!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Denúncia, Educação, Notas, Rio das Ostras by ImprensaBR on 23/01/2013

Movimento envolve docentes do Serviço Social do PURO, alunos da instituição e atores de diversos movimentos sociais da cidade

Rio das Ostras é conhecida, em todo o Brasil, por seus altos índices de estupros. E isso, há muitos anos, não é de agora, depois do crescimento populacional que ocorreu no município nos últimos oito, dez anos em função do arranjo produtivo do petróleo e gás da Bacia de Campos.

Só no mês de setembro do ano passado, dia sim dia não, uma mulher foi estuprada na cidade. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP), até Novembro de 2012 foram registrados 49 casos de estupros na cidade.

Com o objetivo de pedir às autoridades competentes ações de combate ao estupro na cidade, professores do curso de Serviço Social da UFF, alunos do PURO e sociedade civil organizada estão se organizando e convocando todos que se sentem agredidos com esta realidade para uma manifestação. A primeira reunião de organização da manifestação será na terça feira, dia 29 de janeiro, às 17h30, no auditório da UFF/ PURO, na rua Recife S/N, bairro Jardim Bela Vista.

 indices ips estupros em rio das ostras

Anúncios

Comentários desativados em Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

Domingo é dia de escolher os novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, Segurança Pública by ImprensaBR on 01/12/2011
Neste domingo, munícipes de Rio das Ostras escolherão os novos representantes do Conselho Tutelar da cidade.
O jornal O Polifônico desafiou os quase 40 candidatos a elaborarem uma campanha e enviarem ao jornal argumentando por que sentem-se aptos a se candidatarem ao cargo de conselheiros tutelares.
Apenas a candidata Regina Vieira entrou em contato com a redação d’O Polifônico.
Abrimos espaço, então, para divulgar – como teríamos aberto também aos demais candidatos – a campanha da única cidadã candidata ao Conselho Tutelar de Rio das Ostras que se predispôs a dialogar conosco.
LB
O material abaixo foi totalmente redigido e elaborado pela candidata ao Conselho Tutelar de Rio das Ostras, Regina Vieira. (O referente material foi retirado da internet, ainda não sabemos, mas talvez pela própria candidata após o período das eleições do CT. Regina Viera não foi eleita.) 
Participação da população é importantíssima
Votação será para eleger os conselheiros do triênio 2012/2014 No próximo domingo, dia 4 de dezembro, a população vai poder escolher os cinco membros do Conselho Tutelar para o triênio 2012/2014.
O Conselho Tutelar é composto por cinco membros, eleitos pela comunidade para acompanharem as crianças e os adolescentes e decidirem em conjunto sobre qual medida de proteção para cada caso. Devido ao seu trabalho de fiscalização a todos os entes de proteção (Estado, comunidade e família), o Conselho goza de autonomia funcional, não tendo nenhuma relação de subordinação com qualquer outro órgão do Estado.
Importante esclarecer que a autonomia do Conselheiro funcional não é absoluta. No tocante às decisões, estas devem ser tomadas de forma colegiada por no mínimo três Conselheiros, e não apenas por um ou dois deles. No tocante a questões funcionais: fiscalização do cumprimento de horário de trabalho e demais questões administrativas. O conselheiro tem o dever da publicidade ao órgão administrativo ao qual vincula o Conselho Tutelar, assim como é dever e função do CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, fiscalizar a permanência dos pré-requisitos exigidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente aos Conselheiros Tutelares, em especial o da idoneidade moral e residência no município.
As zonais eleitorais estarão aglutinadas em sete locais de votação:
Colégio Municipal Professora América Abdalla
Rua Carlos Viana, s/nº – Nova Esperança
Eleitores que votam nas seções: 01 – 02 – 08 – 09 – 10 – 23 – 24 – 25 – 26 – 27 – 28 – 29 – 30 – 31 – 32 – 33 – 34 – 35 – 36 – 37 – 38 – 39 – 40 – 41 – 42 – 43 – 44 – 45 – 46 – 47 – 48 – 62 – 63 – 64 – 67 – 75 – 77 – 78 – 79 – 81 – 83 – 90 – 95 – 98 – 100 – 101 – 104 – 105 – 107 – 109 – 113 – 140 – 143 – 148 – 152 – 156 – 157 – 158 – 159 – 160 – 168 – 170 – 171 – 181
Escola Municipal Cidade Praiana
Avenida Amaral Peixoto, s/nº – Cidade Praiana
Eleitores que votam nas seções: 11 – 12 – 13 – 14 – 15 – 16 – 17 – 18 – 49 – 50 – 51 – 52 – 65 – 66 – 68 – 69 – 73 – 74 – 82 – 84 – 87 – 91 – 93 – 97 – 99 – 103 – 108 – 112 – 117 – 120 – 122 – 128 – 133 – 134 – 137 – 138 – 141 – 145 – 147 – 151 – 153 – 155 – 161 – 162 – 167 – 169 – 172 – 173 – 179
Escola Municipal Marinete Coelho de Souza
Cantagalo
Eleitores que votam nas seções: 03 – 94 – 110
Escola Municipal Inayá Moraes D’Couto
Rua Frei Galvão, nº 414 – Village
Eleitores que votam nas seções: 70 – 71 – 72 – 80 – 86 – 96 – 106 – 114 – 121 – 131 – 132 – 142 – 146 – 149 – 154 – 164 – 166 – 174 – 177 – 178 – 180
Escola Municipal Francisco de Assis Medeiros Rangel
Rua Bangu, nº 1615 – Parque Zabulão
Eleitores que votam nas seções: 04 – 05 – 06 – 07 – 53 – 54 – 55 – 56 – 57 – 58 –  – 59 – 60 – 61 – 76 – 85 – 88 – 89 – 92 – 102 – 111 – 125 – 136 – 144 – 150 – 163 – 165 – 175 – 176
Escola Municipal Fazenda da Praia
Mar do Norte
Eleitores que votam nas seções: 34 – 35 – 116 – 182
Escola Municipal Henrique Sarzedas
Rocha Leão
Eleitores que votam nas seções: 19 – 20 – 21 – 22 – 127
Saiba quem concorre: 
Nº do candidato|Nome
01|Sandra Santos
02|Mariana Cristina
03 |Robson Huebra
04|Ana Lúcia Clementino
06|Dionéia
08|Andréa
09|José
10|Sandra Caldas
14|Derli Correa
17|Regina Vieira
18|Ramiro Tinoco
19|Alziléa ( Lene)
20|Alcinéia Fernandes de Souza
22|Luciana Alves
23|Prof. Fábio Neves
24|Valdelice
25|Suelen Fragoso
26|Raquel Matos
27|Austriane (Ane)
28|Maristela Gomes
29|Vânia Cruz
30 |Marta Soriano
31|Nanci
33|Tania Maria Peroba e Silva
34|Profª. Ludmila Costa
35|Érica Santos
37|Elidia Trefílio
38|Pastora Marli

Comentários desativados em Domingo é dia de escolher os novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

Vox populi – O Grito dos Excluídos de Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Cidade, Notas by ImprensaBR on 22/08/2011

Vox populi – O Grito dos Excluídos de Rio das Ostras
A população de Rio das ostras vai às ruas GRITAR não à exclusão! A terceira edição do Grito dos Excluídos está sendo organizada e acontecerá no dia 7 de setembro envolvendo educadores, estudantes, servidores públicos e toda a população de Rio das Ostras.
Nesta quarta-feira, no PURO, às 17h, haverá uma reunião da Comissão Organizadora do Grito, que está convidando todos que desejam se integrar ao movimento e ajudar a ecoar esse grito contido no peito nos ouvidos de quem os tem que ouvir!!!!
LB 

 

 

Tagged with:

Neoliberalismo no cobre e na mídia

Posted in Sem categoria by ImprensaBR on 19/07/2011

Mais uma vez o Chile está na ordem do dia em função de uma greve dos trabalhadores das minas de cobre, a primeira em 18 anos. O objetivo é evitar a privatização do setor e nesse sentido os sindicalistas estão mobilizados porque, apesar das negativas dos representantes do governo Sebastián Piñera, a privatização pode estar mesmo a caminho.

Piñera é um neoliberal e segue a cartilha do Estado mínimo, no caso chileno visando o aprofundamento do que se iniciou na era do ditador Augusto Pinochet com os Chicago boys, os economistas defensores do enfraquecimento do Estado.

A Concertación, que reunia democrata-cristãos e socialistas e que governou desde o fim da ditadura até a posse de Piñera, não mudou a economia, que seguiu as diretrizes traçadas na época da ditadura, tornando o Chile o país preferido pelos defensores do Estado mínimo. Fernando Henmrique Cardoso que o diga.

Piñera é bastante paparicado pela direita latino-americana e tem a preferência do Departamento de Estado, que acredita ser o seu governo um exemplo a ser seguido. Piñera não faz por menos e volta e meia procura criticar duramente modelos do gênero bolivariano. Para o Presidente chileno e para o Departamento de Estado, as experiências que estáo sendo adotadas na Venezuela não vão dar em nada e coisa e tal. Segue a cartilha.

No caso da estatal chilena Codelco, a greve atinge cinco mineradoras e o escritório central da empresa, pois os trabalhadores não têm dúvida de que às escondidas o governo prepara a entrega da maior mineradora de cobre do mundo para as empresas privadas.

Governos do gênero Piñera, bem como outros de triste memória, inclusive aqui no Brasil, como o de Fernando Henrique Cardoso, incutiram na opinião pública a idéia de que as privatizações em todos os setores melhoriam a vida da população. O conto da privatização deu no que deu e em muitos países, como na Argentina, por exemplo, algumas delas deram tão errado que o Estado teve de voltar a comandar, como no caso da empresa aérea Aerolineas Argentinas.

Da mesma forma que certos governos insistem nas privatizações, inclusive adotando estratégias de sucateamento de empresas para serem entregues à iniciativa privada, na área midiática estão a ocorrer transformações sobretudo em países onde o povo tem tido maior participação e a democracia deixa de ser formal para se tornar participativa.

Destaca-se neste momento o que vem ocorrendo na Bolívia. No país vizinho, a lei de Telecomunicações, aprovada em 1997, ou seja, em plena era neoliberal, está com os dias contados. O Parlamento aprovou no último dia 12 uma mudança na legislação que visa beneficiar o conjunto da população, que resultará o fim dos latifúndios midiáticos.

No período de predominância do esquema neoliberal a legislação midiática fez desaparecer do setor as emissoras sindicais, que eram as únicas opositoras dos governos. Os legisladores, que representavam em sua maioria grandes interesses econômicos, inclusive da mídia, concederam licenças para grandes empresas por 20 anos. Em 2017 as concessões deveriam se encerrar.

A frequência do espectro radioeletrônico será dividido pela nova legislação entre o setor privado e público, que ficarão com 33% cada um. As rádios comunitárias, os povos originários (indígenas, ou seja, mais de 60% da população boliviana) e os camponeses caberão 34% da frequência.

Para se ter uma idéia, atualmente 98% do espectro estão com o setor privado, daí a denominação de latifúndio midiático, que propociona poder político para manipular a opinião pública. A mudança que o Parlamento começa a discutir objetiva exatamente reverter este quadro absolutamente pouco democrático, não apenas no setor radiofônico como também no de canais de televisão.

A Bolívia está sob o domínio de três redes de televisião, que fazem uma feroz oposição às transformações por que passa o país. Agora, diante deste quadro, não percam por esperar matérias na mídia de mercado de toda a América Latina denunciando que a liberdade de imprensa está ameaçada no país governado por Evo Morales.

O exemplo boliviano serve perfeitamente para ilustrar o que vem ocorrendo em outros países onde os grandes proprietários de veículos de comunicação, acostumados ao lucro fácil e se julgando cidadãos acima de qualquer suspeita, inclusive das mudanças na legislação, acreditam que o que estava vigente em outros tempos é imutável.

É importante os brasileiros tomarem conhecimento do que acontece nos países vizinhos, para inclusive não se deixarem enredar por campanhas midiáticas que visam apenas perpetuar um estado de coisas que nada tem a ver com a liberdade de imprensa, mas sim com a liberdade de empresa.

Podem crer que empresários que atuam na Bolívia, entre eles o croata Ivo Kuljis Fütchner, sócio do ex-Presidente neoliberal Gonzalo Sánchez de Lozada e outros menos votados, vinculado ao setor financeiro, rede de supermercados, frigoríficos e indústria pecuária, para não falar da exportação de soja, vão botar a boca no trombone na Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), entidade defensora incondicional dos grandes negócios midiáticos nas Américas.

No Brasil, as mudanças que se fazem necessárias na área midiática serão (já estão sendo) também objeto de oposição ferrenha dos big-shots do setor. E isso mesmo que não tenham a profundidade do que os deputados decidiram na Bolívia. Quem viver verá!

Em tempo: Uma dúvida que merece resposta, qual o motivo de uma hora para a outra terem sido suspensos os depoimentos sobre o período da ditadura que eram apresentados depois da novela Amor e Revolução? Não existe mais censura no Brasil, mas pelo visto a autocensura continua. Por que ninguém explica?

Mário Augusto Jakobskind

Portal Vermelho

Comentários desativados em Neoliberalismo no cobre e na mídia

O Polifônico apoia a Marcha da Liberdade: 18 de junho, às 12h na Praça José Pereira Câmara

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade by ImprensaBR on 12/06/2011
Tagged with:
%d blogueiros gostam disto: