!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Em Rio das Ostras cinco urnas já foram apuradas

Posted in Cidade, Eleições 2012 by ImprensaBR on 07/10/2012

Leonor Bianchi

Resultados do TSE apontam o candidato Sabino, do PSC, com 75,81 % dos votos, Zezinho Salvador (PSDC) com 20,37%, Dr. Castro (PR) com 1,32%, Lena (Psol) também com 1,32 % e Elisangela Broder com 1,18 (PTN).

Foram apuradas cinco urnas do total de 184. Rio das Ostras tem 71.538 eleitores.

Dos 1801 votos apurados, 3 foram em branco, 60 nulos, 345 abstenções, fazendo com que deste universo de 1901 votos apurados, apenas 1456 são válidos. Foram todos votos nominais, nenhum foi voto para a legenda.

http://divulga.tse.jus.br/oficial/index.html

 

 

 

Comentários desativados em Em Rio das Ostras cinco urnas já foram apuradas

Cineclube Cinemofônico deste domingo de eleições apresenta: Vocação do Poder, de Eduardo Escorel e José Joffily

Posted in Cidade, Cineclube Cinemofônico, Eleições 2012 by ImprensaBR on 07/10/2012

O documentário Vocação do Poder, de Eduardo Escorel e José Joffily, é uma espécie de Big Brother Brasil misturado com horário político.

O filme, rodado no Rio de Janeiro durante as eleições municipais de 2004, acompanha o dia-a-dia de seis candidatos a vereador de primeira viagem, desde as convenções partidárias até a apuração das urnas e o resultado das eleições.

O resultado é um interessante painel político e sociológico – e mesmo psicológico – do Brasil. Claro que não é possível tomar essa amostra como um todo. Mas no universo delimitado pelos cineastas, Vocação do Poder faz uma leitura às vezes perturbadora do processo político nacional.

São seis candidatos às vagas de vereador da cidade, todos concorrendo pela primeira vez. Antonio Pedro é um empresário que já teve cargos públicos. Carlo Caiado, estudante de administração, começou na política como assessor de um deputado estadual. André Luiz Filho é filho de uma deputada estadual e de um ex-deputado federal, cujo mandato foi cassado depois que o filme já estava pronto.

Já a pastora Márcia Teixeira busca seus votos entre os membros de seu Projeto Vida Nova, que tem mais de 50 igrejas no Brasil e exterior. MC Geléia é compositor de rap e produtor musical que tenta conquistar seus eleitores na periferia. E, por fim, o advogado e professor universitário Felipe Santa Cruz, que atuou por muitos anos na política estudantil.

Os seis personagens do filme foram selecionados por meio de uma pesquisa na Internet, na qual os interessados em participar do documentário responderam perguntas sobre orientação política, partidária e condições da campanha.

Com cerca de 70 questionários respondidos, os cineastas buscaram selecionar pessoas de diferentes partidos e áreas de atuação na cidade.

Vocação do Poder acompanha o trabalho dos candidatos selecionados, como suas táticas de abordagem aos eleitores na rua, seus programas de TV e sua vida social e familiar.

Os documentaristas buscam a maior imparcialidade possível para compor um retrato de quem são e como agem os candidatos. Assim, também mapeiam a condição socioeconômica do Rio. Os candidatos praticamente nunca se encontram em cena e a platéia tem o privilégio de observar várias facetas do jogo político.

Um exemplo disso é a oposição quase completa que existe nas campanhas de André Luiz e MC Geléia. O primeiro, vindo de uma família que tem tradição na política e verba para campanha, é capaz de fazer uma megacarreata, encher a cidade de cartazes e outdoors.

Enquanto isso, o outro candidato raramente tem chance de ir além do corpo-a-corpo com o eleitor na região onde mora. O resultado disso se mostra claramente nas urnas.

Texto: Terra

Comentários desativados em Cineclube Cinemofônico deste domingo de eleições apresenta: Vocação do Poder, de Eduardo Escorel e José Joffily

Hemeroteca Digital de Rio das Ostras e Memória da Imprensa Regional encontram citação mais antiga feita a Rio das Ostras em um livro impresso no Brasil

Por Leonor Bianchi

Informação valiosa! Encontrei a citação mais antiga feita a Rio das Ostras num livro impresso no Brasil. Foi em 1834. O Volume: Annaes do Rio de Janeiro, escrito por Balthazar da Silva Barbosa. Pérola rara para quem estuda a história de Rio das Ostras.

NUNCA vi citação alguma em nenhum livro sobre a cidade escrito por pesquisadores de sua história revelando este fato, ou seja, Rio das Ostras já aparecer nos Annaes do Rio de Janeiro escrito pelo referente escritor. Não vi porque ninguém nunca fez essa citação, nunca ninguém foi tão fundo na pesquisa sobre a cidade e a imprensa brasileira. Posso considerar-me pioneira na ‘descoberta’ e vocês, meus leitores, considerem-se pessoas de sorte, pois estão tendo acesso a um dado inédito e em primeira mão. Leonor Bianchi, O Polifônico e os Projetos Memória da Imprensa Regional e Hemeroteca Digital de Rio das Ostras fazendo história em Rio das Ostras… Mais informações a respeito do conteúdo desta citação feita por Balthazar Lisboa a Rio das Ostras nos ANNAES do RIO DE JANEIRO, em 1834… em breve. Por enquanto posso dizer que o cara que fez a citação a Rio das Ostras, o Balthazar Lisboa, é considerado o primeiro ambientalista brasileiro. O motivo eu conto num outro momento…

Comentários desativados em Hemeroteca Digital de Rio das Ostras e Memória da Imprensa Regional encontram citação mais antiga feita a Rio das Ostras em um livro impresso no Brasil

Irregularidades marcaram campanha eleitoral em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Editorial, Eleições 2012, Notas, Política, TV O Polifônico by ImprensaBR on 03/10/2012

Chegamos na reta final da campanha eleitoral no município de Rio das Ostras e o que vimos foi uma campanha rasa, feia, suja e completamente irregular. TODOS os candidatos ao cargo de prefeito largaram suas placas nas ruas da cidade em plena luz do dia. Candidatos ao Legislativo também incidiram na irregularidade e abandonaram seus materiais de campanha por aí…

 

Comentários desativados em Irregularidades marcaram campanha eleitoral em Rio das Ostras

Mostra de Cinema de Rio das Ostras apresentará filmes selecionados no próximo final de semana

Posted in Cidade, Cultura, Macaé, Videofonia by ImprensaBR on 02/10/2012

Por LB

A equipe de produção da 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro, que acontece em Rio das Ostras, Macaé, Nova Friburgo e através da Internet em novembro próximo está na reta final da seleção das obras inscritas para a edição 2013.

Este ano a Mostra recebeu mais de 700 filmes de todas as regiões do Brasil. Destes, a Curadoria escolherá aproximadamente 60 para serem exibidos este ano. São produções que infelizmente não chegam às salas de cinema e que, através da mostra, o público dessas três cidades tem a oportunidade de conhecer.

Este ano a Mostra Cinema Popular Brasileiro inova e leva as exibições dos filmes para o ambiente virtual. Sim, a Mostra Cinema Popular Brasileiro acontecerá também pela Internet e o público ajudará a escolher os três melhores filmes da mesma. Os três vencedores ganharão a tradução de suas obras para o inglês pela empresa BVaz Idiomas, parceira da Mostra Cinema Popular Brasileiro.

Se você inscreveu seu filme na Mostra, fique atento; no próximo sábado os selecionados serão divulgados no site do projeto: http://www.mostracinemapopularbrasileiro.wordpress.com

A 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro é uma produção do jornal O Polifônico com apoio cultural da Associação Cultural Rio das Artes (ACRA).

Além da BVaz Idiomas, é parceiro da 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro a plataforma Videolog.

Comentários desativados em Mostra de Cinema de Rio das Ostras apresentará filmes selecionados no próximo final de semana

E-mail do Leitor

Posted in Cidade, E-mails do Leitor, Observatório da Imprensa Local by ImprensaBR on 29/09/2012

O Polifônico cobriu uma pauta que a imprensa riostrense parece ter apagado: o VI Concurso Público de Rio das Ostras. Recentemente, pessoas que prestaram o VI Concurso Público de Rio das Ostras estiveram na cidade em um ato-manifesto pedindo que o concurso seja validado.

Muitos leitores d’O Polifônico enviaram mensagens pedindo empenho da imprensa na cobertura dos desdobramentos do caso, que parece ter sido esquecido pelor órgãos de comunicação.

Onde está a imprensa riostrense nesta hora?

No Youtube o nível do debate entre as pessoas que viram o vídeos não é dos mais altos, por isso ainda não me animei a fazer uma espécie de mediação. Veja mais:

Abaixo, a mensagem do leitor Bruno Soares.

Boa Tarde,

Ao ler a matéria sobra a manifestação dos aprovados no VI Concurso da Prefeitura de Rio das Ostras senti a necessidade de manifestar minha indignação sobre esta lamentável situação que se encontra todos os participantes deste concurso.

Meu sonho é morar em Rio das Ostras. Hoje moro no Rio de Janeiro. Ao ficar ciente do edital do concurso , iniciei minha longa jornada de estudos a fim de conquistar a tão sonhada vaga e poder residir na cidade que adoro que é Rio das Ostras. Tanto esforço valeu a pena : fui aprovado . Todos da minha família foram testemunhas da minha alegria desta tão sonhada aprovação. Pois bem , já estava procurando um lugar para residir.  Qual foi minha surpresa e indignação ao ficar ciente do anúncio , por ora não oficial , mas adiante se tornou fato, da suspensão deste concurso.  Parecia algo inacreditável.

Imaginem tantas outras pessoas aprovadas, assim como eu, sentiram e ainda sentem os efeitos desta situção. Quantas pessoas , que vieram de outros estados, estão sentindo e que foram aprovados também, na expectativa de morar numa cidade linda e com estabilidade profissional. Será que eu, assim como todas estas pessoas, que fizeram a prova e passaram da forma mais gratificante: por mérito, não merecem serem nomeadas para o cargo preterido?

E a Justiça para estas pessoas ? Punição é para os infratores, anulação da prova é para quem burlou a prova (como previsto no edital) e não para os inocentes
que fizeram a prova de forma honesta  e foram aprovados.

Afinal a Justiça é cega para todos: inocentes e culpados ???  Todos  considerados inocentes e culpados são iguais perante a Lei?

Peço que os órgãos de imprensa  cobrem das autoridades Justiça ! Vejamos o exemplo que o Supremo Tribunal Federal está dando para a sociedade em relação ao Julgamento do Mensalão: houve pessoas absolvidas , outras consideras culpadas e outras sendo ainda julgadas.

Atenciosamente,

Bruno Soares

Comentários desativados em E-mail do Leitor

Exclusivo n’O Polifônico: Candidatos ao VI Concurso Púbico de Rio das Ostras fazem manifestação pedindo validação do mesmo

Posted in Cidadania, Cidade, Denúncia, Notas, TV O Polifônico by ImprensaBR on 21/09/2012

Muitas pessoas que fizeram o VI concurso público de Rio das Ostras, suspenso pelo Ministério Público em função de uma série de irregularidade em sua organização, fizeram uma manifestação pacífica nas ruas de Rio das Ostras, nesta sexta-feira pedindo a validação do concurso. Veja o vídeo.

Comentários desativados em Exclusivo n’O Polifônico: Candidatos ao VI Concurso Púbico de Rio das Ostras fazem manifestação pedindo validação do mesmo

Rio das Ostras terá uma Hemeroteca Digital: Projeto desenvolvido pelo jornal O Polifônico é pioneiro na imprensa norte fluminense

Estou desenvolvendo um trabalho lindo e necessário.

Bem, eu acho que seja…

É a criação de uma Hemeroteca Digital para disponibilizar tudo o que a imprensa brasileira já publicou sobre a cidade de Rio das Ostras desde os mais remotos tempos da imprensa no Brasil.

O projeto é ousado e ainda corre na base da vontade de fazer, ou seja, sem patrocínio.

Nesta postagem, disponibilizo um pouquinho da pesquisa que estou fazendo na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, cuja catalogação já está concluída.

Na foto da página do Correio da Manhã (editado de 1901 a 1974) vemos a primeira citação a Rio das Ostras feita pelo jornal. A data? Era dia 11 de setembro de 1926!!! Você nem imaginaria que isso pudesse ter acontecido, não… Rio das Ostras estar tão evidente na imprensa dos anos 20 do século XX. Mas esteve. E através deste projeto, estou trazendo toda essa história à tona.

E ainda dizem que Rio das Ostras começou a figurar no cenário nacional apenas em função do petróleo, há 20 anos.

Comentários desativados em Rio das Ostras terá uma Hemeroteca Digital: Projeto desenvolvido pelo jornal O Polifônico é pioneiro na imprensa norte fluminense

O Polifônico debate a gestão cultural em Rio das Ostras para os próximos 8 anos. Faça seu vídeo e envie para nós. Queremos saber que política cultural você quer para Rio das Ostras.

Comentários desativados em O Polifônico debate a gestão cultural em Rio das Ostras para os próximos 8 anos. Faça seu vídeo e envie para nós. Queremos saber que política cultural você quer para Rio das Ostras.

Desciclopédia Rio das Ostras

Posted in Cidade, Notas by ImprensaBR on 19/09/2012

Nunca imaginei que leria isso um dia… mas taí… bastante realista, preciso concordar e muito mais ainda discriminatório e elitista o conteúdo, mas infelizmente revela de maneira muito semelhante a cara da cidade…

Que vergonha, Rio das Ostras!

Que pena!

O que estão fazendo contigo?

http://desciclopedia.ws/wiki/Rio_das_Ostras

Comentários desativados em Desciclopédia Rio das Ostras

Você sabe o que é e como é calculado o quociente eleitoral?

Posted in Cidadania, Cidade, Eleições 2012 by ImprensaBR on 10/09/2012

Eleitor, é importante que você conheça um elemento importantíssimo no processo de contagem de votos durante as eleições chamado de ‘Quociente Eleitoral’. Em função deste mecanismo, nem sempre seu voto elege o candidato em quem você.

Para conhecer como funciona sistema de quociente eleitoral, postamos algumas informações valiosas para que você e não desperdice seu precioso voto no próximo dia 7.

Comentários desativados em Você sabe o que é e como é calculado o quociente eleitoral?

O Grito dos Excluídos no desfile de 7 de setembro em Rio das Ostras: Professores das redes públicas participaram do ATO

Posted in Cidadania, Cidade, Educação by ImprensaBR on 08/09/2012

Feriado de 7 de Setembro de 2012 em Rio das Ostras, dia da Independência do Brasil e do Grito dos Excluídos

Os professores de todas as escolas do município de Rio das Ostras apoiam a prof. Lúcia e fizeram questão de manifestar seu apoio no Grito dos Excluídos. Abaixo reproduzimos um excelente texto do nosso sindicato sobre o tema, do qual concordamos integralmente.

Nota Pública do Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu Conflito entre alunos em escola municipal de Rio das Ostras coloca às claras a precariedade da rede.

A Direção do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) – Núcleo Municipal de Rio das Ostras e Casimiro de Abreu torna público sua total solidariedade à comunidade do Colégio Municipal Profª América Abdalla quanto ao episódio ocorrido entre alunos em sala de aula, no último dia 28 de agosto. O SEPE repudia qualquer ato de violência nas escolas. Chamamos a atenção, no entanto, para a grave crise na rede municipal de educação de Rio das Ostras, que sofre com a falta de investimentos, condições de trabalho e saúde e valorização profissional.

O SEPE também manifesta seu total apoio aos profissionais de educação, em particular à professora envolvida, colocando o seu Departamento Jurídico à disposição no caso de qualquer tentativa de se colocar sobre a responsabilidade da escola e da professora as falhas e omissões que são das autoridades municipais.

Paradoxalmente, foi preciso um conflito de motivação banal, como anunciado, para que se colocasse à luz do dia a precariedade da rede de ensino de Rio das Ostras, cidade conhecida pelas suas fartas belezas naturais e royalties fartos.

No entanto, conforme tantas vezes denunciado em diversos fóruns, falta investimento na rede, concursos públicos são mal conduzidos, criam-se secretarias municipais espúrias, faltam professores e funcionários administrativos, ausência de política de construção de escolas e creches, salas superlotadas, carga horária de trabalho excessiva, professores sem tempo livre para planejamento e aperfeiçoamento, salários sem reajuste, dentre tantas outras carências que acabam por conduzir a mais uma tragédia anunciada. Desta vez, felizmente, não consumada.

Incidentes como este do Colégio Municipal Profª América Abdalla vêm se repetindo de várias formas nos últimos anos. O nível de estresse dos profissionais que trabalham nas escolas municipais chegou a um ponto nunca visto em nossa categoria. O professor de uma escola municipal de Rio das Ostras, no seu dia-a-dia de trabalho, convive com turmas superlotadas; se aflige com a falta de uma política pedagógica coerente por parte da SEMED, mudada a cada ano sem uma discussão aprofundada com a comunidade escolar. Contribui também para a crise da educação municipal a falta crônica de infraestrutura nas escolas e a terceirização dos serviços.

O quadro é ainda pior, se levarmos em conta a carga horária realizada em Rio das Ostras, sendo hoje uma das maiores em todo estado. O que obriga os professores a terem que trabalhar em duas e, não raro, até três escolas por dia. A prova disso é que a SEMED, para maquiar a falta de professores na rede, permite que um professor não só exerça sua matrícula na escola de origem, como trabalhe em mais duas outras, fazendo o que a categoria chama de “dobradinhas”. Com isso, um professor chega a dar 60 horas semanais de aula para cerca de 500 alunos!

E a Prefeitura e a Secretaria de Educação querem dizer que a educação “vai bem, muito obrigado!”.

Infelizmente, é o que ocorre em nossas escolas: uma categoria estressada, doente, desmotivada e pronta para abandonar a profissão.

Neste sentido, o SEPE, que completou 35 anos de lutas neste ano, vem reafirmar seus princípios em defesa da escola pública gratuita, democrática, laica, universal e de qualidade social. Desde sempre.

O SEPE somos nós, nossa força e nossa voz!
Direção do SEPE Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

Fonte: SEPE

 

Comentários desativados em O Grito dos Excluídos no desfile de 7 de setembro em Rio das Ostras: Professores das redes públicas participaram do ATO

Rápida entrevista com candidatos à Prefeitura de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Eleições 2012, Observatório da Imprensa Local by ImprensaBR on 06/09/2012

Os candidatos ao governo municipal de Rio das Ostras parecem se esconder dos eleitores. Timidamente aparecem algumas fotos de caminhadas vazias nas ruas de alguns bairros mais populosos na rede social Facebook, mas o eleitor não curte, tampouco compartilha. Nas ruas, muitas placas na região central da cidade, mas nada como já se viu em eleições anteriores em Rio das Ostras.

Hoje, a um mês das eleições, ainda há muita gente sem um candidato, e muita gente sem saber quem são os candidatos à Prefeitura de Rio das Ostras.

Por mais que os candidatos que aí estão não representem uma mudança real para a gestão de Rio das Ostras, é preciso definir o voto.

O Observatório da Imprensa Local aproveita a ocasião oportuna e divulga as entrevistas televisionadas hoje pelo SBT Cidade. Não se trata exatamente de uma entrevista, mas cada candidato respondeu duas perguntas feitas por duas moradores da cidade.

Essa rápida entrevista não dá clareza suficiente sobre as propostas de cada candidato, mas serve como mais um elemento que o eleitor pode ter para subsidiar suas impressões acerca dos candidatos e construir uma opinião sobre em quem deverá votar.

São 5 os candidatos à Prefeitura de Rio das Ostras nestas eleições:

Lena do Âncora – Psol

Zezinho Salvador – PSDC

Sabino – PCS

Eduardo Castro – PR

Elisangela Broder – PTN

Assista

<p><a href=”http://vimeo.com/48972069″>Enrevista com candidatos ao governo municipal de Rio das Ostras SBT 01</a> from <a href=”http://vimeo.com/user13361868″>O Polif&ocirc;nico</a> on <a href=”http://vimeo.com”>Vimeo</a&gt;.</p>

 

<p><a href=”http://vimeo.com/48962981″>Enrevista com candidatos ao governo municipal de Rio das Ostras SBT 02</a> from <a href=”http://vimeo.com/user13361868″>O Polif&ocirc;nico</a> on <a href=”http://vimeo.com”>Vimeo</a&gt;.</p>

Comentários desativados em Rápida entrevista com candidatos à Prefeitura de Rio das Ostras

9a Mostra Cinema Popular Brasileiro, em Rio das Ostras, recebe inscrições de filmes até 22 de setembro

Posted in Cidade, Cultura, Educação, Região, Videofonia by ImprensaBR on 04/09/2012

Projeto provilegia o cinema nacional independente e este ano acontecerá também pela Internet

A 9a edição da Mostra Cinema Popular Brasileiro está com isncrições abertas para recebimento de filmes até 22 de setembro. A mostra terá sessões competitivas e não competitivas, online e presenciais, na cidade de Rio das Ostras (RJ). Podem ser inscritos filmes de curta, média e longa-metragem.

Mostra dá destaque a produções regionais

A mostra permanece incentivando a exibição das produções locais e regionais através do Panorama Produções Regionais, que existe desde sua primeira edição. “Temos muita gente fazendo cinema aqui na região da Baixada Litorânea. Há cineclubes consolidados em Cabo Frio, Búzios, Araruama e Iguaba, por exemplo, que saíram da dinâmica das exibições seguidas de debates (apenas) e estão fazendo filmes também. Em Casimiro de Abreu há um grupo de jovens que já vive de cinema e até saiu do Brasil com um de seus filmes. Mas há uma vasta produção também em outras cidades vizinhas como Macaé, Conceição de Macabu, Trajano de Moraes, Cordeiro, Campos dos Goytacazes, entre outras. A Mostra Cinema Popular Brasileiro atua como uma janela para essas produções, como um momento inicial de apresentação dessas obras audiovisuais, como um momento de o realizador se encontrar com o público que está assistindo pela primeira vez seu filme. Além disso, queremos incentivar essas produções audiovisuais, o estudo e a especialização dos jovens realizadores da região”, destacada a jornalista Leonor Bianchi, idealizadora e curadora da mostra.

Panorama Cinema na Escola integra programa da mostra com estudantes e professores da rede pública
Além das produções regionais, outro destaque da mostra são as produções feitas em ambientes educativos formais, ou não, privilegiadas no Panorama Cinema na Escola. Nele são exibidos, em escolas públicas de Rio das Ostras, filmes produzidos por estudantes através de atividades escolares. O panorama prioriza produções de projetos sociais e/ou de alunos das redes públicas de ensino de todo o Brasil.

O Panorama Cinema na Escola é um espaço especial dentro da mostra, considera a curadora, uma vez que é o momento de o projeto dialogar com um público bastante específico, um novo púbico e um público novo, mas, sobretudo, um momento que revela muitas surpresas quando se trata de mostrar o aluno como protagonista do fazer fílmico, o envolver-se com a realização da obra audiovisual”, considera Bianchi.

Panorama Cinema Socioambiental
Desde que 2007 a Mostra Cinema Popular Brasileiro exibe obras que apontam os debates sobre o homem e o meio, sua cultura e suas tradições, no Panorama Cinema Socioambiental. Este panorama foi tão bem recebido, que em 2007 acabou ganhando uma mostra específica; a Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico, que hoje não existe mais, sendo o Panorama Cinema Socioambiental sua representação dentro da programação da Mostra Cinema Popular Brasileiro.

Por ser a região onde acontece a mostra, uma área de fortes impactos ambientais pela extração de petróleo na Bacia de Campos, de onde são extraídos cerca de 85% do petróleo brasileiro, muitas iniciativas têm trazido à luz novas produções de filmes que pautam o meio ambiente como tema central. Não só o meio ambiente acaba sendo o tema do panorama, mas em sua órbita, o crescimento das cidades emergentes em função do arranjo produtivo do petróleo e gás, o surgimento das cidades médias e as sequelas das cidades que sofrem com a falta de planejamento, ordenamento e infraestrutura. Nos últimos anos, documentários de cineastas brasileiros renomados ilustraram com peso crítico o Panorama Cinema Sociomambiental na Mostra Cinema Popular Brasileiro.

Da serra para o mar
Com o propósito de levar o cinema para a comunidade de Lumiar e São Pedro da Serra, distritos rurais de Nova Friburgo, a mostra consolidou-se no município como um projeto pioneiro de exibição de cinema, desde sua primeira edição, em novembro de 2004.

Em 2011, depois de sete anos acontecendo em Friburgo, a Mostra Cinema Popular Brasileiro desceu a serra e veio para a praia trazendo sua programação para Rio das Ostras, cidade onde ainda não há projetos desta natureza e onde há uma crescente demanda por cursos de cinema e vídeo, por cineclubes e por circuitos exibidores que estejam fora dos modelos comerciais vigentes.

Inscreva seu filme agora!
www.mostracinemapopularbrasileiro.wordpress.com

 

Comentários desativados em 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro, em Rio das Ostras, recebe inscrições de filmes até 22 de setembro

Rio das Ostras no Observatório da Imprensa

LB

Caros leitores d’O Polifônico,

compartilho com vocês a nota que Dines deu ao Observatório da Imprensa Local no site do Observatório da Imprensa:

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed709_rio_das_ostras_tem_jornalismo_livre_e_independente

Acessem: www.observatoriodaimprensalocal.wordpress.com

Comentários desativados em Rio das Ostras no Observatório da Imprensa

Candidato à prefeitura de Rio das Ostras dá entrevista em rádio local

LB

Entrevista de Sabino concedida hoje cedo a uma jornalista da rádio Estação 104 FM já está circulando na Internet. Para quem não conhece, Sabino se apresenta como servidor público, lembra de sua trajetória na política, que teve início quando da emancipação de Rio das Ostras, há 20 anos. Fala da politicagem que envolve o problema do abastecimento de água do município e diz que tem que se preparar para o futuro. Mais de 25 minutos de entrevista… com menos de 10 perguntas feitas pela jornalista, mas dezenas de muitas perguntas feitas pelos ouvintes, que participaram através do Facebook (será mesmo?), outros por telefone, e-mail… enfim, vale a pena escutar independentemente do destino que dará ao seu voto para prefeito de Rio das Ostras.

http://www.goear.com/listen/a2fd638/entrevista-do-sabino-no-programa-estacao-noticias-na-radio-estacao-104-fm-sabino-20

 

Comentários desativados em Candidato à prefeitura de Rio das Ostras dá entrevista em rádio local

Nota Pública do Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu: Conflito entre alunos em escola municipal de Rio das Ostras coloca às claras a precariedade da rede

Posted in Cidade, Coluna do Servidor, Denúncia, Educação by ImprensaBR on 31/08/2012

A Direção do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) – Núcleo Municipal de Rio das Ostras e Casimiro de Abreu  torna público sua total solidariedade à comunidade do Colégio Municipal Profª América Abdalla quanto ao episódio ocorrido entre alunos em sala de aula, no último dia 28 de agosto. O SEPE  repudia qualquer ato de violência nas escolas. Chamamos a atenção, no entanto, para  a grave crise na rede municipal de educação de Rio das Ostras, que sofre com a falta de investimentos,  condições de trabalho e saúde e  valorização profissional.

O SEPE também manifesta seu total apoio aos profissionais de educação, em particular à professora envolvida, colocando o seu Departamento Jurídico à disposição no caso de qualquer tentativa de se colocar sobre a responsabilidade da escola e da professora as falhas e omissões que são das autoridades municipais.

Paradoxalmente, foi preciso um conflito de motivação banal, como anunciado, para que se colocasse à luz do dia a precariedade da rede de ensino de Rio das Ostras,  cidade conhecida pelas suas fartas belezas naturais e royalties fartos.

No entanto, conforme tantas vezes denunciado em diversos fóruns, falta investimento na rede, concursos públicos são mal conduzidos, criam-se secretarias municipais espúrias, faltam professores e funcionários administrativos, ausência de política de construção de escolas e creches, salas superlotadas, carga horária de trabalho excessiva, professores sem tempo livre para planejamento e aperfeiçoamento, salários sem reajuste, dentre tantas outras carências que acabam por conduzir a mais uma tragédia anunciada.  Desta vez, felizmente, não consumada.

Incidentes como este do Colégio Municipal Profª América Abdalla vêm se repetindo de várias formas nos últimos anos. O nível de estresse dos profissionais que trabalham nas escolas municipais chegou a um ponto nunca visto em nossa categoria. O professor de uma escola municipal de Rio das Ostras, no seu dia-a-dia de trabalho, convive com turmas superlotadas; se aflige com a falta de uma política pedagógica coerente por parte da SEMED, mudada  a cada ano sem uma discussão aprofundada com a comunidade escolar. Contribui também para a crise da educação municipal a falta crônica de infraestrutura nas escolas e a terceirização dos serviços.

O quadro é ainda pior, se levarmos em conta a carga horária realizada em Rio das Ostras, sendo hoje uma das maiores em todo estado. O que obriga os professores a terem que trabalhar em duas e, não raro, até três escolas por dia. A prova disso é que a SEMED, para maquiar a falta de professores na rede, permite que um professor não só exerça sua matrícula na escola de origem, como trabalhe em mais duas outras, fazendo o que a categoria chama de “dobradinhas”. Com isso, um professor chega a dar 60 horas semanais de aula para cerca de 500 alunos!

E  a  Prefeitura  e a  Secretaria de Educação querem  dizer que a educação “vai bem, muito obrigado!”.

Infelizmente, é o que ocorre em nossas escolas: uma categoria estressada, doente, desmotivada e pronta para abandonar a profissão.

Neste sentido, o SEPE, que completou 35 anos de lutas neste ano, vem reafirmar seus princípios em defesa da escola pública gratuita, democrática, laica, universal e de qualidade social. Desde sempre.

O SEPE somos nós, nossa força e nossa voz!

Fonte: Direção do SEPE Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

SEPE – Núcleo Rio das Ostras e Casimiro de Abreu
Sede: Alameda Casimiro de Abreu, 292 – 3º andar – Sala 8 – Centro – Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2764-7730
Horário de Funcionamento: Segunda, Quarta e Sexta das 09h às 13h. Terça e Quinta das 13h às 17h.
Email: sepe.riodasostrasecasimiro@gmail.com
Blog: http://seperiodasostrascasimiro.blogspot.com
Twitter: @sepeostras

Comentários desativados em Nota Pública do Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu: Conflito entre alunos em escola municipal de Rio das Ostras coloca às claras a precariedade da rede

9a Mostra Cinema Popular Brasileiro: Para aonde e porquê marcha a humanidade?

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Videofonia by ImprensaBR on 29/08/2012

LB

Quem já participou ou participa de algum movimento social ou partido político, provavelmente, já se perguntou sobre o que é capaz de mobilizar as pessoas. Ao mesmo tempo em que a resposta parece escorregadia se mostra bastante palpável em alguns eventos que têm sido amplamente noticiados. No Brasil e no mundo se fala de marcha da maconha, marcha contra as drogas, marcha de Jesus, enfim, eventos que têm mobilizado uma quantidade significativa de pessoas.

Entre março e abril de 1930, Mahatma Ghandi e vários de seus discípulos iniciam uma marcha de protesto contra o domínio britânico na Índia. Naquele contexto, a metrópole britânica havia obrigado a Índia, sua colônia, a comprar bens manufaturados apenas do Reino Unido, proibindo os indianos inclusive de extrair sal em seu país. A marcha durou 25 dias, tinha cerca de 400 quilômetros do interior em direção ao litoral e o grupo parava de cidade em cidade para descansar, de maneira que conquistavam cada vez mais adeptos. Em 6 de abril, junto com cerca de 50 mil indianos, Gandhi foi preso, o que não impediu que a marcha chegasse a seu destino nas salinas em direção a Bombaim.

Antes disso, no Brasil, a Coluna Miguel Costa Prestes, mais conhecida como Coluna Prestes, foi um movimento liderado por militares, que faziam oposição à Republica Velha e às classes dominantes da época. Teve início em abril de 1925, no governo de Artur Bernardes (1922-1926).

No início da década de 1920, o Brasil vivia sob o domínio das oligarquias rurais e setores médios urbanos, como os militares, por exemplo, que começaram a questionar este poder e a pressionar por mais investimentos nas forças armadas.

O primeiro levante militar ocorreu no Rio de Janeiro, em 1924. Liderado pelos tenentes do exército, ficou conhecido como Tenentismo. surgiu uma nova rebelião, desta vez em São Paulo. Depois de muitos combates contra as tropas fiéis ao governo, os revoltosos se refugiaram no interior do Estado.

Enquanto isso, Luis Carlos Prestes, também militar, organizava outro grupo no Rio Grande do Sul. Em abril de 1925; as duas frentes de oposição: a Paulista liderada por Miguel Costa, e a Gaúcha, por Prestes, uniram-se em Foz do Iguaçu e partiram para uma caminhada pelo Brasil.

Com aproximadamente mil e quinhentos homens, a Coluna Prestes percorreu 25.000 quilômetros. Durante dois anos e meio atravessou 11 estados. Do sul, o grupo rumou para centro-oeste do país, percorreu o nordeste, até o estado do Maranhão. Na volta, os combatentes refizeram o caminho, até chegar à fronteira com Bolívia.

Nas cidades por onde passava, a Coluna Prestes despertava apoio da população e a atenção dos coronéis, que também eram alvo das críticas do movimento. Sempre vigiados por soldados do governo, os revoltosos evitavam confrontos diretos com as tropas, por meio de táticas de guerrilha.

Por meio de comícios e manifestos, a Coluna denunciava à população a situação política e social do país num ato quixotesco de Prestes. Quixotesco, mas qual visionário não seria um Don Quixote? Com sua marcha, a Coluna ajudou a abrir os caminhos para a Revolução de 30, enfraquecendo ainda mais o já fragilizado  sistema oligárquico vigente.

Luís Carlos Prestes tornou-se o ícone desta Marcha e ficou conhecido como “O cavaleiro da esperança”. Ele não foi o principal líder da Coluna. Quem tomou a frente do percurso foi Miguel Costa. Mas Prestes era o idealizador, aquele que alimentava o sentimento de liberdade política, voto secreto e justiça social.

Ainda no Brasil, em 1964, o Presidente João Goulart anunciou suas reformas de base. Em resposta, um movimento denominado Marcha da Família com Deus pela Propriedade conseguiu mobilizar cerca de 300 mil pessoas em repúdio a Goulart e suas reformas. A mobilização surpreendeu e sinalizou aos militares brasileiros que uma fração significativa da população era avessa às políticas de Goulart. Cientes do apoio da classe média e pressionados pelo governo estadunidense, os militares promovem um golpe de estado que lhes dão o comando das rédeas da nação até 1985. O Brasil passa a ser governado através de Atos Institucionais. Nossos avós e pais viveram um período em que valores democráticos, como a liberdade de expressão e participação política foram absolutamente cerceados. Pessoas foram mortas e muitas famílias desconhecem até hoje o destino que tiveram seu parentes, filhos, irmãos senão silenciados nos porões da Ditadura Militar.

No final da década de 1970, tem inicio um lento processo de redemocratização. Nos dias 10 e 16 de abril de 1984 os opositores do regime mobilizam uma enorme massa populacional, integrada também pela mesma classe média que serviu de base para os militares em 1964. Primeiro na Praça da Candelária, no Rio, depois na Praça do Anhangabaú, em São Paulo, são mobilizadas cerca de um milhão de pessoas. É o movimento das “Diretas Já”. Em 1985 a eleição presidencial não foi direta. Foi eleito por voto indireto Tancredo Neves, assumindo a presidência José Sarney, já que Tancredo faleceu antes de tomar posse. Ambos políticos chancelados pelos militares.

No início de 2011, um protesto chamado “marcha das vadias” se espalhou de Toronto, no Canadá, para outras capitais mundiais como um viral. A causa inicial teria sido o fato de um policial ter dito que as mulheres, na Universidade de Toronto, não deviam se vestir como vadias para evitar os estupros no campus.

Em 1987 teve início em Londres a “Marcha de Jesus”, que chegou ao Brasil e hoje coloca em marcha mais de sete milhões de fiéis.

A Primavera Árabe e a Marcha dos Indignados

André Gregório

O ocidente criou para si uma imagem tão forte de ter alcançado democracia perfeita que perdeu por completo a capacidade da autocrítica. No momento que o mundo árabe se rebelou contra seus governantes autoritários e conservadores, através de protestos e até mesmo luta armada, todos os países ocidentais se manifestaram a favor da luta do povo árabe pela liberdade e pelos seus direitos. O ocidente deu até mesmo um nome à essa luta: a Primavera Árabe. No primeiro momento uma atitude nobre por parte do ocidente. Alguns países até se uniram para apoiar a luta do povo líbio contra seu líder.

Alguns meses depois, os representantes dos governos ocidentais vêem o mesmo acontecer em seu próprio quintal. Com protestos na Inglaterra, nos Estados Unidos (Washington, Boston, Chicago, Los Angeles, Miami), no Canadá, Espanha, França, Itália entre outros, a Marcha dos Indignados dá forma de protesto ao grito por liberdade e direitos do povo ocidental. E os mesmos representantes que deram armas à luta pela liberdade do povo árabe , viraram as mesmas armas contra a luta de “seu” próprio povo. Calaram o direito do seu próprio povo de contestar e transformar. Assim como fizeram e estão fazendo os tão criticados líderes árabes.

Sem entrar muito no mérito ideológico, cabe ao ocidente perceber que está longe do ideal. Cabe ao ocidente perceber que a evolução social de cada cultura se da a partir dela mesma, e não imposta por uma cultura que se considera superior sem sequer notar que está ruindo de dentro pra fora; apodrecendo.

Primaveras audiovisuais

LB

Temos acompanhado a crescente adesão da juventude nas redes sociais através da Internet e o crescimento, nos últimos anos, de uma série de atos e mobilizações sociais marcadas pela grande rede de comunicação. Ao sair do espaço das redes virtuais e chegar às ruas, os movimentos sociais ganharam força e popularidade, e com eles muitos registros dessas ações cívicas vêm sendo realizados Brasil à dentro.

Um dos temas abordados pelos novos cineastas, documentaristas, são as manifestações sociais, as populações insatisfeitas nas ruas exigindo mudanças de governo, de leis, de sistemas econômicos.

A 9ª Mostra Cinema Popular Brasileiro, querendo dar visibilidade a produções audiovisuais e cinematográficas que tiveram origem em algum manifesto popular.

Pretendemos lançar uma reflexão sobre a democratização das novas mídias digitais no Brasil, a maior capacidade de acesso da juventude aos novos suportes de captação de imagem, e a difusão audiovisual no cenário das mobilizações sociais.

O fato de termos estabelecido este tema não significa que apenas filmes relacionados a ele possam participar da Mostra. O tema é uma inspiração, não deve ser restritivo.

Comentários desativados em 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro: Para aonde e porquê marcha a humanidade?

Convocação para Reunião Geral da ACRA

Posted in Cidade, Cultura by ImprensaBR on 28/08/2012

Convocação para Reunião Geral da ACRA aos 28 dias do mês de agosto de 2012, 19h30.

Pauta da Reunião

– Aprovação do novo estatuto da ACRA.
– Encerramento das atividades da gestão da chapa Diversidade Cultural (abril 2011/ out 2012).
– Balanço geral da gestão.
– Apresentação de nova proposta de chapa para as eleições da ACRA que se aproximam.

Leonor Pelliccione Bianchi
Presidente

Comentários desativados em Convocação para Reunião Geral da ACRA

Fora do horário eleitoral na TV, candidato a majoritária de Rio das Ostras coloca nova série de vídeos na Internet

LB

Ninguém viu ainda

Hoje cedo quando assisti aos vídeos que a equipe de MKT político do candidato do PSC ao governo municipal de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino, tinha postado no youtube anteontem quando começou o horário político na TV, o índice de visualizações dos mesmos era zero (O).

Fui a primeira a assistir na rede a série de vídeos onde Sabino aparece contando sua história de vida e fala muito da mãe, Dna. Georgina, que dizia que ele tinha boas mãos pras flores.

No que quase podemos chamar de ‘curta-documentário’ sobre a vida pública e privada do candidato, ele conta histórias de sua infância, lembra dos tempos do gerador de luz no Iate Clube de Rio das Ostras, desligado meia noite, recorda a capina com os amigos de pelada para abrir a pequena várzea que depois virou o campo oficial do Rio das Ostras Futebol Clube…

Sentimentalista, o clima do depoimento do candidato. Ele lembra de quando os primeiros veranistas começaram a chegar em Mariléa, que era ainda a antiga fazenda do Bazim.

Lembra do Clube Cerro, mas não lembra que até hoje nunca fizeram um livreto sequer para que sua história fosse contada. Ano que vem o clube fará 50 anos de fundação.

Disse que ele e seus irmãos sustentaram a família catando ostras dos manguezais, diz saber que hoje já não há mais tantas ostras no rio, mas não admite que o rio das Ostras está poluído.

A quem se dirige a fala do vídeo?

O documentário fala diretamente com o novo morador de Rio das Ostras. Pessoas que vieram morar na cidade nos últimos oito, nove, dez anos. Nele, Sabino chega a chorar várias vezes enquanto relembra fatos de sua vida em Rio das Ostras.

Fiquei apreensiva quando o escutei dizer que deseja retomar com alguns projetos na cidade, como o de cinema…

Ah, sim, quem está COLADO em Sabino e aparece em quase todos os vídeos que o candidato postou na rede é o ator Cosme dos Santos, indicado por ele para comandar a Fundação de Cultura de Rio das Ostras caso seja eleito.

Olha, que precisamos retomar alguns projetos, sim, precisamos, mas não devemos insistir no que deu errado, e o modelo usado no passado para a execução de políticas para o setor audiovisual  em Rio das Ostras, foi horroroso.

Muito sentimentalista e pouco propositivo o vídeo.

Voltando ao cinema e ao nome que vem sendo indicado para lidar tão diretamente com cinema em Rio das Ostras, fica minha pergunta: que roteiro balela foi esse dese documentário? O cidadão, o eleitor não aceita mais documentários políticos mamão com açúcar como esse não. O vídeo pode ter cumprido uma função de liga identitária entre os antigos e novos moradores… sim, pode!… eu daqui quase chorei com Sabino quando ele contou que seu falecido irmão vinha do Rio e se emocionou ao ver o mar chegando na estrada Serra Mar. Passei minha infância brincando no banco de trás do carro com meu irmão de quem via o mar primeiro quando chegasse nesse mesmo ponto da estrada, quando vinha para Mariléa com minha família nos veraneios dos anos 70 e 80…

De fato, quem não conhece a cidade há mais de 30 anos como eu conheço tende a ficar emocionado com a história do candidato, que mais parece uma saga homérica de quem home (teria que profissão se não fosse político?) do que a trajetória de um pescador muito humilde, como ele mesmo afirma ter sido quando criança e durante a juventude em um dos capítulos do documentário.

Fica a sugestão para o eleitor de Rio das Ostras: Vejam o vídeo com olhos críticos e se perguntem onde foram parar nesse roteiro as questões mais sérias sobre Rio das Ostras? Onde foram parar nesse roteiro os problemas com a educação, a saúde, a cultura, a habitação, o meio ambiente, a empregabilidade, a infraestrutura, a distribuição de água, a segurança pública?

Chega a ser patética a situação que um desses roteiristas contratados pelo candidato criou em um outro vídeo da campanha intitulado “O povo pergunta, Sabino responde”. O roteirista tenta dar um clima de naturalização à repulsa pelo morador de rua quando coloca na fala de uma senhora que faz a pergunta a Sabino, o temor a estes. Ela chega a afirmar que tem medo dos moradores de rua que dormem ao relento na rodoviária e não quer que seus filhos vejam ‘essas pessoas’.

Para quem não faz ideia, em Rio das Ostras há um grupo de pessoas, muitas delas da maçonaria, que querem ver liquidados todas as ciganas e moradores de rua que vem parar na cidade. Eles e seus cachorros de rua… Essa posição já foi inclusive argumento para muita matéria levantada pelo jornal O Polifônico. O fato é que no vídeo, Sabino, para poder falar um pouco sobre sua política assistencialista aos moradores de rua já começa falando: ‘Olha, fulana… nós precisamos entender que essas pessoas são nossos irmãos, eles não tem culpa de serem moradores de rua…”, mas não fala absolutamente nada sobre criar políticas de base para dar condições mínimas de acesso a emprego e moradia a essas pessoas. O resultado no vídeo foi uma interpretação forçosa feita pelo candidato em sua resposta, indicada no péssimo roteiro sugerido pela equipe de redação e vídeo. Não funcionou pra mim, mas tem gente que cai! E como tem! Nesse vídeo mesmo… o povo pergunta e Sab.. responde, há vários jovens se apresentando como defensores mesmo do cara, de suas propostas, de seu retorno ao governo municipal de Rio das Ostras.

De fato a situação não está nada razoável, eleitor riostrense. Serão mais oito anos de cineminha mau redigido nas ruas da cidade. Cinema de Rua com filme estadunidense e roteiros tão ruins como estes desses videozinhos que vi esta manhã sobre nosso provável futuro prefeito.

Comentários desativados em Fora do horário eleitoral na TV, candidato a majoritária de Rio das Ostras coloca nova série de vídeos na Internet

Nota de rodapé para o Cinema Popular Brasileiro

LB

Quem conseguiu ler o post do João Rocha (ele não é meu amigo) no grupo Macaé Cine? Ele cita meu nome e eu fui excluída desse grupo. Rúben Pereira tá aqui lendo essa postagem do meu lado e os caras me excluíram em função da grita que dei semana passada, depois de tentar diálogo centenas de vezes via mensagem fechada com a Thalita, organizadora do projeto, e não obter êxito.

Era pra ser um post, mais um, quem sabe não seria levada a mais um bate bola, ops, bate boca desnecessário nesta rede…

Desnecessário, vírgula!

Aliás, pra quem só lê minhas gritas virtuais e não sabe o que há por trás delas, fique esperto e deixe de ser malicioso(a), pois estas só chegam pro universo virtual aberto, público, depois de eu ter tentado de todas as formas possíveis e imaginárias o diálogo amistoso e saudável, produtivo para todos, e isso é razoável para uma jornalista, que, como todos aqui (todos não afirmaria… tem muita gente perdida na rede ainda, e como tem!!!), tenho, e muito, o que fazer nesta encarnação além de tentar buscar o diálogo com o mundo pelas redes sociais esquizofrênicas…

Netqueta não existe! Essa moda no Brasil de não expor as pessoas pela rede é inviável com o que a rede se propõe a ser! Tem que expor mesmo! O cara luta anos pela lei da transparência no Brasil e no Facebook não admite que os antiéticos sejam revelados e expostos em suas entranhas! Que lógica tem isso? Muita demagogia, sabe. O povo tem o que merece…

E cá pra nós, povo brasileiro, aqui no Brasil ninguém ainda sabe usar a rede dentro de toda a sua potencialidade, não é mesmo? Tem muita gente só apertando enter por aí… e apertando onde não era pra apertar!

Sobre o tal rapaz João Rocha que preferiu falar de mim por traz, excluindo-me de seu grupinho fechado no facebook e na vida real (srsrssr) e sobre seu ‘({[projeto de cinema]}’, o que eu penso a respeito – ainda que ele não tenha me perguntado diretamente e tenha preferido expor o que pensa sobre mim e seu projetinho apenas para seu grupo fechado no face… (srsrsr) -, é que ele não entende realmente o que é e como funciona a cadeia produtiva do cinema, como funciona essa cadeia aqui no Brasil, como funciona essa mesma cadeia nos grotões onde ainda não existe cinema e como funciona essa cadeia nas cidades emergentes onde predominam as salas comerciais.

No meu entendimento ele está brincando de fazer exibição de cinema, e isso é sério pra caramba porque diz respeito exatamente a uma discussão que vem sendo travada há décadas no cinema brasileiro por quem faz a política pública no setor. E ainda que seja enfadonha a indagação: Que cinema queremos? Será que esse rapaz sabe responder isto?

E ele pessoalmente em sua mostra, que quer ele com este cinema? Um festival megalômico, que não deveria atender a um desejo privado, mas sim fundamentar-se no caráter de utilidade pública. O problema é que neste projeto acontece justamente o inverso. O que seus produtores argumentam e tomam como a maior justificativa para  a manutenção do projeto na cidade, não é o clamor dos cinéfilos locais, pois nem isso o cineclube Macaba Doce, que existe há três anos em Macaé, conseguiu criar no cenário dada sua inércia fatal… Eles não tem sequer um público fiel, um público que dissesse: sim, queremos esta mostra em Macaé, pois ela é necessária para a cidade, nela nós nos vemos, com ela nos identificamos! Não. Nesse projeto do João Rocha e amigos, fica clara que a proposta do autor é a autopromoção – haja vista os troféus idênticos aos do Oscar estadunidense e do tapete vermelho colocado na porta do Solar dos Mello, durante a mostra no ano passado, a primeira edição do projeto.

Isso é extremamente sério na medida em que há uma turma que apóia o surgimento de uma mostra em qualquer esquina do Brasil, atualmente. São escolas diferentes. Eu penso mais antes, prefiro me associar a um projeto já existente antes de ousar lançar outro igualzinho em paralelo quase que pra disputar público, um público que, diga-se em negrito, ainda precisa muito ser educado para assistir cinema… Os caras acham bom ter uma mostra em qualquer esquina, mas não oferecem estrutura para isso. Refiro-me ao Estado, aos modelos vigentes de financiamento e ‘apoio’ para estes projetos. Então isso é um dos pontos de um grande debate no setor… só esclarecendo quem dá pitaco sem saber que a coisa tem uma dinâmica outra…

Geralmente essas mostras não geram empregabilidade e não têm sustentabilidade financeira, seus proponentes não têm relações mais consolidadas com os locais onde fazem essas mostras, mas pro relatório que a ANCINE redige no fim do ano, esses cara são bons porque entram pra cadeia e ajudam a criar um falso índice a respeito do cinema nacional e sua cadeia produtiva.

Hoje, no Brasil, a maioria das aferições que a ANCINE faz para a coleta de dados e por fim, a criação de relatórios e índices a respeito do desenvolvimento da indústria são bastante questionáveis, ainda que exista em paralelo e em contraste com isto que afirmei, dentro mesmo do corpo desta agência reguladora, pessoas sérias tentando trabalhar honestamente.

Voltando a grita (a minha), e ao fato de o tal João Rocha ter me excluído de seu grupinho…  ainda tem quem diga que esse povo é do bem… dúvidas? A cada segundo tenho certeza de que não há alguma… quanto mais for expurgada por pessoas como essas, mais perto do que tanto busco encontrar estarei. Quem age comigo desta maneira, ou seja, repelindo-me, livra-me de sua companhia aduladora e medíocre.

Infelizmente Rubinho disse que não vai comentar o post pra não pegar mal pra ele. Agora veja, o cara fala tanto em cultura, defende tanto a cultura e quando tem que abrir a boca, prefere se calar… realmente devo estar tentando diálogo com quem não quer dialogar comigo.

Mas de tudo sempre fica uma mensagem, ainda que secreta dentro de nós…

Por fim, gostei de saber que esses anos todos trabalhando em prol do acesso das populações mais carentes à cultura, à educação, à arte, à comunicação e por fim, ao cinema brasileiro não foram em vão. Ajudaram a iluminar suas mentes e fizeram com que compreendessem que para abrir qualquer pauta sobre o assunto ‘exibição de cinema’, seja em Rio das Ostras, Macaé… região, uma notinha de ropapé a Leonor Bianchi e ao seu Cinema Popular Brasileiro vocês não tem como não dar, ainda que secretamente, entre vocês mesmos.

Humildade é para os sábios, não um dom que todos podem lançar mão.

Obrigada pela nota de rodapé que eu mesma não li… para o bem ou para mal. Para além do bem e do mal estou eu desta lógica binária grega, arcaica. Prefiro o devir no meio do caminho, a sinapse no discurso, um lapso no pensamento…

Comentários desativados em Nota de rodapé para o Cinema Popular Brasileiro

Mostra de Cinema em Rio das Ostras recebe inscrições até setembro

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, Região, TV O Polifônico, Videofonia by ImprensaBR on 15/08/2012

Este ano o tema da Mostra Cinema Popular Brasileiro são as ‘Primaveras Audiovisuais’

[videolog 805671]

Para aonde e porquê marcha a humanidade?

LB

Quem já participou ou participa de algum movimento social ou partido político, provavelmente, já se perguntou sobre o que é capaz de mobilizar as pessoas. Ao mesmo tempo em que a resposta parece escorregadia se mostra bastante palpável em alguns eventos que têm sido amplamente noticiados. No Brasil e no mundo se fala de marcha da maconha, marcha contra as drogas, marcha de Jesus, enfim, eventos que têm mobilizado uma quantidade significativa de pessoas.

Entre março e abril de 1930, Mahatma Ghandi e vários de seus discípulos iniciam uma marcha de protesto contra o domínio britânico na Índia. Naquele contexto, a metrópole britânica havia obrigado a Índia, sua colônia, a comprar bens manufaturados apenas do Reino Unido, proibindo os indianos inclusive de extrair sal em seu país. A marcha durou 25 dias, tinha cerca de 400 quilômetros do interior em direção ao litoral e o grupo parava de cidade em cidade para descansar, de maneira que conquistavam cada vez mais adeptos. Em 6 de abril, junto com cerca de 50 mil indianos, Gandhi foi preso, o que não impediu que a marcha chegasse a seu destino nas salinas em direção a Bombaim.

Antes disso, no Brasil, a Coluna Miguel Costa Prestes, mais conhecida como Coluna Prestes, foi um movimento liderado por militares, que faziam oposição à Republica Velha e às classes dominantes da época. Teve início em abril de 1925, no governo de Artur Bernardes (1922-1926).

No início da década de 1920, o Brasil vivia sob o domínio das oligarquias rurais e setores médios urbanos, como os militares, por exemplo, que começaram a questionar este poder e a pressionar por mais investimentos nas forças armadas.

O primeiro levante militar ocorreu no Rio de Janeiro, em 1924. Liderado pelos tenentes do exército, ficou conhecido como Tenentismo. surgiu uma nova rebelião, desta vez em São Paulo. Depois de muitos combates contra as tropas fiéis ao governo, os revoltosos se refugiaram no interior do Estado.

Enquanto isso, Luis Carlos Prestes, também militar, organizava outro grupo no Rio Grande do Sul. Em abril de 1925; as duas frentes de oposição: a Paulista liderada por Miguel Costa, e a Gaúcha, por Prestes, uniram-se em Foz do Iguaçu e partiram para uma caminhada pelo Brasil.

Com aproximadamente mil e quinhentos homens, a Coluna Prestes percorreu 25.000 quilômetros. Durante dois anos e meio atravessou 11 estados. Do sul, o grupo rumou para centro-oeste do país, percorreu o nordeste, até o estado do Maranhão. Na volta, os combatentes refizeram o caminho, até chegar à fronteira com Bolívia.

Nas cidades por onde passava, a Coluna Prestes despertava apoio da população e a atenção dos coronéis, que também eram alvo das críticas do movimento. Sempre vigiados por soldados do governo, os revoltosos evitavam confrontos diretos com as tropas, por meio de táticas de guerrilha.

Por meio de comícios e manifestos, a Coluna denunciava à população a situação política e social do país num ato quixotesco de Prestes. Quixotesco, mas qual visionário não seria um Don Quixote? Com sua marcha, a Coluna ajudou a abrir os caminhos para a Revolução de 30, enfraquecendo ainda mais o já fragilizado  sistema oligárquico vigente.

Luís Carlos Prestes tornou-se o ícone desta Marcha e ficou conhecido como “O cavaleiro da esperança”. Ele não foi o principal líder da Coluna. Quem tomou a frente do percurso foi Miguel Costa. Mas Prestes era o idealizador, aquele que alimentava o sentimento de liberdade política, voto secreto e justiça social.

Ainda no Brasil, em 1964, o Presidente João Goulart anunciou suas reformas de base. Em resposta, um movimento denominado Marcha da Família com Deus pela Propriedade conseguiu mobilizar cerca de 300 mil pessoas em repúdio a Goulart e suas reformas. A mobilização surpreendeu e sinalizou aos militares brasileiros que uma fração significativa da população era avessa às políticas de Goulart. Cientes do apoio da classe média e pressionados pelo governo estadunidense, os militares promovem um golpe de estado que lhes dão o comando das rédeas da nação até 1985. O Brasil passa a ser governado através de Atos Institucionais. Nossos avós e pais viveram um período em que valores democráticos, como a liberdade de expressão e participação política foram absolutamente cerceados. Pessoas foram mortas e muitas famílias desconhecem até hoje o destino que tiveram seu parentes, filhos, irmãos senão silenciados nos porões da Ditadura Militar.

No final da década de 1970, tem inicio um lento processo de redemocratização. Nos dias 10 e 16 de abril de 1984 os opositores do regime mobilizam uma enorme massa populacional, integrada também pela mesma classe média que serviu de base para os militares em 1964. Primeiro na Praça da Candelária, no Rio, depois na Praça do Anhangabaú, em São Paulo, são mobilizadas cerca de um milhão de pessoas. É o movimento das “Diretas Já”. Em 1985 a eleição presidencial não foi direta. Foi eleito por voto indireto Tancredo Neves, assumindo a presidência José Sarney, já que Tancredo faleceu antes de tomar posse. Ambos políticos chancelados pelos militares.

No início de 2011, um protesto chamado “marcha das vadias” se espalhou de Toronto, no Canadá, para outras capitais mundiais como um viral. A causa inicial teria sido o fato de um policial ter dito que as mulheres, na Universidade de Toronto, não deviam se vestir como vadias para evitar os estupros no campus.

Em 1987 teve início em Londres a “Marcha de Jesus”, que chegou ao Brasil e hoje coloca em marcha mais de sete milhões de fiéis.

A Primavera Árabe e a Marcha dos Indignados

André Gregório

O ocidente criou para si uma imagem tão forte de ter alcançado democracia perfeita que perdeu por completo a capacidade da autocrítica. No momento que o mundo árabe se rebelou contra seus governantes autoritários e conservadores, através de protestos e até mesmo luta armada, todos os países ocidentais se manifestaram a favor da luta do povo árabe pela liberdade e pelos seus direitos. O ocidente deu até mesmo um nome à essa luta: a Primavera Árabe. No primeiro momento uma atitude nobre por parte do ocidente. Alguns países até se uniram para apoiar a luta do povo líbio contra seu líder.

Alguns meses depois, os representantes dos governos ocidentais vêem o mesmo acontecer em seu próprio quintal. Com protestos na Inglaterra, nos Estados Unidos (Washington, Boston, Chicago, Los Angeles, Miami), no Canadá, Espanha, França, Itália entre outros, a Marcha dos Indignados dá forma de protesto ao grito por liberdade e direitos do povo ocidental. E os mesmos representantes que deram armas à luta pela liberdade do povo árabe , viraram as mesmas armas contra a luta de “seu” próprio povo. Calaram o direito do seu próprio povo de contestar e transformar. Assim como fizeram e estão fazendo os tão criticados líderes árabes.

Sem entrar muito no mérito ideológico, cabe ao ocidente perceber que está longe do ideal. Cabe ao ocidente perceber que a evolução social de cada cultura se da a partir dela mesma, e não imposta por uma cultura que se considera superior sem sequer notar que está ruindo de dentro pra fora; apodrecendo.

Primaveras audiovisuais

LB

Temos acompanhado a crescente adesão da juventude nas redes sociais através da Internet e o crescimento, nos últimos anos, de uma série de atos e mobilizações sociais marcadas pela grande rede de comunicação. Ao sair do espaço das redes virtuais e chegar às ruas, os movimentos sociais ganharam força e popularidade, e com eles muitos registros dessas ações cívicas vêm sendo realizados Brasil à dentro.

Um dos temas abordados pelos novos cineastas, documentaristas, são as manifestações sociais, as populações insatisfeitas nas ruas exigindo mudanças de governo, de leis, de sistemas econômicos.

A 9ª Mostra Cinema Popular Brasileiro, querendo dar visibilidade a produções audiovisuais e cinematográficas que tiveram origem em algum manifesto popular.

Pretendemos lançar uma reflexão sobre a democratização das novas mídias digitais no Brasil, a maior capacidade de acesso da juventude aos novos suportes de captação de imagem, e a difusão audiovisual no cenário das mobilizações sociais.

O fato de termos estabelecido este tema não significa que apenas filmes relacionados a ele possam participar da Mostra. O tema é uma inspiração, não deve ser restritivo.

Comentários desativados em Mostra de Cinema em Rio das Ostras recebe inscrições até setembro

9a Mostra Cinema Popular Brasileiro abre período de inscrições – Este ano a mostra inova e acontece também pela Internet

Posted in Cidade, Cultura, TV O Polifônico, Videofonia by ImprensaBR on 13/08/2012

A 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro abre hoje, dia 12 de agosto de 2012, o calendário das atividades deste ano. As inscrições de filmes podem ser feitas através do site da mostra http://www.mostracinemapopularbrasileiro.wordpress.com.

É a primeira vez que um projeto de exibição de cinema e vídeo da Região dos Lagos acontece presencialmente e também pela Internet. A 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro deste ano acontecerá em espaços públicos e privados da cidade, em uma escola municipal, e no site da mostra, possibilitando o maior acesso do público aos filmes participantes com esta última opção.

Homenagem ao jornalista Benoni Alencar

Propondo uma reflexão sobre a democratização das novas mídias digitais no Brasil, a maior capacidade de acesso da juventude aos novos suportes de captação de imagem, e a difusão audiovisual no cenário das mobilizações sociais, a mostra presta uma homenagem ao militante e jornalista morto ano passado em Rio das Ostras, Benoni Alencar.

A iniciativa foi da organizadora da mostra, a também jornalista, Leonor Bianchi. Segundo ela, a homenagem ‘in memorian’ a Benoni Alencar foi criada para que a data de sua morte não seja esquecida e para que seu pensamento não seja silenciado. “Benoni teve uma vida dedicada à busca pelos diretos humanos, pela liberdade, pela democracia, tudo o que estamos tratando nesta mostra. Não poderíamos nos furtar a mencionar seu nome na edição da mostra e fazer ecoar seu grito, que soará eternamente nas mentes dos estudantes, dos ativistas socialistas, dos homens bem. É preciso que Rio das Ostras valorize seus homens de bem e permita que suas histórias não sejam apagadas pelo tempo ou por condições ideológicas conflitantes com as de quem conta a história oficial”, ressalta a jornalista e organizadora da mostra.

Benoni foi líder estudantil na época da ditadura militar e por sua intensa atuação no movimento estudantil foi preso em Teresina. Nesse tempo criou o codinome “Geovane de Valença”. Após perseguições políticas, veio para o Rio de Janeiro, e escolheu a cidade de Niterói para viver com sua família. Na chamada Região Oceânica, em Niterói, escreveu para diversos jornais locais, foi ícone das lutas dos trabalhadores, atuou em partidos de esquerda.

Nos últimos anos vinha defendendo a linha de pensamento apresentada por militantes do PSOL e tornou-se fundador do Núcleo do PSOL Serramar ao lado de jovens militantes de Rio das Ostras e Macaé.

Em sua casa, no Palmital (Rio das Ostras), promovia verdadeiros seminários sobre política, filosofia, sociologia… foram muitos os amigos que ali compartilharam momentos inesquecíveis de grande troca e aprendizagem.

Comentários desativados em 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro abre período de inscrições – Este ano a mostra inova e acontece também pela Internet

Dever de casa para os produtores e agentes culturais de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Eleições 2012 by ImprensaBR on 10/08/2012

LB

Estão online no site do candidato Sabino seus projetos de governo. O Jornal O Polifônico começa hoje uma análise de todos eles junto com você, leitor.

Vamos analisar juntos esses planos, opinar e escolher o que queremos para nossa cidade.

Infelizmente não encontramos links na Net pata outros sites dos candidatos à prefeitura, e para o Legislativo não é diferente. O único, que até o momento postou o Plano de Governo para a Cultura e demais setores da gestão municipal foi Sabino. Isso enfraquece a possibilidade de escolha pelo eleitor, que deve cobrar dos demais candidatos que exponham na rede suas propostas.

Deixe seu comentário sobre o que achou do que chamo de ‘tópicos para um debate sobre políticas culturais em Rio das Ostras’, mas que no site, Sabino chama de Plano de Governo.

Segue o Plano de Governo para a Cultura

Cultura

Plano de Governo

– Organizar a Conferência Municipal, instalar o Conselho, criar o Fundo e elaborar o Plano Municipal de Cultura;

– Garantir a aplicação de, no mínimo, 1,5% do orçamento municipal para a cultura e expandir a oferta cultural por meio de editais públicos;

– Fortalecer as atividades da Fundação Rio das Ostras de Cultura;

– Resgatar a Orquestra Kuarup, a Banda Musical, o Coral Vozes do Leripe, o Conjunto de Flautas Doce Pérola e o Coral dos Servidores, entre outros;

– Desenvolver ações de valorização da cultura local, garantindo a manutenção, recuperação e restauração do patrimônio histórico, artístico e cultural, preservando a identidade do nosso povo por meio de pesquisas, mapeamentos, registros e da publicação de documentos que divulguem a memória do município;

– Retomar o programa de pesquisas arqueológicas;

– Incentivar e prestigiar os artistas locais, promovendo a realização de feiras de artes nos bairros, criando novos locais para comercialização;

– Restaurar, ampliar e modernizar os equipamentos culturais, como: a Casa da Cultura Doutor Bento Costa Júnior, o Museu Sambaqui da Tarioba, o Museu do Trem, o Centro Ferroviário de Cultura, a Escola de Música e Dança, o Teatro Municipal, a Biblioteca Pública, a Escola de Fundição, Artes e Ofícios, a Casa da Farinha e a Feira do Artesanato, entre outros;

– Implantar calendário oficial de eventos culturais, incluindo atividades como: Festival de Dança, Teatro, Bandas e Fanfarras, Auto de Natal, Auto da Paixão de Cristo, Encontro de Capoeira, Festival de Talentos, Festival de Cinema e projeto Cinema de Rua, entre outros;

– Criar a Escola Municipal de Áudio e Vídeo, cenografia, figurino e outros, implantando no município os canais de rádio e TV cultura para registro e transmissão dos acontecimentos de interesse da população local;

– Valorizar os profissionais formados pela Fundação Rio das Ostras de Cultura, incentivando a criação de cooperativas e associações culturais;

– Democratizar o uso dos espaços públicos para exposições artísticas, descentralizando as atividades culturais, criando núcleos nos bairros;

– Apoiar as iniciativas e as atividades ligadas à expressão da cultura hip hop, capoeira e danças afro-brasileiras;

– Instituir as Companhias Municipais de música, teatro e dança;

– Implementar Escritório de Gestão de Projetos Culturais para oferecer assistência e qualificação para produtores e gestores culturais;

– Promover a integração e interatividade da Fundação Rio das Ostras de Cultura com as secretarias municipais, principalmente Educação, Saúde, Sem-estar social e Esporte;

– Integrar os estudantes e professores do curso de Produção Cultural da UFF (Universidade Federal Fluminense) às ações da Fundação Rio das Ostras de Cultura.

Plano de Cultura – Fonte:  http://www.sabino20.com.br/cultura

Comentários desativados em Dever de casa para os produtores e agentes culturais de Rio das Ostras

Justiça eleitoral indeferiu 45 registros de candidaturas ao Legislativo de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Eleições 2012, Política by ImprensaBR on 08/08/2012

Muitos são nomes antigos na Câmara

LB

O TSE divulgou e o site divulgacand já publicou a relação dos candidatos a vereador que tiveram seu pedido de registro de candidatura indeferidos.

Entre os nomes figuram alguns que não podem deixar de passar em branco, como o do atual vereador Ademir da farmácia (PMBD) e do vereador Betinho (PSD), que trocou de partido às vésperas do cadastramento no TRE. Provavelmente seu pedido foi indeferido novamente em função da Lei da Fidelidade Partidária. Betinho fez exatamente a mesma manobra nas últimas eleições municipais, em 2008 e na época também temeu ficar fora do pleito, mas acabou saindo ileso. Agora ele é candidato com recurso no TRE. Que coisa feia…

O vereador, gente de Jardim Mariléa, minha terra, Cemir Jóia (PSB) também está fora do páreo, ao seu lado está relacionado o nome de Robinho (PMDB) antigo no Legislativo riostrense como Cemir.

A suplente na Câmara, única mulher votada ao ponto de assumir uma suplência no Legislativo nas eleições de 2008, Andrea do Cocô (PSDB) também caiu com a decisão da justiça eleitoral.

O presidente do Conselho Municipal de Segurança Pública, Jorge da Costa Maia, o Maia do Praiamar (PPS) deve estar amargando a decisão da justiça, que indeferiu o registro de sua segunda candidatura ao Legislativo de Rio das Ostras. Maia concorreu nas eleições de 2008 apoiando Carlos Augusto. Nestas eleições, apoiando Sabino, ele viria pela coligação Rio das Ostras em Paz.

A fama de Aparecida Verdan não é das melhores na cidade, ainda mais quando se trata de ética em tempos eleitorais. Este ano ela teve o pedido de registro indeferido. Da mesma coligação de Jorge Maia, ela seria candidata pelo PMBD.

Da coligação Rio das Ostras: Renovação, Ética e Compromisso, outro nome antigo na política local, Paulo Nagib, ficou de fora dessas eleições pelo PT do B.

Claudio Henrique da Silva, o Claudio do Transporte Legal (PSB) foi mais um que teve o pedido de registro de candidatura indeferido pela justiça eleitoral. Claudio Miranda (PPS) de Palmital também foi indeferido.

Sandro bailarino (PSB) teve pedido indeferido e diferentemente de 2008, não poderá concorrer ao Legislativo este ano.

O total de candidatos era de 264, com os indeferimentos ele cai para 219.

Veja a relação completa no link:

http://divulgacand2012.tse.jus.br/divulgacand2012/abrirTelaPesquisaCandidatosPorUF.action?siglaUFSelecionada=RJ

Comentários desativados em Justiça eleitoral indeferiu 45 registros de candidaturas ao Legislativo de Rio das Ostras

Morre Celso Blues Boy – Papa do Blues Brasileiro deixa legião de fans ao falecer aos 56 anos de Câncer na garganta

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Estereofonia, Notas by ImprensaBR on 06/08/2012
Por Rúben Pereira*
O cantor, compositor e guitarrista Celso Blues Boy morreu na manhã desta segunda-feira (6 de agosto) em Joinville, Santa Catarina. O músico faleceu às 8h50. O corpo está sendo encaminhado para Blumenau para ser cremado. Seguindo uma decisão do próprio músico, seu corpo foi encaminhado diretamente ao crematório sem ser velado. O músico falece aos 56 anos depois de contrair câncer de garganta.Depois de inúmeras apresentações em Rio das Ostras e Macaé nas últimas décadas, em junho deste ano durante o Rio das Ostras Jazz e Blues Festival fez apresentações eletrizantes.Debaixo de uma chuva torrencial no sábado à noite destilou o melhor de seu repertório lavando todos presentes ao delírio.

Celso Ricardo Furtado de Carvalho nasceu no Rio de Janeiro, em janeiro de 1956. Na década de 1970, com apenas 17 anos, começou a tocar profissionalmente com Raul Seixas, além de acompanhar nome da MPB como Sá & Guarabira e Luiz Melodia. Seu nome artístico é uma homenagem ao seu ídolo B.B. King, com quem chegou a tocar na década de 1980.

O vascaíno foi guitarrista das bandas Legião Estrangeira e Aero Blues, considerado o primeiro grupo de blues do Brasil. Em 1980 passou a ser mais conhecido, quando mandou uma fita para a Rádio Fluminense, no Rio, voltada para o repertório roqueiro. Quatro anos depois gravou seu primeiro disco, ‘Som na Guitarra’, que inclui seu maior sucesso: ‘Aumenta que Isso Aí É Rock’n Roll’.

No ano passado, Celso Blues Boy gravou seu primeiro DVD, ‘Celso Blues Boy ao Vivo’, no Circo Voador, no Rio de Janeiro, que também foi lançado em CD. O cantor morava há 12 anos em Joinville.

* Editor do Caderno de Cultura d’O Polifônico.

Comentários desativados em Morre Celso Blues Boy – Papa do Blues Brasileiro deixa legião de fans ao falecer aos 56 anos de Câncer na garganta

Rio das Ostras nas redes sociais em tempos de eleição: juventude agride candidato do Psol e tenta usar seu perfil para desorientar a campanha

Posted in Cidade, Eleições 2012 by ImprensaBR on 06/08/2012

Agora, às 10h de uma manhã de segunda nublada em riodas… nessa podreira de cenário de articulações eleitoreiras, no qual estamos vivendo, naturalmente como em qualquer outra segunda-feira eu navegaria por essas redes… mas hoje é diferente; é tempo de prévias eleitorais em Rio das Ostras.

Nas navegadas em busca da pauta perfeita… no afã de tentar acender a esperança em mim… a esperança que me leve a querer construir um país melhor, uma cidade mais digna para eu morar com minha família, meus amigos, com meu filho, meu marido, enfim…   quando tento entender aonde esta cidade quer chegar… e até aonde a levarão… alguns políticos locais… abro este ‘post’ infeliz… e paro tudo para dar a devida atenção que ele merece

O conteúdo aqui expressado no ‘debate’, o mesmo me despertou tanto a atenção, que gostaria de convocar os sociólogos loucos* de plantão para analisar essa lógica social estabelecida entre alguns núcleos de jovens da cidade.

Estariam se estabelecendo ou seriam esses grupos organismos frágeis e instáveis geridos por uma liderança neonazista, altamente controladora? Isto aqui é o sinal mais notório de que a rede não faz união, mas sim, cria espião. Ou esses perfis que estão tentando detonar o candidato Jonathan do Psol são falsos, ou estão demonstrando toda sua ignorância e desesperança; dois fatores fundamentais para um pensamento altruísta como esse meu… e seu, caro amigo… o de querer ter esperança…

Isto aqui postado é o retrato do desfacelamento da esperança nos corações dos homens, contudo, no Brasil, a juventude, que filosoficamente e biologicamente deveria ser que tomaria a frente da proatividade se coloca inepta desta maneira. Uma juventude sufocada até hoje pelos gritos dos massacrados e mortos covardemente nos porões da ditadura militar. Uma juventude burra, alienada, escrota mesmo.

Uma juventude que se perdeu no funk, no rock, no futebol, nas telas da TV e que agora se mata no crack.

Estou triste. Começo triste esta semana. Mais uma. Mais uma ou menos uma? E sigo ao teu lado, caro amigo… somos fortes, somos povo, somos guerreiros (mortais, por isso não demos mole por aí, ao contrário, deixemos nossos amigos bem alardeados, aladeados…).

Quanto ao marquetim… ponto pra você, Jonathan!!!!! MKT gratuito no teu perfil! É isso aí! Os marqueteiros megalomaníacos cobram fortunas dos candidatos em época de eleição para gerenciarem redes sociais. Você está trabalhando sem orçamento nesta empreitada que é uma campanha eleitoral e está tendo share de graça! Melhor impossível!

Agora é tentar sair desse baixo nível que foi colocado pelo fakes e dar conta do que segue na agenda da semana e da campanha…

Quanto a essa juventude, não me resta só chorar não… lamento muito sim, mas permaneço, caro amigo, nesta luta até o fim!

Um abraço,

LB – Editora d’O Polifônico.

Comentários desativados em Rio das Ostras nas redes sociais em tempos de eleição: juventude agride candidato do Psol e tenta usar seu perfil para desorientar a campanha

Jingles políticos em Rio das Ostras: o ‘chiclete de orelha’ dos candidatos já está tocando por aí

Posted in Brasil, Cidade, Eleições 2012, Política by ImprensaBR on 01/08/2012

LB

Esta semana começaram a circular na Internet, através das redes sociais mais frequentadas, os vídeos de alguns candidatos de Rio das Ostras com seus respectivos jingles da campanha 2012.

Sendo uma forma específica de comunicar, o jingle exerce funções diferentes do jornal impresso e da televisão numa campanha eleitoral. Ele promove a sensação de euforia e comunhão identitária em quem o escuta. É um forte instrumento de manipulação, e os ritmos mais usados pelos compositores para fazer essas canções, seguem a risca o que toca nas paradas de sucesso das rádios populares do Brasil. O resultado são jingles políticos feitos em ritmo de pagode, samba, axé, forró, rock, música romântica (vejam essa!!!) e até tecnobrega, o que mais vamos escutar este ano em todo o Brasil, e em Rio das Ostras não seria diferente.

Em seu estudo ‘A Função Sinestésica do Jingle Político’, a jornalista e pesquisadora Silvia Thais De Poli (1) caracteriza o Jingle “como uma peça publicitária que como tal, possui características de Propaganda. De forma geral, a Propaganda tem por objetivo determinar a convicção de consumir, relacionando sentimentos a ideias, estimulando o desejo de garantir valores almejados pelo seu público-alvo. O jingle é um das formas utilizadas para se alcançar a coerência comportamental necessária além de apresentar o candidato como a solução para as necessidades do cidadão”. O foco do estudo da jornalista é compreender a música do jingle como construtora da identidade social e individual, e explicar o que motiva uma resposta sinestésica do ouvinte/leitor a essa música (o jingle político).

Ainda segundo a pesquisadora “a composição do jingle político é formada pela união entre a melodia e a poética. Reforçando a ideia linguística, a melodia contempla recursos psicológicos e, especificamente, a sinestesia. Os compassos curtos, que são tocados por arranjos bem marcados pelos baixos alternados, caracterizam um movimento denominado Marcha’. E segue […] “geralmente utilizado na execução de músicas folclóricas, cantigas infantis, canções patriotas, religiosas e tradicionais – esse tipo de movimento rítmico é muito popular por atingir o ‘povo’, que provavelmente estranharia outro movimento mais complexo como o Jazz ou a Música Clássica.

Existe uma diferença entre a velocidade e os tempos das notas, já que o andamento é moderato e a duração das figuras – em sua maioria – são rápidas com o compasso acelerado. Essa diferença de notas representa uma preocupação em tocar essa música de forma ‘alegre e entusiasmada’ com o andamento lento, pois se esse também fosse acelerado o ouvinte poderia não compreender nitidamente a mensagem transmitida pela canção”.

Não pretendemos nos ater à função emocional da música no contexto social de forma ampla, mas contextualizá-la no cenário atual das campanhas eleitorais em Rio das Ostras. E nesta perspectiva, encontramos Rafael Sampaio, e livro ‘Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e  empresas de sucesso’. Nele, Sampaio afirma que “as pessoas ouvem o Jingle e não esquecem. É aquilo que a sabedoria popular denomina de “chiclete de orelha”. A vantagem dos jingles, em razão do formato, é que essas peças musicais contém, além da mensagem, o clima, a emoção objetivada e um expressivo poder de “recall”. O jingle é algo que fica, uma vez que as pessoas guardam o tema consigo e muitos anos depois ainda são lembradas pelos consumidores. Devido ao poder de memorização que a música tem, o jingle é uma alternativa de comunicação muito poderosa”.

O jingle no Brasil

O jingle apareceu no Brasil em 1932, no de rádio de Ademar Casé, o ‘Programa Casé’, mas antes disso, a história do jingle político começa antes disso, na campanha do então do então presidente da República, Marechal Hermes das Fonseca – conhecido popularmente como “seu Dudu”, em 1914.

Tanto na política quanto na publicidade a história do jingle é antiga no Brasil e nos remete ao voto livre no país. Na década de vinte do século XIX eram normais as paródias musicais de cunho político, que satirizavam candidatos e políticos. Analisando mais profundamente essas músicas, vemos que as mesmas podem ser vistas como um jingle político. Segundo o cientista político Luiz Claudio Lourenço, isso poderia nos levar a conclusão de que o jingle político no país surge antes mesmo do jingle comercial tanto aqui e quanto nos Estados Unidos.

Foi na década seguinte, com as megalômicas campanhas eleitorais de Getulio Vargas, que o jingle passou a ter importante uso político e não saiu mais deste campo. Getulio soube utilizar bem este elemento como uma estratégia para ganhar a simpatia e as eleições.

Jânio Quadros também fez do jingle sua marca quando foi às ruas com varre, varre vassourinha. A canção o acompanharia em todas as suas campanhas políticas até 1985, quando venceu as eleições para a prefeitura de São Paulo.

Nos anos 30, no cinema o que estava em voga eram os filmes que imitavam a cinematografia estadunidente. Produtoras brasileiras só rodavam chanchadas, filmes de enredo ingênuo, humorístico, regados a muita marchinha de carnaval. E foi nessa mesma estética que os primeiros jingles políticos no Brasil eram criados. Durante 30 anos, de 1930 a 1960, foram os hinos, as marchas, o samba e as músicas carnavalescas que predominaram entre os gêneros musicais mais utilizados pelos jingles políticos. E para fazer mais sucesso, a escolha e preferência por cantores famosos da época para interpretar os jingles já eram uma prática dos políticos.

Desde seu surgimento, o jingle político não parou mais de ser utilizado e, ainda com as novas mídias e tecnologias de comunicação, permanece vivíssimo ecoando em nossos ouvidos durante o período eleitoral.

Em seu artigo ‘Jingles Políticos: estratégia, cultura e memória nas eleições brasileiras’ o cientista social Luiz Cláudio Lourenço (2), nos lembra, que “as relações entre música e política no Brasil são mais antigas que a própria república e se já aparecem na composição de nosso primeiro hino nacional, hoje hino da independência, na pareceria Evaristo da Veiga e D. Pedro I. Esta relação, política e música, passou pela música de escárnio e a paródia política que foram as raízes dos jingles políticos-eleitorais que perduram até hoje”.

Márcia Vidal Nunes (3), em seu livro ‘O rádio no horário eleitoral de 2002: a sedução sonora como estratégia de marketing’, estuda a linguagem sonora no meio radiofônico nas campanhas eleitorais brasileiras. Segundo ela, o jingle congrega algumas características próprias: emocionalidade, fala reiterativa, conversa fixadora e imagem marca. Características estas que se apresentam em todos os jingles políticos. Seria o jingle, então, o elemento de síntese da imagem do candidato, de suas virtudes e pontos fortes, assim como de suas propostas com uma linguagem emotiva, que reforce estes pontos, tentando fixar no eleitor uma ideia-chave, um conceito, sobre a candidatura (4).

Quanto vale o show?

Hoje, encontramos na Internet milhares de agências de publicidade que oferecem o serviço, mas embora a produção de um jingle, que gira em torno de R$ 1.000,00 não seja exorbitante dentro dos gastos da campanha eleitoral, a criação, produção e pagamento do cachê do intérprete pode ultrapassar R$ 10.000,00.

Esteja atento aos chicletes que soarão no seu ouvido nessas eleições e não caia no samba à toa. Lembre-se da sociedade do aplauso, a mesma que lota estádios de futebol aos domingos, mas que na hora de escolher seu representante governamental diz que não gosta de discutir política.

Listamos os links dos jingles de alguns candidatos ao governo de Rio das Ostras para que você conheça e reflita sobre suas mensagens e de forma alguma queremos com isso dar publicidade a esses candidatos ou reforçar sua imagem, ao contrário. Só não poderíamos deixar de fora deste breve artigo o tema que nos trouxe aqui. Vale ainda a ressalva de que linkamos estes abaixo apenas, pois não há postagens ainda na Internet de jingles de outros candidatos.

Jingles históricos de campanhas para a Presidência da República

http://www.youtube.com/watch?v=o2ETCBNaJrs&feature=related

Depoimento dos irmãos Jean e Paulo Garfunker (20 anos compondo jingles para campanhas políticas)

 http://www.youtube.com/watch?v=edIoPfGV3Hs

Jingle do Sabino para sua campanha a prefeito de Rio das Ostras, em 2008

Perceba que à época ainda havia um forte apelo romântico na composição, diferentemente de seu jingle atual, que remete o ouvinte a um estado de euforia e menos meditação. Nesse tempo, Rio das Ostras estava recebendo novos eleitores, mas não como hoje, que o número de habitantes e votantes no município evoluiu significativamente. Observe na nova música do candidato para a campanha 2012, a marchinha e uma tentativa de menção ao novo, atual, eletrônico. Mudaram os eleitores, mudou o apelo.

http://www.youtube.com/watch?v=X3Bg9-UzJok

Jingle da campanha 2012 de Sabino

http://www.youtube.com/watch?v=Rt_bjKCM6RU

Jingle da campanha 2012 de kátia Brandão, candidata ao legislativo de Rio das Ostras

http://www.youtube.com/watch?v=-4flweaIsjI&feature=related

Jingle da campanha 2012 de Rosenildo Correa Viana, candidato ao legislativo de Rio das Ostras

http://www.youtube.com/watch?v=vR4uWOrJF_0

 (1)  Jornalista, Pós-graduanda em Sociologia Política pela Universidade Federal do Paraná e mestranda no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná. Participa como integrante do grupo de pesquisa JORXX.

 (2)    Cientista social, professor do Departamento de Sociologia da Universidade Federal da Bahia.

 (3)    Doutora em Comunicação e Política da USP.

Comentários desativados em Jingles políticos em Rio das Ostras: o ‘chiclete de orelha’ dos candidatos já está tocando por aí

Rio das Ostras, Rosemberg Cariry, e os Núcleos Audiovisuais de Desenvolvimento Sustentável

Posted in Brasil, Cidade, Comunicações, Cultura, Economia, Videofonia by ImprensaBR on 01/08/2012

LB

O Conselho Superior de Cinema terá sua diretoria renovada. Rosemberg Cariry, que presidia a atual gestão enviou um e-mail, que deveria ser lido por todos que pleiteiam cargos no setor de Cultura nos próximos mandatos políticos.

Estou temerosa pelos rumos que as discussões sobre cultura – e dentro dela o setor audiovisual -, vem tomando em Rio das Ostras. Pelo que consta, querem transformar Rio das Ostras numa ‘roliúdi’ roceira metida à besta e superfaturada. Vejo o caminho inverso do que Rosemberg fala em seu documento acontecer aqui em casa, por que seria?

Em tempo… a…

Cultura (gestão) tem que ser feita e pensada por gente do lugar. Não adianta falar de glocalização, de absorção de culturas e transcriação de saberes e tradições porque isso não funciona na vida burocrática. Fica lindo apenas nos livros densos de antropologia, mas no gabinete e nas ruas, nos muros, nas telas, a cultura é feita de outra maneira. E quem pensa essa cultura, para vibrar por ela, precisa sentir-se pertencente ao lugar, a essa cultura. A afirmativa não é hermética, apenas uma identificação do que funciona e do que não funciona na gestão deste setor.

Não gostaria de ver a nova gestão que virá – seja qual for – suplantar as iniciativas culturais que brotam do povo, dos agentes culturais locais, mas sei que o caminho para que o setor tenha uma gestão coletiva e coerente com o modelo mais básico de gestão cultural que está rolando mundo afora e Brasil a dentro, será de muita luta e alguns desgaste, prevejo.

Leia a carta e-mail enviado por Cariry.

IDEIA PARA ELABORAÇÃO DO PROGRAMA DOS NÚCLEOS AUDIOVISUAIS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (correspondentes aos núcleos de agricultura familiar)

Valorização, consolidação e inclusão das micro, pequenas e médias empresas, voltadas para a produção audiovisual regional, já instaladas ou que venham a ser instaladas, de forma a integrá-las no processo nacional de desenvolvimento sustentável do audiovisual.

Um breve diagnóstico aponta que muitas destas micro, pequenas e médias empresas, ONGs e núcleos familiares, ligadas a atividades audiovisuais, tematicamente especializadas na produção de vídeos (cantorias, romarias, turismo, religiões afro-brasileira, espiritismo, música, futebol e etc) devem ser atraídas para a inclusão legal, através do apoios às suas atividades produtivas e treinamento especializado das suas equipes.

Isto significará milhares de micro, pequenas e médias empresas incluídas ao processo de legal do crescimento econômico brasileiro e as pequenas e micro empresas irão produzir centenas de horas de conteúdo audiovisual, tecnicamente melhorado, que poderão fluir não apenas no mercado informal de DVDs (como acontece agora), mas também nas TVS comunitárias e públicas e mesmo em algumas salas, através de circuito popular de exibição digital, a exemplo de alguns filmes de longas-metragens que fazem imenso sucesso no mercado informal. Terá especial atenção, neste programa, as pequenas produtoras de filmes de Arte que trazem prestígio para a nação e valorizam o nosso capital simbólico, neste caso se aposta também na juventude e na renovação de linguagem.

Através de uma ação interministerial (Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Ministério da Indústria e Comércio, Ministério de Ciência e Tecnologia, Ministério do Trabalho, Ministério da Economia e etc) seriam criadas linhas de créditos específicos, editais específicos, programas de inclusão e de melhoramentos para as micro, pequenas e médias empresas, nas cinco regiões do país. A SAV e o SEBRAE, junto com outros ministérios e secretárias, podem trabalhar juntos neste projeto. Uma ação como esta vem de encontro aos esforços do governo federal para o crescimento e sustentabilidade da indústria e do processo econ�?mico brasileiro.

É preciso criar novos paradigmas e tirar do audiovisual o seu escopo excludente e a sua aura de inatingível, reservada apenas para as empresas de maior porte e os grandes produtores, em uma concentração de renda antissocial e contrária à integração nacional e ao pacto federativo.

Temos duzentos milhões de habitantes neste país e um filme nacional considerado de sucesso tem um 2 milhões de espectadores, portando todo o dinheiro investido na cultura vai para financiar o privilégio de 1% fs população, confinada ao espaço do shopping center. A pergunta que não quer calar é: existe vida inteligentes fora dos shoppings center? Por que não fazemos o menor esforço para que o cinema saia dos guetos dos shoppings center? A quem interessa este atual modelo? Perguntem ao homem Aranha e a resposta virá no extrato da sua conta bancária.

É preciso seguir o exemplo da agricultura familiar, responsável pela parte do alimento que chega à mesa do cidadão brasileiro. No caso do audiovisual estamos falando do pão do espírito, em “Padaria espiritual”, como queriam os modernistas cearenses, no ano de 1892, antecipando em 30 anos a semana de arte de 22.

No novo modelo, seriam financiadas também micro, pequenas e médias empresas de distribuidores e exibidores, com atuação regional e nacional. Volta-se à ideia dos cinemas de família (3 a 10 salas por empresa), em cidades pequenas e de porte médio, bem como os cinemas itinerantes (centenas de cinemas ambulantes, como na Índia), rodoviários e hidroviários, com apoio do BNDS, Banco do Nordeste e outros bancos de desenvolvimento regionais, SEBRAE, da SAV, da ANCINE e de outros ministérios através de um programa comum. Também os cineclubes seriam convidados a participar deste processo, retomando o exemplo do projeto do CINEPOP. Seriam assim financiadas, por todo o país, núcleos sustentáveis de micro, pequenas e médias empresas regionais de exibição e distribuição, de modo a criar um novo modelo social, econ�?mico e cultural para o cinema brasileiro. Podemos ser a Nova Índia, assegurando para o produto audiovisual brasileiro mais de 60% do mercado interno. Isto
significaria também uma grande injeção de recursos na economia popular, podendo tal projeto ser compreendido dentro das políticas de distribuição de renda e de compensação postas em prática pelo Governo brasileiro. Todas as salas seriam com exibição digital através de tecnologias já existentes, desenvolvidas pelas universidades brasileiras. Os cinturões digitais instalados no diversos estados contribuiriam para a difusão destes conteúdos audiovisuais.

Outra proposta que pode transformar por completo o panorama atual do audiovisual no Brasil e que, no mínimo, 50% de todos os filmes realizados no país, depois de cinco anos do seu lançamento, fossem submetidos a uma comissão pública, com membros de diferentes áreas da cadeia produtiva e das representações sociais, �?para serem licenciados, ao custo médio – por exemplo – de R$200.000,00 ou R$ 300.000,00 cada um, para exibição em todo os circuitos de TVs públicas, TVs Educativas, TVs comunitárias, de infovias (banda larga), hospitais, asilos de terceira idades, creches, sindicatos, comunidades quilombolas, etc e etc. Sendo também acessível o seu uso pelas escolas públicas e universidades brasileiras. Este programa será desenvolvido pela Programadora Brasil, devidamente transformada, com um conselho com representante de todas as regiões do país e não apenas do sudeste, que ampliará a compra de direitos também para distribuição em bancas de revistas e livrarias da produção nacional, a preços populares (tipo cinco reais um DVD). Ao mesmo tempo em que o produtor audiovisual brasileiro estaria sendo visto por milhões, estaria também sendo reforçadas as produtoras como pequenos núcleos sustentáveis de produção. Este dinheiro obtido com a venda das licenças financiaria ou ajudaria a financiar o novo projeto da pequena empresa e o surgimento de uma indústria sustentável e de um cinema verdadeiramente popular. Viveríamos um boom de desenvolvimento no setor.

PROJETO SUSTENTÁVEL DE DESENVOLVIMENTO AUDIOVISUAL REGIONAL

A SAV, juntamente com a ANCINE, cuidará de articular novos arranjos produtivos, através de Fundos Regionais Audiovisuais e projetos sustentáveis para o desenvolvimento audiovisual nas cinco regiões do Brasil.

A ideia de criação destes fundos e projetos sustentáveis para o desenvolvimento audiovisual, nas regiões, parte da premissa de que é preciso mudar o quadro que se está desenhando de forma concentracionário e asfixiante da diversidade, ampliando a produção audiovisual em todo o país, incentivando novos modelos de produção (novos arranjos produtivos) e de construção estética.

No Nordeste, a sugestão é de que o fundo seja composto por recursos do FSA, do FNE (Fundo Constitucional para Desenvolvimento do Nordeste), do Banco do Nordeste, do BNDES e por empresas públicas e privadas que já participam de muitas produções cinematográficas (trata-se agora de ordenar, de racionalizar, de melhor operacionalizar estes investimentos).

O Nordeste (assim como as outras regiões do Brasil) pode se tornar uma Nova Índia, no que se refere à produção do audiovisual popular. É preciso lembrar que a indústria do forró, do axé, dos festejos de São João (incluindo o mega negócio que é o carnaval no Nordeste), independente dos poucos méritos culturais e estéticos, cresceu à margem de todas as multinacionais do disco e mesmo das grandes redes de televisão e é hoje um negócio de milhões e milhões de reais, forçando a indústria de entretenimento do sudeste a ficar como seu reboque.
Se foi possível para estes setores é possível também para o audiovisual.

Quando falamos em região não estamos falando em espaços fechados e em econ�?micas estáticas. É preciso pensar os fundos regionais abertos para a produção inter-regional. Tudo isto, somado aos editais estaduais existentes, voltado apenas para os realizados dos estados, seria de grande importância e ajudaria a mudar o atual perfil da produção brasileira.

Uma outra ideia que toma corpo é que cada uma das regiões tenham uma TV Pública (TV NORDESTE, por exemplo), via satélite, reunindo o melhor das programações das TVs educativas, culturais, comunitárias e universitárias regionais. Em cada um destas TVS regionais haverá reserva de conteúdo para outras regiões, de tal forma que seja estabelecida uma grande e generosa rede de produção e exibição de conteúdo brasileiro. Todo o país poderia se ver via satélite.

O produtor Luiz Carlos Barreto apoia e integra todas estas ideias ao plano que ele está propondo, juntamente com várias entidades do cinema brasileiro, para discussão junto ao Governo Federal, ao MinC, à Ancine, à SAV e outras instituições.

Peço à secretaria do Conselho Superior de Cinema que deixe devidamente registrada em ata estas propostas que não são minhas. Em verdade, são propostas democráticas e transformadoras de amplos segmentos sociais da nação brasileira.

 

Comentários desativados em Rio das Ostras, Rosemberg Cariry, e os Núcleos Audiovisuais de Desenvolvimento Sustentável

Fiscalização da Guarda Municipal de Rio das Ostras multa sem critério, em Mariléa

Posted in Cidade, Denúncia by ImprensaBR on 01/08/2012

LB

Estão sendo multados neste momento dezenas de motoristas que seguem pela rua Niterói, principal via do bairro Jardim Mariléa. O novo sentido da rua Niterói mudou esta semana e, sem orientar os antigos motoristas que passam pelo percurso há anos, e ainda não sabem da alteração, os guardas estão multando indiscriminadamente os motoristas.

A ronda d’O Polifônico desta manhã viu um trabalhador de uma empresa de antenas sendo multado porque transitava na via, na altura da rua Barra Mansa. Indignado ao ver o guarda com um bloco na mão anotando alguma coisa que poderia ser uma multa, o motorista parou o carro e desceu para saber do que se tratava. “Você não pode me multar antes de me notificar! Nem sei o que está acontecendo. O que houve?”, indagou o trabalhador.

Sem muitas explicações, o guarda municipal permaneceu o expediente e concretizou a multa.

Atenção motoristas de Jd. Mariléa, a ordem da Guarda é multar para arrecadar! Os servidores da Guarda estão na rua Niterói com cara de bicho, encarando quem passar com um bloquinho na mão.

Atenção ainda para o novo sentido da rua Niterói, que depois de sempre, passou a ser mão única para  quem segue da rodovia do Contorno para o Centro. O sentido inverso deve ser feito pela rua Macaé, paralela a Niterói.

Comentários desativados em Fiscalização da Guarda Municipal de Rio das Ostras multa sem critério, em Mariléa

Rio das Ostras na mira do TRE

Posted in Cidade, Eleições 2012, Política by ImprensaBR on 30/07/2012

Por Leonor Bianchi

A partir desta semana, antecipando as ações que começariam mais próximas ao peito de outubro, o TRE inicia uma série de operações surpresa nas cidades que receberiam reforço policial e a força do exército durante as eleições para vereador e prefeito deste ano.

A antecipação deve-se ao assassinato neste sábado do candidato a vereador no município de Magé, o sargento da Polícia Militar, Marcelo Rodrigues dos Santos, conhecido como Marcelo Coelho, 40, que morreu ao levar três tiros na cabeça, em um bar de sua propriedade.

Rio das Ostras é uma das cidades que receberá fiscalização intensiva do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) durante as eleições, mas o argumento levantado para justificar essa fiscalização na cidade não seria o desbaratamento de esquemas de milícias e sim os royalties de petróleo que Rio das Ostras recebe.

Assim como Rio das Ostras, na região da Baixada Litorânea, Campos, Macaé, Cabo Frio, Itaboraí e São Gonçalo também receberão reforço na segurança e intensa fiscalização do TRE nessas eleições. “Em todo local onde entra muito dinheiro há briga. A fiscalização do TRE terá presença ostensiva nas áreas, para coibir abusos”, diz o desembargador Luiz Zveiter, o presidente do TRE.

Nas eleições de 2008 a milícia impediu que alguns candidatos tivessem acesso a locais controlados por milíciantes ou traficantes. Foi o caso da Rocinha, onde somente o já falecido Claudinho da Academia podia fazer campanha.

O atual candidato a prefeitura do Rio de Janeiro e ex-presidente da CPI das Milícias, o deputado estadual, Marcelo Freixo (Psol), sofreu e ainda sofre diversas ameaças, precisando manter segurança para si e sua família, cotidianamente.

O ex-vereador Jerominho, a filha dele e vereadora Carminha, o ex-deputado estadual Natalino e Luiz André “Deco” são alguns dos presos acusados de comandar milícias.

Em Rio das Ostras, nas eleições para deputado estadual, em 2006, o candidato pelo PSC  ao governo municipal este ano e ex-prefeito por dois mandatos na cidade, Alcebíades Sabino, foi acusado de participar de um esquema de compras de voto em Silva Jardim. Este mesmo candidato consta da lista dos políticos que receberam dinheiro da Locanty para sua campanha em 2010, quando disputava pela segunda vez a Alerj, uma das empresas denunciadas por oferecer propinas para ganhar licitações na área da saúde. Só em 2010, foram mais de R$ 1,4 milhão para quatro campanhas eleitorais.

Comentários desativados em Rio das Ostras na mira do TRE

Técnica de Enfermagem manda carta para o jornal Folha Dirigida reclamando a anulação do VI concurso público de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Denúncia by ImprensaBR on 20/07/2012

Rio das Ostras: faltam argumentos

Gostaria de demonstrar o meu descontentamento com a suspensão e possível anulação do concurso da Prefeitura de Rio das Ostras, tendo em vista que todos os argumentos apresentados não são suficientes para tanto.

Segundo a decisão judicial, a Fundação Trompowsky é acusada de várias coisas, como plágio e improbidade administrativa, já que foi contratada para criar questões e não para copiá-las. Acredito que se isso aconteceu mesmo, os direitos dos candidatos que foram lesados devem ser preservados e a organizadora punida da forma que tiver que ser.

Mas e os cargos que não tiveram esse problema? Será que todos nós devemos pagar pelo erro deles? Eu fiz a prova de técnico de enfermagem, que foi integralmente anulada porque a parte específica era para técnico de enfermagem do trabalho.

Portanto, tive mais despesas para me deslocar do Rio de Janeiro a Rio das Ostras, já que fiz isso por duas vezes, e acredito que a maioria dos candidatos com esse problema também se encontravam na mesma situação que a minha.

Espero que, no fim das contas, a justiça seja feita e que concentre seus esforços nas áreas que apresentaram problemas, liberando o restante para que os candidatos classificados possam, enfim, tomar posse dos seus cargos.

Fabíola Oliveira – por e-mail

 

Comentários desativados em Técnica de Enfermagem manda carta para o jornal Folha Dirigida reclamando a anulação do VI concurso público de Rio das Ostras

Teatro de Horror e Jazz: Atriz Carolina Fauquemont, e diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho falam a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 19/07/2012

A cena teatral de Curitiba também se apresenta no Estúdio Móvel nesta terça!
A atriz Carolina Fauquemont e o diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho conversam com Liliane Reis sobre projetos e a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras, no Rio, além de falar sobre o trabalho que desenvolvem inspirados no teatro de horror. Kanny Barron é outro convidado, ele fala da sensação de participar do Festival.
O premiado saxofonista David Sanborn também bate um papo com a equipe Estúdio Móvel.

Comentários desativados em Teatro de Horror e Jazz: Atriz Carolina Fauquemont, e diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho falam a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras

Nada Deve Parecer Impossível De Mudar

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Eleições 2012, Esporte, Matheus Thomaz by ImprensaBR on 04/07/2012

Por Matheus Thomaz

Desconfiai do mais trivial,na aparência singelo.

E examinai, sobretudo, o que parece habitual.

Suplicamos expressamente:

Não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,

Pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada,

de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada,

nada deve parecer natural

nada deve parecer impossível de mudar.

(Bertolt Bretch)

Terminou o prazo para a formalização das candidaturas tanto a prefeito como de vereador para as eleições deste ano. Outro veículo de informação local afirmou que serão 4 os postulantes ao cargo de prefeito de Rio das Ostras. Uma chapa com um azarão da burguesia local, um braço político do Garotinho, o Deputado Sabino e o atual vice-prefeito. Essas quatro candidaturas resultam do fracionamento das forças que dominam Rio das Ostras desde sua emancipação.

Porém existe mais uma candidatura! O Partido Socialismo e Liberdade, PSOL, apresentou sua chapa ao pleito. Concorrendo sem alianças o partido aposta na onda solar da primavera carioca. A convenção aconteceu na última sexta-feira, dia 29 de junho. Mais de 100 pessoas estiveram na Câmara de Vereadores para dar apoio e prestigiar o lançamento. Não teve queima de fogos, carreata ou quaisquer outros estardalhaços.  O objetivo não era um espetáculo para a sociedade ou mais uma encenação da sociedade do espetáculo, os ventos ali eram sugestivos de mudança. Ventos que semeiam campos e junto aos passarinhos da liberdade espalham as sementes das flores primaveris.

A chapa do PSOL é composta por dez candidatos a vereadores e tem como candidata a Prefeita Lena, de 39 anos, auxiliar de serviços gerais contratada da Escola Jacintho e presidente da Associação de Moradores do Âncora. Líder comunitária aguerrida que nunca se furtou em enfrentar e denunciar a gestão municipal no seu (dês)gorverno a favor de uns poucos. Sua luta é por questões elementares como água, iluminação, segurança, saúde, transporte e educação.

O PSOL vai apresentar um programa consistente para a cidade de Rio das Ostras. O conjunto da militância já tem uma boa análise geral e de algumas áreas específicas das políticas sociais como: educação, transporte e saúde. É parte da discussão do PSOL também a questão do combate às opressões, a questão da mulher, dos LGBT’s. Rio das Ostras tem uma questão ambiental muito séria, a forte tensão entre busca de lucros pela especulação imobiliária e a preservação de características naturais e uma ocupação planejada do espaço. Será apresentado o debate do ecossocialismo com propostas concretas. É também preocupação a questão democrática e a participação popular com a idéia de fortalecer os conselhos de políticas e de direitos.

A proposta é uma mudança de prioridade nas finanças públicas, a cidade não será mais uma sala de negócios de meia dúzia de empresas em quanto que a população e as políticas públicas ficam com as migalhas que caem do banquete farto da burguesia. O PSOL se propõe a fazer uma grande auditoria em todas as contas e contratos de serviços da prefeitura, passar um pente fino nas finanças públicas. Reduzir o desperdício e melhorar a qualidade do gasto público, acabar com o cabide de emprego com cortes de cargos desnecessários como fiscal de corredor e secretário do carro oficial.

Havia uma energia forte na convenção. Trabalhadores e estudantes lá presentes tinham um brilho nos olhos, eles sabem que estão fazendo história. Terão uma batalha dura e difícil pela frente, enfrentar toda a máquina eleitoral do governo municipal e estadual e mais as altíssimas cifras que essas candidaturas arrecadam junto a empresários muito interessados em política. Dirão que os lutadores são como o Incrível Exército de Brancaleone, partirão para desqualificação. Mas tentarão a todo custo os fazer invisíveis! Farão isso por que temem esses jovens com brilhos nos olhos e coragem nos corações. Temem a força do povo, temem a consciência política da população.

Já experimentaram esses ventos fortes de lutas. Acredito que não tenham se esquecido do último sete de setembro, o Grito dos Excluídos de Rio das Ostras. O grito foi tão ensurdecedor que fez o prefeito sair zonzo, calado e derrotado de seu palanque. Essa voz já se levantou em outros momentos como no 15-O, como a Marcha da Maconha, Marcha da Liberdade, nas grandes manifestações protagonizadas pela comunidade universitária da UFF, nas mais de 500 pessoas que foram às ruas protestar contra as quatro secretarias falcatruas que foram criadas. Ainda assim tentarão dizer que esses movimentos são vazios.

Dirão que esses do PSOL são só uns pobres jovens sonhadores, que a política não é para eles. Que não se chega a lugar nenhum sem aliança e coligação. Que a política sempre foi assim, que sem gastar uma dinheirama não se elege. Repetirão centenas de vezes que só um deles tem chance de ganhar, que votar no PSOL é desperdiçar o voto.  Que é impossível fazer diferente! Que eles sabem como fazer política.

Em todo esse contexto a candidatura do PSOL representa a esperança.

É a mais singela expressão de que nada deve parecer impossível de mudar.

Comentários desativados em Nada Deve Parecer Impossível De Mudar

Mostra Cinema Popular Brasileiro seleciona currículos de produtores culturais para edição 2012

Posted in Cidade, Cultura, Videofonia by ImprensaBR on 27/06/2012

A 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro está recebendo currículos de captadores de recursos para projetos culturais e interessados em atuar na equipe de produção da mostra deste ano.

A mostra acontece na cidade de Rio das Ostras em novembro próximo.

Interessados devem residir em Rio das Ostras, Macaé ou Barra de São João.

Enviar currículo com carta de apresentação argumentando o por quê quer atuar no projeto e qual a relação com a produção audiovisual para cinemapopularbrasileiro@gmail.com até 1 de julho de 2012.

Saiba mais sobre a Mostra Cinema Popular Brasileiro em:

http://www.mostracinemapopularbrasileiro.wordpress.com

Comentários desativados em Mostra Cinema Popular Brasileiro seleciona currículos de produtores culturais para edição 2012

O Polifônico encontra com Cosme dos Santos, forte indicado para ser o novo presidente da Fundação Rio das Ostras de Cultura em 2013

Posted in Cidade, Cultura by ImprensaBR on 25/06/2012

Neste sábado, tive a oportunidade de conhecer mais a pessoa que tem hoje forte indicação de um dos candidatos ao executivo municipal em Rio das Ostras para ser o presidente da Fundação Rio das Ostras de Cultura nos próximos quatro, oito anos.

Estou falando de um nome já tantas vezes mencionado por mim aqui nesta polifonia; o do ator Cosme dos Santos. Ator que começou carreira aos cinco anos de idade em um dos clássicos filmes da cinematografia brasileira dirigido por Riberto Farias; Assalto ao trem pagador.

Conversamos muito. Cosme está cheio de gás e se colocou à disposição para diálogos mais aprofundados.

Só espero que em sua gestão, caso assuma a FROC, ele não rode o Terra dos Peixes (idea minha levada à presidente da Fundação em 2007 quando o livro fez 10 anos, mas obviamente que FROC não ‘comprou’ a ideia e sua presidente à época Mara Froes, tentando me desestimular, ainda mandou me avisar (já que ela mesma nunca me recebeu em seu gabinete para uma breve entrevista quanto mais  para ouvir sobre propostas minhas a respeito de rodarmos um documentário sobre o livro Terra dos Peixe) que já estavam fazendo o projeto do livro em audiovisual, (Pilantra! Tava nada!), e faça outra Mostra de Cinema na cidade que não seja a MOSTRA CINEMA POPULAR BRASILEIRO, produzida por mim há nove anos!!! Seria horroroso ver isso acontecer!

Cosme disse que uma das ações da Cultura será fazer um evento grande de cinema na cidade e também filmar o livro Terra dos Peixes. Bem, ambas as ações já são feitas por mim, quero só saber qual o rumo darão a elas, uma vez institucionalizadas. Será que vão nos convidar para o debate ou veremos nosso trabalho de anos ser subestimado?

A ocasião em que nos encontramos foi o Arraiá da Cia. Pigmentus, no Âncora. A festa foi linda e a Fundação Rio das Ostras de Cultura foi muito citada pelos organizadores da mesma como um elemento fundamental para que o evento fosse possível.

A estrutura do local teve barraquinhas e sanitários químicos ‘emprestados’ pela Secretaria de Turismo (eu erroneamente tinha mencionado que essa estrutura tinha sido oferecida pela FROC, mas a produção da Cia. Pigmentus já me ligou dando a informação correta), afinal os proponentes da Cia. Pigmentus são muito próximos do Carlos Henique Pimentel, ‘ator’, professor de Teatro da Casa da Onda e pessoa que esteve à frente da Cultura riostrense com Mara e Selma nos últimos 20 anos

Agora vejam o que é possível ser feito quando temos o apoio da gestão pública, independentemente se esse apoio vem da FROC, do Turismo… !!!! Imaginem se isso fosse para todos. Digo… o APOIO.

Desejo sucesso aos amigos da Cia. de Teatro Pigmentus e anos de vida à casa que inauguraram neste último sábado com a proposta de ser um centro de convivência e produção de cultura. É exatamente disto que Rio das Ostras precisa.

Cosme dos Santos, meu companheiro Rúben Pereira, e eu.

Comentários desativados em O Polifônico encontra com Cosme dos Santos, forte indicado para ser o novo presidente da Fundação Rio das Ostras de Cultura em 2013

Sugestão de sindicatos do Rio de Janeiro vira projeto de lei

Posted in Cidade, Coluna do Servidor by ImprensaBR on 02/06/2012

A Comissão de Legislação Participativa transformou no Projeto de Lei 3991/12 a sugestão para alterar a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT – Decreto-Lei 5.452/43) e tornar imediata a vigência das convenções e acordos coletivos de trabalho. A legislação atual dá um prazo de três dias até a aplicação da convenção.

A mudança está prevista na Sugestão 45/12, enviada à Câmara pelo Sindicato dos Trabalhadores de Serviços Gerais Onshore e Offshore de Macaé, Casimiro de Abreu, Rio das Ostras, Conceição de Macabu, Quissamã e Carapebus, todos municípios do estado do Rio de Janeiro. Agora, a sugestão passa a tramitar como projeto de lei, que será analisado pelas comissões temáticas da Casa.

O sindicato argumenta que os três dias entre a assinatura e a vigência dos acordos coletivos é prazo suficiente para que os patrões despeçam alguns empregados para fugir das novas regras.

O relator da sugestão, deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), apoiou a transformação da sugestão em projeto de lei. Para ele, a mudança vai dar mais segurança jurídica aos trabalhadores.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Comentários desativados em Sugestão de sindicatos do Rio de Janeiro vira projeto de lei

Greve deve atingir as quatro universidades federais no Rio

Professores da UniRio e da UFRRJ já estão parados. Docentes da UFF cruzam os braços nesta terça-feira e UFRJ discutirá assunto

Cecília Rito, do Rio
UnB: docentes iniciam greve por tempo indeterminado
Greve atinge 41 unidades de instituições de ensino superior, como a UnB (na foto). (Wilson Dias / Agência Brasil)

Das quatro universidades federais do Rio de Janeiro, duas estão em greve. Nesta segunda-feira, cursos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e da Universidade Federal Rural do Rio (UFRRJ) estavam paralisados. Na terça-feira, a Universidade Federal Fluminense (UFF) também vai aderir ao movimento. Está marcada para as 14h a assembleia geral de greve, seguida por um ato público. No mesmo dia, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também realizará assembleia para definir se os professores cruzam os braços. Na semana passada, houve uma reunião em que foi aprovado o indicativo de greve. No dia 17, a UFRJ fez paralisação em alguns cursos.

Leia também:
Sobe para 41 o número de unidades federais de ensino superior em greve

Os integrantes do Sindicato dos professores da UFRJ (Adufrj) realizaram assembleias em todos os cursos, com exceção de enfermagem, letras e do Centro de Ciências da Saúde. “Independentemente de aprovar ou não a greve, a indignação é muito grande”, afirma o presidente do sindicato, Mauro Iasi. Os professores reivindicam um plano de reestruturação da carreira e melhores condições de trabalho e infraestrutura.

Um dos problemas das universidades é consequência do Reuni, programa do governo federal que tem por objetivo ampliar o acesso ao ensino superior. Na UFRJ, vieram à tona as deficiências no curso de medicina em Macaé, cidade do Norte Fluminense, onde os alunos sequer contam com um hospital universitário para as aulas práticas. O resultado foi a transferência de 50 estudantes para a campos do Fundão, onde o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho não atende as demandas dos próprios alunos.

Na UFF, alguns cursos abertos em Rio das Ostras, na Região dos Lagos, usam contêineres como sala de aula. A presidente do sindicato dos professores da UFF, Eblin Farage, lembra que faltam laboratórios, recursos para obras iniciadas e técnicos do administrativo. “Não há condições de desenvolver o tripé estudo, pesquisa e extensão. Não é uma discussão exclusiva do professor, mas também do aluno, que fica prejudicado com tudo isso”, afirma Eblin.

A Unirio, a UFFRJ e a UFF trabalham com a ideia de “construção da greve”. Um movimento que deve ganhar adesão do corpo docente com o passar dos dias. Na Rural, o sindicato dos professores da universidade estima que 90% estejam em greve. “Não há notícias de um curso inteiro que não tenha aderido. Existem questões locais, mas observadas em várias universidades, todas ligadas ao programa de extensão (Reuni). Hoje, há problemas em obras iniciadas durante a expansão, falta de docentes e um número pequeno do setor administrativo para dar conta da expansão. Também existem dificuldades estruturais que dizem respeito à infraestrutura instalada, sem serem renovadas ou recuperadas”, explica Alexandre Mendes, professor de direito e integrante do comando local de greve da UFFRJ.

A categoria quer a incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios (e não os 17 de atualmente), variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo de 2.329,35 reais do Dieese e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho. A reestruturação da carreira, ponto central da greve, começou a ser discutida em 2010, segundo o Andes. O governo federal propôs que as federais não entrassem em greve e ampliassem o prazo de negociação até o dia 31 de março. Como o tempo estabelecido se esgotou sem avanços, os professores prometeram o que já vinham alardeando.

Fonte: Veja

Comentários desativados em Greve deve atingir as quatro universidades federais no Rio

Protagonize! Jornal perde a pauta do ATO Público em Rio das Ostras e sugere que militantes que estiveram presentes escrevam coletivamente uma matéria jornalística para o veículo

Fiquei de fora e perdi a pauta

Por Leonor Bianchi

Caros leitores do jornal O Polifônico, seria interessante que os militantes se unissem mais uma vez para relatar a quem não pode estar no ato, ontem como o mesmo aconteceu, quem esteve presente, como expuseram as falas, como se portaram as forças sindicais, os servidores públicos, moradores, comerciantes locais… a prefeitura deve ter se infiltrado como sempre faz e mandado a PM e a GM aumentarem a ronda e o efetivo no local. Alguém deu as caras? E os pré-candidatos para o legislativo??? Muitos por perto? E os vereadores que aprovaram a lei da criação das novas quatro secretarias, alguém? A TV cobriu? Quem, quero assistir!!!

Interessa saber como foi o ato e que mensagem ele conseguiu transmitir.

Seria interessante àqueles que foram a redação de uma matéria coletiva com depoimentos de muita gente que esteve na rua, ontem! Quero muito ler sobre o ato no jornal e acho que assim como eu, que não pude estar na praça, muitas outras pessoas também querem, mas como não fui… não tem matéria hoje no jornal… e quem deve ter feito matéria…. além de não ter nem de longe comprometimento com a militância e com o jornalismo, vai reproduzir – como já diz a palavra -, uma réplica, uma cena-simulacro da manifestação.

Lamento mesmo não poder estar com todos, ontem. Outra pauta obrigou-me a não estar lá. Pauta esta tão importante quanto a que caiu por eu tê-la perdido. Por isso, peço, sugiro a todos que façam uma matéria jornalística popular sem neuras academicistas e/ou preocupações com a forma.

O Polifônico está aberto para publicar e não queremos exclusividade, afinal há zilhões de outros jornais e sites que precisam de pautas, que precisam saber o que de fato acontece em Rio das Ostras, e a notícia não pode perder a atualidade. Escrevam e lancem na rede, já!

Relatar faz parte da memória da militância que estamos aprendendo a construir em Rio das Ostras desde o ano passado como o lindo ato do Grito dos Oprimidos!!!!!

Ilustrem a matéria com vídeos, fotos, cartazes!!!!

E Mais, estou fazendo desde já um blog para os movimentos sociais de Rio das Ostras e ‘convoco’ a colaboração de quem quiser. N’O Polifônico já há editoria sobre o assunto (Cidadania, Coluna do Servidor), mas podemos e devemos aprofundar a pauta. Há espaço para tanto e o momento é agora! É a história e a memória da cidade que escolhemos para viver que está em questão, é a nossa vida, somos nós e nossas famílias em questão. Somos nós esse sujeito histórico que precisa ser o detentor da caneta ou dos teclados e dedos que escrevem as páginas da História.

SEJA UM PROTAGONISTA DE SUA HISTÓRIA!

Abraços.

A luta não pode parar!

Comentários desativados em Protagonize! Jornal perde a pauta do ATO Público em Rio das Ostras e sugere que militantes que estiveram presentes escrevam coletivamente uma matéria jornalística para o veículo

Rede Hortifruti investe em novas lojas ao longo de 2012 – Uma delas será em Rio das Ostras

A rede Hortifruti, varejista no segmento de hortifrutigranjeiros, implementa o seu plano de expansão e abrirá, até dezembro, mais três unidades, duas na praça do Rio de Janeiro (Ipanema e Rio das Ostras) e uma em São Paulo. Atualmente a empresa possui 23 pontos de venda distribuídos nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

A Hortifruti registra um fluxo mensal de 1,6 milhão de clientes, que consomem cerca de 15 mil toneladas de frutas, legumes e verduras (FLVs).  Ao todo são quatro centros de distribuição (dois no RJ, um no ES e um em SP) e uma frota de 211 veículos que transportam produtos do campo até as lojas.

O maior percentual de venda é da categoria de FLVs, cerca de 40%, seguido de mercearia e delicatessen; processados e carnes. A  empresa ainda possui um cartão de crédito próprio com mais de 35 mil clientes ativos.

A Hortifruti destinou R$ 6 milhões para a verba de marketing e as campanhas continuarão focadas na saúde e nos benefícios dos FLVs. De acordo com o diretor de Comunicação e Novos Negócios, Fabio Hertel, essas  ações  têm o objetivo de comunicar  de maneira divertida os benefícios dos produtos que são comercializados pela rede.

“Investimos na vida saudável e acreditamos que de maneira leve atingimos pessoas de todas as idades. Queremos influenciar esta geração pra que seja sarada física e emocionalmente”, explicou Hertel.

Fonte: Meta Análise

Comentários desativados em Rede Hortifruti investe em novas lojas ao longo de 2012 – Uma delas será em Rio das Ostras

Fórum “Rio das Ostras +20” e expedição ambiental

Posted in Cidade, Educação, Meio Ambiente by ImprensaBR on 14/05/2012

Como atividade preparatória para a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20, que acontecerá entre os dias 20 e 22 de junho, no Rio de Janeiro, o Polo Universitário de Rio das Ostras (Puro) da UFF vai realizar uma expedição ambiental, em que os participantes farão uma visita às Usinas de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil e de Compostagem.

A expedição ambiental faz parte do Fórum “Rio das Ostras +20” que será realizado nos dias 25 e 26 de maio, no Puro, que fica na Rua Recife, s/n, Jardim Bela Vista. As inscrições estão abertas até o dia 16 de maio.

Os participantes contarão com palestras, mesa-redonda e oficinas com o propósito de debater assuntos relacionados ao meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável do município de Rio das Ostras.

Para inscrever-se no evento assim como para consultar a programação completa, os interessados deverão acessar o site: www.puro.uff.br.

Comentários desativados em Fórum “Rio das Ostras +20” e expedição ambiental

Fórum Rio das Ostras + 20: Inscrições vão até 16 de maio

Posted in Brasil, Cidade, Educação, Infraesturutura by ImprensaBR on 14/05/2012

O Pólo Universitário de Rio das Ostras (Puro) da Universidade Federal Fluminense está com inscrições abertas até o dia 16 de maio para o Fórum Rio das Ostras + 20, que será realizado nos dias 25 e 26 de maio na UFF. As inscrições podem ser realizadas no endereço www.puro.uff.br/node/930.

Veja a Programação:

Expedição Ambiental

Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil e Usina de Compostagem.

Atenção: Levar lanche para fazermos um Piquenique no Parque da Cidade!

Coordenação: Prof. André Cotta – Chefe do Departamento de Artes e Estudos Culturais – UFF

Local: concentração em frente ao Polo UFF de Rio das Ostras

Rua Recife s.n, Bairro Bela Vista – Rio das Ostras

Horário de Saída 7h 30 m as 8 h (Concentração)

Horário de Retorno: 12 h

Número de Vagas 24

ABERTURA DO FÓRUM RIO DAS OSTRAS +20

Mesa de Abertura

Coordenadora: Claudia A. Corrêa Zanellus – Coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental (NEAM)

Local: Auditório do Polo Universitário de Rio das Ostras

Horário: 18 h

Palestra

Tema: O meio ambiente nos 20 anos de história do Município de Rio das Ostras

Palestrante: Ivan Noé Freitas Antunes – Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente

Coordenador: Prof. Dr. Flávio S. Machado – Membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente

Local: Auditório do Polo UFF de Rio das Ostras

Horário: 19 h

DIA 26 DE MAIO

Sábado

Credenciamento

Local: Hall do Polo Universitário de Rio das Ostras

Horário: 8 h as 9 h

Palestras:

  •  Desenvolvimento sustentável – Sr. Mauro Prioste (Engenheiro /SEMAP)
  • Erradicação da Pobreza – Sr. Márcia Almeida (Secretária /SEMBES)
  •  Economia Verde – Prof. Dr. Flávio S. Machado (Polo UFF Rio das Ostras)

Coordenação: Prof. Sandra Maria do Amaral Chaves – Coordenação do Curso de Enfermagem

Local: Auditório do Polo Universitário de Rio das Ostras

Horário: 9 h as 12 h

Intervalo para almoço

Opcional: Cantina do Polo Universitário de Rio das Ostras

Self service R$ 1,70 100gr.

Reservas no ato da inscrição

OFICINAS

Tema: Desenvolvimento sustentável

Coordenadora: Claudia A. Corrêa Zanellus (NEAM)

Local: sala 01

Horário: 14 h as 17 h

Número de vagas: 30

Tema: Erradicação da Pobreza

Coordenadora: Prof.ª Renata Giovanella (Membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente)

Local: sala 02

Horário: 14 h as 17 h

Número de vagas: 30

Tema: Economia Verde

Coordenadora: Prof.ª Sandra M. do A. Chaves (Coordenadora do Curso de Graduação em Enfermagem)

Local: sala 03

Horário: 14 as 17 h

Número de vagas: 30

Período de inscrição: 07 a 18 de maio de 2012.

Comentários desativados em Fórum Rio das Ostras + 20: Inscrições vão até 16 de maio

SEPE Rio das Ostras e Casimiro de Abreu faz denúncia de nepotismo da Prefeitura de Rio das Ostras ao Ministério Público Estadual

Posted in Cidadania, Cidade, Coluna do Servidor, Educação, Estado by ImprensaBR on 09/05/2012

No próximo, dia 10 de maio, o  núcleo municipal do Sepe Rio das Ostras e Casimiro de Abreu irá ao Rio de janeiro para fazer a denúncia sobre o Nepotismo ao Ministério Público Estadual.

Ontem, alguns diretores do Sepe estiveram na ALERJ e apresentaram a denúncia ao parlamentar Deputado Robson Leite ( membro da Comissão de Educação e Direitos Humanos ), que ouviu os diretores e manifestou apoio ao movimento.

SEPE Solicita reunião com o Ministério Público de Rio das Ostras e com a presidência da Comissão de Educação da ALERJ 

O Sepe protocolou o pedido de audiência com o MP de Rio das Ostras e com a Comissão de Educação da ALERJ.

Reunião do Conselho Municipal de Educação de Rio das Ostras

Hoje, dia 09 de maio, às 14h, na SEMED (antigo Hotel Sal Sal), acontecerá a reunião ordinária do Conselho Municipal de Educação de Rio das Ostras. O sindicato apresentará a  Nota de Repúdio ao  Nepotismo com a criação da secretaria ( SEMVE), vinculada a pasta da educação. Além deste tema, na última reunião,  o Prof Jean Cerqueira ( coordenador Geral) representante do SEPE no CME  propôs  para pauta a  Lei do 1\3 para as atividades extraclasse . Estaremos  também  apresentando o recurso sobre a última deliberação que aprovou o  nome do subsecretário de educação para ocupar a vaga de vice-presidente, no Conselho Municipal de Educação. O  SEPE  questiona o acumulo de representações do governo por  já exercerem a presidência pela  Secretária de Educação. Consideramos o acumulo da  presidência  e da vice,  uma falta de respeito a paridade na gestão. Lembrando que o  subsecretário, também é  primo do Prefeito. Mais uma vez, na contramão da história  e  diferentemente do que estamos conquistando,  como os exemplos do CME de Nova Friburgo  e o CME de Macaé que o presidente não é mais o secretário de educação e ninguém ligado ao governo.

Paralisação da Rede Estadual – Dia 10 de maio – Campanha Salarial

Rede Estadual: paralisação de 24 horas, com Conselho deliberativo às 10 horas, na sede do SEPE e Assembleia às 14h, na ACM (Rua da Lapa nº 86).

Pela Defesa da Ética e da Dignidade do Povo

Reunião do Movimento pela Defesa da Ética e da Dignidade do Povo, hoje, dia 095(4ªf) , às 19h , na sede do SINPRO ( Sindicato dos Professores da Rede Particular) – Alameda Casimiro de Abreu , 292- 3º andar- sala 02. Tel. 2764-6772.

Ato Público em Defesa da Ética e da Dignidade do Povo – dia 17 de maio  (5ª feira), às 16h (concentração), na Praça José Pereira Câmara. 

Seminário de educação

Realizaremos no próximo dia 26 de maio (sab), das 8h às 13h, Seminário de Educação do SEPE Rio das Ostras e Casimiro de Abreu em parceria com o SINPRO MACAÉ E REGIÃO.

Comentários desativados em SEPE Rio das Ostras e Casimiro de Abreu faz denúncia de nepotismo da Prefeitura de Rio das Ostras ao Ministério Público Estadual

Atrações do festival de Nova Orleans virão ao Brasil

Por Carlos Calado

chuva que caiu no meio da tarde do último domingo (6), pouco antes dos shows de Foo Fighters, David Sanborn, Bonnie Raitt e Rebirth Brass Band, não chegou a prejudicar o encerramento da 43ª edição do New Orleans Jazz & Heritage Festival, um dos maiores eventos musicais do mundo.


A cantora Esperanza Spalding

A produção do evento ainda não divulgou números de público, mas calcula-se que cerca de 500 mil pessoas passaram pelos portões do Fairgrounds, o hipódromo local, durante os dois disputados finais de semana.

Com quase 500 atrações musicais, esse eclético evento é, no fundo, uma combinação de vários festivais. Se decidir acompanhar as atrações de apenas um dos 12 palcos, o frequentador poderá assistir a um festival de jazz moderno ou outro de jazz tradicional, um de blues ou outro de gospel, um de ritmos locais da Louisiana ou outro de música pop e assim por diante.

Em número maior a cada ano, os turistas brasileiros puderam conferir shows que virão ao Brasil neste ano. Como o do saxofonista, cantor e ator Donald Harrison, que mistura jazz moderno, funk e outros ritmos de Nova Orleans, com direito a fantasias típicas do carnaval local. Ele será uma das atrações da 10ª edição do Bourbon Street Fest, em São Paulo e Rio, em agosto.

Outra atração desse festival brasileiro será a Preservation Hall Jazz Band, verdadeira instituição do jazz tradicional de Nova Orleans, que festejou seus 50 anos em três palcos diferentes do Jazz Fest, além de uma exposição de fotos, na área fechada do hipódromo.

Na sexta feira (4), o bem humorado trombonista Delfeayo Marsalis –atração confirmada do Bourbon Festival de Paraty (RJ), em junho– comandou a Uptown Orchestra, uma big band dedicada à tradição dançante do swing, mas que se abre para o jazz moderno, como no saboroso arranjo de “Señor Blues” (de Horace Silver).

Já o veterano saxofonista David Sanborn –escalado para o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras (RJ), em junho– foi uma boa surpresa, no programa de domingo. Ao lado do organista Joey DeFrancesco, Sanborn exibiu uma excitante sessão de soul-jazz e rhythm & blues, recriando clássicos como “Let the Good Times Roll” e “I’ve Got News for You”, ambos do repertório de Ray Charles (1930-2004).

Escalado como atração princ ipal do palco de jazz, no sábado, o pianista e compositor Herbie Hancock recebeu a difícil missão de disputar a plateia com a veterana banda de rock Eagles. Talvez por isso tenha recorrido a seu repertório eletrificado dos anos 1970 e 1980, incluindo releituras dos hits “Watermelow Man” e “Chameleon”. Em seu quarteto atual, destaca-se a guitarra inventiva do africano Lionel Loueke.

A baixista e cantora Esperanza Spalding também fez uma apresentação bastante concorrida, exibindo o criativo material de seu recém-lançado álbum “Radio Music Society”. Porém, começar um show com 40 minutos de atraso, aparentemente por um problema com o baixo acústico, faz pensar se essa talentosa jazzista já não estaria “se achando” uma pop star.

Dois anos após a estreia da série de TV “Tremé”, que retrata a reconstrução de New Orleans após a tragédia desencadeada pelo furacão Katrina (em 2005), já é evidente seu impacto sobre a cena local. Músicos que participaram de seus capítulos, como Trombone Shorty, Kermit Ruffins, Donald Harrison e John Boutté, estão atraindo o interesse de plateias imensas que eles não tinham antes. É o chamado “efeito Tremé”.

Fonte: Agência de Notícias jornal de Floripa

O jornalista Carlos Calado hospedou-se em Nova Orleans a convite do New Orleans Convention & Visitors Bureau

Comentários desativados em Atrações do festival de Nova Orleans virão ao Brasil

Governo do Estado entrega 306 viaturas a 19 municípios do Rio. Rio das Ostras é uma delas

Posted in Cidade, Estado, Infraesturutura, Segurança Pública by ImprensaBR on 08/05/2012

O Governo do Estado entregou na manhã desta terça-feira o quarto lote, com 306 viaturas, a 19 municípios do Rio de Janeiro. A frota, que pertencia à Polícia Militar, passará a ser usada agora pelas guardas e defesas civis municipais. O evento aconteceu no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, zona oeste, do Rio e contou com a presença do vice-governador Luiz Fernando Pezão.

Na Região Metropolitana, serão entregues 136 carros, sendo 103 Gols e 33 Blazers. Já a Região dos Lagos, será beneficiada com 120 veículos (94 Gols e 26 Blazers). Por fim, a Região Norte ganhou 41 Gols e nove blazers, totalizando 50 viaturas.

Os municípios beneficiados foram: Cachoeira de Macacu, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, São Gonçalo, Silva Jardim e Tanguá, na Região Metropolitana; Arraial do Cabo, Búzios, Casimiro de Abreu, Cabo Frio, Iguaba Grande, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia e Saquarema, na Região dos Lagos; e Carapebus, Quissamã, São Fidélis e São Francisco do Itabapoana, na Região Norte.

Ao todo, as guardas e defesas civis municipais já receberam 1.139 viaturas. O quinto e último lote, com mais 308 carros, será entregue no próximo dia 25 de maio, também no CFAP.

Governo do Estado do Rio de Janeiro

Tagged with:

Comentários desativados em Governo do Estado entrega 306 viaturas a 19 municípios do Rio. Rio das Ostras é uma delas

Prefeitura de Rio das Ostras oficaliza o NEPOTISMO

Posted in Cidadania, Cidade, Coluna do Servidor, Educação, Notas by ImprensaBR on 07/05/2012

O Sepe Rio das Ostras convida os profissionais da educação para uma reunião com o SINDSERV-RO, SINPRO e outras associações do movimento social,  para construirmos um ATO POLÍTICO EM DEFESA DA ÉTICA E DA DEMOCRACIA EM RIO DAS OSTRAS. Hoje, dia 07 de maio de 2012, às 19h, na sede do Sinpro Macaé e Região( subsede Rio das Ostras).

Alameda Casimiro de Abreu, 292 – 3º andar – sala 02 – Centro.

Tel: (22)2764-6772.

Comentários desativados em Prefeitura de Rio das Ostras oficaliza o NEPOTISMO

Uma década de Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Estereofonia, Internacional, Região by ImprensaBR on 07/05/2012

Por Marina Soares*

mscultura@gmail.com

Completando sua 10ª edição, em 2012, O Rio das Ostras Jazz & Blues Festival, vem dar exemplo de como a Cultura, pode ser um negócio rentável e elemento dinamizador para economia, a partir do apoio dos órgãos públicos e da competência em gestão

O produtor do maior evento realizado em Rio das Ostras falou a evolução do projeto nesses 10 anos do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Certamente, não é de imediato que se assimila a ideia de uma cidade como Rio das Ostras, que, a princípio, não possui uma organização pública para Cultura – com uma secretária do setor, Conselho, Plano ou mesmo perspectivas de planejamento sendo divulgadas – venha ser a cidade a sediar o maior Festival de Jazz e Blues da América Latina, segundo a revista “Downbeat”, especializada no gênero, que divulgou na sua edição do mês de maio o Festival de Jazz & Blues, que leva o nome da cidade de Rio das Ostras para o mundo.

Por outro lado, foi a partir da frágil vocação turística de Rio das Ostras (se comparada, por exemplo, a sua vizinha Búzios), que o produtor cultural Stenio Mattos, idealizador do projeto, a convite de um amigo, o secretário de turismo da época, deu início em 2002 ao seu ousado empreendimento de realizar um festival de jazz & blues em Rio das Ostras, sem prever exatamente quais seriam suas chances de continuidade, quando aconteceu pela primeira como um festival de música instrumental. Contudo, foi identificando essa fragilidade e o retorno do público, que Stenio, percebeu que o Festival poderia dar uma relevante colaboração para o desenvolvimento do turismo local.

Sem dúvida hoje, em sua décima edição, o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras, tem atraindo o público de diversos lugares, que apaixonado pelos gêneros, vem disfrutar dos momentos de emoção, ao acompanhar ao vivo, o que seria a marca mais importante do jazz: a improvisação dos temas musicais realizada pelos músicos, que também anseiam por essa ocasião para apresentar todo seu apuro técnico e se desafiarem na busca de inovação em suas execuções.

Deste modo, o festival passou a chamar a atenção do público local, que mesmo não sendo amantes do jazz ou tendo o costume de apreciar os gêneros, se orgulham de ter um evento deste porte na cidade, percebendo o momento do festival como uma oportunidade de trabalho e de movimentar a economia do comércio de Rio das Ostras, que no decorrer dos anos se viu exigida a melhorar a qualidade dos seus serviços.

Quando saímos um pouco do óbvio e pensamos em toda representatividade do fenômeno do jazz para a sociedade, podemos entender por que essa manifestação da cultura popular moderna, permanece até hoje sendo absorvida pelos mais diversos estilos musicais, que  “bebem” na sua fonte e em seguida reproduzem as suas invenções na indústria de entretenimento de massa.

Rio das Ostras Capital do Jazz & Blues, segundo a Lei 6056/2011

Pensando também, o espaço real como produtor de subjetividade, não é menos relevante  considerar o fato de Rio das Ostras, uma cidade tradicionalmente turística e de veraneio,  “cortada” por uma rodovia –  que vem a sugerir trânsito, passagem, “fluxo da vida”, como diria Hobsbawm¹, ao descrever as características simbólicas do jazz – ser exatamente o lugar a acolher um festival do gênero, que carrega como um dos seus simbolismo, o desejo pela  liberdade pessoal (representado em algumas músicas pela metáfora da estrada como caminho para viagem ao paraíso) e mas do que isso, pensando a própria condição do Jazz como fenômeno musical que se encontra no espaço do “entre”, da passagem, ao  transgredir a música clássica oficial de uma minoria, mas sem ocupar o lugar da música da indústria de entretenimento de massa (quando não se propõe a padronizar as suas execuções musicais), pode-se, a grosso modo, começar a  compreender por que o sucesso do Festival de Jazz & Blues, se deu também pelas correspondência simbólica da cidade de  Rio das Ostras.

Na palestra realizada no último dia 04, no PURO/UFF, o proprietário da Azul produções, responsável pelo festival, Stenio Mattos citou a criação da lei 5.554/2009, que insere o evento no calendário oficial anual do estado do Rio de Janeiro, fazendo com que seja “obrigatória”, para não dizer necessária a sua realização. Demonstrando, ser a cultura o produto que movimenta e tende a desenvolver a economia de Rio das Ostras.

Tendo vista, que o Festival provou ser capaz de atender a demanda turística ao longo dos anos, o caminho agora para o seu pleno amadurecimento, poderia ser sua participação mais ampla no desenvolvimento do setor cultural local. Neste sentido, o diálogo que foi aberto com  Pólo/UFF para a realização de palestras e workshops durante o festival e da oportunidade de alguns postos de estágios para alunos do  curso de Produção Cultural desta universidade, já seria uma iniciativa positiva.

Contudo, mesmo diante dos resultados concretos do festival, que coloca a cidade Rio das Ostras no patamar de capital do jazz, segundo lei estadual 6.056/2011 e das discussões atuais sobre o planejamento do setor público para a cultura (desde a instauração da Lei Federal 2343/2010 do Plano Nacional de Cultura), não foi possível identificar em nenhum momento da palestra como o festival, pode ampliar sua atuação, estimulando o desenvolvimento de políticas públicas municipais, que contribuam, inclusive, para expansão do projeto, com a perspectiva de aumento do orçamento para o próprio festival e programas culturais que venham a abranger outras linguagens, possibilitando não somente a formação de plateia, mas também a formação e criação de mão-de-obra qualificada e remunerada de artistas, técnicos e produtores locais, a partir da abertura de novos postos de trabalho e desta forma, permitir a expansão do setor cultural de Rio das Ostras.

¹Hobsbawm, Eric. História Social do Jazz. Ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro 2009.

* Marina Soares é Produtora Cultural e Editora do Caderno de Cultura do jornal O Polifônico.

Fotos: Leonor Bianchi

Comentários desativados em Uma década de Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Começa hoje inscrição para a Semana do Serviço Social do PURO

Posted in Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, Região, Saúde by ImprensaBR on 07/05/2012

Inscrições são gratuitas e todos podem participar 

Interessados em participar da Semana do Serviço Social do PURO podem se inscrever gratuitamente entre hoje e sexta-feira, dia 11 de maio. Para realizar a inscrição é necessário solicitar a Ficha de Inscrição para o e-mail: semanaservicosocialuffpuro@gmail.com ou baixar pelo site www.puro.uff.br. Haverá certificado para os participantes.

A Semana do Serviço Social do PURO acontecerá entre os dias 21 e 25 de maio no Polo com o tema “Crise e os Impactos nas Políticas Sociais”, e está repleta de atividades para alunos, professores e comunidade.
Veja a Programação:
21 de maio – 17h – Credenciamento
21 de maio – 18h30 às 22h
Mesa de Abertura:
Tema: Crise e impactos nas políticas sociais
Palestrantes: Prof. Dr. Marildo Menegat (SS/UFRJ) e Prof. Dr. Mauro Iasi (SS/UFRJ)
Coordenador: Prof. Dr. Felipe Brito (SS/UFF/PURO)
22 e 23 de maio – 18h30 às 22h
Mini-cursos:
1  Investigando as Políticas de Assistência e Proteção à Infância:Psicologia e ações do Estado Palestrante: Profa. Dra. Irene Bulcão (PSICO/UFF/PURO)
2  A história da educação no Brasil  Palestrante: Prof. Dr. Ranieri Carli (SS/UFF/PURO)
3. “Questão Ambiental” e Serviço Social
Palestrantes: – Prof. Dr. Edson Teixeira (UFF/PURO) e A.S. Tatiana Tavares (Mestranda UFF)
4. “70 anos de Formação do Brasil contemporâneo”  A interpretação de Caio Prado Júnior:história e atualidade  Palestrante: Prof. Dr. Wanderson Fábio de Melo (SS/UFF/PURO)
5. Processos de democratização e controle social na América Latina e na particularidadebrasileira  Palestrante: Profa. Dra. Gláucia Alves Lelis (UFRJ)
6. Dependência Química: atualidade e perspectivas  Palestrante: Profa. Taís Veronica CardosoVernaglia (ENF/UFF/PURO)
7. Introdução à análise da Política Social por meio de filmes  Palestrantes: Profa. Ms. ClariceCosta Carvalho (UFF/PURO), Profa. Ms. Leile Silvia Candido Teixeira  (UFF/PURO) e Graduanda Raylane Walker ((UFF/PURO)
8. Mini-curso: Violência e Políticas Sociais no Espaço Urbano  Palestrantes: Prof. Dr. Felipe Brito(SS/UFF/PURO), Bruno Ferreira Teixeira (SS/UFF/PURO) e Wallace dos Santos Moraes(SS/UFF/PURO)
9. Processos de Trabalho e Resistência: O caso da Fábrica Flaskô – Palestrante: Paulo RobertoAndrade Castro (Cientista Social, Doutorando IFCS/UFRJ)
10. Educação em Direitos Humanos – Palestrante: Prof. Ms. José Rodrigo Barth Adams(SS/UFF/PURO)
24 de maio – 18h30 às 22h
Mesa: Crise e impactos nas políticas sociais: desafios, perspectivas e alternativas
Palestrante: Profa. Dra. Sara Granemann (UFRJ)
Coordenador: Prof. Ms. Bruno Ferreira Teixeira (SS/UFF/PURO)
25 de maio – 18h30 às 22h
Lançamento de livro
Título da obra: A estética de György Lukács e o triunfo do realismo na literatura
Autor: Ranieri Carli
Mediador: Sálvio Fernandes de Melo
Atividade Cultural:
Grupo de Choro Coletivo Só Pra Moer
Local:

Polo Universitário de Rio das Ostras – PURO
Universidade Federal Fluminense – UFF
Rua Recife, S/N, Jardim Bela Vista
Rio das Ostras, RJ.
 

Comentários desativados em Começa hoje inscrição para a Semana do Serviço Social do PURO

‘Operação Dia do Trabalhador’: Rio das Ostras na lista de cidades com acidentes de trânsito fatais

Posted in Cidade by ImprensaBR on 03/05/2012

LB

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) divulgou ontem (2), balanço da ‘Operação Dia do Trabalhor de 2012′, nas rodovias federais do estado do Rio de Janeiro.  Em cinco dias – de sexta (27) até terça-feira (1º) -, foram registrados 226 acidentes, com 74 feridos e 11 mortos.

Nos anos de 2010 e 2011, não houve uma grande operação para o feriado do Dia do Trabalho, que caiu no sábado e no domingo, respectivamente. Em relação ao feriado também prolongado (quatro dias) da Semana Santa, ocorreu um maior número de acidentes e de vítimas fatais e uma redução no número de feridos.

As mortes em rodovias representam a maior preocupação da PRF, que tem por objetivo proteger a vida em primeiro lugar. Dos oito acidentes que deixaram mortos, seis ocorreram em períodos de baixa iluminação, como noite, anoitecer e madrugada, e dois no período da tarde. Os acidentes que deixaram mais vítimas fatais (82%) foram as colisões frontais (3) – com um morto na BR-101 Norte, em Rio das Ostras; outro na BR-101 Sul, em Mangaratiba; e quatro mortos na BR-356, em Cardoso Moreira -; e atropelamentos (3) – um na BR-101 Norte, em São Gonçalo; dois na BR-040, em Duque de Caxias e Três Rios.

Ainda foram registradas uma saída de pista com um morto na Dutra, em Barra Mansa, e uma colisão traseira com outra vítima fatal, também na Dutra, em Seropédica.

Neste feriado, a PRF também realizou fiscalizações intensas, com os seguintes resultados alcançados: mais de 1.100 notificações por infrações de trânsito; 106 apreensões de documentos (CNH e CRLVs); 51 veículos retidos – de 5.700 fiscalizados -, 11  multas e dois presos por embriaguez ao volante, com dois presos, de um total de 1.178 testes de etilômetro (bafômetro) realizados.

Comentários desativados em ‘Operação Dia do Trabalhador’: Rio das Ostras na lista de cidades com acidentes de trânsito fatais

Aula Inaugural

Posted in Cidade, Educação, Notas, Região by ImprensaBR on 03/05/2012

A Universidade Federal Fluminense (PURO), Polo Universitário de Rio das Ostras, vive hoje um dia histórico. Será realizada a aula inaugural do primeiro curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Gestão de Cuidado em Saúde, do Instituto de Humanidades e Saúde/IHS, Departamento Interdisciplibar de Rio das Ostras/ RIR.

Sua primeira turma está voltada para profissionais de saúde que trabalhem nas prefeituras de Rio das Ostras e região.

A Aula Inaugural terá o tema Políticas Sociais e Modelos de Privatização, e será ministrada pela Profa. Dra. Sara Granemann, hoje, às 18h, no PURO. 

Rua Recife, S/N – Jardim Bela Vista – Rio das Ostras (RJ).

Comentários desativados em Aula Inaugural

%d blogueiros gostam disto: