. E fizeram muito, mas muito isso em Rio das Ostras. Fazem até hoje!!! O bairro Âncora hoje está favelizado não é à toa; deram uma mãozinha pra que isso acontecesse para depois pedir recursos para o Estado e a União.

E a apresentadora da matéria… que chega quase a explodir de felicidade referindo-se ao povo de Rio das Ostras, que estaria feliz, satisfeito com as ações de combate ao mosquito da Dengue. Gente, tá na cara que ela tá comprada! Como a população pode estar satisfeita quando a cidade registra dois mil casos de Dengue e duas mortes? Funciona assim, a matéria tem que ir ao ar porque os dados estão alarmantes, então a Secretaria de Comunicação liga para o veículo e faz um lobbizinho com o editor.. ‘Poxa, Fulano, sabe como é… joga no ar, mas tenta não deixar o drama do cenário ser percebido na matéria senão você acaba comigo. A cidade está em polvorosa!!! Tá morrendo gente, não podemos dizer isso assim… Tenta dar uma levantada…”, e desliga o telefone depois de dizer que enviará um convitezinho para algum jantar, algum final de semana numa pousadinha de Búzios… uma coisa  desse tipo…  e atitudes como essa levam a apresentações lastimáveis como a que essa da reportagem faz… e a gente vê isso todo dia, não é mesmo? Hoje, meio dia ela estará lá rindo da nossa cara enquanto noticia mais uma morte de Dengue na cidade. Tudo uma falta de noção… nessa cadeia…

Comentários desativados em Rio das Ostras: Mais uma cidade partida, e o mosquito da Dengue

Cartão do bem ou cartão do mal?

D20071218_H152710_ID7271

Mudou o ano, mudou o governo, mas a política populista parece nunca ter estado tão forte e consolidada em Rio das Ostras.

Uma semana antes do Carnaval, o novo-velho prefeito da cidade, Alcebíades Sabino, concedeu o beneficio chamado ‘Cartão do Bem’ para 2.600 moradores de Rio das Ostras. A política de assistencialismo não é de hoje no rico município de moradores pobres e vem seguida de outras tantas como você lerá ao final desta matéria.

Para quem não lembra, ou para os novos moradores que nem sabem do fato, o benefício ‘Cartão do Bem’ foi criado em 2007 pelo antigo prefeito do PMDB Carlos Augusto Baltazar (2005 – 2008 e 2009 – 2012 à frente da Prefeitura de Rio das Ostras) como substituição à Cesta Básica dada pela Secretaria de Bem-estar Social. Era para ser destinado a moradores com renda per capita de, no máximo, um salário mínimo.

Quando foi criado, o Cartão causou muita indignação entre os munícipes mais esclarecidos pelo fato de aquele ser um ano que antecedia as prévias eleitorais e a criação de uma lei municipal estabelecendo transferência de renda para cerca de 10 mil pessoas soava como compra de votos à luz do dia. Na época, o cidadão tinha a possibilidade de retirar o dinheiro no Banco do Brasil ou então fazer compras utilizando-o como cartão de débito em qualquer estabelecimento que aceitasse o pagamento com Visa Electron. Os comerciantes não precisavam fazer nenhum tipo de cadastro para participar do programa.

Este ano, antes do Carnaval, Sabino fez um mutirão envolvendo 150 servidores da prefeitura para refazerem o cadastro dos beneficiários antigos e incluir outros novos para ganharem mensalmente do governo municipal a quantia de R$ 100,00, mesmo valor dado em 2007 para os beneficiários.

A cidade, que vive hoje uma explosão populacional, precisa de fortes investimentos em infraestrutura, saúde, educação, habitação, qualificação profissional e inovação em ciência e tecnologia. Porém, o que vemos é a perpetuação de uma política arraigada ao populismo e na dependência do indivíduo para com o Estado, que ao invés de viabilizar formas para que ele – cidadão – trabalhe, oferece-lhe benefícios em dinheiro, em troca de popularidade e quem sabe, de sua continuidade no governo para além desta nova-velha gestão que acaba de começar. Acaba de começar e já disse a o que veio…

Não fossem os R$ 100,00 de mesada que Sabino está dando para quase 3 mil moradores de Rio das Ostras, mais uma medida populista foi anunciada na semana passada: a construção – em parceria com a construtora mais denunciada nos últimos anos no Brasil, MRV – de casas populares na cidade. Mas esta ação populista será a pauta de outra matéria.

 

Comentários desativados em Cartão do bem ou cartão do mal?

Manifestantes fazem ato em Rio das Ostras exigindo a convocação imediata de aprovados no VI concurso público do município

Posted in Cidadania, Cidade, Denúncia, Rio das Ostras by ImprensaBR on 07/02/2013

MP diz não reconhecer a homologação do concurso, e aprovados prometem fazer nova reivindicação dia 21 de fevereiro

A tarde de ontem foi marcada por um protesto em Rio das Ostras, quando cerca de 200 pessoas foram para a frente da prefeitura reivindicar que os concursados aprovados no sexto concurso público do município sejam imediatamente convocados a tomar posse.

A manifestação foi marcada para às 16h, mas atravessou o início da noite. Manifestantes reclamaram usando frases de efeito, apitos e empunhando cartazes e faixas.

Os concursados queriam ainda explicações para as novas contratações de funcionários para a PMRO feitas logo após a posse do prefeito Sabino, este ano, em janeiro.

Em seu site, a Prefeitura de Rio das Ostras apresenta uma nota em que afirma o não reconhecimento da homologação do concurso pelo Ministério Público. Segundo nota divulgada, o Procurador Geral do Município de Rio das Ostras, Eduardo Pacheco de Castro, teria comparecido ao gabinete da 2º Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva – Núcleo Macaé, para tratar de assuntos referentes ao VI Concurso Público realizado no município. Na ata da reunião divulgada pelo município, os promotores de justiça afirmam que: “o IV Concurso Público não chegou ao seu fim, não tendo validade, portanto, a “homologação” de dezembro de 2012”.

As autoridades judiciais ainda afirmaram aguardar as manifestações da Procuradoria Geral e da Controladoria Geral do Município de Rio das Ostras sobre o caso. Uma nova reunião foi agendada para discutir o assunto, para o dia 21 de fevereiro, às 14h30, no mesmo local.

Os manifestantes prometeram realizar outra manifestação no dia da reunião agendada pela Procuradoria do município no Ministério Público. “Vamos marcar presença no próximo dia 21, em frente o Ministério Público, em Macaé, para exigir que nossos direitos não sejam velados, que sejam respeitados”, disse o professor.

LB com base em matéria de Carolina Burgos para o G1.

Comentários desativados em Manifestantes fazem ato em Rio das Ostras exigindo a convocação imediata de aprovados no VI concurso público do município

Sociedade riostrense contra o estupro

Aconteceu nesta terça, dia 29 de janeiro, a primeira reunião da Campanha Chega de estupros em Rio das Ostras, movimento iniciado por um grupo de professores do curso de Serviço Social da UFF/ PURO, com o intuito de tornar público o grande número de estupros que acontecem em Rio das Ostras, bem como levar ao poder público demandas e propostas para combater este tipo de violência.

A reunião foi veiculada por meio de e-mails e redes sociais, aberta a toda comunidade, já que o objetivo foi a construção coletiva de propostas de ação. O encontro teve participação de aproximadamente 60 pessoas, entre alunos e professores da UFF, profissionais de saúde do município, representantes de movimentos sociais e moradores de Rio das Ostras, todos indignados com a atual situação de casos de estupro que vigora na cidade.

Não é a primeira vez que os professores do PURO se sensibilizam e organizam ações para combater a violência contra a mulher em Rio das Ostras. Apesar de ter sido chamado por um grupo de pessoas, este movimento é de toda a população de Rio das Ostras.

Foram organizadas como parte da campanha atos de panfletagem para sensibilizar a população para esta realidade. O primeiro aconteceu no último domingo, na praia do Centro e na Lagoa de Iriry até a praia de Costa Azul.

No ato de domingo, integrantes do movimento distribuíram folhetos explicativos para os moradores da cidade e turistas.

Outras atividades envolvendo panfletagem serão feitas durante o Carnaval, e nas redes sociais. Toda a população está convidada a participar dos atos.

Segunda reunião da campanha será dia 20, na UFF

Será organizado um ciclo de debates na UFF, com a presença de estudiosos do assunto, representantes do poder publico, dos movimentos sociais e da segurança pública da cidade (ainda a serem convidados).

No dia 20 de fevereiro, às 17h30, será realizada, na UFF/PURO, a segunda reunião da campanha, onde será construído um documento a ser encaminhado ao poder público municipal, com propostas de prevenção aos estupros, bem como medidas que qualifiquem e humanizem o atendimento às mulheres vitimas desta violência.

Saiba mais sobre a campanha acessando o grupo da campanha “Chega de estupros em Rio das Ostras”, no Facebook.

Leia mais sobre o assunto

O jornal O Polifônico apoia esta iniciativa.

Texto de Paula Sirelli com Edição de Leonor Bianchi.

Comentários desativados em Sociedade riostrense contra o estupro

Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Denúncia, Educação, Notas, Rio das Ostras by ImprensaBR on 23/01/2013

Movimento envolve docentes do Serviço Social do PURO, alunos da instituição e atores de diversos movimentos sociais da cidade

Rio das Ostras é conhecida, em todo o Brasil, por seus altos índices de estupros. E isso, há muitos anos, não é de agora, depois do crescimento populacional que ocorreu no município nos últimos oito, dez anos em função do arranjo produtivo do petróleo e gás da Bacia de Campos.

Só no mês de setembro do ano passado, dia sim dia não, uma mulher foi estuprada na cidade. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP), até Novembro de 2012 foram registrados 49 casos de estupros na cidade.

Com o objetivo de pedir às autoridades competentes ações de combate ao estupro na cidade, professores do curso de Serviço Social da UFF, alunos do PURO e sociedade civil organizada estão se organizando e convocando todos que se sentem agredidos com esta realidade para uma manifestação. A primeira reunião de organização da manifestação será na terça feira, dia 29 de janeiro, às 17h30, no auditório da UFF/ PURO, na rua Recife S/N, bairro Jardim Bela Vista.

 indices ips estupros em rio das ostras

Comentários desativados em Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

Vitória! Justiça dá ganho em ação impetrada pelo Sepe contra Prefeitura de Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Cidade, Educação by ImprensaBR on 22/10/2012

Aos profissionais de educação:

Nesta sexta-feira, 19 de outubro, o Departamento Jurídico do Sepe tomou ciência do resultado da ação impetrada pelo Sindicato contra a Prefeitura de Rio das Ostras, conforme o processo 0001969-21.2012.8.19.0068.

No processo judicial, “O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro – Sepe/RJ – Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu propôs Ação Civil Pública contra o Município de Rio das Ostras e requereu em antecipação de tutela a determinação para que o réu regularize a distribuição da jornada de trabalho de todos os professores do quadro de educação básica no ensino público municipal”.

A ação judicial foi encaminhada ao Ministério Público em 19 de abril de 2012, sendo que o deferimento é datado de 17 de setembro do mesmo ano.

No relatório final, a juíza Juliana Gonçalves Figueira pronuncia: “Em razão do exposto, defere-se a tutela antecipada para determinar que o Município réu regularize a distribuição da jornada de trabalho de todos os professores do quadro da educação básica no ensino público do Município de Rio das Ostras, para o exercício de, no máximo, 2/3 (dois terços) da carga horária para desempenho das atividades dos referidos profissionais, sendo resguardado o mínimo de 1/3 (um terço) para as atividades complementares de planejamento, estudo e avaliação, para o ano letivo e seguintes;” (…) (grifo nosso)

Em outras palavras, pela decisão judicial a Prefeitura de Rio das Ostras está obrigada a implementar o referido período de 1/3 de carga horária para atividades extraclasse ainda este ano. Sem delongas.

Diretoria do Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Resposta MP frente

Resposta MP verso

Fonte: Sepe Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Comentários desativados em Vitória! Justiça dá ganho em ação impetrada pelo Sepe contra Prefeitura de Rio das Ostras

Exclusivo n’O Polifônico: Candidatos ao VI Concurso Púbico de Rio das Ostras fazem manifestação pedindo validação do mesmo

Posted in Cidadania, Cidade, Denúncia, Notas, TV O Polifônico by ImprensaBR on 21/09/2012

Muitas pessoas que fizeram o VI concurso público de Rio das Ostras, suspenso pelo Ministério Público em função de uma série de irregularidade em sua organização, fizeram uma manifestação pacífica nas ruas de Rio das Ostras, nesta sexta-feira pedindo a validação do concurso. Veja o vídeo.

Comentários desativados em Exclusivo n’O Polifônico: Candidatos ao VI Concurso Púbico de Rio das Ostras fazem manifestação pedindo validação do mesmo

O Polifônico debate a gestão cultural em Rio das Ostras para os próximos 8 anos. Faça seu vídeo e envie para nós. Queremos saber que política cultural você quer para Rio das Ostras.

Comentários desativados em O Polifônico debate a gestão cultural em Rio das Ostras para os próximos 8 anos. Faça seu vídeo e envie para nós. Queremos saber que política cultural você quer para Rio das Ostras.

Rio de Janeiro sedia amanhã Seminário Nacional de Comunicação para a Cultura

Posted in Brasil, Cidadania, Comunicações, Cultura by ImprensaBR on 18/09/2012

O famoso prédio onde funciona o Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio, receberá, a partir das 9h00 desta terça-feira (18), o Seminário Nacional de Comunicação para a Cultura.

O seminário, que acontecerá no Auditório Gilberto Freyre tem como objetivo iniciar um grande debate nacional sobre políticas públicas de comunicação para a cultura e reunir ideias que circunscrevam e conceituem esse campo a partir da perspectiva do poder público, das universidades, dos (as) ‘fazedores (as) de cultura’, dos (as) comunicadores (as) populares e dos movimentos organizados que atuam nessa interface. Este Seminário será aberto à participação do público.

No evento, além de estimular uma reflexão e discussão sobre o campo da comunicação e da cultura, será apresentado o Programa Comunica Diversidade, em processo de construção no âmbito do Sistema MinC e coordenado pela Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura. O Programa tem como intuito estimular iniciativas que ampliem e promovam o direito à comunicação e o exercício do pleno direito à liberdade de expressão cultural.

O Seminário será realizado no Auditório Gilberto Freyre do Palácio Capanema, à rua da Imprensa, 16, Centro, RJ, no dia 18 de setembro, das 9:30  às 19:00. Confira aqui a programação do Seminário.

Oficina de Indicação de Políticas Públicas para Cultura e Comunicação

A Oficina de Indicação de Políticas Públicas para Cultura e Comunicação será restrita a cerca de 120 convidados e representa o momento de formulação, pela sociedade civil, da política pública de comunicação para a cultura que orientará a elaboração de um plano setorial composto das ações que entrelaçam a comunicação à cultura para o cumprimento das metas do Plano Nacional de Cultura (PNC), até 2020.

Durante dois dias da Oficina, a pluralidade de vozes que sustenta a polifonia brasileira – negros, indígenas, intelectuais, ativistas, pessoas com deficiência, pessoas em sofrimento mental, comunidades tradicionais, fazedores da cultura popular, mulheres, representantes do movimento LGBT, do governo federal, ribeirinhos, pontos de cultura, midialivristas, segmentos organizados de rádio, televisão, audiovisual e internet, nas suas dimensões independente, comunitária, pública e privada – estará reunida para contribuir na proposição de ações de Comunicação para a Cultura, que resultarão no Programa Comunica Diversidade, do Ministério da Cultura.

As ações estabelecidas no PNC serão desdobradas em ações mais específicas no sentido de abarcar os cinco eixos do Programa, a saber: Eixo 1 – Educar para Comunicar, Eixo 2 – Produção e Distribuição de Conteúdos Culturais, Eixo 3 – Meios para a Comunicação, Eixo 4 – Comunicação e Protagonismo Social e Eixo 5 – Comunicação e Renda, buscando debater e consolidar o Programa Comunica Diversidade como uma agenda central no âmbito da cultura.

A Oficina acontece no Hotel Scorial, à rua Bento Lisboa, 155, Largo do Machado, RJ, nos dias 17 e 19 de setembro, das 9:30 às 19:00. Confira aqui a programação da Oficina.

Promovidos pelo Ministério da Cultura e Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) esses eventos constituem um processo político que pretende elaborar, de forma colaborativa, uma política pública de comunicação para a cultura para o Brasil contemporâneo. Ao final, será produzido um documento com os termos pactuados para o estabelecimento do Programa.

Fonte: http://culturadigital.br/comunicadiversidade/2012/09/17/os-seis-eixos-do-programa/

Comentários desativados em Rio de Janeiro sedia amanhã Seminário Nacional de Comunicação para a Cultura

Você sabe o que é e como é calculado o quociente eleitoral?

Posted in Cidadania, Cidade, Eleições 2012 by ImprensaBR on 10/09/2012

Eleitor, é importante que você conheça um elemento importantíssimo no processo de contagem de votos durante as eleições chamado de ‘Quociente Eleitoral’. Em função deste mecanismo, nem sempre seu voto elege o candidato em quem você.

Para conhecer como funciona sistema de quociente eleitoral, postamos algumas informações valiosas para que você e não desperdice seu precioso voto no próximo dia 7.

Comentários desativados em Você sabe o que é e como é calculado o quociente eleitoral?

O Grito dos Excluídos no desfile de 7 de setembro em Rio das Ostras: Professores das redes públicas participaram do ATO

Posted in Cidadania, Cidade, Educação by ImprensaBR on 08/09/2012

Feriado de 7 de Setembro de 2012 em Rio das Ostras, dia da Independência do Brasil e do Grito dos Excluídos

Os professores de todas as escolas do município de Rio das Ostras apoiam a prof. Lúcia e fizeram questão de manifestar seu apoio no Grito dos Excluídos. Abaixo reproduzimos um excelente texto do nosso sindicato sobre o tema, do qual concordamos integralmente.

Nota Pública do Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu Conflito entre alunos em escola municipal de Rio das Ostras coloca às claras a precariedade da rede.

A Direção do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) – Núcleo Municipal de Rio das Ostras e Casimiro de Abreu torna público sua total solidariedade à comunidade do Colégio Municipal Profª América Abdalla quanto ao episódio ocorrido entre alunos em sala de aula, no último dia 28 de agosto. O SEPE repudia qualquer ato de violência nas escolas. Chamamos a atenção, no entanto, para a grave crise na rede municipal de educação de Rio das Ostras, que sofre com a falta de investimentos, condições de trabalho e saúde e valorização profissional.

O SEPE também manifesta seu total apoio aos profissionais de educação, em particular à professora envolvida, colocando o seu Departamento Jurídico à disposição no caso de qualquer tentativa de se colocar sobre a responsabilidade da escola e da professora as falhas e omissões que são das autoridades municipais.

Paradoxalmente, foi preciso um conflito de motivação banal, como anunciado, para que se colocasse à luz do dia a precariedade da rede de ensino de Rio das Ostras, cidade conhecida pelas suas fartas belezas naturais e royalties fartos.

No entanto, conforme tantas vezes denunciado em diversos fóruns, falta investimento na rede, concursos públicos são mal conduzidos, criam-se secretarias municipais espúrias, faltam professores e funcionários administrativos, ausência de política de construção de escolas e creches, salas superlotadas, carga horária de trabalho excessiva, professores sem tempo livre para planejamento e aperfeiçoamento, salários sem reajuste, dentre tantas outras carências que acabam por conduzir a mais uma tragédia anunciada. Desta vez, felizmente, não consumada.

Incidentes como este do Colégio Municipal Profª América Abdalla vêm se repetindo de várias formas nos últimos anos. O nível de estresse dos profissionais que trabalham nas escolas municipais chegou a um ponto nunca visto em nossa categoria. O professor de uma escola municipal de Rio das Ostras, no seu dia-a-dia de trabalho, convive com turmas superlotadas; se aflige com a falta de uma política pedagógica coerente por parte da SEMED, mudada a cada ano sem uma discussão aprofundada com a comunidade escolar. Contribui também para a crise da educação municipal a falta crônica de infraestrutura nas escolas e a terceirização dos serviços.

O quadro é ainda pior, se levarmos em conta a carga horária realizada em Rio das Ostras, sendo hoje uma das maiores em todo estado. O que obriga os professores a terem que trabalhar em duas e, não raro, até três escolas por dia. A prova disso é que a SEMED, para maquiar a falta de professores na rede, permite que um professor não só exerça sua matrícula na escola de origem, como trabalhe em mais duas outras, fazendo o que a categoria chama de “dobradinhas”. Com isso, um professor chega a dar 60 horas semanais de aula para cerca de 500 alunos!

E a Prefeitura e a Secretaria de Educação querem dizer que a educação “vai bem, muito obrigado!”.

Infelizmente, é o que ocorre em nossas escolas: uma categoria estressada, doente, desmotivada e pronta para abandonar a profissão.

Neste sentido, o SEPE, que completou 35 anos de lutas neste ano, vem reafirmar seus princípios em defesa da escola pública gratuita, democrática, laica, universal e de qualidade social. Desde sempre.

O SEPE somos nós, nossa força e nossa voz!
Direção do SEPE Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Fonte: SEPE

 

Comentários desativados em O Grito dos Excluídos no desfile de 7 de setembro em Rio das Ostras: Professores das redes públicas participaram do ATO

Nota de rodapé para o Cinema Popular Brasileiro

LB

Quem conseguiu ler o post do João Rocha (ele não é meu amigo) no grupo Macaé Cine? Ele cita meu nome e eu fui excluída desse grupo. Rúben Pereira tá aqui lendo essa postagem do meu lado e os caras me excluíram em função da grita que dei semana passada, depois de tentar diálogo centenas de vezes via mensagem fechada com a Thalita, organizadora do projeto, e não obter êxito.

Era pra ser um post, mais um, quem sabe não seria levada a mais um bate bola, ops, bate boca desnecessário nesta rede…

Desnecessário, vírgula!

Aliás, pra quem só lê minhas gritas virtuais e não sabe o que há por trás delas, fique esperto e deixe de ser malicioso(a), pois estas só chegam pro universo virtual aberto, público, depois de eu ter tentado de todas as formas possíveis e imaginárias o diálogo amistoso e saudável, produtivo para todos, e isso é razoável para uma jornalista, que, como todos aqui (todos não afirmaria… tem muita gente perdida na rede ainda, e como tem!!!), tenho, e muito, o que fazer nesta encarnação além de tentar buscar o diálogo com o mundo pelas redes sociais esquizofrênicas…

Netqueta não existe! Essa moda no Brasil de não expor as pessoas pela rede é inviável com o que a rede se propõe a ser! Tem que expor mesmo! O cara luta anos pela lei da transparência no Brasil e no Facebook não admite que os antiéticos sejam revelados e expostos em suas entranhas! Que lógica tem isso? Muita demagogia, sabe. O povo tem o que merece…

E cá pra nós, povo brasileiro, aqui no Brasil ninguém ainda sabe usar a rede dentro de toda a sua potencialidade, não é mesmo? Tem muita gente só apertando enter por aí… e apertando onde não era pra apertar!

Sobre o tal rapaz João Rocha que preferiu falar de mim por traz, excluindo-me de seu grupinho fechado no facebook e na vida real (srsrssr) e sobre seu ‘({[projeto de cinema]}’, o que eu penso a respeito – ainda que ele não tenha me perguntado diretamente e tenha preferido expor o que pensa sobre mim e seu projetinho apenas para seu grupo fechado no face… (srsrsr) -, é que ele não entende realmente o que é e como funciona a cadeia produtiva do cinema, como funciona essa cadeia aqui no Brasil, como funciona essa mesma cadeia nos grotões onde ainda não existe cinema e como funciona essa cadeia nas cidades emergentes onde predominam as salas comerciais.

No meu entendimento ele está brincando de fazer exibição de cinema, e isso é sério pra caramba porque diz respeito exatamente a uma discussão que vem sendo travada há décadas no cinema brasileiro por quem faz a política pública no setor. E ainda que seja enfadonha a indagação: Que cinema queremos? Será que esse rapaz sabe responder isto?

E ele pessoalmente em sua mostra, que quer ele com este cinema? Um festival megalômico, que não deveria atender a um desejo privado, mas sim fundamentar-se no caráter de utilidade pública. O problema é que neste projeto acontece justamente o inverso. O que seus produtores argumentam e tomam como a maior justificativa para  a manutenção do projeto na cidade, não é o clamor dos cinéfilos locais, pois nem isso o cineclube Macaba Doce, que existe há três anos em Macaé, conseguiu criar no cenário dada sua inércia fatal… Eles não tem sequer um público fiel, um público que dissesse: sim, queremos esta mostra em Macaé, pois ela é necessária para a cidade, nela nós nos vemos, com ela nos identificamos! Não. Nesse projeto do João Rocha e amigos, fica clara que a proposta do autor é a autopromoção – haja vista os troféus idênticos aos do Oscar estadunidense e do tapete vermelho colocado na porta do Solar dos Mello, durante a mostra no ano passado, a primeira edição do projeto.

Isso é extremamente sério na medida em que há uma turma que apóia o surgimento de uma mostra em qualquer esquina do Brasil, atualmente. São escolas diferentes. Eu penso mais antes, prefiro me associar a um projeto já existente antes de ousar lançar outro igualzinho em paralelo quase que pra disputar público, um público que, diga-se em negrito, ainda precisa muito ser educado para assistir cinema… Os caras acham bom ter uma mostra em qualquer esquina, mas não oferecem estrutura para isso. Refiro-me ao Estado, aos modelos vigentes de financiamento e ‘apoio’ para estes projetos. Então isso é um dos pontos de um grande debate no setor… só esclarecendo quem dá pitaco sem saber que a coisa tem uma dinâmica outra…

Geralmente essas mostras não geram empregabilidade e não têm sustentabilidade financeira, seus proponentes não têm relações mais consolidadas com os locais onde fazem essas mostras, mas pro relatório que a ANCINE redige no fim do ano, esses cara são bons porque entram pra cadeia e ajudam a criar um falso índice a respeito do cinema nacional e sua cadeia produtiva.

Hoje, no Brasil, a maioria das aferições que a ANCINE faz para a coleta de dados e por fim, a criação de relatórios e índices a respeito do desenvolvimento da indústria são bastante questionáveis, ainda que exista em paralelo e em contraste com isto que afirmei, dentro mesmo do corpo desta agência reguladora, pessoas sérias tentando trabalhar honestamente.

Voltando a grita (a minha), e ao fato de o tal João Rocha ter me excluído de seu grupinho…  ainda tem quem diga que esse povo é do bem… dúvidas? A cada segundo tenho certeza de que não há alguma… quanto mais for expurgada por pessoas como essas, mais perto do que tanto busco encontrar estarei. Quem age comigo desta maneira, ou seja, repelindo-me, livra-me de sua companhia aduladora e medíocre.

Infelizmente Rubinho disse que não vai comentar o post pra não pegar mal pra ele. Agora veja, o cara fala tanto em cultura, defende tanto a cultura e quando tem que abrir a boca, prefere se calar… realmente devo estar tentando diálogo com quem não quer dialogar comigo.

Mas de tudo sempre fica uma mensagem, ainda que secreta dentro de nós…

Por fim, gostei de saber que esses anos todos trabalhando em prol do acesso das populações mais carentes à cultura, à educação, à arte, à comunicação e por fim, ao cinema brasileiro não foram em vão. Ajudaram a iluminar suas mentes e fizeram com que compreendessem que para abrir qualquer pauta sobre o assunto ‘exibição de cinema’, seja em Rio das Ostras, Macaé… região, uma notinha de ropapé a Leonor Bianchi e ao seu Cinema Popular Brasileiro vocês não tem como não dar, ainda que secretamente, entre vocês mesmos.

Humildade é para os sábios, não um dom que todos podem lançar mão.

Obrigada pela nota de rodapé que eu mesma não li… para o bem ou para mal. Para além do bem e do mal estou eu desta lógica binária grega, arcaica. Prefiro o devir no meio do caminho, a sinapse no discurso, um lapso no pensamento…

Comentários desativados em Nota de rodapé para o Cinema Popular Brasileiro

Em Macaé grafite é arte tratada por marginais como atitude marginal

Posted in Articulistas, Cidadania, Macaé, Matheus Thomaz by ImprensaBR on 21/08/2012

Por Matheus Thomaz*

Na última semana de julho, aconteceu em Macaé o 2º Encontro Kolirius Internacional de Grafite. O encontro reuniu artistas grafiteiros de algumas partes do mundo e do Brasil. O evento foi, conforme consta no material de divulgação, realizado pela prefeitura municipal. Teve ampla cobertura da imprensa e das TV’s locais. Acredito que uma das finalidades de se realizar um evento como esse na cidade seria impulsionar a atividade localmente.

O Grafite ganhou força no início dos anos 1970 com movimentos tanto na Europa quanto nos EUA. No Velho Mundo, foi impulsionado pelo movimento do Maio Francês de 1968, onde a juventude se expressava com citações poéticas e políticas. Já nos Estados Unidos vem do gueto negro e chicano e com muita influência do Hip-Hop. Em ambos os casos são gritos contra opressões e violências, por isso o grafite exprime uma crítica. Além desse contexto social, têm um simbolismo de dar vida lugares da cidade antes mortos pela urbanização. É uma arte que possui uma beleza lúdica, com cores vivas e revolucionárias.

Macaé é um município que cresce de forma acelerada e desordenada com uma industrialização forte nos últimos anos. Passou de uma região praticamente rural no final da década de setenta para um pólo da indústria do petróleo, concentra a maior parte da produção nacional e apresenta cada vez mais sinais das contradições no bojo dessa transformação: pobreza aparente, violência e muitos novos ricos. Os royalties do petróleo transformaram a cidade. Que padece com uma especulação imobiliária feroz que movimenta milhões na cidade de belas praias.

E foi aqui, nesse contexto e cenário que se reuniram artistas grafiteiros do mundo e do Brasil. O Evento aconteceu na periferia da cidade em muros vizinhos ao Batalhão de Polícia e foi realizado pela prefeitura municipal. Ilustrado, o poder público impulsionando uma atividade crítica e reflexiva da juventude de viés transgressor e perspectiva transformadora, mas algum significado há de ter essa realização tão próxima à sede da polícia militar.

E agora a tragédia, em menos de duas semanas um grafiteiro, Yuri Alves Neves, jovem de 22 anos é morto com um tiro pelas costas durante tentativa de grafitar um imóvel abandonado no outro lado da cidade, em uma das regiões mais valorizadas pelo mercado imobiliário macaense. Foi uma legítima tentativa de dar vida a uma casa abandonada que terminou em morte pela estupidez armada.

Mas como é possível existir, num local cujo m² é dos mais caros de Macaé, casas abandonadas que transformam uma cidade de belas paisagens naturais em fotografias sombrias de abandonos lucrativos.  Essa casa provavelmente deve ter um dono, cuja principal serventia é ter seu valor especulado para se conseguir uma boa grana, para esse dono, e depois de vendida. Quando inventadas pelo homem a habitação tinha no principal sentido de sua realização de existência ter alguém morando dentro dela. Reinterpretada pelo capitalismo se fez normal deixá-la vazia, abandonada, até que atinja um bom preço e se torne uma oportunidade de negócio. Processo também conhecido como especulação imobiliária.

E assim mais um jovem entrou para as estatísticas de violência. É preciso que haja investigação séria sobre a autoria do delito, nossa justiça seletiva não pode deixar impune isso. Uma vez que a suspeição da autoria do crime recai sobre um perfil de cidadão, pertencente a uma classe social que não costuma sofrer condenações e punições da justiça brasileira. Um tiro pelas costas não sugere qualquer tipo de enfrentamento. Certamente se ouvirá das vozes do senso comum típico da aspirante a burguesa classe média conservadora brasileira que pensaram se tratar de um bandido. O que não dá nenhuma autorização a nenhum cidadão de atirar e executar outro, conforme sabido por todos não há pena de morte no Brasil.

A cidade de Macaé precisa mais da vida colorida, pulsante e revolucionária da arte urbana do grafite, do que do aspecto sombrio de casas e terrenos abandonados ao léu, mas protegidos de perto por armas mortais.

*Matheus Thomaz é assistente social e articulista do jornal O Polifônico desde sua fundação, em 2009.

Comentários desativados em Em Macaé grafite é arte tratada por marginais como atitude marginal

Mostra de Cinema em Rio das Ostras recebe inscrições até setembro

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, Região, TV O Polifônico, Videofonia by ImprensaBR on 15/08/2012

Este ano o tema da Mostra Cinema Popular Brasileiro são as ‘Primaveras Audiovisuais’

[videolog 805671]

Para aonde e porquê marcha a humanidade?

LB

Quem já participou ou participa de algum movimento social ou partido político, provavelmente, já se perguntou sobre o que é capaz de mobilizar as pessoas. Ao mesmo tempo em que a resposta parece escorregadia se mostra bastante palpável em alguns eventos que têm sido amplamente noticiados. No Brasil e no mundo se fala de marcha da maconha, marcha contra as drogas, marcha de Jesus, enfim, eventos que têm mobilizado uma quantidade significativa de pessoas.

Entre março e abril de 1930, Mahatma Ghandi e vários de seus discípulos iniciam uma marcha de protesto contra o domínio britânico na Índia. Naquele contexto, a metrópole britânica havia obrigado a Índia, sua colônia, a comprar bens manufaturados apenas do Reino Unido, proibindo os indianos inclusive de extrair sal em seu país. A marcha durou 25 dias, tinha cerca de 400 quilômetros do interior em direção ao litoral e o grupo parava de cidade em cidade para descansar, de maneira que conquistavam cada vez mais adeptos. Em 6 de abril, junto com cerca de 50 mil indianos, Gandhi foi preso, o que não impediu que a marcha chegasse a seu destino nas salinas em direção a Bombaim.

Antes disso, no Brasil, a Coluna Miguel Costa Prestes, mais conhecida como Coluna Prestes, foi um movimento liderado por militares, que faziam oposição à Republica Velha e às classes dominantes da época. Teve início em abril de 1925, no governo de Artur Bernardes (1922-1926).

No início da década de 1920, o Brasil vivia sob o domínio das oligarquias rurais e setores médios urbanos, como os militares, por exemplo, que começaram a questionar este poder e a pressionar por mais investimentos nas forças armadas.

O primeiro levante militar ocorreu no Rio de Janeiro, em 1924. Liderado pelos tenentes do exército, ficou conhecido como Tenentismo. surgiu uma nova rebelião, desta vez em São Paulo. Depois de muitos combates contra as tropas fiéis ao governo, os revoltosos se refugiaram no interior do Estado.

Enquanto isso, Luis Carlos Prestes, também militar, organizava outro grupo no Rio Grande do Sul. Em abril de 1925; as duas frentes de oposição: a Paulista liderada por Miguel Costa, e a Gaúcha, por Prestes, uniram-se em Foz do Iguaçu e partiram para uma caminhada pelo Brasil.

Com aproximadamente mil e quinhentos homens, a Coluna Prestes percorreu 25.000 quilômetros. Durante dois anos e meio atravessou 11 estados. Do sul, o grupo rumou para centro-oeste do país, percorreu o nordeste, até o estado do Maranhão. Na volta, os combatentes refizeram o caminho, até chegar à fronteira com Bolívia.

Nas cidades por onde passava, a Coluna Prestes despertava apoio da população e a atenção dos coronéis, que também eram alvo das críticas do movimento. Sempre vigiados por soldados do governo, os revoltosos evitavam confrontos diretos com as tropas, por meio de táticas de guerrilha.

Por meio de comícios e manifestos, a Coluna denunciava à população a situação política e social do país num ato quixotesco de Prestes. Quixotesco, mas qual visionário não seria um Don Quixote? Com sua marcha, a Coluna ajudou a abrir os caminhos para a Revolução de 30, enfraquecendo ainda mais o já fragilizado  sistema oligárquico vigente.

Luís Carlos Prestes tornou-se o ícone desta Marcha e ficou conhecido como “O cavaleiro da esperança”. Ele não foi o principal líder da Coluna. Quem tomou a frente do percurso foi Miguel Costa. Mas Prestes era o idealizador, aquele que alimentava o sentimento de liberdade política, voto secreto e justiça social.

Ainda no Brasil, em 1964, o Presidente João Goulart anunciou suas reformas de base. Em resposta, um movimento denominado Marcha da Família com Deus pela Propriedade conseguiu mobilizar cerca de 300 mil pessoas em repúdio a Goulart e suas reformas. A mobilização surpreendeu e sinalizou aos militares brasileiros que uma fração significativa da população era avessa às políticas de Goulart. Cientes do apoio da classe média e pressionados pelo governo estadunidense, os militares promovem um golpe de estado que lhes dão o comando das rédeas da nação até 1985. O Brasil passa a ser governado através de Atos Institucionais. Nossos avós e pais viveram um período em que valores democráticos, como a liberdade de expressão e participação política foram absolutamente cerceados. Pessoas foram mortas e muitas famílias desconhecem até hoje o destino que tiveram seu parentes, filhos, irmãos senão silenciados nos porões da Ditadura Militar.

No final da década de 1970, tem inicio um lento processo de redemocratização. Nos dias 10 e 16 de abril de 1984 os opositores do regime mobilizam uma enorme massa populacional, integrada também pela mesma classe média que serviu de base para os militares em 1964. Primeiro na Praça da Candelária, no Rio, depois na Praça do Anhangabaú, em São Paulo, são mobilizadas cerca de um milhão de pessoas. É o movimento das “Diretas Já”. Em 1985 a eleição presidencial não foi direta. Foi eleito por voto indireto Tancredo Neves, assumindo a presidência José Sarney, já que Tancredo faleceu antes de tomar posse. Ambos políticos chancelados pelos militares.

No início de 2011, um protesto chamado “marcha das vadias” se espalhou de Toronto, no Canadá, para outras capitais mundiais como um viral. A causa inicial teria sido o fato de um policial ter dito que as mulheres, na Universidade de Toronto, não deviam se vestir como vadias para evitar os estupros no campus.

Em 1987 teve início em Londres a “Marcha de Jesus”, que chegou ao Brasil e hoje coloca em marcha mais de sete milhões de fiéis.

A Primavera Árabe e a Marcha dos Indignados

André Gregório

O ocidente criou para si uma imagem tão forte de ter alcançado democracia perfeita que perdeu por completo a capacidade da autocrítica. No momento que o mundo árabe se rebelou contra seus governantes autoritários e conservadores, através de protestos e até mesmo luta armada, todos os países ocidentais se manifestaram a favor da luta do povo árabe pela liberdade e pelos seus direitos. O ocidente deu até mesmo um nome à essa luta: a Primavera Árabe. No primeiro momento uma atitude nobre por parte do ocidente. Alguns países até se uniram para apoiar a luta do povo líbio contra seu líder.

Alguns meses depois, os representantes dos governos ocidentais vêem o mesmo acontecer em seu próprio quintal. Com protestos na Inglaterra, nos Estados Unidos (Washington, Boston, Chicago, Los Angeles, Miami), no Canadá, Espanha, França, Itália entre outros, a Marcha dos Indignados dá forma de protesto ao grito por liberdade e direitos do povo ocidental. E os mesmos representantes que deram armas à luta pela liberdade do povo árabe , viraram as mesmas armas contra a luta de “seu” próprio povo. Calaram o direito do seu próprio povo de contestar e transformar. Assim como fizeram e estão fazendo os tão criticados líderes árabes.

Sem entrar muito no mérito ideológico, cabe ao ocidente perceber que está longe do ideal. Cabe ao ocidente perceber que a evolução social de cada cultura se da a partir dela mesma, e não imposta por uma cultura que se considera superior sem sequer notar que está ruindo de dentro pra fora; apodrecendo.

Primaveras audiovisuais

LB

Temos acompanhado a crescente adesão da juventude nas redes sociais através da Internet e o crescimento, nos últimos anos, de uma série de atos e mobilizações sociais marcadas pela grande rede de comunicação. Ao sair do espaço das redes virtuais e chegar às ruas, os movimentos sociais ganharam força e popularidade, e com eles muitos registros dessas ações cívicas vêm sendo realizados Brasil à dentro.

Um dos temas abordados pelos novos cineastas, documentaristas, são as manifestações sociais, as populações insatisfeitas nas ruas exigindo mudanças de governo, de leis, de sistemas econômicos.

A 9ª Mostra Cinema Popular Brasileiro, querendo dar visibilidade a produções audiovisuais e cinematográficas que tiveram origem em algum manifesto popular.

Pretendemos lançar uma reflexão sobre a democratização das novas mídias digitais no Brasil, a maior capacidade de acesso da juventude aos novos suportes de captação de imagem, e a difusão audiovisual no cenário das mobilizações sociais.

O fato de termos estabelecido este tema não significa que apenas filmes relacionados a ele possam participar da Mostra. O tema é uma inspiração, não deve ser restritivo.

Comentários desativados em Mostra de Cinema em Rio das Ostras recebe inscrições até setembro

Senado toma decisão histórica em defesa do Jornalismo

A FENAJ e seus 31 sindicatos filiados vêm a público agradecer aos 60 senadores brasileiros que, no início da noite de hoje, aprovaram em 2º turno a PEC 33/09, que restabelece a exigência do diploma de curso superior em Jornalismo como condição para o exercício profissional. O Senado, absolutamente sintonizado com a opinião pública e com a categoria dos jornalistas, deu um passo fundamental para a correção de uma decisão obscurantista do STF, que eliminou a exigência do diploma para acesso à profissão. Os jornalistas e a sociedade brasileira agradecem este ato em defesa do Jornalismo.

A FENAJ agradece especialmente ao senador Antônio Carlos Valadares, autor da PEC 33, ao senador Inácio Arruda, que fez a relatoria da matéria, e à senadora Lídice da Mata, que cobrou daqueles que buscavam protelar a apreciação da proposta o compromisso público, assumido há meses, de votá-la. Eles foram incansáveis na defesa da PEC, demonstrando uma compreensão singular da importância do Jornalismo nas sociedades democráticas e do papel do profissional jornalista. Igualmente, agradecemos ao presidente da sessão desta terça-feira, senador Casildo Maldaner, e aos líderes partidários que colocaram a votação da PEC33 entre as prioridades da casa. Também agradecemos a todos os senadores que apoiaram a proposta e que se empenharam pela sua aprovação.

A exigência da formação superior em Jornalismo é uma conquista histórica dos jornalistas e da sociedade. Depois de 1969, quando foi instituída, esta exigência contribuiu decisivamente para modificar a qualidade do Jornalismo brasileiro, representando uma das garantias ao direito à informação independente e plural, condição indispensável para a verdadeira democracia.

O diploma de jornalista foi derrubado da nossa legislação profissional por decisão do STF em 17 de junho de 2009 que permitiu que qualquer cidadão, sem qualquer formação, possa exercer esta profissão de grande responsabilidade social. A decisão da maior corte de Justiça representou um retrocesso não somente para a categoria dos jornalistas, mas para toda a sociedade brasileira, que perde com a desqualificação do Jornalismo.

O Congresso Nacional respondeu de pronto a este processo de judicialização da vida nacional, de caráter nitidamente conservador. No mesmo ano de 2009, foram apresentadas duas PECs restabelecendo a exigência do diploma para o exercício profissional.

Hoje, após a aprovação da PEC 33 no Senado, a categoria e a sociedade voltam suas atenções para a Câmara dos Deputados, que terá de apreciar a PEC 33 em conjunto com a PEC 386, de autoria do deputado Paulo Pimenta e relatoria do deputado Maurício Rands. Ambas têm o mesmo propósito: resgatar a dignidade dos jornalistas brasileiros e contribuir para a garantia do jornalismo de qualidade.

O momento é de comemoração da grande vitória, mas a mobilização dos jornalistas brasileiros, organizada pela FENAJ e pelos Sindicatos de Jornalistas de todo o país, apoiada por entidades do campo do Jornalismo como o Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) e a Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), e respalda pela energia contagiante de estudantes de Jornalismo que engajaram-se em manifestações desde a fatídica decisão do STF em 2009 até a vigília no Senado nesta sexta-feira, vai continuar para que a PEC seja aprovada em tempo recorde na Câmara dos Deputados.

A vitória é nossa e a fazem os que lutam!

Diretoria da FENAJ e Sindicatos de Jornalistas do Brasil.

Brasília, 7 de agosto de 2012.

Fonte:SJPMRJ

Comentários desativados em Senado toma decisão histórica em defesa do Jornalismo

%d blogueiros gostam disto: