!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Choro pode ganhar Centro de Referência

Posted in Cultura, Estado, Estereofonia by ImprensaBR on 16/04/2013

LB

A Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio de janeiro (Alerj) realizará, amanhã, às 14h, no Auditório Nelson Carneiro, uma audiência pública para discutir as políticas de apoio ao ‘chorinho’ no âmbito do estado.

Na pauta está a construção de um Centro de Referência de Choro. No evento também serão entregues Moções de Congratulações e Aplausos a nomes e entidades que contribuíram para o desenvolvimento do gênero musical no país. O Choro é considerado o primeiro gênero musical urbano do Brasil.

Foram convidados para a audiência o secretário de Estado de Educação, Wilson Risolia; o superintendente de Cultura e Sociedade da Secretaria de Estado de Cultura, Marcos André Carvalho; o secretário municipal de Cultura, Sérgio Sá Leitão, a secretária municipal de Educação, Claudia Costin e o representante do grupo 100% Suburbano, Mauro de Nazareth, além dos músicos Maurício Carrilho e Luciana Rabello. 

Enquanto isso… em Rio das Ostras, permanece minha indagação feita ontem neste jornal, abaixo da foto do Coletivo Só Pra Moer tocando na festa de 21 anos da cidade: Volta ou não volta a Roda Rio de Choro, no quiosque da Tia Maria?

Anúncios

Comentários desativados em Choro pode ganhar Centro de Referência

Os 21 anos de Rio das Ostras apenas começaram…

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia, Rio das Ostras, Turismo by ImprensaBR on 15/04/2013

Coletivo só Pra Moer em sua apresentação na última sexta-feira,durante a festa de aniversário dos 21 anos de Rio das Ostras.

Será que a Roda Rio de Choro vai voltar?

Comentários desativados em Os 21 anos de Rio das Ostras apenas começaram…

Rio das Ostras Jazz & Blues Festival 2013

Posted in Estereofonia, Rio das Ostras, Turismo by ImprensaBR on 05/04/2013

jazzeblues2013riodas

Comentários desativados em Rio das Ostras Jazz & Blues Festival 2013

Chorões do Coletivo Só Pra Moer apresentam-se na festa de aniversário de 21 anos de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia, Rio das Ostras by ImprensaBR on 04/04/2013

Cartaz_Release_Coletivo_So_Pra_Moer

Rio das Ostras completa sua maioridade (21 anos) no próximo dia 10 de abril. A emancipação político-administrativa do município será marcada por uma série de apresentações musicais, dentre elas a do grupo de choro COLETIVO SÓ PRA MOER, que se apresentará na noite de sexta-feira (12/04) na Concha Acústica da praça São Pedro, Centro de Rio das Ostras. A entrada será franca e a classificação indicativa, livre.

Comentários desativados em Chorões do Coletivo Só Pra Moer apresentam-se na festa de aniversário de 21 anos de Rio das Ostras

Oficina de música Itiberê Zward começa nesta segunda, dia 14, em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Educação, Estereofonia, Rio das Ostras by ImprensaBR on 11/01/2013
1204939094_itibere1

Itiberê Zward durante uma oficina em Minas Gerais.

 

Começa nesta segunda-feira, 14, no Centro de Formação Artística de Rio das Ostras, a oficina Itiberê Zward. Ao todo, 30 alunos participarão das aulas que se estenderão até dia 17. As aulas serão ministradas para instrumentistas de baixo, piano, teclado, bateria, percussão, cavaquinho, bandolim, guitarra, violão, viola caipira e cordas friccionadas. Cantores também têm espaço na oficina.

O público terá a oportunidade  de assistir a execução dos alunos no dia 18, sexta-feira, no palco do Teatro Popular quando abrirão o show do grupo Itiberê Zward & Grupo, às 20h.
A OFICINA – O projeto tem o objetivo de desenvolver a escuta como ferramenta principal do músico, assim como a percepção rítmica, melódica e harmônica. A Itiberê Zward trabalha o talento de cada participante, sempre respeitando limites e possibilidades. A oficina também propõe o rompimento entre o erudito e o popular, estimulando a universalidade musical.

Comentários desativados em Oficina de música Itiberê Zward começa nesta segunda, dia 14, em Rio das Ostras

Casa Cultural Mata Atlântica fará Roda de Choro do Renascimento do Mundo

Posted in Cultura, Estereofonia, Nova Friburgo by ImprensaBR on 17/12/2012
roda de choro do renascimento do mundo

A Casa Cultural Mata Atlântica está localizada na
A Casa Cultural Mata Atlântica fica na Estrada Manoel Knupp (ou Estrada das Caracas), S/N, em São Pedro da Serra, Nova Friburgo (RJ).

Comentários desativados em Casa Cultural Mata Atlântica fará Roda de Choro do Renascimento do Mundo

Grandes nomes do Choro farão Oficina em Rio das Ostras

Posted in Articulistas, Cidade, Cultura, Educação, Estado, Estereofonia by ImprensaBR on 18/10/2012

Por Rúben Pereira*

O Painel Funarte de Música Popular estará em Rio das Ostras entre os dias 05 e 11 de novembro reunindo músicos e estudantes de Música de Rio das Ostras e região para uma semana de aperfeiçoamento e aprendizado com grandes nomes da Música Brasileira.

Numa realização da FUNARTE em parceria com o Rio das Ostras C&VB serão realizadas oficinas gratuitas voltadas para a técnica e excelência artística e com o objetivo de qualificação de músicos, seu aperfeiçoamento, a intensificação dos intercâmbios com trocas de experiências e a disseminação de conhecimentos e práticas de educação musical.

As aulas serão com renomados professores da Escola Portátil de Música (www.escolaportatil.com.br).

Virão a Rio das Ostras mestres do Choro Brasileiro e grandes músicos e compositores do cenário carioca. Os músicos terão a oportunidade de aprender e aperfeiçoar conhecimentos com Mauricio Carrilho, Violão; Luciana Rabello, Cavaquinho e Apreciação Musical; Naomi Kumamoto, flauta; Pedro Amorim, Bandolim; Rui Alvim, Clarineta; Celsinho Silva, Pandeiro.

Conheça um pouco de cada Mestre Oficineiro

Mauricio Carrilho é violonista, compositor e arranjador. Integrou o seminal grupo “Carioquinhas no Choro” onde ao lado de Raphael Rabello fazia as partes de violão quando ainda tinham 14 e 16 anos respectivamente. Fez parte da “Camerata Carioca” junto de Radamés Gnatalli e tocou e arranjou para artistas como Nara Leão e Elizeth Cardoso. Em 2000 fundou a primeira gravadora dedicada ao Choro em nosso país, a Acari Records. É fundador da Escola Portátil de Música, um dos projetos de musicalização de maior sucesso em nosso país.

Luciana Rabello, cavaquinista e compositora. Irmã do gênio do violão Raphaell Rabello, falecido precocemente. Luciana tocou com todos os grandes da Música Brasileira. Durante muitos anos foi a cavaquinista mais chamada para gravações no Brasil, numa lista que vai de Chico Buarque e Maria Bethânia, passando por Nelson Sargento, Toquinho e Baden Powell. Integrou o regional “Carioquinhas no Choro” e a primeira formação da “Camerata Carioca”. É sócia de Mauricio Carilho na gravadora Acari e coordenadora da Escola Portátil de Música. É casada com o maior poeta da música Brasileira de todos os tempos, Paulo Cesar Pinheiro.

Naomi Kumamoto, natural de Kobe no Japão, Flautista, Pianista e compositora apaixonou-se pelo Choro e hoje está radicada há 10 anos no Rio de Janeiro onde leciona na Escola Portátil e toca com grandes músicos do gênero. É responsável pelo Festival de Música Brasileira em Kobe, tornando-se uma espécie de embaixatriz do Choro no Japão.

Pedro Amorim, Bandolinista, cavaquinista, violão-tenorista e compositor. Fundador de grupos como o “Nó em Pingo d’água”, Pedro Amorim é figura constante em rodas de Choro e Samba no Rio de Janeiro. Sempre se destacou por suas pesquisas acerca da obra de compositores como: Ernesto Nazareth, Luperce Miranda e Claudionor Cruz. Professor na Escola Portátil.

Rui Alvim, Clarinetista e Saxofonista, integra diversos grupos onde destaca-se o aplaudido “Água de Moringa”. Português radicado no Brasil é frequentemente chamado para gravações com grandes nomes da Música Brasileira. É professor de Saxofone na Escola Portátil de Música.

Celsinho Silva, Pandeirista, percussionista e compositor. Filho do Mestre Jorginho do Pandeiro, foi criado entre os maiores instrumentistas do país. É sobrinho do falecido Dino 7 cordas. Tocou com todos os grande da Música Brasileira numa lista infindável que vai de Orlando Silva, Marçal e Baden Powell passando por Elizeth Cardoso, Ney Matogrosso e Paulinho da viola, do qual faz parte de sua banda. Celsinho integrou os “Carioquinhas no Choro” e a Camerata Carioca”. É fundador do grupo “Nó em pingo d’água” e professor na Escola Portátil de Música.

As oficinas acontecerão entre os dias 05 e 11 novembro, com carga horário total de 40 horas e além dos músicos locais, serão selecionados músicos de outros municípios para participar, perfazendo um total de 160 músicos.

Abaixo a listagem de professores, seus respectivos instrumentos e oficinas e as vagas disponibilizadas:

Mauricio Carrilho – violão – 25 alunos

Luciana Rabello – cavaquinho – 25 alunos / apreciação musical – todos os alunos inscritos

Naomi Kumamoto – flauta – 25 alunos

Rui Alvim – saxofone – 25 alunos / clarineta – 25 alunos

Pedro Amorim – bandolim – 15 alunos

Celso Silva – pandeiro – 25 alunos / percussão – 25 alunos

Aulas práticas de conjunto – todos os alunos inscritos

As aulas serão ministradas no Centro de Formação de Música e Dança (Onda) e em outros locais a serem confirmados.

As inscrições poderão ser efetuadas através do e-mail: musica.funarte@gmail.com

É uma oportunidade imperdível de aprender e trocar experiências com músicos de alto quilate.

* Rúben Pereira é editor do Caderno de Cultura d’O Polifônico, músico, violonista de 7 cordas, integrante do Coletivo Só Pra Moer, foi aluno de Maurício Carrilho e Luciana Rabelo nas oficinas de choro na UFRJ (Lapa) na fase pré Escola Portátil, aluno fundador da escola Portátil de Música, idealizador do festival Benedicto Lacerda, do Observatório da Memória Macaense, da Roda Rio de Choro e da Maratona Cultural, é um dos diretores da Associação Rio das Artes (ACRA) e coordenador musical da Escola Livre de Comunicação e Artes. 

Comentários desativados em Grandes nomes do Choro farão Oficina em Rio das Ostras

Painel Funarte de Música Popular será realizado em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Estado, Estereofonia by ImprensaBR on 16/10/2012

A FUNARTE realizará em Rio das Ostras o Painel Funarte de Música Popular, uma série de oficinas gratuitas voltadas para a técnica e excelência artística que tem como objetivo a qualificação de músicos, seu aperfeiçoamento, a intensificação dos intercâmbios com trocas de experiências e a disseminação de conhecimentos e práticas de educação musical.

 Estas oficinas acontecerão entre os dias 05 e 11 novembro, com carga horário total de 40 horas e além dos músicos locais, serão selecionados músicos de outros municípios para participar, perfazendo um total de 160 músicos.

As aulas serão com renomados professores da Escola Portátil de Música (www.escolaportatil.com.br) que tem apoio da UNIRIO.

Segue listagem de professores e vagas disponibilizadas:

Mauricio Carrilho – violão – 25 alunos

Luciana Rabello – cavaquinho – 25 alunos / apreciação musical – todos os alunos inscritos

Naomi Kumamoto – flauta – 25 alunos

Rui Alvim – saxofone – 25 alunos / clarineta – 25 alunos

Pedro Amorim – bandolim – 15 alunos

Celso Silva – pandeiro – 25 alunos / percussão – 25 alunos

Aulas práticas de conjunto – todos os alunos inscritos

As aulas serão ministradas no Centro de Formação de Música e Dança (Onda) e em outros locais a serem confirmados.

As inscrições poderão ser efetuadas através do e-mail: musica.funarte@gmail.com

 

Comentários desativados em Painel Funarte de Música Popular será realizado em Rio das Ostras

Candidato à prefeitura de Rio das Ostras dá entrevista em rádio local

LB

Entrevista de Sabino concedida hoje cedo a uma jornalista da rádio Estação 104 FM já está circulando na Internet. Para quem não conhece, Sabino se apresenta como servidor público, lembra de sua trajetória na política, que teve início quando da emancipação de Rio das Ostras, há 20 anos. Fala da politicagem que envolve o problema do abastecimento de água do município e diz que tem que se preparar para o futuro. Mais de 25 minutos de entrevista… com menos de 10 perguntas feitas pela jornalista, mas dezenas de muitas perguntas feitas pelos ouvintes, que participaram através do Facebook (será mesmo?), outros por telefone, e-mail… enfim, vale a pena escutar independentemente do destino que dará ao seu voto para prefeito de Rio das Ostras.

http://www.goear.com/listen/a2fd638/entrevista-do-sabino-no-programa-estacao-noticias-na-radio-estacao-104-fm-sabino-20

 

Comentários desativados em Candidato à prefeitura de Rio das Ostras dá entrevista em rádio local

Morre Celso Blues Boy – Papa do Blues Brasileiro deixa legião de fans ao falecer aos 56 anos de Câncer na garganta

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Estereofonia, Notas by ImprensaBR on 06/08/2012
Por Rúben Pereira*
O cantor, compositor e guitarrista Celso Blues Boy morreu na manhã desta segunda-feira (6 de agosto) em Joinville, Santa Catarina. O músico faleceu às 8h50. O corpo está sendo encaminhado para Blumenau para ser cremado. Seguindo uma decisão do próprio músico, seu corpo foi encaminhado diretamente ao crematório sem ser velado. O músico falece aos 56 anos depois de contrair câncer de garganta.Depois de inúmeras apresentações em Rio das Ostras e Macaé nas últimas décadas, em junho deste ano durante o Rio das Ostras Jazz e Blues Festival fez apresentações eletrizantes.Debaixo de uma chuva torrencial no sábado à noite destilou o melhor de seu repertório lavando todos presentes ao delírio.

Celso Ricardo Furtado de Carvalho nasceu no Rio de Janeiro, em janeiro de 1956. Na década de 1970, com apenas 17 anos, começou a tocar profissionalmente com Raul Seixas, além de acompanhar nome da MPB como Sá & Guarabira e Luiz Melodia. Seu nome artístico é uma homenagem ao seu ídolo B.B. King, com quem chegou a tocar na década de 1980.

O vascaíno foi guitarrista das bandas Legião Estrangeira e Aero Blues, considerado o primeiro grupo de blues do Brasil. Em 1980 passou a ser mais conhecido, quando mandou uma fita para a Rádio Fluminense, no Rio, voltada para o repertório roqueiro. Quatro anos depois gravou seu primeiro disco, ‘Som na Guitarra’, que inclui seu maior sucesso: ‘Aumenta que Isso Aí É Rock’n Roll’.

No ano passado, Celso Blues Boy gravou seu primeiro DVD, ‘Celso Blues Boy ao Vivo’, no Circo Voador, no Rio de Janeiro, que também foi lançado em CD. O cantor morava há 12 anos em Joinville.

* Editor do Caderno de Cultura d’O Polifônico.

Comentários desativados em Morre Celso Blues Boy – Papa do Blues Brasileiro deixa legião de fans ao falecer aos 56 anos de Câncer na garganta

Teatro de Horror e Jazz: Atriz Carolina Fauquemont, e diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho falam a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 19/07/2012

A cena teatral de Curitiba também se apresenta no Estúdio Móvel nesta terça!
A atriz Carolina Fauquemont e o diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho conversam com Liliane Reis sobre projetos e a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras, no Rio, além de falar sobre o trabalho que desenvolvem inspirados no teatro de horror. Kanny Barron é outro convidado, ele fala da sensação de participar do Festival.
O premiado saxofonista David Sanborn também bate um papo com a equipe Estúdio Móvel.

Comentários desativados em Teatro de Horror e Jazz: Atriz Carolina Fauquemont, e diretor da Cia Vigor Mortis, Paulo Biscaia Filho falam a participação da Cia no Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras

Cabo Frio tem Milton Nascimento na sexta-feira

Posted in Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 16/05/2012

O Projeto Cabo Frio é Show o Ano Inteiro recebe mais uma atração esta semana. O convidado é o cantor Milton Nascimento, que aporta na cidade na próxima sexta-feira 18, às 22h.

Com 50 anos de estrada, comemorados este ano, o músico irá se apresentar em um palco montado na Praia do Forte, próximo à Duna Boa Vista. No repertório, músicas de seu último CD “E a Gente Sonhando”, de 2010, e antigos sucessos, tais como: “Flor de Ingazeira”, “Estrela, Estrela”, “O Sol”, “Gota de Primavera”, “Maria Maria” e “Coração de Estudante”.

Muito modesto e tímido ainda hoje, Milton começou a carreira na década de 60, já tendo se apresentado com grandes intérpretes da MPB e da música internacional: Elis Regina, Tom Jobim, Caetano Veloso, Peter Gabriel, Herbie Hancock, Jon Anderson, James Taylor e Mercedes Sosa.

Ganhador de quatro prêmios Grammy, já vendeu mais de 15 milhões de discos ao longo de sua carreira e teve seu nome divulgado, diversas vezes, na lista de algumas das melhores publicações de música, por exemplo, a “Down Beat” e “Billboard”.

Secom CF

Comentários desativados em Cabo Frio tem Milton Nascimento na sexta-feira

Atrações do festival de Nova Orleans virão ao Brasil

Por Carlos Calado

chuva que caiu no meio da tarde do último domingo (6), pouco antes dos shows de Foo Fighters, David Sanborn, Bonnie Raitt e Rebirth Brass Band, não chegou a prejudicar o encerramento da 43ª edição do New Orleans Jazz & Heritage Festival, um dos maiores eventos musicais do mundo.


A cantora Esperanza Spalding

A produção do evento ainda não divulgou números de público, mas calcula-se que cerca de 500 mil pessoas passaram pelos portões do Fairgrounds, o hipódromo local, durante os dois disputados finais de semana.

Com quase 500 atrações musicais, esse eclético evento é, no fundo, uma combinação de vários festivais. Se decidir acompanhar as atrações de apenas um dos 12 palcos, o frequentador poderá assistir a um festival de jazz moderno ou outro de jazz tradicional, um de blues ou outro de gospel, um de ritmos locais da Louisiana ou outro de música pop e assim por diante.

Em número maior a cada ano, os turistas brasileiros puderam conferir shows que virão ao Brasil neste ano. Como o do saxofonista, cantor e ator Donald Harrison, que mistura jazz moderno, funk e outros ritmos de Nova Orleans, com direito a fantasias típicas do carnaval local. Ele será uma das atrações da 10ª edição do Bourbon Street Fest, em São Paulo e Rio, em agosto.

Outra atração desse festival brasileiro será a Preservation Hall Jazz Band, verdadeira instituição do jazz tradicional de Nova Orleans, que festejou seus 50 anos em três palcos diferentes do Jazz Fest, além de uma exposição de fotos, na área fechada do hipódromo.

Na sexta feira (4), o bem humorado trombonista Delfeayo Marsalis –atração confirmada do Bourbon Festival de Paraty (RJ), em junho– comandou a Uptown Orchestra, uma big band dedicada à tradição dançante do swing, mas que se abre para o jazz moderno, como no saboroso arranjo de “Señor Blues” (de Horace Silver).

Já o veterano saxofonista David Sanborn –escalado para o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras (RJ), em junho– foi uma boa surpresa, no programa de domingo. Ao lado do organista Joey DeFrancesco, Sanborn exibiu uma excitante sessão de soul-jazz e rhythm & blues, recriando clássicos como “Let the Good Times Roll” e “I’ve Got News for You”, ambos do repertório de Ray Charles (1930-2004).

Escalado como atração princ ipal do palco de jazz, no sábado, o pianista e compositor Herbie Hancock recebeu a difícil missão de disputar a plateia com a veterana banda de rock Eagles. Talvez por isso tenha recorrido a seu repertório eletrificado dos anos 1970 e 1980, incluindo releituras dos hits “Watermelow Man” e “Chameleon”. Em seu quarteto atual, destaca-se a guitarra inventiva do africano Lionel Loueke.

A baixista e cantora Esperanza Spalding também fez uma apresentação bastante concorrida, exibindo o criativo material de seu recém-lançado álbum “Radio Music Society”. Porém, começar um show com 40 minutos de atraso, aparentemente por um problema com o baixo acústico, faz pensar se essa talentosa jazzista já não estaria “se achando” uma pop star.

Dois anos após a estreia da série de TV “Tremé”, que retrata a reconstrução de New Orleans após a tragédia desencadeada pelo furacão Katrina (em 2005), já é evidente seu impacto sobre a cena local. Músicos que participaram de seus capítulos, como Trombone Shorty, Kermit Ruffins, Donald Harrison e John Boutté, estão atraindo o interesse de plateias imensas que eles não tinham antes. É o chamado “efeito Tremé”.

Fonte: Agência de Notícias jornal de Floripa

O jornalista Carlos Calado hospedou-se em Nova Orleans a convite do New Orleans Convention & Visitors Bureau

Comentários desativados em Atrações do festival de Nova Orleans virão ao Brasil

Uma década de Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Estereofonia, Internacional, Região by ImprensaBR on 07/05/2012

Por Marina Soares*

mscultura@gmail.com

Completando sua 10ª edição, em 2012, O Rio das Ostras Jazz & Blues Festival, vem dar exemplo de como a Cultura, pode ser um negócio rentável e elemento dinamizador para economia, a partir do apoio dos órgãos públicos e da competência em gestão

O produtor do maior evento realizado em Rio das Ostras falou a evolução do projeto nesses 10 anos do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Certamente, não é de imediato que se assimila a ideia de uma cidade como Rio das Ostras, que, a princípio, não possui uma organização pública para Cultura – com uma secretária do setor, Conselho, Plano ou mesmo perspectivas de planejamento sendo divulgadas – venha ser a cidade a sediar o maior Festival de Jazz e Blues da América Latina, segundo a revista “Downbeat”, especializada no gênero, que divulgou na sua edição do mês de maio o Festival de Jazz & Blues, que leva o nome da cidade de Rio das Ostras para o mundo.

Por outro lado, foi a partir da frágil vocação turística de Rio das Ostras (se comparada, por exemplo, a sua vizinha Búzios), que o produtor cultural Stenio Mattos, idealizador do projeto, a convite de um amigo, o secretário de turismo da época, deu início em 2002 ao seu ousado empreendimento de realizar um festival de jazz & blues em Rio das Ostras, sem prever exatamente quais seriam suas chances de continuidade, quando aconteceu pela primeira como um festival de música instrumental. Contudo, foi identificando essa fragilidade e o retorno do público, que Stenio, percebeu que o Festival poderia dar uma relevante colaboração para o desenvolvimento do turismo local.

Sem dúvida hoje, em sua décima edição, o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras, tem atraindo o público de diversos lugares, que apaixonado pelos gêneros, vem disfrutar dos momentos de emoção, ao acompanhar ao vivo, o que seria a marca mais importante do jazz: a improvisação dos temas musicais realizada pelos músicos, que também anseiam por essa ocasião para apresentar todo seu apuro técnico e se desafiarem na busca de inovação em suas execuções.

Deste modo, o festival passou a chamar a atenção do público local, que mesmo não sendo amantes do jazz ou tendo o costume de apreciar os gêneros, se orgulham de ter um evento deste porte na cidade, percebendo o momento do festival como uma oportunidade de trabalho e de movimentar a economia do comércio de Rio das Ostras, que no decorrer dos anos se viu exigida a melhorar a qualidade dos seus serviços.

Quando saímos um pouco do óbvio e pensamos em toda representatividade do fenômeno do jazz para a sociedade, podemos entender por que essa manifestação da cultura popular moderna, permanece até hoje sendo absorvida pelos mais diversos estilos musicais, que  “bebem” na sua fonte e em seguida reproduzem as suas invenções na indústria de entretenimento de massa.

Rio das Ostras Capital do Jazz & Blues, segundo a Lei 6056/2011

Pensando também, o espaço real como produtor de subjetividade, não é menos relevante  considerar o fato de Rio das Ostras, uma cidade tradicionalmente turística e de veraneio,  “cortada” por uma rodovia –  que vem a sugerir trânsito, passagem, “fluxo da vida”, como diria Hobsbawm¹, ao descrever as características simbólicas do jazz – ser exatamente o lugar a acolher um festival do gênero, que carrega como um dos seus simbolismo, o desejo pela  liberdade pessoal (representado em algumas músicas pela metáfora da estrada como caminho para viagem ao paraíso) e mas do que isso, pensando a própria condição do Jazz como fenômeno musical que se encontra no espaço do “entre”, da passagem, ao  transgredir a música clássica oficial de uma minoria, mas sem ocupar o lugar da música da indústria de entretenimento de massa (quando não se propõe a padronizar as suas execuções musicais), pode-se, a grosso modo, começar a  compreender por que o sucesso do Festival de Jazz & Blues, se deu também pelas correspondência simbólica da cidade de  Rio das Ostras.

Na palestra realizada no último dia 04, no PURO/UFF, o proprietário da Azul produções, responsável pelo festival, Stenio Mattos citou a criação da lei 5.554/2009, que insere o evento no calendário oficial anual do estado do Rio de Janeiro, fazendo com que seja “obrigatória”, para não dizer necessária a sua realização. Demonstrando, ser a cultura o produto que movimenta e tende a desenvolver a economia de Rio das Ostras.

Tendo vista, que o Festival provou ser capaz de atender a demanda turística ao longo dos anos, o caminho agora para o seu pleno amadurecimento, poderia ser sua participação mais ampla no desenvolvimento do setor cultural local. Neste sentido, o diálogo que foi aberto com  Pólo/UFF para a realização de palestras e workshops durante o festival e da oportunidade de alguns postos de estágios para alunos do  curso de Produção Cultural desta universidade, já seria uma iniciativa positiva.

Contudo, mesmo diante dos resultados concretos do festival, que coloca a cidade Rio das Ostras no patamar de capital do jazz, segundo lei estadual 6.056/2011 e das discussões atuais sobre o planejamento do setor público para a cultura (desde a instauração da Lei Federal 2343/2010 do Plano Nacional de Cultura), não foi possível identificar em nenhum momento da palestra como o festival, pode ampliar sua atuação, estimulando o desenvolvimento de políticas públicas municipais, que contribuam, inclusive, para expansão do projeto, com a perspectiva de aumento do orçamento para o próprio festival e programas culturais que venham a abranger outras linguagens, possibilitando não somente a formação de plateia, mas também a formação e criação de mão-de-obra qualificada e remunerada de artistas, técnicos e produtores locais, a partir da abertura de novos postos de trabalho e desta forma, permitir a expansão do setor cultural de Rio das Ostras.

¹Hobsbawm, Eric. História Social do Jazz. Ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro 2009.

* Marina Soares é Produtora Cultural e Editora do Caderno de Cultura do jornal O Polifônico.

Fotos: Leonor Bianchi

Comentários desativados em Uma década de Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Neste sábado tem Coletivo Só Pra Moer em Macaé

Posted in Cultura, Estereofonia, Macaé by ImprensaBR on 03/05/2012

O grupo de Choro e música popular brasileira Coletivo Só Pra Moer se apresenta no próximo sábado, na cervejaria Devassa, em Macaé, a partir das 12h00.

Para quem não conhece o Coletivo, ou não está juntando ‘o nome à pessoa’, ele é o grupo que toca na Roda Rio de Choro que acontece em Rio das Ostras na praia do Centro.

O grupo tem Luiz Felipe Oliveira na flauta, Rúben Pereira no violão de 7 e Jansen Queiroz no pandeiro.

Vale muito a pena conferir!

A cervejaria Devassa fica na Av. Aluísio da Silva Gomes, 800, Loja 113A, Glória
Entrada principal do Shopping Plaza Macaé
Reservas: 2763 7214

 

Comentários desativados em Neste sábado tem Coletivo Só Pra Moer em Macaé

Festival de Rio das Ostras é o melhor da América Latina

Realizado anualmente na cidade de Rio das Ostras, Festival de Jazz e Blues é considerado o melhor da América Latina pela revista referência Downbeat

por Ernesto Neves | 24 de Abril de 2012

Um dos mais importantes eventos do calendário cultural fluminense, o Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras foi considerado o melhor do gênero em toda a América Latina, de acordo com a edição de maio da revista Downbeat, referência musical. Realizado há 10 anos no balneário, o evento terá esse ano 29 atrações gratuitas, que vão se apresentar durante cinco dias. Pelos quatro palcos espalhados pela cidade subirão nomes como Mike Stern, Celso Blues Boy e David Sanborn. Veja abaixo a programação completa do festival.

6 DE JUNHO (QUARTA)

Palco Costazul

20h – Orquestra Kuarup
Big Band 190
Hélio Delmiro
Celso Blues Boy

7 DE JUNHO (QUARTA)

Palco Iriry

14h15 – Celso Blues Boy

Palco Tartaruga

17h15 – Mike Stern, Romero Lubambo

Palco Costazul

20h – Plataforma C

Maurício Einhorn

Kenny Barron

Michael Hill

DIA 8 DE JUNHO (SEXTA)

Praça São Pedro

11h30 – Big Bat Blues Band

Palco Iriry

14h15 – Roy Rogers

Palco Tartaruga

17h15 – David Sandborn

Palco Costazul

20h – Armand Sabbal-Lecco

Duke Robillard

Mike Stern, Romero Lubambo

Big Time Orchestra

DIA 9 DE JUNHO (SÁBADO)

Praça São Pedro

11h30 – Artur Menezes

Palco Iriry

14h15 – Michael Hill

Palco Tartaruga

17h15 – Armand Sabbal-Lecco

Palco Costazul

20h – Cama de gato

Billy Cobham

David Sanborn

Roy Rogers

DIA 10 DE JUNHO (DOMINGO)

Praça São Pedro

11h30 – Fabiano Costa

Palco Iriry

14h15 – Duke Robillard

Palco Tartaruga

17h15 – Billy Cobham

Fonte: Revista Veja Rio

Comentários desativados em Festival de Rio das Ostras é o melhor da América Latina

Público sedento de arte e cultura prestigia show de músicos locais na Lagoa de Iriry

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 22/04/2012

Neste 21 de abril ninguém mencionou pelas bandas de Rio das Ostras a data do marco fundador oficial que marcou a chegada dos portugueses ao Brasil, tampouco a morte de Tiradentes… e o ato contra a corrupção feito em diversas capitais e cidades do país.

Em compensação, músicos de Rio das Ostras e de outras cidades, mas que hoje moram na cidade fizeram um lindo show mostrando que Rio das Ostras tem grandes nomes em sua cena artística musical.

Quem adorou foi o público, que sedento de arte, informação e cultura foi ao anfiteatro da Lagoa de Iriry ver e se encantar com as apresentações de Iran BZ, Banda Marraio e Renata Cabral.


Comentários desativados em Público sedento de arte e cultura prestigia show de músicos locais na Lagoa de Iriry

Thaís Macedo se apresenta pela primeira vez em Belém, neste sábado

Posted in Brasil, Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 22/03/2012

A cantora macaense revelada em Rio das Ostras, Thaís Macedo fará um show em Belém mostrando o trabalho de seu primeiro CD “O Dengo que a Nega tem”, neste sábado, dia 24, às 21h, na Casa d’noca.

No repertório do primeiro CD gravado no ano passado estão MandamentoMinha Arte de AmarFilosofia, Morena do mar, Candeeiro da Saudade e ainda Samba pras Moças,Alguém me Avisou Deixa Clarear, que serão interpretadas na primeira apresentação de Thaís Macedo na capital parense.

Segundo Thaís, a idéia era fazer um CD demonstrativo para ter como material de divulgação, mas o apoio da família, amigos foi grande e então ela resolveu fazer um disco com 12 faixas. “Escolhemos as oito inéditas e quatro regravações”, revelou.

O álbum foi produzido por Carlinhos Sete Cordas e conta com a participação de grandes arranjadores como o maestro Rildo Hora, Ivan Paulo e Fernando Merlino.

Com apenas 23 anos, Thais já é considerada uma das promessas da nova geração do samba, que se destaca não só pela voz e pelo carisma, mas pelo gingado natural e estilo próprio.

Comentários desativados em Thaís Macedo se apresenta pela primeira vez em Belém, neste sábado

O primeiro LATA do ano e o último LATA na Sirene! The dream it’s over… calourada…

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia, Notas by ImprensaBR on 13/03/2012

Comentários desativados em O primeiro LATA do ano e o último LATA na Sirene! The dream it’s over… calourada…

Roda Rio de Choro em Rio das Ostras pode ser um dos maiores projetos populares de música que a cidade já viu

Posted in Cidade, Estereofonia, Notas, Política by ImprensaBR on 12/03/2012

Lamentável a postura de alguns antigos correligionários de Sabino, ontem, na Roda Rio de Choro, em Rio das Ostras, que após me ouvirem dizer que Ginaldo na Cultura riostrense é a mesma coisa que não gestão no setor cultural sentiram-se muito ofendidos e saíram detonando o movimento, a roda e a minha pessoa, claro. Mais uma vez LB na boca de Matilde. Legal! Dá IBOPE pro jornal, adoro! Pra roda e pro movimento cultural que faço mais ainda. Agradeço a preferência…

O importante é que todos que frequentam a Roda e até os que nem nunca foram ver do que se trata (mas mandam mensageiros do além… que aliás, dizem que a cidade só tem gente feia, que não suportam mais Rio das Ostras… mandem mensageiros que ao menos gostem minimamente da cidade, gente! Mas vocês mandam multiplicadores que falam mal da cidade onde vocês querem ser novamente ‘prefeito’ (isso mesmo, no singular, pois na hora do vamos ver, a vaga é só uma…)? Não entendi a estratégia? Queima teu filme! Se liga nisso) saibam que a Roda é feita por pessoas que militam na cena cultural local há anos, moram na cidade há anos… muitos mais dos 20 que a cidade tem hoje… e não levam um tostão para isso… são profissionais liberais, jornalistas, professores, ativistas culturais…

Importante que saibam como nós, que organizamos a Roda Rio de Choro vemos a cena cultural local. Por que não ouvir? Desagrada? Ora, mas da nossa música vocês gostam… hummm…

Importante que saibam (correligionários, sobretudo os de Sabino, que sentiram-se ofendidos, ontem, com o fato de eu rejeitar o dono do restaurante para a pasta da cultura no próximo governo, numa conversa de botequim) que não queremos e não vamos aceitar ver esse lindo movimento ser aparelhado por governo algum, por pré-candidato algum.

Além disso, Ginaldo é o escambau. Nunca foi à Roda nem para dar uma escoltadinha, ver do que se tratava… quando apareceu lá, foi arrastando aquela sandália, olhando todo mundo de nariz empinado como os correligionários que querem ver gente bonita! Cultura pra eles é ver gente bonita!

A Cultura de Rio das Ostras está órfã há 20 anos… e seus gestores, Cláudia Medeiros, Erik Brandão, Friaça, também eram do Estado. Vejam só… que isso significa?

A maravilhosinha em 20 anos não conseguiu fazer absolutamente nada à frente da FROC. Hoje se quer temos uma secretaria de cultura em Rio das Ostras.

NÃO ACEITAMOS GINALDO NA CULTURA RIOSTRENSE, Cosme dos Santos NEM NENHUM OUTRO QUE TENHA VINDO SEJA LÁ DE ONDE VENDER PEIXE NA CIDADE EM FRENTE À PRAIA.

Pra mim, esse cara da Casa da Praia é um ótimo gestor cultural da casa dele… da coisa pública ele não entende lhufas.

Um cara que contrata músicos de fora para tocar em seu restaurante por uma nota preta sendo que quem abre a noite para os de fora são músicos locais, os quais sempre ficam à míngua e acabam tendo que tocar por um prato de comida na casa dele…
Esse nome seria sua melhor sugestão para um setor que merece a atenção que a Cultura merece? No meu entendimento não e está muito longe disso.

O dona da Casa que fica em frente à Praia… é um sem noção! Isso é valorização da cena local? Só banco quem vem do Rio, de Friburgo!!!

Ainda cheguei a ouvi ontem na roda, que a cantora Dorina vem nessa casa cantar de graça. E quem falou estava querendo dar a entender que o dono da tal casa da praia é tão bem relacionado, que nem precisa pagar pra quem trabalha pra ele… caraca, tacanho esse pensamento e medíocre demais! Se para a Dorina ele não paga nada imagine para os da cidade, não é mesmo?

Rio das Ostras: A cidade da brodagem!!!! Aqui vagabundo acha que por conhecer um número considerável de gente na rua, dar bom dia e boa tarde pra meia dúzia de conhecidos na fila do banco, da padaria já lhes dá o dever de serem gestores públicos, vereadores, secretários, chefes de gabinete… gente, popularidade precisa de filtro!!!! Alou!

Aqui pensam assim: “Dá cá o meu que te dou uma coisinha lá na frente se eu entrar”…

É… Cláudia Medeiros, Erik Brandão, Friaça… vcs não mudam mesmo. Aproveitem para levar esta informação para os seus:

NÃO QUEREMOS INCOMPETENTES NA CULTURA DE RIO DAS OSTRAS E NÃO VAMOS ACEITAR GINALDO, COSME DOS SANTOS, MARISA SEI LÁ DE ONDE NA PASTA SEJA LÁ O PREFEITO QUE ASSUMA ESSA CANOA QUASE FURADA QUE ESTÁ SE TORNANDO RIO DAS OSTRAS PARA OS PRODUTORES CULTURAIS.

A propósito, a Roda foi linda e já estamos preparando a próxima, que acontecerá 25 DE MARÇO.

Agradeço em nome do jornal O Polifônico, apoiador mor desta iniciativa, a todos os amigos da Roda, que mais uma vez levaram muitos sorrisos sinceros, abraços honestos e olhares e palavras de motivação ao movimento que tentamos desenvolver com tanto amor e respeito ao CHORO.

Até dia 25!

Estão TODOS novamente convidados! Até os que não estão…

LB

Comentários desativados em Roda Rio de Choro em Rio das Ostras pode ser um dos maiores projetos populares de música que a cidade já viu

Roda Rio de Choro anima tarde de domingo em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 10/03/2012
A Roda Rio de Choro voltou a toda em Rio das Ostras no último domingo. Muitos amigos se reuniram para dar o ‘grito da volta da Roda’, que durante quase dois anos – de 2009 a 2011 – levou centenas de amantes do gênero musical para os quiosques da Tia Maria e do Franco, às tardes de domingo.

Depois de sair de cena durante todo o ano passado o movimento da Roda volta com fôlego de sobra neste próximo domingo a partir das 16h30, depois da Oficina Popular de Música Brasileira, que será ministrada na Concha Acústica da praça São Pedro (ao lado dos quiosques citados) pelo instrumentista Rúben Pereira, músico e fundador da Roda Rio de Choro.
Segundo Rúben Pereira, a Roda Rio de Choro volta com o mesmo espírito generoso e despojado de antes e com o objetivo de reunir amigos como se fosse um momento descontraído, que pode ser comparado a uma pelada de domingo. O grande diferencial da volta da Roda Rio de Choro, de acordo com o ‘chorão’ organizador da Roda serão as oficinas de música que acontecerão sempre uma hora antes de começar a Roda e o projeto Circuito Sama-Choro, que pretende dar itinerância à Roda Rio de Choro ocupando mais espaços em locais diferentes da cidade, ampliando a difusão do gênero musical genuinamente brasileiro.

A Roda Rio de Choro tem o apoio imprescindível dos quiosqueiros Tia Maria e Franco, apoio cultural do jornal O Polifônico, de ImprensaBR Assessoria de Comunicação, da Escola Livre de Comunicação e Artes de Rio das Ostras loja Artemanha.
Oficina Popular de Música Brasileira pretende difundir música boa para riostrenses de todas as idades
 
Ouvir choro em Rio das Ostras, nas ruas da cidade, nos bares da cidade, na noite da cidade não é algo muito comum. Aliás, nada comum. Em 2008, um grupo de jovens chorões de Macaé, Rio das Ostras e região reuniu-se para formar o Coletivo Só Pra Moer e passou a realizar apresentações informais com a Roda Rio de Choro, quinzenalmente, na praia do centro, em Rio das Ostras.
Muitos novos músicos foram chegando à Roda para conhecer e também para tocar. Foi daí que surgiu a ideia do músico e organizador da Roda Rio de Choro, Rúben Pereira, de criar a Oficina Popular de Música Brasileira.
“A oficina pretende instrumentalizar o músico, o estudante de música e o entusiasta do choro em relação ao tocar música brasileira. Daremos ênfase ao choro e seus ritmos conformadores neste início, já que o choro é a matriz de toda a música popular urbana brasileira. Não deixaremos de fora os ritmos rurais como o maracatu, toré, caboclinho, e os filhos do choro como o samba, a marcha e até mesmo a bossa nova”, comenta o músico.
Além do momento prático e presencial da Oficina, os oficinandos poderão complementar o aprendizado acessando uma plataforma virtual (o site da Escola Livre de Comunicação e Artes de Rio das Ostras) onde poderão navegar por vídeos, textos, partituras, apostilas e materiais correlatos a mesma.
Os valores para inscrição são acessíveis e ainda há possibilidade de bolsas com desconto de até 50%.
As inscrições estão sempre abertas e podem ser feitas pelo site da Escola Livre de Comunicação e Artes, ou através do envio de um email para escolalivredecomunicacaoeartes@gmail.com.
Os interessados investirão R$ 75,00 a cada bimestre e para os 20 primeiros inscritos será cobrado R$ 50,00 numa promoção que de tempos em temos acontecerá.
“A Oficina formará ainda um grupo que passará a ensaiar com objetivo de tocar profissionalmente” relata Rúben Pereira. “Daremos uma ênfase bem forte a história da Música Popular Brasileira”, disse.
A oportunidade é imperdível. Rúben Pereira é pesquisador de Musica Popular e História Regional, músico, violonista de 7 cordas, foi aluno de mestres do Choro como Dino 7 cordas, Mauricio Carrilho e Luiz Otávio Braga. Fundador do Coletivo Só Pra Moer, é também o criador do Festival Cultural Benedicto Lacerda em Macaé e de muitas rodas e movimentações culturais na Região.

Comentários desativados em Roda Rio de Choro anima tarde de domingo em Rio das Ostras

Rio das Ostras recebe Ponto de Equilíbrio. Banda se apresentará sexta-feira 13

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia, Região, Turismo by ImprensaBR on 09/01/2012

Comentários desativados em Rio das Ostras recebe Ponto de Equilíbrio. Banda se apresentará sexta-feira 13

Samba de casa. Show de Thais Macedo na virada do ano em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Estereofonia by ImprensaBR on 07/01/2012
Uma semana depois do show da cantora Thais Macedo  na virada do ano em Rio das Ostras, O Polifônico publica em primeira mão um vídeo onde a intérprete canta Retalhos de cetim, música de Benito di paula, de 1973.
Tagged with:

Comentários desativados em Samba de casa. Show de Thais Macedo na virada do ano em Rio das Ostras

Só pra Moer, hoje, em Macaé

Posted in Cultura, Educação, Estereofonia, Região by ImprensaBR on 16/08/2011

Muito Choro, hoje, na UMM, no projeto Intervalo Cultural.

 
O grupo musical Coletivo só pra Moer faz apresentação, hoje, na hora do almoço, na Universidade Municipal de Macaé. O grupo é o primeiro a tocar na volta do projeto Intervalo Cultural, que ficou parado durante um tempo, mas agora retorna com a promessa de levar música de qualidade ao campus universitário. Vale o destaque em meio a boa notícia… a greve dos servidores das universidades federais, permanece. Na UMM, funcionam cursos de diversas áreas da UFRJ, UFF e UENF, além da Femass e Funecac.
 
LB

Resistência! Noite no Mangue pra quem gosta de música interventiva…

Posted in Cidade, Estereofonia by ImprensaBR on 12/08/2011

saudade eterna…um movimento, uma personagem, um cenário de opressão… de

pernambuco, minha segunda casa para … para Rio das Ostras… vamos relembrar toda essa energia com a apresentação da turma do Vitrola Digital e do Dj Jada. mais sbre a apresentação da Vitrola Digital no site do jornal o polifônico. dissidentes… não covers… axé!

O que: Noite no Mangue 3ª edição “Um tributo a Chico Science e Nação Zumbi”

Quem: DJ Jada, Mr Mazziotta e Vitrola Digital

Quando: 13/08 – sábado às 23h

Onde: Barimar – Av Netuno esquina c/ a Beira Mar – Terra Firme – Rio das Ostras-RJ (seguir na rua em frente ao Boliche até a beira da praia)

Quanto: R$10 antecipado (ou enviar nome para lista amiga no seguinte e-mail: terrasecaproducoes@hotmail.com até as 18h de sábado)

R$15 na hora

Pontos de Venda: Taberna da Amendoeira / Art Manha / Bilheteria do Barimar

Contatos: 22 9218-2529 / 22 9264-6312 / 21 8530-0405

Colaborou com dados sobre o programa: Dj Jadda

Comentários desativados em Resistência! Noite no Mangue pra quem gosta de música interventiva…

Músicos da OSB denunciam assédio moral e ameaça à integridade física

Posted in Denúncia, Estado, Estereofonia by ImprensaBR on 18/04/2011

Denúncias de assédio moral e de ameaça à integridade física feitas pelos integrantes da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) Profissional e da OSB Jovem serão notificadas ao Ministério Público do Trabalho pela Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), presidida pelo deputado Robson Leite (PT). “Descobrimos oficialmente que o maestro Roberto Minczuk também é diretor artístico do Theatro Municipal e isso é ilegal, pois se trata de uma questão de princípio republicano. Há uma violação de direitos do estatuto dos músicos e há dinheiro público federal aplicado na OSB que não sabemos como está sendo utilizado”, afirmou o petista, durante audiência pública realizada nesta segunda-feira (18/04).
Ouça na Rádio Alerj: http://radioalerj.posterous.com/crise-na-osb-obriga-comissao-de-cultura-a-not

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), integrante da Frente Parlamentar de Cultura e Arte do Congresso Nacional, também participou da reunião. “O Congresso Nacional poderá fazer requerimentos para obter as informação necessárias e poderá ampliar as denúncias e atuar em parceria com o MP, para fazer com que mudem a gestão da orquestra e para que tenhamos mais transparência”, declarou a parlamentar. (more…)

Comentários desativados em Músicos da OSB denunciam assédio moral e ameaça à integridade física

Melhor gaitista de blues do país faz show em Rio das Ostras neste sábado

Posted in Cultura, Economia, Estereofonia, Trabalho e Renda, Turismo by ImprensaBR on 23/02/2011

Flávio Guimarães, a principal referência na harmônica de blues no Brasil, se apresenta na Praça São Pedro, às 18h, com entrada franca
 
Acontece neste sábado, dia 26, a segunda edição do projeto Rio das Ostras Jazz & Blues o Ano Todo, que promoverá shows mensais gratuitos desses ritmos durante todo o ano. A apresentação será do gaitista Flávio Guimarães, que sobe ao palco da Concha Acústica da Praça São Pedro, no Centro, às 18h.
(more…)

Comentários desativados em Melhor gaitista de blues do país faz show em Rio das Ostras neste sábado

Público lota a Praça São Pedro para assistir a primeira edição do Rio das Ostras Jazz & Blues o Ano Todo

Posted in Cidadania, Cultura, Economia, Estereofonia, Trabalho e Renda, Turismo by ImprensaBR on 23/02/2011

Big Joe Manfra e Kenny Brown foram as primeiras atrações
  
A primeira edição do Projeto Rio das Ostras Jazz & Blues o Ano Todo, realizado no último sábado, dia 19, na Praça São Pedro, pela Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio, ratificou porque Rio das Ostras é a capital brasileira do jazz e do blues. Mais de 1500 pessoas aproveitaram o final da tarde de sábado para assistir aos shows de Big Joe Manfra e do guitarrista americano Kenny Brown.
Durante os shows, os artistas apresentaram, além de composições próprias, músicas de Jimi Hendrix, Willie Dixon e outros ícones do gênero. Ao final da apresentação, o publicou aplaudiu de pé. (more…)

Comentários desativados em Público lota a Praça São Pedro para assistir a primeira edição do Rio das Ostras Jazz & Blues o Ano Todo

Gilberto Gil em Macaé

Posted in Estereofonia, Região by ImprensaBR on 14/02/2011

Gilberto Gil fez uma apresentação para ficar na memória do macaense

Por Rúben Pereira*

O show que prometia ser o mais empolgante do verão 2011 mostrou que as expectativas estavam certas, apesar da pouca estrutura para atender o público.

Gilberto Gil, mesmo rouco, deu uma aula de profissionalismo. Cantou, tocou, dançou, conversou com o público, contou estórias e ainda deu seu apoio à luta pela preservação da Praia do Pecado, parabenizando o movimento de cidadãos pela criação do Parque Natural da Restinga do Pecado, que completou 30 anos em janeiro deste ano.

Na foto de Sandro Martins, Gil aparece abraçando a causa SOS Praia do Pecado, mostrando a blusa com o símbolo do movimento. Na platéia, o prefeito de Macaé, Riverton Mussi, que não esteve no abraço à restinga, no último SOS Pecado, paradoxalmente, aplaudiu o cantor

Gil subiu ao palco com pouco mais de meia hora de atraso e, acompanhado de uma banda de peso, discorreu por quase duas horas sua tese sobre a importância do Forró, do Baião, do Xote, do Xaxado e de todas as vertentes que ele e sua banda trouxeram rearranjadas no repertório do novo Cd do cantor, Fé na Festa. Arthur Maia e Sérgio Schiavazoli, contrabaixo e guitarra, banjo e guitarra baiana respectivamente se uniram a Nicolas Krassik, violino e rabeca, e Toninho Ferraguti, no acordeão, mais Jorginho Gomes e Gustavo de Dalva, percussionistas da banda de Gil de longa data.

O ponto negativo da noite foi a falta de ambulantes credenciados para atender o público com água mineral, cerveja, refrigerantes e tal. Este, tinha que se dirigir a um dos quiosques da Lagoa, que estavam a cerca de 300 metros do palco, para tentar matar a sede na bela noite verão.  

Outro ponto negativo que logo pareceu ter sido sanado, foi a questão do estacionamento. Ao chegar à entrada da Lagoa de Imboassica, local do show, éramos direcionados para o aterro que ali existe. Assim que chegamos, fomos interpelados por um cidadão, que pedia pagamento de R$ 5 ao menos pela guarda do carro durante o show. Ora, estávamos sendo direcionados pela própria Guarda Municipal a nos direcionarmos para ‘lá’! E o cidadão ainda queria cobrar? Pois bem, não pagamos e, ao fim do show, a Guarda parecia ter contornado a situação inusitada.

Enfim, com fé na festa de Gil, fomos convidados a lembrar para sempre desta noite de luz e música em São João de Macaé. Axé! Salve Mestre Gil!

*Violonista e pesquisador de memória regional.

Fotos e CurtaGilÁudioEstourado: Leonor Bianchi

Gil traz a Macaé o show “Fé na Festa”

Posted in Cultura, Estereofonia, Região by ImprensaBR on 12/02/2011

Por Rúben Pereira*

Gilberto Gil fará, na Lagoa de Imboassica, em Macaé, neste domingo dia 13, o show “Fé na festa”, no qual atualiza e fixa o forró com seus baiões, maxixes, xotes e xaxados. O show chega a Macaé com entrada franca e num dos pontos mais bonitos da orla macaense.

Gil chega direto da cidade de Guadalajara, México, onde fez o show “Fé na festa” no dia 10 de fevereiro na Plaza de la Liberation, junto de Caetano Veloso e Carlinhos Brown nas Festividades del aniversario de la ciudad de Guadalajara, para a festa que promete ser o grande momento do verão musical da região.

Depois de Macaé, no dia 13, Gil levará seu Show “Fé na Festa” para a Marina da glória, no Rio de Janeiro, no dia 18 de fevereiro.

Para o show na Lagoa de Imboassica, Gil vem literalmente fazendo a festa e mostrando músicas inéditas e grandes canções típicas de festas juninas e do cancioneiro nordestino. Depois do tributo a Bob Marley e a Luiz Gonzaga, Gil vem fazendo um tributo não a uma figura, mas a um gênero. Gil traça uma linha de criação no gênero Forró e apresenta verdadeiras pérolas como Juazeiro, Fé na festa, esta inédita de sua autoria e Qui nem Jiló fundida com Expresso 2222.

A banda que vem acompanhando Gil conta com os fiéis escudeiros Sergio Chiavazzoli: guitarra violão de 12, banjo, cavaquinho, guitarra baiana, guitarra sitar e programação; Arthur Maia: baixo; e Toninho Ferragutti: acordeão e palmas; Nicolas Krassic: violino e  rabeca; Gustavo di Dalva: percussão;  palmas ; Jorginho Gomes: zabumba | percussão;  vocal ; Alex Fonseca: programação ; Angela Lopo e Tita Alves: vocal; Arranjos: Sérgio Chiavazzoli e arranjos coletivos.

O modo quase moderno com que Gil pincela os belos arranjos de “A Dança da Moda” e “Aprendi com o Rei” funciona como um elemento de coesão em relação à esperança que ele demonstra visivelmente em sua postura no palco ao apresentar canções como “O Livre Atirador e a Pegadora” e o “O Casamento da Raposa”.

O show de Macaé promete!

*Violonista e pesquisador de memória regional

Gabriel Lobo nesta 5a, em Mariléa

Posted in Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 09/02/2011

Especialmente nesta quinta-feira, Gabriel Lobo se apresentará no Launge 20 Beer no shopping Mariléa. Venha e tome aquele chopp gelado ao som bom da Bossa Nova, Jazz e Samba. 
 

Comentários desativados em Gabriel Lobo nesta 5a, em Mariléa

Cabedal no Festival de Música Aperipê – vote

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 21/10/2010

VOTE NA BANDA CABEDAL: http://www.aperipe.se.gov.br/festival/

O Festival

Comentários desativados em Cabedal no Festival de Música Aperipê – vote

Abertas as inscrições para o Festival de Novos Talentos de Rio das Ostras

Posted in Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 24/06/2010

Quem gosta de cantar e quer concorrer ao prêmio de R$ 10 mil já pode se inscrever no Festival de Novos Talentos 2010. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 30 de julho em diversos pontos da cidade. (more…)

Comentários desativados em Abertas as inscrições para o Festival de Novos Talentos de Rio das Ostras

Claudio Nucci se apresenta no Casa da Praia, sábado, 27 de março

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 24/03/2010

Claudio Nucci, cantor e compositor, integrante da formação original do grupo Boca Livre, apresenta seu novo show “Metades”. (more…)

Comentários desativados em Claudio Nucci se apresenta no Casa da Praia, sábado, 27 de março

Rio das Ostras prepara oitava edição do Festival de Jazz & Blues

Posted in Cultura, Estereofonia, Turismo by ImprensaBR on 17/03/2010

A produção do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival já está a todo vapor para fechar o cast da oitava edição do evento, que acontecerá entre os dias 2 e 6 de junho, no feriadão de Corpus Christi. (more…)

Comentários desativados em Rio das Ostras prepara oitava edição do Festival de Jazz & Blues

Baia faz apresentação no Bossa & Blues, neste sábado. Imperdível!

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 05/03/2010

O cantor Maurício Baia fará uma apresentação imperdível neste sábado, em Rio das Ostras, na casa noturna Bosa & Blues, em Costa Azul.

LB

Comentários desativados em Baia faz apresentação no Bossa & Blues, neste sábado. Imperdível!

Thais Macedo faz o primeiro show no Rio de Janeiro neste sábado

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 13/01/2010

Cantora começa a gravar o primeiro CD que será lançado ainda esse ano

A cantora de Rio das Ostras Thais Macedo se apresenta pela primeira vez no Rio de Janeiro, no Balneário da Lapa, o novo point do Rio, neste sábado, dia 16, às 22h30. Thais passou por várias rodas de samba de músicos como Luiz Carlos da Vila, Diogo Nogueira e de grupos da nova geração como Casuarina e Anjos da Lua. Também participou de diversas rodas de samba de casas tradicionais na cidade como Carioca da Gema, Sacrilégio e o próprio Balneário da Lapa.

No repertório do show deste sábado, a cantora apresenta algumas canções que serão regravadas em seu CD e canta músicas de grandes sambistas como Nelson Cavaquinho, Candeia, Noel Rosa, Cartola e Paulinho da Viola.

O bar Balneário fica na Rua Mem de Sá, 63, Lapa. O telefone é (21) 2222-0328. Os ingressos custam R$15 e a casa tem capacidade para 120 pessoas.


GRAVAÇÃO- Thais inicia a gravação do primeiro CD, que será lançado ainda este ano, na segunda-feira, dia 18. O trabalho contará com a produção musical de Carlinhos Sete Cordas e Rildo Hora, um dos arranjadores preferidos das grandes estrelas do samba, como Zeca Pagodinho, fará arranjo em duas das músicas que serão gravadas. O repertório do CD, que será lançado até meados deste ano, inclui regravações de Noel Rosa e Dorival Caymmi e ainda canções inéditas de grandes compositores.

 

Texto: Roberta Vitorino

Foto: César Fernandes

Comentários desativados em Thais Macedo faz o primeiro show no Rio de Janeiro neste sábado

Thais Macedo se apresenta como convidada de Daniel Pereira no Réveillon da Casa da Praia

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 28/12/2009

No dia 3, cantora divide o palco com o jovem gaitista Gabriel Grossi

Depois de apresentar com grandes músicos brasileiros, Thais Macedo, fecha o ano dividindo o palco com o cantor Daniel Pereira num show que promete animar o Réveillon na Casa da Praia, às 23h, em Rio das Ostras. Daniel é nome conhecido na Lapa, onde está em cartaz com seu show “Ganha-Pão”, que leva o mesmo nome de seu primeiro CD recém-lançado. Seu estilo é marcado por canções relacionadas à malandragem e ao bom humor do carioca. É o atual campeão e puxador de alguns dos sambas que embalaram os mais tradicionais blocos carnavalescos da cidade.

Thais e Daniel serão acompanhados pelo grupo Dois por Quatro que será formado por Banana, no cavaco, Robert e Raldenir na percussão. O grupo terá a participação de Hudson, do grupo carioca DNA do samba, no violão de sete cordas.

JANEIRO- A primeira apresentação da cantora em 2010 será com o Grupo Dois por Quatro e a cantora Tininha Herlander, no dia 3, às 21h, no Centro, em Casimiro de Abreu. Eles contam com a participação do gaitista Gabriel Grossi, um dos músicos mais elogiados pela crítica especializada no momento. Grossi tem realizado shows e gravações no Brasil e no exterior ao lado de grandes nomes da música brasileira como Chico Buarque, Ivan Lins, Leila Pinheiro, João Donato, Guinga, Lenine, Djavan, Milton Nascimento, Dominguinhos, Maria Bethânia e Ney Matogrosso, entre outros, além de Hermeto Pascoal, uma de suas maiores influências. O músico também fez parte do CD que levou o prêmio TIM na categoria Melhor Grupo Instrumental ao lado do bandolinista Hamilton de Holanda.

PROJETOS- Considerada revelação do samba na região, Thais Macedo se prepara para gravar o primeiro CD em 2010, que contará com a produção do experiente violonista Carlinhos 7 cordas. Além disso, o CD terá os arranjos do maestro Rildo Hora, apresentado à cantora recentemente. Rildo é considerado o principal produtor-arranjador de samba e responsável pelos grandes sucessos de Martinho da Vila, ZecaPagodinho, Grupo Fundo de Quintal, Beth Carvalho, Dudu Nobre, Dona Ivone Lara e muitos outros grandes artistas como, João Bosco, Luiz Gonzaga, Fagner e o Projeto Casa de Samba. O trabalho também terá a participação de Ivan Paulo, que produziu o DVD de Arlindo Cruz, gravado recentemente pela MTV.

Desde meados de 2009, foi iniciada a seleção do repertório, entre mais de mil canções de compositores como João Nogueira, Mombaça- parceiro de Mart’nália, Wanderley Monteiro e Délcio Carvalho.

Texto de Roberta Vitorino

Assessora de Imprensa

Comentários desativados em Thais Macedo se apresenta como convidada de Daniel Pereira no Réveillon da Casa da Praia

Vitrola Digital: Qualidade musical na cena riostrense

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 11/12/2009

Formada por Alexandre Dias nos vocais, Leonardo Mercês no baixo, Diogo Spadaro na guitarra, Rodrigo Zago na bateria e Wagner Wagão no cavaquinho a banda Vitrola Digital se apresentou sábado, dia 12 de dezembro, no Bossa Blues, em Costazul.

Com composições próprias e fortes influências do movimento Mangue Beat pernambucano, a Vitrola Digital vem revigorando a cena musical e artística de Rio das Ostras com um excelente trabalho de alta qualidade musical.

 

Comentários desativados em Vitrola Digital: Qualidade musical na cena riostrense

No dia 3, cantora divide o palco com o jovem gaitista Gabriel Grossi

Posted in Estereofonia by ImprensaBR on 28/01/2009

 

Depois de apresentar com grandes músicos brasileiros, Thais Macedo, fecha o ano dividindo o palco com o cantor Daniel Pereira num show que promete animar o Réveillon na Casa da Praia, às 23h, em Rio das Ostras. Daniel é nome conhecido na Lapa, onde está em cartaz com seu show “Ganha-Pão”, que leva o mesmo nome de seu primeiro CD recém-lançado. Seu estilo é marcado por canções relacionadas à malandragem e ao bom humor do carioca. É o atual campeão e puxador de alguns dos sambas que embalaram os mais tradicionais blocos carnavalescos da cidade.

Thais e Daniel serão acompanhados pelo grupo Dois por Quatro que será formado por Banana, no cavaco, Robert e Raldenir na percussão. O grupo terá a participação de Hudson, do grupo carioca DNA do samba, no violão de sete cordas.

JANEIRO- A primeira apresentação da cantora em 2010 será com o Grupo Dois por Quatro e a cantora Tininha Herlander, no dia 3, às 21h, no Centro, em Casimiro de Abreu. Eles contam com a participação do gaitista Gabriel Grossi, um dos músicos mais elogiados pela crítica especializada no momento. Grossi tem realizado shows e gravações no Brasil e no exterior ao lado de grandes nomes da música brasileira como Chico Buarque, Ivan Lins, Leila Pinheiro, João Donato, Guinga, Lenine, Djavan, Milton Nascimento, Dominguinhos, Maria Bethânia e Ney Matogrosso, entre outros, além de Hermeto Pascoal, uma de suas maiores influências. O músico também fez parte do CD que levou o prêmio TIM na categoria Melhor Grupo Instrumental ao lado do bandolinista Hamilton de Holanda.

PROJETOS- Considerada revelação do samba na região, Thais Macedo se prepara para gravar o primeiro CD em 2010, que contará com a produção do experiente violonista Carlinhos 7 cordas. Além disso, o CD terá os arranjos do maestro Rildo Hora, apresentado à cantora recentemente. Rildo é considerado o principal produtor-arranjador de samba e responsável pelos grandes sucessos de Martinho da Vila, ZecaPagodinho, Grupo Fundo de Quintal, Beth Carvalho, Dudu Nobre, Dona Ivone Lara e muitos outros grandes artistas como, João Bosco, Luiz Gonzaga, Fagner e o Projeto Casa de Samba. O trabalho também terá a participação de Ivan Paulo, que produziu o DVD de Arlindo Cruz, gravado recentemente pela MTV.

Desde meados de 2009, foi iniciada a seleção do repertório, entre mais de mil canções de compositores como João Nogueira, Mombaça- parceiro de Mart’nália, Wanderley Monteiro e Délcio Carvalho.

Texto de Roberta Vitorino

Assessora de Imprensa

Comentários desativados em No dia 3, cantora divide o palco com o jovem gaitista Gabriel Grossi

%d blogueiros gostam disto: