!@ {o polifônico, [Jornalismo de Intervenção # Por Leonor Bianchi]

ABIH-RJ divulga prévia de ocupação na JMJ. Rio das Ostras está na relação de cidades com boa taxa de receptivo

Posted in Rio das Ostras, Turismo by ImprensaBR on 24/07/2013

Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) divulgou, nesta segunda-feira (22), a expectativa de ocupação nos hotéis do interior do Estado do Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude, que ocorre de 25 a 28 de julho.

De acordo com a terceira pesquisa prévia da ABIH-RJ em relação à hospedagem durante a JMJ, Penedo, Petrópolis e Teresópolis apontam 100% de ocupação no período, seguidas de Nova Friburgo e Itatiaia, com 95%.

Na contra mão, estão às cidades litorâneas como Arraial do Cabo (75%), Angra dos Reis e Cabo Frio (70%), além de Armação de Búzios e Rio das Ostras (50%). Apenas Paraty e Macaé preveem ocupação de 100% no litoral. Vassouras e Conservatória, na Região do Vale do Café, também contam com 100% de seus quartos reservados para a data. 

A média de ocupação, segundo a pesquisa que envolveu os 13 municípios fluminenses, ficou em 85%. “O feriado no município do Rio, durante a JMJ, está levando o carioca a procurar destinos próximos, principalmente os da Região Serrana. As baixas temperaturas apresentadas na Serra Fluminense, aliadas a oferta hoteleira e a programação de eventos locais, têm sido fundamentais para o desenvolvimento e o incremento do turismo na região”, diz o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes. 

Fonte: Revista Hotéis

Comentários desativados em ABIH-RJ divulga prévia de ocupação na JMJ. Rio das Ostras está na relação de cidades com boa taxa de receptivo

Rio das Ostras discute revisão do Plano Diretor

Posted in Cidade, Infraesturutura, Rio das Ostras by ImprensaBR on 09/07/2013

Membros da Secretaria de Planejamento de Rio das Ostras e secretários de governo se reuniram no último dia 4, no auditório do Parque dos Pássaros, em Jardim Mariléa.

A reunião teve o objetivo de dar continuidade à revisão do Plano Diretor Municipal, lançado em 2006. Os secretários avaliarão novas demandas que surgiram nos últimos anos pertinentes a suas pastas
As propostas serão entregues na próxima reunião, dia 18 de julho. Na oportunidade, os secretários indicarão os representantes de cada secretaria que irão compor a comissão da revisão do Plano. A partir daí, os encontros serão abertos para membros da sociedade civil que se encontrarão em reuniões periódicas. O texto deve ser aprovado ainda este ano pela Câmara de Vereadores de Rio das Ostras.

PLANO DIRETOR – O Plano Diretor é um documento elaborado por entes públicos e da sociedade civil que norteia as diretrizes de ações relacionadas ao desenvolvimento econômico, social, urbano e ambiental. Suas normas são de cumprimento obrigatório por todos os entes públicos e privados no território municipal.

Fonte: Secom PMRO

Comentários desativados em Rio das Ostras discute revisão do Plano Diretor

Inscrições para a etapa de Rio das Ostras da Copa Rio estão abertas

Posted in Esporte, Região, Rio das Ostras, Trabalho e Renda, Turismo by ImprensaBR on 22/05/2013
Quarta etapa da competição vale pontos para os rankings estadual e nacional
Por ahe!

Será realizada no próximo dia 2 de junho, a quarta etapa da Copa Rio de ciclismo. Rio das Ostras será o palco da prova após a competição passar por Angra dos Reis, Três Rios e Volta Redonda. As inscrições para o evento já estão abertas e podem ser realizadas até 30 de maio pelos sites http://www.bikebros.com.br ehttp://www.fecierj.org.br. O valor é de R$ 40,00 e o pagamento deverá ser feito apenas por depósito bancário e identificado.

A prova valerá pontos para os rankings estadual e nacional. Os dez primeiros colocados do ranking nacional garantem vaga no Tour do Rio, principal competição do ciclismo brasileiro.

Veja mais: Adélio da Silva e Natasha Albuquerque vencem terceira etapa da Copa Rio

Disputada na modalidade estrada, a Copa Rio será realizada em um circuito de 19,4km, com largada em frente ao Parque de Exposição de Rio das Ostras. O número de voltas no circuito varia de acordo com a categoria, tendo a elite masculina que completar cinco voltas, enquanto a elite feminina, três.

Premiações Copa Rio de Ciclismo (Rio das Ostras)

Categoria Elite Masculina
1º – R$ 500,00
2º – R$ 300,00
3º – R$ 100,00

Categorias Master A, Master B, Master C, Sub 30 MTB e Feminino
1º – R$ 200,00
2º – R$ 100,00
3º – R$ 50,00

Fonte: Revista Ciclismo

Comentários desativados em Inscrições para a etapa de Rio das Ostras da Copa Rio estão abertas

Conservação e Preservação do acervo da Hemeroteca do Solar dos Mellos

Página da Hemeroteca Digital de Macaé

Comentários desativados em Conservação e Preservação do acervo da Hemeroteca do Solar dos Mellos

Um ano de O Polifônico impresso

Posted in Editorial by ImprensaBR on 14/04/2013

Leonor Bianchi

Jornal lançado em ano eleitoral só pode ter dois caminhos a seguir: o primeiro, é ser uma folha legítima das demandas sociais e mostrar à comunidade quem são os políticos vigentes e aqueles que desejam se eleger, a fim de elucidar o cidadão sobre essas personagens e como poderão (ou não) colaborar para o desenvolvimento da cidade como gestores públicos (a imprensa (também) tem a função de agir como um instrumento de educação); a segunda, é vender-se ao comércio do voto, abrir uma empresa com um testa de ferro à frente da redação, publicar muitos santinhos em suas páginas e seguir sendo a imprensa (chapa branca) oficial do grupo político que a sustentou durante o período da campanha.

É por isso que sempre desconfiei de jornal lançado em ano eleitoral. Mas foi há um ano, justamente em um ano eleitoral, que o jornal O Polifônico teve seu número Zero publicado. Se eu for contar hoje, passado este primeiro ano do impresso – que chegou às mãos de aproximadamente cinco mil pessoas -, as condições sob as quais ele foi às ruas, creio que ainda não ficaria confortável com o que teria que dizer aos meus leitores, afinal, assim como fiz, recebi muitas propostas de ‘parcerias’ para rodar o jornal; a diferença entre elas é que enquanto as minhas eram sempre em defesa da inserção de um jornal verdadeiro, de uma imprensa livre na cidade, as que recebi dos políticos locais com os quais O Polifônico tentou dialogar eram sempre no nível da cooptação. Mas este capítulo da história da imprensa local eu prometo que conto, noutra hora…

Nesse contexto em que nasce O Polifônico, já circulava na cidade um super tabloide quatro cores financiado com recursos que não pareciam vir de publicidade. Concorrer com um jornal colorido, com formato diferenciado, distribuído gratuitamente para cerca de 20 mil pessoas não seria tarefa fácil. O povo sabe o que está lendo, sabia que tratava-se ali de uma imprensa chapa branca, mas ora, chapa branca ou chapa quente, era ela que ia parar nas mãos dos servidores da prefeitura, dos trabalhadores e trabalhadoras da cidade. Era ele o jornal com maior poder de comunicar… de chegar até o leitor.

A questão do número de exemplares, da distribuição do jornal, seus anunciantes, acaba se sobrepondo ao seu conteúdo do mesmo, mas a internet chegou para provar que o contrário, ou seja, mesmo sem mega recursos um jornal pode sim ser bem produzido e construir interlocutores de alto nível intelectual e crítico. E este foi o caminho adotado pelo jornal O Polifônico.

A internet, nosso formato original desde que o jornal começou a ser editado em 2009, nos indicou que os novos formatos digitais de comunicação e distribuição de produtos editoriais são o futuro da comunicação e do jornalismo em nível mundial. E do jornalismo local também se entendermos que nos menores grupos, onde apenas pessoas realmente interessadas com determinado assunto interagem com frequencia, as redações têm um enorme poder de diálogo e interação com seus leitores.

Um ano depois de seu número zero ir às ruas – O Polifônico saiu impresso na semana de 20 anos de emancipação de Rio das Ostras, comemorado no dia 10 de abril – repensamos nossa estratégia de comunicação e decidimos manter apenas o jornal online. Ou era isso, ou teríamos que seguir o segundo exemplo que dei lá em cima no primeiro parágrafo do Editorial. E não era aquela a nossa proposta. Mantivemos a versão online do jornal e através dela estamos conseguimos não só atingir nossos objetivos de interação com o leitor, como dia após dia abrimos uma nova interface de diálogo com pessoas e comunicadores de outras partes do Brasil e do mundo. Pessoas que sentem-se representadas pelo jornal, que gostam de ler O Polifônico, que tomam-se de esperança quando veem que podem participar do processo de feitura do jornal, pessoas que se identificam com o conteúdo expressado em suas editorias, pessoas que, quando estou viajando, mandam e-mails à redação e pedem para eu não deixar de atualizar o jornal por mais longe que esteja de Rio das Ostras… pessoas que respeitam O Polifônico, pois se reconhecem na proposta editorial do jornal, pessoas que me deixam extremamente feliz e me transmitem força para continuar nesta árdua tarefa diária que é ser um jornalista regional neste Brasil.

Mais uma vez agradeço à pessoa mais importante em todo este processo: Catarina Fellows, a quem dedico todo o meu trabalho enquanto uma agente de transformação social através do jornalismo e da comunicação. Uma mulher fantástica, uma Educadora para toda a vida, para tudo na vida, a historiadora macucoense, que me ensinou a gostar cada vez mais do quintal da nossa casa, da nossa história de vida, uma mulher que me ajudou a ver que há sempre uma nova forma de amar e que a humildade está no ato do perdão sincero de si para o mundo.  

Deixo aos novos leitores do Polifônico, que não leram a edição Zero, a versão PDF do impresso.

Obrigada a todos que fazem parte desta polifonia.

View this document on Scribd

 

Comentários desativados em Um ano de O Polifônico impresso

Depois do assassinato de um jovem nesta quarta-feira, em frente a uma escola, prefeito de Rio das Ostras anuncia ação policial

Posted in Cidade, Educação, Rio das Ostras, Segurança Pública by ImprensaBR on 05/04/2013

LB

Medida foi anunciada, ontem, em coletiva à imprensa

Em menos de três meses, a cidade de Rio das Ostras teve mais de quatro manifestações em prol da melhoria da segurança pública. Depois de ser vaiado e levado uma cusparada no rosto durante uma manifestação que pedia o fim dos estupros na cidade, o prefeito Alcebíades Sabino não conseguiu responder às perguntas da imprensa quanto a localização de um guarda municipal que faz posto em frente ao colégio América Abdalla, cenário do assassinato, na última quarta-fera, do jovem de 19 anos, Júlio César de Paula. “Francamente, não sei dizer onde este GM estava na hora da briga que levou ao óbito ex aluno da escola”, declarou.

Sabino desmentiu que o assassino do rapaz seja aluno da escola. Se fosse aluno, o jovem estaria em horário de aula no momento em que saiu de sala e cometeu o crime em frente ao colégio municipal do bairro Nova Esperança, um dos mais antigos da cidade e famoso por ser palco de episódios de agressões de alunos à professores e entre os próprios estudantes. O Abdala ainda é conhecido ainda por ser a escola com os equipamentos mais depreciados pelos estudantes da rede pública municipal de ensino de Rio das Ostras. Na escola funcionou a primeira unidade da UFF em Rio das Ostras, em 2003.

Durante a coletiva, Sabino disse que a cidade receberá uma ação policial com reforço de 60 PMs nos próximos dias. A ação contará com polícias de Macaé, Pádua e Itaperuna, e de acordo o prefeito, já estava prevista para acontecer. 

Comentários desativados em Depois do assassinato de um jovem nesta quarta-feira, em frente a uma escola, prefeito de Rio das Ostras anuncia ação policial

Aprovados em concurso conseguem nomeação em Rio das Ostras, RJ

Posted in Cidade, Coluna do Servidor, Rio das Ostras by ImprensaBR on 28/03/2013

Justiça decidiu a favor de alguns aprovados no concurso do município. Impasse sobre concurso ainda não tem solução final

Alguns aprovados no concurso público de Rio das Ostras, Região dos Lagos do Rio, conseguiram a nomeação para os cargos para os quais foram aprovados. Muitos entraram com recurso individualmente contra a prefeitura do município.

No ultimo dia 18 de março, os aprovados no concurso público da prefeitura de Rio das Ostras fizeram uma manifestação em frente à sede do Ministério Público em Macaé. Eles esperavam que  houvesse uma resposta para o impasse.

O concurso aconteceu em 2012 e foi marcado por muita polêmica, desde a aplicação das provas. A data dos exames foi mudada com poucos dias de antecedência. Além disso, questões da prova apresentaram erros de formatação, e algumas delas não estavam previstas no edital. O concurso chegou a ser suspenso em junho de 2012, mas voltou a ser homologado quatro meses depois.

Candidatos têm realizado protestos constantes,  cobrando a nomeação dos aprovados e o fim das contratações temporárias feitas pela prefeitura. Uma petição assinada por mais de 2 mil classificados no concurso cobra urgência nas investigações do caso.

Em quase todos os casos, a Justiça determinou a contratação imediata dos candidatos que conseguiram mandado de segurança. Caso a prefeitura não convoque os candidatos,  será intimada a pagar o valor correspondente ao salário de cada mês de atraso na nomeação.

O vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Macaé, explica que a decisão ainda não é definitiva, mas garante o direito dos aprovados até que saia o resultado.

A Procuradoria do Município de Rio das Ostras informou que ainda não recebeu notificação para o cumprimento dos mandados e que, assim que a prefeitura for notificada, oficialmente, irá cumprir a determinação.

Fonte: G1 Região dos Lagos

Comentários desativados em Aprovados em concurso conseguem nomeação em Rio das Ostras, RJ

Plano Estadual de Cultura em pauta em Casimiro de Abreu

Posted in Sem categoria by ImprensaBR on 25/03/2013

O Plano Estadual está em pauta para a equipe da cultura de Casimiro de Abreu. Na última quarta-feira (20), o presidente da Fundação Cultural, Gustavo Marchiori participou de uma reunião na Universidade Federal Fluminense – UFF, em Rio das Ostras, sobre as proposições do Plano Estadual de Cultura – PEC e as ações já tomadas pelos municípios da Baixada Litorânea nessa área.

Marchiori, que compôs a mesa junto a gestores da Cultura e docentes da universidade, comentou que o município de Casimiro de Abreu já está com algumas das metas elencadas pelo estado em pleno funcionamento como o trabalho com a terceira idade e o teatro. “Tenho acompanhado de perto os Planos Nacional e Estadual e nossas ações estão caminhando na mesma direção, mas a Fundação está de portas abertas e se disponibiliza para as questões que se apresentem”.

Na ocasião, falou ainda da importância de firmar convênio e parcerias com outras instituições como a UFF. “Nos últimos meses, os funcionários da Fundação tem participado dos debates setoriais do PEC, no Rio de Janeiro, para se capacitarem para as ações que tomaremos no futuro”, disse. Neste mês, as reuniões aconteceram na Casa de Cultura Laura Alvim, nos dias 11 e 18 e trataram de Patrimônio Imaterial e Teatro, respectivamente.

Comentários desativados em Plano Estadual de Cultura em pauta em Casimiro de Abreu

Mulheres são flagradas vendendo CDs e DVDs piratas em Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidade, Denúncia, Macaé, Rio das Ostras, Trabalho e Renda, Videofonia by ImprensaBR on 20/03/2013
Foto de Maurício Rocha (Secom PMRO), feita em 2011 depois de uma operação da Secretaria de Ordem Pública e Controle Urbano e da Coordenadoria de Fiscalização, ligada à Secretaria de Fazenda de Rio das Ostras, que apreendeu cerca de 500 mídias piratas que seriam comercializadas por ambulantes ilegais.

Foto de Maurício Rocha (Secom PMRO), feita em 2011 depois de uma operação da Secretaria de Ordem Pública e Controle Urbano e da Coordenadoria de Fiscalização, ligada à Secretaria de Fazenda de Rio das Ostras, que aconteceu no Centro da cidade.

Leonor Bianchi

A Avenida Amaral Peixoto (no trecho que corta a cidade ela não é chamada de rodovia) mais movimentada de Rio das Ostras, onde se concentra grande parte do comércio da cidade divide espaço com ambulantes piratas, há muito tempo. Casos de apreensão de produtos falsificados ou sem nota são notificados frequentemente no local.

Esta semana, vendedores ambulantes – duas mulheres de 35 e 45 anos – tiveram 1.400 mídias apreendidas pela Polícia Militar, enquanto tentavam vender CDs e DVDs,  que foram levados para a 128ª DP, em Rio das Ostras. Depois de autuadas e de pagarem a fiança na Delegacia, as mulheres surpreendidas pela PM com as mídias, foram liberadas e responderão em liberdade pelo crime de pirataria.

Venda de chips de celular acontece irregularmente à luz do dia, em Macaé

O comércio pirata não acontece apenas em Rio das Ostras. Em Macaé a atividade crece diariamente, é só caminhar pelo centro da cidade, nas orlas de Imbetiba e Cavaleiros para ver muitos mascates sem licença da prefeitura vendendo de um tudo.

Semana passada, uma mulher de aproximadamente 40 anos vendia chips de celular de uma operadora específica à luz do dia, no coração de Macaé, a metros da Câmara Municipal da cidade, a Rua Direita. Muitos guardas municipais fazem ronda no trecho, mas não vimos nenhuma abordagem á mulher que comercializava chips a R$ 5,00 sem nota fiscal e autorização legal para tanto.

Apreensão de mídias digitais piratas no DF subiu 11% em um ano, diz Comitê de Combate à Pirataria

A apreensão de mídias digitais (CDs e DVDs) em 2012 subiu 11% em relação ao mesmo período de 2011. Entre dezembro e janeiro do ano passado foram apreendidos 1.279.580 produtos, enquanto que, no ano retrasado, o saldo foi 1.143.364.

Os resultados das operações contra a pirataria e ao comércio irregular feitas em 2012 foram divulgadas hoje (8) pela Secretaria de Estado da Ordem Pública e Social do Distrito Federal (Seops), por meio do Comitê de Combate à Pirataria.

Houve um aumento de 57% nas fiscalizações feitas no mesmo período dos anos de 2011 e de 2012. Em 2011, foram feitas 633 fiscalizações, enquanto que no ano passado, o número aumentou para 998.

A operação Presença é uma ação preventiva e representa 47% desse total. Ela consiste na ocupação prévia dos agentes nas áreas de intensa movimentação, como os centros de Brasília, de Taguatinga, de Ceilândia e do Gama, e tem como objetivo fazer com que os fiscais permaneçam nos locais durante todo o dia.

A estratégia teve resultados positivos e registrou uma queda no número de apreensões nesses pontos. Na Feira dos Importados de Taguatinga, local considerado o maior ponto de comércio de mídias piratas do DF, a quantidade de mídias apreendidas diminuiu de 780 mil para 465 mil de 2011 para 2012, uma queda de 40%. 

Segundo o secretário da Seops, José Farias Rodrigues, o número é significativo, mas o foco é diminuí-lo cada vez mais. “A criação do comitê nos possibilitou trabalhar de forma integrada, trocando informações para que a gente possa combater com mais eficiência a pirataria e o comércio irregular”, disse Rodrigues.

O número de presos por pirataria, durante todo o ano de 2012 foi 183 pessoas, que foram indiciadas pelo crime de violação do direito autoral, que está previsto no Artigo 184 do Código Penal. Caso sejam condenadas, a pena pode variar de dois a quatro anos de prisão, além do pagamento de multa.

Fonte: Agência Brasil

 

Números da Pirataria no Brasil

A Câmara de Comércio dos Estados Unidos e o Conselho Empresarial Brasil Estados Unidos, em parceria com a Associação Nacional pela Garantia dos Direitos Intelectuais (Angari), apresentaram, em novembro de 2008, no Rio de Janeiro, relatório sobre o consumo de produtos piratas no Brasil realizado pelo IBOPE. A pesquisa “O impacto da pirataria no setor de consumo” revela que, neste ano, houve urna redução na compra dos falsificados em diversas categorias, em comparação com 2007. A pesquisa mostra ainda que o Brasil deixou de arrecadar, só nos primeiros dez meses deste ano, R$ 18,6 bilhões em impostos, quase 5% do total arrecadado entre janeiro e setembro deste ano, que foi de cerca de R$ 480 bilhões.

No período de 17 a 22 de setembro foram entrevistadas 1.715 pessoas, com idade acima de 16 anos, residentes nas cidades de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo e constatou-se que 63% dos consultados consomem produtos piratas sempre, às vezes ou já comprou algum item falsificado. No ano passado, este índice foi de 75%. “Essa redução se deve, principalmente, à atuação apreensiva da Receita Federal e de órgãos competentes. No Rio, por exemplo, há delegacias especializadas na pirataria”, avalia o diretor do Angari, José Henrique Werner.

Segundo o relatório, nos últimos dez meses foram apreendidos pela Receita Federal R$ 1 bilhão em produtos piratas, 22% a mais do que em 2006. Os itens mais apreendidos foram os eletroeletrônicos (R$ 79 milhões), cigarros (R$ 77 milhões), óculos (R$ 73 milhões), calçados (R$ 35 milhões) e artigos de informatica (R$ 58 milhões), entre outros. “É um trabalho de quatro anos que começa a dar resultados”, comenta a representante do Conselho Empresarial Brasil EUA, Solange Mata Machado. “Ações integradas entre as autoridades, em diversas cidades, estão proporcionando uma diminuição no consumo ilegal”, completa.

Compras

A pesquisa aponta ainda um crescimento de 24%, em 2007, para 34% neste ano de pessoas que nunca compraram produtos piratas. “Esse aumento pode ser avaliado de duas formas. A primeira é que houve uma mudança no hábito das pessoas porque há urna maior conscientização dos impactos negativos do consumo de falsificado. A segunda é que mudou a logística da rota dos piratas”, explica Werner. Para ele, devido a maior fiscalização nas fronteiras, os traficantes tiveram que alterar sua rota de distribuição, concentrada antes em São Paulo, o que possibilitou uma diminuição dos lugares conhecidos de vendas.

Solange avalia que um dos principais resultados da pesquisa, e que serve como base para aumentar ainda mais o número de não-consumidores de mercadorias falsificadas, é que surgiram dois tipos de perfis: 76% dos entrevistados são compradores eventuais, mulheres da classe média, que se soubessem que a compra ajuda o crime organizado, o tráfico de drogas ou fosse usados para propinas ou prejudicasse sua família, deixariam de consumir. E 24% são compradores convictos, homens de classe mais baixa, que não são sensibilizados com o fato do ato beneficiar práticas criminosas.

Pontos negativos

Werner, porém, entende que as reduções não são significativas. “Existem muitas pessoas que, mesmo conscientes dos impactos na economia brasileira, preferem comprar produtos piratas por ter preço mais acessível. Apenas 3 em cada 10 pessoas não compram falsificados”. A pesquisa revela que, como nos anos anteriores, 84% dos entrevistados alegam que os produtos ilegais custam menos que a metade do preço dos originais e que isto torna a compra atrativa.

De acordo com a Interpol (International Criminal Police Organization — ICPO), o Brasil movimenta entre R$ 60 bilhões e R$ 70 bilhões com o comércio pirata. No entanto, o que aconteceu nos últimos quatro anos foi uma intensa fiscalização pela Receita Federal. “Há muita coisa a ser feita, mas descobrimos, com este relatório, novos ganchos para atuar”.

Dados atuais

Segundo o Conselho Nacional de Combate à Pirataria, o Brasil deixa de arrecadar hoje R$ 40 bilhões por ano com pirataria e contrabando. Além disso, dois milhões de empregos formais deixam de ser criados por conta desse problema.

Fonte: Firjan

 

Comentários desativados em Mulheres são flagradas vendendo CDs e DVDs piratas em Rio das Ostras

Agentes culturais de Macaé elegem diretoria para o Conselho Municipal de Cultura

Posted in Brasil, Cidadania, Cultura, Estado, Macaé, Notas, Região by ImprensaBR on 14/03/2013

Dilma Negreiros (conselheira representante do Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip Hop (CIEMH2)), Marcos Kuika (representante da Usina de Fomento Cultural) – 2° Secretário, Jones Rodrigues (representando a Associação de Músicos, Bandas e Entretenimentos de Macaé (AMUBAE)), Paulo de Tarso Peixoto (Vice-Presidente da Fundação Macaé de Cultura) – Presidente, Gilberto Alves – Vice-Presidente, Rúben Pereira (represente da vice-presidência de Acervo e Patrimônio Histórico da Fundação Macaé de Cultura) – 1◦ Secretário, e Raul Lavour (conselheiro representante da Missão Kerigma).

Por ErrePê*

Construído com a colaboração dos agentes culturais de Macaé (RJ), o Conselho Municipal de Cultura (gestão 2013 – 2014) foi eleito, ontem, numa Assembleia Ordinária, da qual saiu a seguinte chapa única, aclamada pelos presentes:

Paulo de Tarso Peixoto – Presidente

Gilberto Alves – Vice-Presidente

Rúben Pereira – 1◦ Secretário

Marcos Kuika – 2° Secretário

O Conselho Municipal de Cultura de Macaé foi criado em 2012 e sua primeira diretoria fez um “mandato tampão”, que terminaria em 31 de dezembro de 2012, mas foi mantido até ontem, quando a nova diretoria foi eleita para o biênio 2013 – 2014.

O Conselho Municipal de Cultura de Macaé surgiu de uma luta de muitos anos dos agentes culturais da cidade e tem como finalidade colaborar com a construção das políticas públicas municipais do setor.

Um ganho para toda a cidade que poderá ter em curto prazo um Plano Municipal de Cultura realmente discutido com os representantes das diversas vertentes culturais, integrantes da paisagem cultural local.

*Editor do Caderno de Cultura de O Polifônico 

Comentários desativados em Agentes culturais de Macaé elegem diretoria para o Conselho Municipal de Cultura

Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Denúncia, Educação, Notas, Rio das Ostras by ImprensaBR on 23/01/2013

Movimento envolve docentes do Serviço Social do PURO, alunos da instituição e atores de diversos movimentos sociais da cidade

Rio das Ostras é conhecida, em todo o Brasil, por seus altos índices de estupros. E isso, há muitos anos, não é de agora, depois do crescimento populacional que ocorreu no município nos últimos oito, dez anos em função do arranjo produtivo do petróleo e gás da Bacia de Campos.

Só no mês de setembro do ano passado, dia sim dia não, uma mulher foi estuprada na cidade. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP), até Novembro de 2012 foram registrados 49 casos de estupros na cidade.

Com o objetivo de pedir às autoridades competentes ações de combate ao estupro na cidade, professores do curso de Serviço Social da UFF, alunos do PURO e sociedade civil organizada estão se organizando e convocando todos que se sentem agredidos com esta realidade para uma manifestação. A primeira reunião de organização da manifestação será na terça feira, dia 29 de janeiro, às 17h30, no auditório da UFF/ PURO, na rua Recife S/N, bairro Jardim Bela Vista.

 indices ips estupros em rio das ostras

Comentários desativados em Mulheres organizam manifestação pedindo mais segurança e solução para os altos índices de estupros ocorridos em Rio das Ostras

UFF deve retomar parceria com Prefeitura de Rio das Ostras

Posted in Educação, Rio das Ostras by ImprensaBR on 21/01/2013

No centro, Sabino, prefeito de Rio das Ostras, em reunião com diretores da UFF e como vice-reitor Sidney Mello

O vice-reitor da UFF, Sidney Mello, se reuniu no dia 10 de janeiro com o prefeito de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino, para retomada da parceria entre a universidade e o município da Região dos Lagos.

No encontro, ficou acordada a formação de uma comissão de servidores da UFF e da Prefeitura que será responsável por avaliar a ampliação do número de vagas universitárias no Polo Universitário de Rio das Ostras (Puro), que atualmente oferece os cursos de graduação em Ciência da Computação, Enfermagem, Engenharia de Produção, Produção Cultural, Psicologia e Serviço Social, além do mestrado profissional em Engenharia de Produção e Sistemas Computacionais.

No mesmo dia, a UFF inaugurou sua primeira moradia estudantil na cidade. Com capacidade para receber 48 alunos, o prédio de três andares está localizado no bairro Jardim Bela Vista, próximo ao Puro, o que irá facilitar a permanência dos estudantes no município.

Também participaram da reunião o assessor do reitor para Interiorização, Cícero Mauro Fialho Rodrigues; o prefeito do Campus Universitário da UFF, Mário Ronconi; e o pró-reitor de Assuntos Estudantis da UFF, Sérgio Mendonça.

Comentários desativados em UFF deve retomar parceria com Prefeitura de Rio das Ostras

Grandes nomes do Choro farão Oficina em Rio das Ostras

Posted in Articulistas, Cidade, Cultura, Educação, Estado, Estereofonia by ImprensaBR on 18/10/2012

Por Rúben Pereira*

O Painel Funarte de Música Popular estará em Rio das Ostras entre os dias 05 e 11 de novembro reunindo músicos e estudantes de Música de Rio das Ostras e região para uma semana de aperfeiçoamento e aprendizado com grandes nomes da Música Brasileira.

Numa realização da FUNARTE em parceria com o Rio das Ostras C&VB serão realizadas oficinas gratuitas voltadas para a técnica e excelência artística e com o objetivo de qualificação de músicos, seu aperfeiçoamento, a intensificação dos intercâmbios com trocas de experiências e a disseminação de conhecimentos e práticas de educação musical.

As aulas serão com renomados professores da Escola Portátil de Música (www.escolaportatil.com.br).

Virão a Rio das Ostras mestres do Choro Brasileiro e grandes músicos e compositores do cenário carioca. Os músicos terão a oportunidade de aprender e aperfeiçoar conhecimentos com Mauricio Carrilho, Violão; Luciana Rabello, Cavaquinho e Apreciação Musical; Naomi Kumamoto, flauta; Pedro Amorim, Bandolim; Rui Alvim, Clarineta; Celsinho Silva, Pandeiro.

Conheça um pouco de cada Mestre Oficineiro

Mauricio Carrilho é violonista, compositor e arranjador. Integrou o seminal grupo “Carioquinhas no Choro” onde ao lado de Raphael Rabello fazia as partes de violão quando ainda tinham 14 e 16 anos respectivamente. Fez parte da “Camerata Carioca” junto de Radamés Gnatalli e tocou e arranjou para artistas como Nara Leão e Elizeth Cardoso. Em 2000 fundou a primeira gravadora dedicada ao Choro em nosso país, a Acari Records. É fundador da Escola Portátil de Música, um dos projetos de musicalização de maior sucesso em nosso país.

Luciana Rabello, cavaquinista e compositora. Irmã do gênio do violão Raphaell Rabello, falecido precocemente. Luciana tocou com todos os grandes da Música Brasileira. Durante muitos anos foi a cavaquinista mais chamada para gravações no Brasil, numa lista que vai de Chico Buarque e Maria Bethânia, passando por Nelson Sargento, Toquinho e Baden Powell. Integrou o regional “Carioquinhas no Choro” e a primeira formação da “Camerata Carioca”. É sócia de Mauricio Carilho na gravadora Acari e coordenadora da Escola Portátil de Música. É casada com o maior poeta da música Brasileira de todos os tempos, Paulo Cesar Pinheiro.

Naomi Kumamoto, natural de Kobe no Japão, Flautista, Pianista e compositora apaixonou-se pelo Choro e hoje está radicada há 10 anos no Rio de Janeiro onde leciona na Escola Portátil e toca com grandes músicos do gênero. É responsável pelo Festival de Música Brasileira em Kobe, tornando-se uma espécie de embaixatriz do Choro no Japão.

Pedro Amorim, Bandolinista, cavaquinista, violão-tenorista e compositor. Fundador de grupos como o “Nó em Pingo d’água”, Pedro Amorim é figura constante em rodas de Choro e Samba no Rio de Janeiro. Sempre se destacou por suas pesquisas acerca da obra de compositores como: Ernesto Nazareth, Luperce Miranda e Claudionor Cruz. Professor na Escola Portátil.

Rui Alvim, Clarinetista e Saxofonista, integra diversos grupos onde destaca-se o aplaudido “Água de Moringa”. Português radicado no Brasil é frequentemente chamado para gravações com grandes nomes da Música Brasileira. É professor de Saxofone na Escola Portátil de Música.

Celsinho Silva, Pandeirista, percussionista e compositor. Filho do Mestre Jorginho do Pandeiro, foi criado entre os maiores instrumentistas do país. É sobrinho do falecido Dino 7 cordas. Tocou com todos os grande da Música Brasileira numa lista infindável que vai de Orlando Silva, Marçal e Baden Powell passando por Elizeth Cardoso, Ney Matogrosso e Paulinho da viola, do qual faz parte de sua banda. Celsinho integrou os “Carioquinhas no Choro” e a Camerata Carioca”. É fundador do grupo “Nó em pingo d’água” e professor na Escola Portátil de Música.

As oficinas acontecerão entre os dias 05 e 11 novembro, com carga horário total de 40 horas e além dos músicos locais, serão selecionados músicos de outros municípios para participar, perfazendo um total de 160 músicos.

Abaixo a listagem de professores, seus respectivos instrumentos e oficinas e as vagas disponibilizadas:

Mauricio Carrilho – violão – 25 alunos

Luciana Rabello – cavaquinho – 25 alunos / apreciação musical – todos os alunos inscritos

Naomi Kumamoto – flauta – 25 alunos

Rui Alvim – saxofone – 25 alunos / clarineta – 25 alunos

Pedro Amorim – bandolim – 15 alunos

Celso Silva – pandeiro – 25 alunos / percussão – 25 alunos

Aulas práticas de conjunto – todos os alunos inscritos

As aulas serão ministradas no Centro de Formação de Música e Dança (Onda) e em outros locais a serem confirmados.

As inscrições poderão ser efetuadas através do e-mail: musica.funarte@gmail.com

É uma oportunidade imperdível de aprender e trocar experiências com músicos de alto quilate.

* Rúben Pereira é editor do Caderno de Cultura d’O Polifônico, músico, violonista de 7 cordas, integrante do Coletivo Só Pra Moer, foi aluno de Maurício Carrilho e Luciana Rabelo nas oficinas de choro na UFRJ (Lapa) na fase pré Escola Portátil, aluno fundador da escola Portátil de Música, idealizador do festival Benedicto Lacerda, do Observatório da Memória Macaense, da Roda Rio de Choro e da Maratona Cultural, é um dos diretores da Associação Rio das Artes (ACRA) e coordenador musical da Escola Livre de Comunicação e Artes. 

Comentários desativados em Grandes nomes do Choro farão Oficina em Rio das Ostras

Mostra de cinema de Rio das Ostras apresenta filmes selecionados para 2012

Posted in Cidade, Cultura by ImprensaBR on 08/10/2012

A 9a Mostra Cinema Popular Brasileiro apresenta a relação de filmes selecionados para edição 2012.

O projeto acontece nas cidades de Rio das Ostras, Macaé e Nova Friburgo e pela Internet de 1° a 12 de novembro de 2012.

A Mostra acontece na cidade de Rio das Ostras, região dos Lagos, Rio de Janeiro e também pela Internet.

As aventuras de Seu Euclides: Lambesujo e Caboclinhos

Diretor: Marcelo Roque Belarmino

Promessa

Diretor: Marcos Teles

A Melhor Idade

Direção: Angelo Defanti

Beira Rio

Direção: Diogo Costa Pinto

Printemps

Direção: Gabriel Kalim Mucci

O Cidadão Caryuka

Direção: Hélio Rodrigues

Aconteceu no ABC

Direção: Jhony Gusmão e Bero Carvalho

Nem que tudo termine como antes

Direção: Mariana Martinez e Daniel Caselli

Pequeno

Direção: Ernesto Molinero

Abelardo

Direção: Ane Siderman

Patápio

Direção: Alexandre Palma

Gigantes da Alegria

Direção: Ricardo rodrigues e Vitor Gracciano

A Lenda da Lagoa Vermelha II – A Vingança

Direção: Eutímio Carvalho

Não Vá Ferir o Coração de Lourival Machadinha

Direção: Pedro Murad

Perfídia

Direção: Ramon Navarro

O Cangaceiro

Direção: Marcos Buccini

Ilhas Cayman

Direção: Gabriel Perrone

Caliope

Direção: Helena Guerra

Abraços na Escuridão

Direção: Bruno Barrenha

Assis que se faz

Direção: Carlos segundo

Hooji  法事

Direção: Marcello Quintella e Boynard

Memoriam – um filme sobre uma cidade inventada

Direção: Johil Carvalho e Sérgio Lacerda

Sandra

Direção: Allex Medrado

Picote Constelado

Direção: Lívia Fernandez e Allex Medrado

Pique-salva

Direção: Antonio BalbinoANTONIO BALBINO

Os vingadores da província

Direção: Ricardo Leite

Fuga

Direção: Laura Barile

Variações sobre um mesmo tema

Direção e Produção: Fernando Timba, Thiago Amaral

E aquele projeto ainda estará no ar

Direção: Laura Barile

O fim do recreio

Direção: Vinicius Mazzon e Nélio Spréa

Retrato Invisível

Direção: Denise Soares

Pedras pretas Itaúnas de São Benedito e São Sebastião

Direção: Marcos Valério Guimarães

Desvelo 

Direção: Clarissa Rebouças

Marcha à Ré no Ano do Dragão

Direção: Pedro Barbosa

Uma noite

Direção: Daniela Santos

Cataventos

Direção: Phydias Barbosa

Jorge Poema

Direção: Rafael Costa

Zé Rangel

Direção: Rafael Costa

Brasil, ame-o ou deixe-o!

Direção e Produção: Ramon Mulin

Ciranda

Direção: José Carlos Sachetti Júnior (Zeca Sachetti)

Dona

Direção: Raylane Cardoso

Capoeira mandou me chamar

Direção: Mariane Nascimento

Truks

Direção: João Inacio

Comentários desativados em Mostra de cinema de Rio das Ostras apresenta filmes selecionados para 2012

E-mail do Leitor

Posted in Cidade, E-mails do Leitor, Observatório da Imprensa Local by ImprensaBR on 29/09/2012

O Polifônico cobriu uma pauta que a imprensa riostrense parece ter apagado: o VI Concurso Público de Rio das Ostras. Recentemente, pessoas que prestaram o VI Concurso Público de Rio das Ostras estiveram na cidade em um ato-manifesto pedindo que o concurso seja validado.

Muitos leitores d’O Polifônico enviaram mensagens pedindo empenho da imprensa na cobertura dos desdobramentos do caso, que parece ter sido esquecido pelor órgãos de comunicação.

Onde está a imprensa riostrense nesta hora?

No Youtube o nível do debate entre as pessoas que viram o vídeos não é dos mais altos, por isso ainda não me animei a fazer uma espécie de mediação. Veja mais:

Abaixo, a mensagem do leitor Bruno Soares.

Boa Tarde,

Ao ler a matéria sobra a manifestação dos aprovados no VI Concurso da Prefeitura de Rio das Ostras senti a necessidade de manifestar minha indignação sobre esta lamentável situação que se encontra todos os participantes deste concurso.

Meu sonho é morar em Rio das Ostras. Hoje moro no Rio de Janeiro. Ao ficar ciente do edital do concurso , iniciei minha longa jornada de estudos a fim de conquistar a tão sonhada vaga e poder residir na cidade que adoro que é Rio das Ostras. Tanto esforço valeu a pena : fui aprovado . Todos da minha família foram testemunhas da minha alegria desta tão sonhada aprovação. Pois bem , já estava procurando um lugar para residir.  Qual foi minha surpresa e indignação ao ficar ciente do anúncio , por ora não oficial , mas adiante se tornou fato, da suspensão deste concurso.  Parecia algo inacreditável.

Imaginem tantas outras pessoas aprovadas, assim como eu, sentiram e ainda sentem os efeitos desta situção. Quantas pessoas , que vieram de outros estados, estão sentindo e que foram aprovados também, na expectativa de morar numa cidade linda e com estabilidade profissional. Será que eu, assim como todas estas pessoas, que fizeram a prova e passaram da forma mais gratificante: por mérito, não merecem serem nomeadas para o cargo preterido?

E a Justiça para estas pessoas ? Punição é para os infratores, anulação da prova é para quem burlou a prova (como previsto no edital) e não para os inocentes
que fizeram a prova de forma honesta  e foram aprovados.

Afinal a Justiça é cega para todos: inocentes e culpados ???  Todos  considerados inocentes e culpados são iguais perante a Lei?

Peço que os órgãos de imprensa  cobrem das autoridades Justiça ! Vejamos o exemplo que o Supremo Tribunal Federal está dando para a sociedade em relação ao Julgamento do Mensalão: houve pessoas absolvidas , outras consideras culpadas e outras sendo ainda julgadas.

Atenciosamente,

Bruno Soares

Comentários desativados em E-mail do Leitor

UFF e professores do PURO aderem à paralisação

Posted in Brasil, Cidade, Coluna do Servidor, Educação by ImprensaBR on 25/04/2012

Em visita hoje cedo ao Polo Universitário de Rio das Ostras, encontramos um cartaz pregado na porta avisando sobre a paralisação de servidores e docentes no dia de hoje. A adesão ao protesto está acontecendo em todo o país por servidores federais.

As principais reivindicações dos docentes são o reajuste salarial e melhores condições de trabalho. De acordo com professores do Polo,  o Foverno Federal descumpriu acordo firmado com a categoria em agosto do ano passado, de que pagaria, até 31 de março deste ano, 4% de reajuste, incorporando a Gratificação Específica do Magistério Superior (Gemas). E também definiria um Plano de Carreira aos docentes das Instituições de Ensino Superior (Ifes) que, ano a ano, vêm perdendo direitos e posições na pirâmide das carreiras federais.

Segundo a presidente da Aduff  (Associação de Docentes da UFF) e professora do curso de Serviço social do Polo Universitário de Rio das Ostras, Eblin Farage, a integração do PURO à paralisação é importante pois demonstra união aos demais servidores, além de fortalecer a mobilização. Em depoimento à ADUFF ela disse que a adesão do PURO à paralisação “é uma forma de fortalecer a principal reivindicação em pauta, que é a campanha salarial unificada. Não existe outro jeito de pressionar o governo. E o problema não para apenas na remuneração, mas se encontra também nas péssimas condições de trabalho”, afirmou.

Na entrevista, Eblin lembrou que são precárias as instalações do Polo, os locais de trabalho dos professores e as salas de aula, improvisadas. Segundo ela, essa falta de ordem no Polo se dá em função da “expansão desenfreada” do ensino público superior. E completa: “Os professores estão dando aulas em contêiner e em porão. Estão vivendo uma série de limitações para o exercício da docência”, declarou.

Segundo a matéria divulgada pelo jornal da ADUFF, “o diretor do pólo universitário da UFF na cidade de Rio das Ostras, Carlos Bazilio Martins, confirmou que as aulas são ministradas provisoriamente em contêineres, mas negou as condições precárias. Segundo ele, as instalações têm “piso amadeirado, isolamento acústico e ar condicionado”. Já a direção do pólo de Nova Friburgo, cidade da região serrana onde segundo a denúncia da Aduff são ministradas aulas em porões, não foi encontrada para comentar a situação’.

De acordo com a Aduff, uma greve geral pode ser anunciada em 17 de maio caso a proposta dos docentes não seja ouvida pelo Governo Federal.

Técnicos-administrativos do Polo também aderiram à paralisação.

Durante todo o dia, o Polo estará sendo ocupado por alunos, docentes e servidores, que farão um grande ato de mobilização entre os interessados diretamente na pauta e a sociedade local.

A paralisação afeta cerca de 50 mil estudantes da universidade que três mil docentes.

Comentários desativados em UFF e professores do PURO aderem à paralisação

Público sedento de arte e cultura prestigia show de músicos locais na Lagoa de Iriry

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia by ImprensaBR on 22/04/2012

Neste 21 de abril ninguém mencionou pelas bandas de Rio das Ostras a data do marco fundador oficial que marcou a chegada dos portugueses ao Brasil, tampouco a morte de Tiradentes… e o ato contra a corrupção feito em diversas capitais e cidades do país.

Em compensação, músicos de Rio das Ostras e de outras cidades, mas que hoje moram na cidade fizeram um lindo show mostrando que Rio das Ostras tem grandes nomes em sua cena artística musical.

Quem adorou foi o público, que sedento de arte, informação e cultura foi ao anfiteatro da Lagoa de Iriry ver e se encantar com as apresentações de Iran BZ, Banda Marraio e Renata Cabral.


Comentários desativados em Público sedento de arte e cultura prestigia show de músicos locais na Lagoa de Iriry

Para quem não conseguiu ler o Número Zero d’O Polifônico Impresso

Posted in O Polifônico Impresso by ImprensaBR on 21/04/2012
View this document on Scribd

Comentários desativados em Para quem não conseguiu ler o Número Zero d’O Polifônico Impresso

Rio das Ostras ganha Selo de má gestão

Posted in Cidade, Notas by ImprensaBR on 13/04/2012

Rio das Ostras ganha Selo Comemorativo dos Correios, mas a cidade ainda não tem entrega de cartas em domicílio em diversos bairros e os servidores dos Correios são mais do que explorados, tendo que atravessar quilômetros para fazer entregas de correspondência de bicicleta. Memória dos 20 anos de uma cidade sem governança. Você ainda está comemorando?

Comentários desativados em Rio das Ostras ganha Selo de má gestão

A Prefeitura de Rio das Ostras tentou discrição, mas a ronda jornalística d’O Polifônico denuncia: Gigogas invadem Lagoa de Iriry.

Posted in Cidade, Infraesturutura, Meio Ambiente, Saúde, Turismo by ImprensaBR on 27/01/2012
Mas… teriam vindo com as chuvas de verão essas pragas, ou colocadas pela própria prefeitura na lagoa para filtrar os poluentes da água? Como não temos acesso aos responsáveis pela Secretaria de meio Ambiente, Agricultura e Pesca de Rio das Ostras, pois a Secretaria de Comunicação Social veta qualquer contato do jornal com os gestores públicos da cidade, não temos um depoimento do secretário de Meio Ambiente para saber mais informações sobre a operação de coleta de gigogas na lagoa de Iriry, esta semana.

O que vimos aconteceu na manhã da última quarta-feira, dia 25 de janeiro.
Ficam algumas perguntas… sobre essas gigogas… uma delas é a que mais me intriga: estariam ali essas espécies se multiplicando à custa dos microrganismos despejados diretamente na lagoa, ou em português claro, cocô? Sim, sabemos que as gigogas se alimentam de matéria orgânica e se multiplicam muito rádido quanto mais comem. E, na medida em que engordam, morrem, ficando sem sua função de filtro dos poluentes da água, tornando-se uma praga no ambiente onde está. Além disso, essa espécie aquática abriga em torno de si uma série de espécies de incetos e mosquitos, que impactam o meio ambiente que havia naquele habitat antes dela chegar.
Sabemos que a manutenção periódica dos canais do município, a fim de conter a proliferação de gigogas acontece sempre que essas plantas tomam conta dos canais, mas no caso das gigogas da lagoa de Iriry, elas podem ter aparecido ali com as chuvas e se proliferaram rapidamente dada a grande quantidade de poluentes na água. Ou, o que seria ainda uma lástima, a PMRO teria colocado as gigogas na lagoa justamente para que elas funcionassem como filtros naturais dos poluentes despejados in natura na lagoa.
Não é de hoje que moradores dos bairros Bela Vista, Recreio e Ouro Verde denunciam o despejo do esgoto in natura nas águas da lagoa. Em janeiro de 2010, após crianças passarem mal depois de banharem-se nas águas da lagoa de Iriry, uma equipe do INEA veio à cidade para coletar amostras da água. Os técnicos do Instituto Estadual do Meio Ambiente selecionaram dois locais diferentes para fazer a coleta das amostras e as duas análises feitas; uma para aferir a presença de esgoto na água e a outra para identificar se as algas encontradas na lagoa eram consequência da poluição, deram laudo positivo para as águas da lagoa e o banho foi liberado pelo documento emitido pelo INEA.
Ainda assim, frequentemente recebemos denúncias de que obras no entorno da lagoa despejam seus esgotos na lagoa.
Gigogas = hepatite e diarréia
Em Rio das Ostras, na lagoa de Iriry, vimos uma quantidade enorme de gigogas sendo retiradas da lagoa de Iriry. Não posso afirmar em números essa quantidade, mas em duas horas que permaneci no local, vi mais de seis caminhões como os que estão no vídeo que fiz, saindo da lagoa lotados de gigogas. Para onde foi esse ‘lixo’ também não sabemos.
Enquanto isso, a prefeitura vem, há duas décadas, autorizando novos licenciamentos para obras no entorno da  APA de Iriry sem ter o local nenhuma rede de coleta e tratamento de esgoto.
A lagoa de Iriry se transformou num imenso vaso sanitário a céu aberto e é um dos cartões postais mais belos de Rio das Ostras. Semana passada (22 de janeiro) a prefeitura promoveu ali a Caminhada na Natureza. O evento faz parte do Circuito Internacional de Caminhadas da Anda Brasil com vasta divulgação da imprensa local, regional e com direito a uma notinha até no suplemento ‘Bairros’ do jornal O Globo. No mínimo, o que a PMRO deveria fazer diante dessas imagens que você está vendo abaixo, era enviar uma nota esclarecendo a origem dessas gigogas na lagoa de Iriry neste verão 2012. Afinal, trazer turista para a cidade é uma necessidade econômica, mas lotar pronto-socorro em mais um verão com casos de crianças que passaram mal depois de nadarem na lagoa de Iriry é trabalhar contra o turista, contra os moradores, contra a cidade.
Macaé opta por não fazer um sistema de tratamento de esgoto e coloca gigogas na lagoa de Imboassica para filtrar poluentes despejados no local. Lá, a prefeitura tentou pôr em prática um projeto no mínimo irreverente  e às avessas. Veja você, que ao invés de construir um sistema tratamento de esgoto na cidade, os gestores da capital do petróleo resolveram colocar gigogas na lagoa de Imboassica para que essas plantas fizessem o serviço de despoluição de suas águas, já que muito esgoto é despejado (ainda) na lagoa.
Leia matéria publicada no RJ Intertv em 10/10/2011
Gigogas são utilizadas para filtrar esgoto na Lagoa de Imboassica
A expectativa da ação é melhorar a qualidade da água enquanto o tratamento de esgoto não é concluído na região.
O projeto de fitorremediação na Lagoa de Imboassica, em Macaé, começou há uma semana e tem o objetivo de utilizar gigogas para filtrar o esgoto lançado na água. A expectativa da ação é melhorar a qualidade da água enquanto o tratamento de esgoto não é concluído na região.
O trabalho é feito por um grupo de pescadores voluntários, eles retiram as gigogas das margens da lagoa, colocam as plantas nas canoas e transportam o material até um ponto, onde é despejado o esgoto sem tratamento de um bairro próximo. A área está delimitada por uma corda flutuante para assegurar que as plantas fiquem concentradas.
As gigogas tem o papel de filtrar a água, funcionam como uma esponja absorvendo o material poluente. O projeto deve ter continuidade até a instalação do sistema de esgoto na lagoa, que ainda não tem previsão para ser feito.
O uso da gigoga como alternativa para diminuir os efeitos da poluição não é uma unanimidade. Segundo alguns especialistas, essa planta de origem amazônica, pode se tornar uma praga. O engenheiro ambiental, Júlio César Leitão, explica que a planta se prolifera com muita rapidez e pode provocar um desequilíbrio ecológico se não tiver um rigoroso acompanhamento.
A secretaria de Ambiente informou que é feito o controle para evitar o desequilíbrio ambiental. Além de análises para acompanhar a qualidade da água.
Vídeo: http://intertvonline.globo.com/rj/noticias.php?id=21293

Comentários desativados em A Prefeitura de Rio das Ostras tentou discrição, mas a ronda jornalística d’O Polifônico denuncia: Gigogas invadem Lagoa de Iriry.

Azymuth e Helio Delmiro fazem show em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Cultura, Turismo by ImprensaBR on 26/01/2012
O Projeto Rio das Ostras Jazz e Blues o Ano Todo apresenta neste domingo, dia 29, o Grupo Azymuth e o guitarrista Hélio Delmiro, a partir das 18h, na área coberta do Camping Costazul.
O grupo Azymuth, formado por Ivan Conti “Mamão” na bateria, Alex Malheiros no baixo e José Roberto Bertrami nos teclados, iniciou a carreira nos anos 70 e com quase 40 anos de estrada divulga a boa música instrumental brasileira pelo mundo. Estônia, Japão, EUA, Londres…todo o mundo conhece o talento desse trio.
O carioca Hélio Delmiro iniciou a carreira como violonista autodidata, aprendeu cavaquinho e “tomou” gosto pela música por influência do irmão Carlos, pianista e professor de violão. Aos poucos foi apurando a técnica e por algum tempo estudou música erudita com o propósito de desenvolvê-la para a música instrumental. Na década de 80 foi identificado como guitarrista de jazz, mas prefere se intitular um músico brasileiro.

Comentários desativados em Azymuth e Helio Delmiro fazem show em Rio das Ostras

Rio das Ostras recebe Ponto de Equilíbrio. Banda se apresentará sexta-feira 13

Posted in Cidade, Cultura, Estereofonia, Região, Turismo by ImprensaBR on 09/01/2012

Comentários desativados em Rio das Ostras recebe Ponto de Equilíbrio. Banda se apresentará sexta-feira 13

Samba de casa. Show de Thais Macedo na virada do ano em Rio das Ostras

Posted in Cidade, Estereofonia by ImprensaBR on 07/01/2012
Uma semana depois do show da cantora Thais Macedo  na virada do ano em Rio das Ostras, O Polifônico publica em primeira mão um vídeo onde a intérprete canta Retalhos de cetim, música de Benito di paula, de 1973.
Tagged with:

Comentários desativados em Samba de casa. Show de Thais Macedo na virada do ano em Rio das Ostras

{ Um 2012 POLIFÔNICO!!! }

Posted in Cidadania, Cidade, Jornalismo de Intervenção, Notas by ImprensaBR on 31/12/2011

{ Um 2012 POLIFÔNICO!!! }

Comentários desativados em { Um 2012 POLIFÔNICO!!! }

Rio das Ostras evangeliza na rede

Posted in Cidade, Jornalismo de Intervenção, TV O Polifônico, Videofonia by ImprensaBR on 18/12/2011
Todos os dias clipando as principais notícias sobre Rio das ostras em jornais locais, do estado, do Brasil e até de países de fora, faço a mesma visita a vários sites e agências de notícias.
Há meses venho notando que em uma dessas redes de relacionamento e postagem de vídeos, Rio das Ostras aparece nas buscas sempre através de postagens de congregações evangélicas. Fiquei impressionada com um dos últimos vídeos que uma dessas igrejas publicou.
Quem também colocou um institucional sobre as belezas e atrativos de Rio das Ostras na rede foi o governo municipal, provavelmente através de sua Secretaria de Comunicação Social.
O vídeo – muito bem feito, com tomadas aéreas, imagens feitas de dentro da lagoa de Iriry, fala apenas de coisas boas e tenta vender Rio das Ostras como uma cidade perfeita para quem busca um local para passar as festas de fim de ano.
Perfeita só para quem vem, nada deixa, e volta para casa. Para quem mora aqui, trabalha (ou tenta trabalhar) e viver em Rio das Ostras, a realidade tem sido bastante dura e nada tem a ver com as belas imagens mostradas no tal vídeo institucional.
Sem infraestrutura, a cidade espera receber o dobro do número de sua população – hoje de 105 mil pessoas – durante o período de férias de verão. Novamente teremos problemas como falta de água em vários bairros, corte de energia elétrica… prejuízo para inúmeros comerciantes. Isso sem falar na segurança pública. Se em períodos de baixa temporada a guarnição lotada na praça não dá conta, no verão é que não seria suficiente.
Enquanto a prefeitura tenta vender Rio das Ostras como uma cidade perfeita em um dos maiores sites de compartilhamento de vídeos do mundo, quem mora aqui é colocado em último lugar.
Para saber o que é Rio das Ostras e o que a cidade vem enfrentando desde 2005, leia O Polifônico e veja o canal do jornal no Youtube…
Sobre o crescente número de vídeos postados todos os dias por dezenas de novas igrejas evangélicas instaladas na cidade, isto é mais do que o fim dos tempos! É a comunicação servindo para desinformar, para deseducar, para manipular e emburrecer o indivíduo.
Mais que isso, é o sinal de que pouca ou quase nenhuma produção audiovisual vem sendo produzida em Rio das Ostras.
Será mesmo?
LB

Comentários desativados em Rio das Ostras evangeliza na rede

Rio das Ostras terá dois Ofícios de Justiça

Posted in Cidadania, Cidade, Infraesturutura, Notas by ImprensaBR on 08/12/2011
O município de Rio das Ostras passará a contar com dois Ofícios de Justiça. A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou hoje, em discussão única, o projeto de lei 1.106/11, que cria o 1º e o 2º Oficios de Justiça onde hoje há Ofício Único.
Caberá ao 1º Ofício as atribuições de tabelionato de notas, tabelionato de protesto de títulos e registro civil das pessoas naturais. Ao 2° Ofício, os registros de imóveis, de títulos e documentos e civil das pessoas jurídicas.
O projeto será enviado ao governador Sérgio Cabral.
Tagged with:

Comentários desativados em Rio das Ostras terá dois Ofícios de Justiça

Sai o resultado dos novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Cidade by ImprensaBR on 07/12/2011
A Secretaria de Comunicação Social de Rio das Ostras divulgou os nomes dos cinco munícipes eleitos para o Conselho Tutelar da cidade triênio 2012/2014.
As eleições tiveram a adesão de 28 candidatos, alguns já com passagem pelo Conselho Tutelar.
Foram eleitos:
Dionéia Monsuete – com 333 votos;
Érica Santos, com 281 votos;
Luciana Alves, com 236 votos;
Austriane Lessa, com 219 votos;
Fábio Neves, com 186 votos.
De acordo com a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Eliara Fialho, mais de 2.900 munícipes votaram de forma voluntária. O número superou as expectativas, disse, já que na última eleição para o Conselho Tutelar, cerca de 1000 pessoas participaram do pleito.

Comentários desativados em Sai o resultado dos novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

Domingo é dia de escolher os novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

Posted in Brasil, Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, Segurança Pública by ImprensaBR on 01/12/2011
Neste domingo, munícipes de Rio das Ostras escolherão os novos representantes do Conselho Tutelar da cidade.
O jornal O Polifônico desafiou os quase 40 candidatos a elaborarem uma campanha e enviarem ao jornal argumentando por que sentem-se aptos a se candidatarem ao cargo de conselheiros tutelares.
Apenas a candidata Regina Vieira entrou em contato com a redação d’O Polifônico.
Abrimos espaço, então, para divulgar – como teríamos aberto também aos demais candidatos – a campanha da única cidadã candidata ao Conselho Tutelar de Rio das Ostras que se predispôs a dialogar conosco.
LB
O material abaixo foi totalmente redigido e elaborado pela candidata ao Conselho Tutelar de Rio das Ostras, Regina Vieira. (O referente material foi retirado da internet, ainda não sabemos, mas talvez pela própria candidata após o período das eleições do CT. Regina Viera não foi eleita.) 
Participação da população é importantíssima
Votação será para eleger os conselheiros do triênio 2012/2014 No próximo domingo, dia 4 de dezembro, a população vai poder escolher os cinco membros do Conselho Tutelar para o triênio 2012/2014.
O Conselho Tutelar é composto por cinco membros, eleitos pela comunidade para acompanharem as crianças e os adolescentes e decidirem em conjunto sobre qual medida de proteção para cada caso. Devido ao seu trabalho de fiscalização a todos os entes de proteção (Estado, comunidade e família), o Conselho goza de autonomia funcional, não tendo nenhuma relação de subordinação com qualquer outro órgão do Estado.
Importante esclarecer que a autonomia do Conselheiro funcional não é absoluta. No tocante às decisões, estas devem ser tomadas de forma colegiada por no mínimo três Conselheiros, e não apenas por um ou dois deles. No tocante a questões funcionais: fiscalização do cumprimento de horário de trabalho e demais questões administrativas. O conselheiro tem o dever da publicidade ao órgão administrativo ao qual vincula o Conselho Tutelar, assim como é dever e função do CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, fiscalizar a permanência dos pré-requisitos exigidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente aos Conselheiros Tutelares, em especial o da idoneidade moral e residência no município.
As zonais eleitorais estarão aglutinadas em sete locais de votação:
Colégio Municipal Professora América Abdalla
Rua Carlos Viana, s/nº – Nova Esperança
Eleitores que votam nas seções: 01 – 02 – 08 – 09 – 10 – 23 – 24 – 25 – 26 – 27 – 28 – 29 – 30 – 31 – 32 – 33 – 34 – 35 – 36 – 37 – 38 – 39 – 40 – 41 – 42 – 43 – 44 – 45 – 46 – 47 – 48 – 62 – 63 – 64 – 67 – 75 – 77 – 78 – 79 – 81 – 83 – 90 – 95 – 98 – 100 – 101 – 104 – 105 – 107 – 109 – 113 – 140 – 143 – 148 – 152 – 156 – 157 – 158 – 159 – 160 – 168 – 170 – 171 – 181
Escola Municipal Cidade Praiana
Avenida Amaral Peixoto, s/nº – Cidade Praiana
Eleitores que votam nas seções: 11 – 12 – 13 – 14 – 15 – 16 – 17 – 18 – 49 – 50 – 51 – 52 – 65 – 66 – 68 – 69 – 73 – 74 – 82 – 84 – 87 – 91 – 93 – 97 – 99 – 103 – 108 – 112 – 117 – 120 – 122 – 128 – 133 – 134 – 137 – 138 – 141 – 145 – 147 – 151 – 153 – 155 – 161 – 162 – 167 – 169 – 172 – 173 – 179
Escola Municipal Marinete Coelho de Souza
Cantagalo
Eleitores que votam nas seções: 03 – 94 – 110
Escola Municipal Inayá Moraes D’Couto
Rua Frei Galvão, nº 414 – Village
Eleitores que votam nas seções: 70 – 71 – 72 – 80 – 86 – 96 – 106 – 114 – 121 – 131 – 132 – 142 – 146 – 149 – 154 – 164 – 166 – 174 – 177 – 178 – 180
Escola Municipal Francisco de Assis Medeiros Rangel
Rua Bangu, nº 1615 – Parque Zabulão
Eleitores que votam nas seções: 04 – 05 – 06 – 07 – 53 – 54 – 55 – 56 – 57 – 58 –  – 59 – 60 – 61 – 76 – 85 – 88 – 89 – 92 – 102 – 111 – 125 – 136 – 144 – 150 – 163 – 165 – 175 – 176
Escola Municipal Fazenda da Praia
Mar do Norte
Eleitores que votam nas seções: 34 – 35 – 116 – 182
Escola Municipal Henrique Sarzedas
Rocha Leão
Eleitores que votam nas seções: 19 – 20 – 21 – 22 – 127
Saiba quem concorre: 
Nº do candidato|Nome
01|Sandra Santos
02|Mariana Cristina
03 |Robson Huebra
04|Ana Lúcia Clementino
06|Dionéia
08|Andréa
09|José
10|Sandra Caldas
14|Derli Correa
17|Regina Vieira
18|Ramiro Tinoco
19|Alziléa ( Lene)
20|Alcinéia Fernandes de Souza
22|Luciana Alves
23|Prof. Fábio Neves
24|Valdelice
25|Suelen Fragoso
26|Raquel Matos
27|Austriane (Ane)
28|Maristela Gomes
29|Vânia Cruz
30 |Marta Soriano
31|Nanci
33|Tania Maria Peroba e Silva
34|Profª. Ludmila Costa
35|Érica Santos
37|Elidia Trefílio
38|Pastora Marli

Comentários desativados em Domingo é dia de escolher os novos conselheiros tutelares de Rio das Ostras

I Semana de Cultura Afro-brasileira em Rio das Ostras

Posted in Cidadania, Cidade, Cultura, Educação by ImprensaBR on 17/11/2011

Atividades da I Semana de Cultura Afro-brasileira em Rio das Ostras

 As atividades aconteceram no hall do PURO, no Anfiteatro (teatro de arena), em salas de aulas e no auditório
 
  • Dia 16 de novembro de 2011:
  • Durante todos os dias: tendas de tranças afro e outras exposições artísticas (poesias, pinturas, música, vídeo, artesanato, etc) – saguão do PURO; Exposição de livros;
  • 14:00 – Abertura do Evento (Direção do PURO; Direção da Faculdade, Organização do Evento);
  • 14:30 às 17:00 –   Mesa Redonda – Saúde da população negra. O Objetivo desta mesa é trazer uma discussão sobre a saúde  da população negra, criando um debate sobre as questões de equidade, acesso, políticas públicas direcionadas a essa população.
    • Iraci dos Santos (UERJ)
    • Hayda Alves (PURO/UFF)
    • Mediadora: Elizabeth Carla Barbosa (PURO/UFF)
    • 18:00 às 21:00 – Mesa redonda de abertura do Evento – “Aspectos sociais e econômicos da questão racial no Brasil contemporâneo”. O objetivo desta mesa redonda é trazer elementos contemporâneos sobre a questão racial no Brasil, em especial sobre a criminalização da pobreza e do negro, sobre formas contemporâneas de “extermínio” da população pobre e negra no Brasil, bem como das formas de enfrentamento à estas questões, seja via institucional seja via organização dos movimentos sociais.
      • Denise Micacio (CRESS/RJ);
      • Cristina Brites (PURO/UFF);
      •       Roberto Martins (Prof. Rede municipal de Rio das Ostras);
      •       Luciano Barbosa (Prof.  Rede  municipal de Rio das Ostras);
      • Mediador: Hildeberto V. Martins (PURO/UFF);
      • 21:00 – Atividade cultural – Desfile de roupas étnicas (Saguão do PURO);
      • Dia 17 de novembro de 2011:
      • 9:00 às 11:00 – Oficinas:
1.  Aula – Dança afro-brasileira (Denise Zenícola – PURO/UFF)
  1. Performance e poética na Capoeira (Sálvio de Mello – Dr. em Letras/UEL);
  • 14:00 às 16:00 – Oficinas:
  1. Oficina de Percussão (Mestre Mistério/ Rio das Ostras)
    1. A crítica vai ao Cinema – (Felipe Brito /UFF)
    2. Psicologia Social e racismo: problematizações – (Hildeberto V. Martins – PURO/UFF);
  • 16:30 às 19:30 – Mesa Redonda – “Religiões afro-brasileiras”. O objetivo desta mesa redonda é trazer informações sobre a situação atual das Religiões afro-brasileiras. Pretende-se com o debate criar um espaço onde se possa trazer elementos que contribuam com o reconhecimento das religiões de origem africanas como parte da identidade brasileira, diminuindo desta forma, o preconceito que estas sofrem por parte de segmentos da sociedade.
    • Yalorixá Miranda de Oxosse;
    • Adailton Moreira (Babá Egdé no terreiro ILE OMI OJU ARO, liderado pela Ialorixá Mãe Beata de Yemonjá. Graduadoem Ciências Sociais(PUC)
    • Mediadora: Denise Zenicola (PURO/UFF)
    • 20:00 – Performance com grupo coordenado pela professora Denise Zenícola.
    • 20: 30 – Atividade Cultural – Jongo de Quissamã
      • Dia 18 de novembro de 2011:
      • 8:00 às 12:00 – Grafite no muro externo do PURO (Hip-Hop de Macaé)
      • 9:00 às 11:00 – Oficinas:
  1. Performance e poética na Capoeira (Sálvio de Mello- Dr. em Letras/UEL).
  • 14:00 às 17:00 – Oficinas:
 1.  Oficina de Percussão – (Mestre Mistério/ Rio das Ostras);
2.   Babá Egdé no terreiro ILE OMI OJU ARO, liderado pela Ialorixá Mãe Beata de Yemonjá. Graduadoem Ciências Sociais(PUC)A crítica vai ao Cinema – (Felipe Brito/UFF);
  • 18:00 às 21:00 – Mesa redonda: “Organização política e resistência cultural de comunidades quilombolas do Rio de Janeiro. O objetivo desta mesa redonda é discutir os atuais desafios da organização política e cultural de segmentos da sociedade que se articulam em torno da cultura de origem negra. Discutir as formas de resistência cultural destes movimentos e das comunidades quilombolas,em especial. Relaçãoentre raça e classe. A relação entre indústria cultural, organização e consciência política. Cultura e juventude.
    • Thula Pires (PUC/RJ);
    • Gaspar (Movimento Luta Armada/Rio de Janeiro);
    • Mestre Mistério ( Mestre de Capoeira/Rio da Ostras);
    • Dona Uia – Presidente de honra da Associação Quilombo da Rasa;
    • Marta Andrade – Associação Quilombo da Rasa;
    • Mediador: Edson Teixeira (PURO/UFF)
    • 21:15 – Atividade Cultural – Roda de capoeira  (com Mestre Mistério) seguida de Roda de Samba

Comentários desativados em I Semana de Cultura Afro-brasileira em Rio das Ostras

Alunos do PURO realizam 6a Mostra de Artes Contemporânea

Posted in Cidadania, Cidade, Cultura, Educação, TV O Polifônico, Videofonia by ImprensaBR on 26/10/2011
O jornal O Polifônico passou pela exposição para ver e saber mais sobre a proposta da Mostra este ano. Desde sua primeira edição acompanhamos o trabalho do professor Áureo Mendonça, que com seus alunos do curso de Produção Cultural, renova os ares dos corredores do prédio onde funciona a UFF, em rio das Ostras, durante os dias da Mostra.
Além de usar o espaço físico no Polo para expor as obras de arte da Mostra (este ano o projeto tem também algumas intervenções dentro do prédio do Polo, como você verá aqui…), o circuito de artes continua nas ruas da cidade, através da 3a edição do Ostra Aberta, que rola dentro da 6a Mostra de Arte Contemporânea.
Diversas intervenções e instalações em espaços públicos estão sendo apresentados para o público que terá até o dia 28 deste mês para conferir de perto obras interessantes de artistas locais e de outras cidades.
A Mostra de Arte Contemporânea está em sua sexta edição e conta com oficinas, worshops, ação educativa com crianças da rede pública e particular, além de 10 dias de exposição com artistas da região, contribuindo na divulgação de trabalhos artísticos locais.
O projeto possui relevância social, pois procura estabelecer um contato significativo entre as crianças com a arte contemporânea, visando a construção de sujeitos críticos, capazes de reconhecer a importância da arte na formação sócio-cultural de um indivíduo.
Veja o vídeo com comentários de alunos e do coordenador da 6a Mostra de Arte Contemporânea do PURO
Veja a programação completa da 6a Mostra de Arte Contemporânea do PURO, que começou dia 24, segunda-feira:

(more…)

Comentários desativados em Alunos do PURO realizam 6a Mostra de Artes Contemporânea

Para que serve uma praça?

Para exibir ricas lajotas e deixar o vento correr entre escassas moitas ou para as pessoas se encontrarem, para compartilhar momentos de lazer, para levar às ruas nossas idéias? 

Somos da parte das gentes que acreditam que as praças devem ser ocupadas, que as idéias devem ali ser divididas e construídas, que as brincadeiras tenham nela espaço, que nela esteja refletido a identidade da comunidade que habita seu entorno. A praça é espaço lúdico, é político, cultural, espaço de produção de subjetividades e de contrução coletiva de sentidos.

Em Rio das Ostras temos uma praça bem no centro da cidade chamada José Pereira Câmara, que não conta com uma árvore para fazer sombra (tem palmeiras de R$5 mil, moitinhas, mas sombra de árvore num tem não) mas tem de chão lisinho, tem monumento turístico, tem transporte facilitado nos arredores, vista para o mar e uma satisfatória iluminação pública. O espaço foi por muito tempo apenas um cartão postal, uma praça de passagem, que nem banco tinha… Vieram os bancos, veio o tempo também, mais um monte de gente pra cidade e um tanto de gente, dessas que vieram e das que aqui já estavam, começou a dar um sentido maior que foto pra catálogo e ponto de ônibus. Um pessoal passou a se reunir ali para dançar: cultura hip hop presente, lindo. Religiosos passam por ali, se reúnem, fazem atividades litúrgicas. Lindo. Um outro pessoal também chegou, galera do skate, esporte radical no qual Rio das Ostras tem significante representação. Os adolescentes, as famílias, os grupos políticos com assembléias e manifestações. Lindo: apesar de ainda não ter sombra a praça ganhou vida, ganhou sentido.

Nessa última sexta feira, dia 14 de outubro, estávamos exercendo nossa vida “pracenta”: dança, skate, famílias, pipoqueiros, um grupo preparando cartazes para um ato político marcado para o dia seguinte naquele local, estudantes de teatro no intervalo de seu ensaio, namorados, pequenas crianças olhando a água que cai do balde do monumento. Não havia nenhuma confusão, nenhum ato agressivo, os diferentes grupos interagiam tranquilamente… Até que a Guarda Municipal do nosso município decidiu nos dar uma dose de controle e moralismo.
Um GM abordou inicialmente um dos rapazes skatistas mais velho, lhe dando a ordem de suspender as atividades do grupo e cada um recolher seus skates. O rapaz, muito consciente de não estar infringindo nenhuma lei, não respondeu com obediência e tão pouco passou aos colegas o ordenado inconsistente. O GM se afastou um pouco da praça até onde seu companheiro de trabalho o esperava em uma viatura – com ele falava que já tinha mandado, que já tinha falado e combinava um resposta à provável resistência. Minutos depois ele volta, aborda dessa vez uma criança de 12 anos, lhe segura agressivamente pelo braço e toma o skate de seus pés. A cena fez com que os amigos skatistas, o grupo político, os transeuntes se aglomerassem em torno do opressor para questionar a ação. A alegação: não pode andar de skate, eu já falei! Mas não pode por quê?
O primeiro argumento foi: tem a praça de skate, skatista tem que ficar lá. Lemos: lugar de skatista é no escuro, depredado, longe e associado à criminalidade. O outro argumento é: está machucando as pessoas. Sinceramente, nunca vimos um relato acerca disso e é um argumento aparentemente vazio para justificar a marginalização da prática e do grupo.

Rio das Ostras tem outras praças, tem inclusive uma Praça de Skate, mas nenhuma onde a mobilidade urbana permita o acesso como essa, nenhuma tão iluminada e visível ao ponto de os pais deixarem seus filhos se divertirem enquanto fazem suas atividades nas redondezas, nenhuma em condições de uso para o esporte. A Praça do Skate? Sem atenções e reparos do poder público está depredada (skate é um veículo de pequenas rodas que não funcionam muito bem numa superfície acidentada, consideremos), não tem iluminação que permita segurança e os freqüentadores narram que há grupos agressivos que dominam o espaço, que utilizam como querem a custas de ameaças, que há tráfico de drogas no local. E é afastado, claro. Agora reflita conosco: seu filho de 12 anos quer se divertir na praça, em qual dessas você permitiria que realizasse esse desejo?

Um guarda pode abordar uma criança dessa forma sem a presença do conselho tutelar? A guarda municipal tem poder de apreensão de objetos pessoais sem a evidência de um crime e sem a posse de um mandato? As regras municipais são definidas por leis ou pelo “bom senso” do primeiro que se sentir nesse direito? Cabe à Guarda Municipal a repressão de uma manifestação esportiva e cultural legal e pacífica? Despessoalizando (pois temos a compreensão que o GM repressor é mais um oprimido exercendo sobre nós uma das propriedades do capitalismo), que espécie de ordem é essa que a Secretaria de Ordem Pública dá aos servidores que trabalham para o seu funcionamento? Rio das Ostras tem ocorrências freqüentes de assaltos, estupros, atropelamentos, invasões de domicílio e a preocupação é com os adolescentes exercendo pacificamente o direito de ir e vir?

Não admitimos esse tratamento. Não legitimamos a perseguição preconceituosa a determinada cultura, não legitimamos uma praça destinada a turistas e proibida à comunidade local.

Queremos que o direito a cidade seja de todos. E os skatistas querem ter suas necessidades de cidade atendidas também, querem a Praça do Skate revitalizada e segura, querem um espaço no centro da cidade com rampas e uma superfície satisfatória para a prática do esporte (que tal transformar aquela área do medidos de marés da praça São Pedro em um espaço útil?), querem espaços de expressão e transmissão de conhecimento, querem ser tratados com respeito pelo poder público, querem reconhecimento.

O GM pediu desculpas ao pai do garoto, hoje alguns jovens andavam com seus skates pela praça sem abordagem alguma de corporações de controle… Mas isso não resolve a questão.

Texto: Coletivo Tecendo o Amanhã.

Fotos: Pomy Yara

Devemos fazer uma parte acerca da Guarda Municipal. Não estamos aqui apontando como problema a ação de um guarda específico. O problema é de como se dá a gestão pública em Rio das Ostras. Somos governados por coronéis que escolhem capatazes para cada secretaria e que por sua vez tira novos capatazes para lidar diretamente com os servidores. É uma gestão em que impera o medo, o assédio moral, o controle político por rédeas que se desenham na ameaça de perder benefícios, na progressão salarial que depende da boa avaliação do seu chefe imediato (os referidos capatazes). A Guarda Municipal é diariamente assediada, os guardas recebem um volume imenso de inquéritos administrativos absurdos (desde necessidade fisiológicas inevitáveis a bater palma para o colega que discursa sobre a morte de um companheiro em serviço). Os GMs fazem parte de nós, somos eles também e por eles também gritamos: basta de opressão.  

Ver a respeito: http://sindservro.files.wordpress.com/2011/05/campanha_gm_maio_21011_site.pdf

Comentários desativados em Para que serve uma praça?

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio das Ostras fará uso da Tribuna Livre da Câmara, hoje, às 15h

Posted in Cidadania, Cidade, Coluna do Servidor by ImprensaBR on 19/10/2011
Por Leonor Bianchi
O Coordenador Geral do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio das Ostras, Renê Dutra, fará uso da Tribuna Livre da Câmara de Vereadores, na sessão de hoje, às 15h.
O fato é inédito na cidade. Vale ressaltar, que às vésperas de completar sua segunda década de emancipação político-administrativa, Rio das Ostras e seus vereadores até então nunca haviam colocado em prática o direito dos cidadãos à Tribuna Livre, expresso na Lei Orgânica Municipal e ainda no Regimento Interno da Câmara de Vereadores.
Foi preciso que o líder do Sindserv-RO demandasse o direito de uso da Tribuna para que grande conflito interno fosse causado no Legislativo, já que até ali tudo caminhara sem mais interferências externas para os legisladores, que nunca tiveram de atender a tal solicitação antes. O que veremos hoje, logo mais, será um feito histórico nesta cidade.
O presidente da Câmara, Carlos Afonso – que por sua vez concorre ao cargo de prefeito nas próximas eleições municipais pelo PSB, seu partido atual, correu para atender a contento o pedido do Sindserv-RO, provavelmente pensando que o fato de estar apenas cumprindo a Lei, esteja fazendo algo inédito e bom, que ‘lá na frente’ poderá lhe render alguns míseros votos… e liberou sem muitas delongas o espaço da Tribuna para o sindicato.
Plano de Cargos carreiras e Vencimentos dos Servidores
O Sindserv-RO questiona a metodologia utilizada no processo de elaboração do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores Públicos Municipais de Rio das Ostras, uma vez que o mesmo foi feito por uma comissão especial com nomes indicados pelo chefe do executivo sem a participação dos servidores, de maneira não representativa.
Na semana passada, o prefeito de Rio das Ostras, Carlos Augusto, enviou o projeto do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores à Câmara, para que seja votado em breve.
O Sindserv-RO, representado pelo Coordenador Renê Dutra, solicitou, há mais de um mês, uma sessão pública – Audiência Pública –  para debater com os servidores municipais o PCCV, mas até hoje nenhum retorno foi dado à entidade sindical.

O assédio Moral – prática comum utilizada por chefias da PMRO – também será uma das pautas levadas à Tribuna Livre da Câmara pelo Coordenador Geral do Sindserv-RO. Segundo ele, inúmeros servidores têm buscado orientações no sindicato sobre como lidar com o assédio moral, o que o fez demandar o espaço público para denunciar e pedir medidas de combate à prática.
Este mês, o Sindserv-RO iniciou uma campanha contra o assédio moral e está incentivando todos os servidores, principalmente os em estágio probatório, a denunciarem esta prática criminosa e que deve ser repudiada.

A edição de outubro do jornal SindNovas, que você pode ler na íntegra aqui n’O Polifônico (homepage, menu à direita) traz em destaque uma matéria sobre o assédio moral na PMRO. Alguns servidores se propuseram a dar uma entrevista para o veículo e denunciaram diversas práticas de assédio moral.  

Comentários desativados em Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio das Ostras fará uso da Tribuna Livre da Câmara, hoje, às 15h

Mudanças na Segurança Pública de Rio das Ostras: Você está por dentro?

Posted in Cidade, Segurança Pública by ImprensaBR on 04/07/2011

Leia aqui o DO.

Alô, Rio das Ostras, a prefeitura continua investindo alto em campanhas publicitárias de apoio ao governo. Acabou de ser veiculada (em horário nobre) o novo clip feito pela agência de publicidade (agência de publicidade?) contratada… pela Secom da PMRO… o que eles não disseram é que um comando da Secretaria de Controle Urbano está sofrendo significativas alterações em seu quadro de funcionários. Seria já algum rumor das prévias eleitorais ou as mudanças de fato são sérias e visam promover sanar as incapacidades da referente secretaria deflagradas nos últimos meses? Leia o Diário Oficial publicado na última sexta-feira, dia 1 (aqui no Polifônico) e você saberá mais o que estão articulando a respeito da segurança pública de nossa querida cidade, já tão massacrada pela não governança. O presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública, Jorge Maia, não informou em seus emails frequentemente enviados a minha caixa de emails sobre sua postura e a do CCSPRO nessa nova composição de ‘cabeças’ mandantes. A questão interessa também a quem não participa presencialmente das reuniões do CCSPRO e deve ser elucidada, independentemente de a imprensa noticiar, creio. Deveria partir de quem preside o Conselho transmitir mais detalhes deste momento para os munícipes e da prefeitura, informar sobre essas mudanças em seus diários oficiais publicados em disfarçados tablóides semanais. Alô, alô, Rio das Ostras, acorda!

Comentários desativados em Mudanças na Segurança Pública de Rio das Ostras: Você está por dentro?

%d blogueiros gostam disto: